terça-feira, 24 de setembro de 2013

O cerrar de fileiras da alcateia e a primeira guerra mundial

A primeira guerra mundial começou por motivos que qualquer pessoa racional não conseguirá entender. Nacionalistas sérvios mataram o arquiduque Francisco Fernando, herdeiro ao trono do império Austro-Húngaro. Perante o assassinato, os austríacos fizeram exigências ao governo sérvio para se apurar os responsáveis. Nessa lista de dez exigências estavam algumas que eram uma afronta a qualquer país soberano.

A Sérvia recusou, e a invasão do império Austro-Húngaro era uma quase inevitabilidade. Só que isso bloquearia a rota comercial entre o Mar Negro e o Mar Mediterrâneo por onde a Rússia fazia a maior parte do seu comércio externo. A Rússia mobilizou o seu exército, e como tal a França (que ambicionava recuperar a Alsácia-Lorena, perdida para os alemães numa guerra 30 anos antes), aliada da Rússia também mobilizou. A Alemanha, aliada da Áustria, foi a seguinte a mobilizar. A Inglaterra avisou a Alemanha que declararia guerra se estes atacassem a França.

Numa espécie de queda de dominós em fila, as nações europeias viram-se arrastadas para uma guerra sem sentido que matou milhões.

No passado Domingo, Lobo levou no lombo. Lobo desatou num frenesim mediático a descrever a experiência aterradora que viveu no camarote presidencial. Adelino e Jorge Nuno rapidamente respondem via comunicado mostrando declarações facebookianas de Lobo, que aparentemente não gosta de macacos nem de lagartos. Depois vem João Rodrigues dizer que estranha a ação de Adelino, mas que acredita em Lobo. O presidente do Estoril tenta manter-se equidistante e diz que não foi nada do outro mundo. Aliados menos mediáticos de Lobo dizem que o presidente do Estoril é um vendido e que devia defender o presidente da sua associação. Depois vem Lourenço Pinto a dizer que Lobo é um jovem benfiquista que gosta de desrespeitar os outros. Os aliados de Lobo dizem que este é um cruzado anti-corrupção e que o Sporting se deve juntar a esta luta.

A única coisa que eu vejo é gente mal formada que não devia ocupar os postos que ocupa. Dos dirigentes do Porto estamos conversados. Lourenço Pinto e João Rodrigues são uma espécie bem conhecida de pessoas que sempre viveram para servir o seu clube e não as instituições que presidem ou presidiram. E em relação a Nuno Lobo, como é possível que alguém que é presidente da AF Lisboa tenha feito declarações insultuosas para com o Sporting há apenas dois anos atrás? Claramente que não devia imaginar nessa altura que viria a ser presidente da AF Lisboa, o que só pode significar que alguém entendeu entregar-lhe o cargo de mão beijada. Certamente que não terá sido pela defesa do futebol e dos clubes da sua associação.

Por isso, o que eu digo é que essa malta pode cerrar fileiras, cavar as trincheiras e pôr-se a mandar chuvas de morteiros para o outro lado, podem todos chafurdar na lama em que gostam de se cobrir, mas deixem o Sporting fora disso. Isto não é uma luta para limpar o futebol português da corrupção, é apenas um concurso para ver quem tem a pilinha maior.

Sem comentários :

Enviar um comentário