sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Luís Filipe Vieira e o seu museu

Tivemos dois acontecimentos marcantes para a história do Benfica na semana que passou: a morte de Fernando Martins, uma grande figura do passado do clube, e a abertura do museu que certamente encherá de orgulho todos os sócios e adeptos.

Como é evidente estes temas seriam abordados na edição desta semana do jornal "O Benfica". Não tendo acesso ao jornal, tive no entanto oportunidade de ver a capa. E o destaque principal não é o museu (uma foto a mostrar o interior, ou a fachada desimpedida) nem a triste notícia sobre Fernando Martins, relegada para um canto. É, como provavelmente já adivinharam, a opinião de Luís Filipe Vieira sobre o museu.

É o ADN. O presidente deixou cair alguma caspa enquanto visitava o museu pela primeira vez.

A fotografia de quase corpo inteiro do presidente do Benfica destaca-se sobre a fachada do "MUSEU BENFICA OSME DA". Felizmente que tinha conhecimento da abertura do museu por outras vias e sei que se trata do museu Cosme Damião. Por coincidência, na sobreposição das imagens, podemos ver que o "C" de Cosme até serve de aura de anjo que paira sobre a cabeça do grande líder.

Enfim, não me parece justo que uma figura querida de todos os benfiquistas como foi Fernando Martins tenha direito a um destaque ao nível da ambição com que a equipa de andebol começou a trabalhar.

Quem aprovou esta capa e acha que Fernando Martins teve o tratamento que se impunha pode sempre olhar para o Serpa, que sabe melhor que ninguém aquilo que os benfiquistas gostam de ler.


Nem a visita do Papa ao Brasil teve tanto destaque no Jornal do Vaticano

Já agora, por outro lado podem ver o destaque que O Jogo deu a Fernando Martins.

O Jogo de luto pela morte de Fernando Martins


Não encontram nada? Pois, eu também não. Certamente que os diretores do jornal não tinham conhecimento que o seu grande líder era amigo pessoal do falecido. Fica a curiosidade para saber como tratarão a morte de Pinto da Costa (estou a bater 3 vezes na mesa enquanto escrevo isto, não é bem madeira, é uma mistura de contraplacado/lacado, mas é o que se pode arranjar). Mas o meu dedo que adivinha que darão mais destaque que à notícia sobre o papel que o César Peixoto teve na conquista do prestigiado Torneio da Póvoa.

Isto começou como uma piada à capa do jornal O Benfica, e é mesmo só isso, uma piada. Não acho que estejam a menorizar a figura de Fernando Martins, mas fiz este post porque me irrita o seguinte: quando as coisas correm bem, LFV está sempre na primeira linha. Não é preciso relembrar os discursos de vitória, dinâmica e orgulho pré-Estoril. Quando as coisas correm mal, nunca se vê. Esta capa só vem demonstrar, na minha opinião, o culto da personalidade de um homem, que tendo reconhecidamente obra feita, podia deixar por um dia o destaque para aquilo que realmente fica na história do clube.

Sem comentários :

Enviar um comentário