terça-feira, 17 de setembro de 2013

Balanço das arbitragens: 4ª jornada

Antes de começar, fica aqui o link para o post em que explico os motivos e a forma como organizei este balanço.

Olhanense 0-2 Sporting (Olegário Benquerença)
44' - Maurício faz um mau atraso que deixa isolado um jogador do Olhanense, Rui Patrício antecipa-se e afasta com as mãos perto do limite da grande área - decisão correta, Rui Patrício joga a bola com as mãos dentro da área
51' - Golo de Montero que dá o 0-1 é marcado em posição de fora-de-jogo - decisão errada, Montero está adiantado no momento em que André Martins bate o livre
61' - Bigazzi faz falta por trás sobre Capel com os pitons no tendão de aquiles, levando amarelo - decisão errada, o jogador do Olhanense deveria ter visto o cartão vermelho direto
=: Neste tipo de jogos, o primeiro golo do grande desbloqueia de forma decisiva a vitória; o Sporting até estava com uma boa dinâmica, ainda faltavam 40 minutos para o jogo terminar, o que significa que provavelmente mesmo sem o golo irregular o Sporting acabaria por ganhar o jogo; no entanto, é perfeitamente razoável considerar que o Olhanense poderia continuar a resistir se não tivesse sofrido o golo, pelo que considero que a arbitragem teve influência direta no resultado (resultado expectável sem o erro: X2 - empate ou vitória do Sporting)

Benfica 3-1 Paços de Ferreira (Bruno Paixão)
23' - Golo de Garay para o 2-0 é marcado em posição duvidosa - decisão correta, Garay está adiantado em relação ao último defesa do Paços, mas está atrás da linha da bola
=: Decisões de arbitragem nos lances críticos não tiveram influência no resultado final

Porto 2-0 Gil Vicente (Hugo Pacheco)
76' - Varela cai na área após choque com Pecks, árbitro não marca falta e dá cartão amarelo a Varela por simulação - decisão errada, o defesa do Gil Vicente faz obstrução, devia ter sido assinalado penalty e Varela não deveria ter visto amarelo mesmo que o penalty não tivesse sido assinalado, pois não há qualquer tipo de simulação
=: Decisões de arbitragem nos lances críticos não tiveram influência no resultado final

Menção Honrosa: João Capela no Braga 3 - 2 Estoril
  • Penalty mal assinalado a favor do Estoril, expulsão de Baiano correta
  • Penalty mal assinalado a favor do Braga, expulsão de Yohan Tavares é exagerada, apenas se justificava o amarelo 
  • Expulsão de Gerso aceita-se, apesar de estar a sofrer agarrões sucessivos do adversário

Resumo da jornada

Acumulado da época


Tentando determinar os resultados mais prováveis se não tivessem acontecido os erros dos árbitros, a classificação andaria à volta disto:

O Porto deveria ter 10 pontos em vez de 12 (devido ao golo não invalidado contra o Paços perto do final), o Sporting poderia andar entre os 7 e os 12 pontos (no jogo com o Benfica não é possível imaginar como poderia ter decorrido o jogo, tantos foram os erros para os dois lados, e contra o Olhanense tanto poderia ter empatado ou ganho se não houvesse o golo em fora-de-jogo) e o Benfica entre os 6 e os 9 pontos (relativo à arbitragem caótica do jogo com o Sporting).

Sem comentários :

Enviar um comentário