segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Sporting - Benfica

Tudo na mesma.

O Sporting confirmou a atitude, solidariedade coletiva e qualidade de jogo das duas primeiras jornadas. A equipa controlou o jogo durante 75 minutos, com grandes exibições de Rui Patrício, Jefferson, Adrien, André Martins e Montero. A jogada do golo entre Carrillo - Montero - Martins - Montero é uma delícia. Se já jogam assim com meia-dúzia de jogos juntos, como será daqui a uns meses? A equipa continua num processo evidente de crescimento e o resultado de Sábado não vai afetar o moral dos jogadores.

O Benfica confirmou que é uma sombra da equipa dominadora da época passada. Maxi, Garay, Matic, Sálvio e Lima estão longe daquilo que já mostraram e isso foi evidente em campo. Durante quinze minutos na segunda parte ainda se pareceu ver um vislumbre do finalista da Liga Europa, curiosamente muito por culpa de um jogador que só agora chegou a Portugal. No entanto, a equipa continuará por arames. A diferença de 5 pontos para o Porto mantém Jesus no fio da navalha, sem margem para mais desaires.

Os sportinguistas estão satisfeitos com o empate, porque a equipa dá mostras de crescer e ter dados bons sinais num jogo a doer perante um adversário teoricamente mais forte. E a memória não é curta ao ponto de se esquecer como estava o Sporting há um ano. No entanto, o resultado acaba por saber a pouco pois a equipa sofreu o golo num lance que tem tanto de génio de Markovic como de ingenuidade de William Carvalho e Eric Dier. E Markovic já tinha avisado do que conseguia fazer, só não marcando golo graças a Rui Patrício. Nem Dier nem Carvalho tinham amarelo, pelo que podiam perfeitamente ter feito falta. Ninguém acredita que Markovic marque um golo destes ao Porto.

Os benfiquistas devem estar mais desiludidos com a equipa do que com o resultado em si. O Benfica não jogou para ganhar, a equipa não funciona coletivamente, a utilização de Cardozo nas condições que conhecemos não indicia nada de bom do ponto de vista de saúde de balneário e até Jesus parece um homem abatido e isolado, sem o apoio do balneário.

No estádio, sem saber se as lesões dos argentinos eram graves, tinha-me parecido que a armada sul-americana estava empenhada em que este fosse o último jogo de Jesus; ou isso ou a pouparem-se para não comprometerem uma possível transferência

A única coisa que deve consolar os benfiquistas é Markovic. Já tinha lido na blogosfera algumas comparações contidas a Messi e percebi porquê. O arranque, velocidade e capacidade de drible são uma maravilha para qualquer pessoa que goste de futebol. Não nos podemos esquecer que é um rapaz de 19 anos, ainda não jogou a titular, e vai ter definitivamente toda a atenção de todos os caceteiros que pululam nos clubes mais modestos da liga portuguesa. Ou seja, ainda vai ter um choque com a realidade que a macieza dos jovens do Sporting não lhe soube apresentar. Mas é bom ter jogadores destes por cá.

Não mencionei os erros do árbitro porque falarei sobre isso no post semanal que faço com o balanço das arbitragens. Mas numa coisa estão todos de acordo: fraquinho fraquinho.

Sem comentários :

Enviar um comentário