sexta-feira, 18 de outubro de 2013

E agora o Alba

Após duas longas semanas sem vermos o Sporting jogar, a equipa regressa à competição com um jogo teoricamente simples contra o Alba. Na minha opinião existem dois objetivos essenciais para cumprir neste jogo:

1. Apuramento para a fase seguinte

O jogo é para ganhar, nem se admite outra hipótese. No entanto, por uma questão de respeito com o adversário e com o público espero que a equipa tenha uma atitude profissional, a procurar constantemente o golo, tentando resolver o jogo o mais rapidamente possível.


2. Dar minutos de competição à equipa titular

Entre o jogo com o Setúbal e o jogo com o Porto há um intervalo de 3 semanas. Por isso parece-me importante dar minutos de competição aos jogadores que não alinharam pelas seleções. 

Rui Patrício, Rojo, William Carvalho e Carrillo jogaram pelo menos 90 minutos nas respetivas seleções e, no caso dos sul-americanos, houve o desgaste adicional de viagens longas, pelo que é perfeitamente razoável que fiquem de fora.

Os outros sete habituais titulares deveriam alinhar de início com o Alba, nomeadamente Piris, para ganhar mais rotinas no flanco esquerdo antes do jogo com o Porto.

Verificando-se as quatro mudanças que referi, parece-me evidente quem deverá entrar na equipa: Marcelo Boeck, Dier, Rinaudo e Capel. No caso de Capel, é particularmente importante que jogue porque vem de uma lesão e será certamente um jogador que será opção, no onze ou como suplente, contra o Porto.

Se o Sporting entrar no jogo com o Alba com uma atitude competitiva saudável, é normal que o jogo esteja resolvido no final da primeira parte. E aí sim, seria interessante ver jogadores como Slimani, Cissé, Magrão, Vítor, Semedo ou Carlos Mané durante 30 a 45 minutos.

Parece-me preferível esta abordagem do que colocar um 11 completamente novo. Mudando completamente a equipa, nem aproveitam os jogadores que entram, pois nunca alinharam juntos em competição, nem é bom para muitos dos habituais titulares, que poderão ficar mais enferrujados por estarem três semanas sem competir.

Para além disso, integrar 4 habituais suplentes na equipa titular não compromete as rotinas de jogo, sendo mais fácil para Dier, Rinaudo e Capel terem um rendimento interessante para se afirmarem como alternativas válidas para Leonardo Jardim.


3 comentários :

  1. Independentemente de quem jogue, ao fim de 20 minutos é obrigatório ter uma vantagem, no mínimo, de 2 golos.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Whiplash, concordo. Se a equipa entrar em campo com espírito competitivo, o jogo ficará resolvido bastante cedo. Para equipas sobranceiras e pouco profissionais já nos chega a seleção portuguesa da última semana, não acredito que o Sporting vá pelo mesmo caminho... Um abraço.

      Eliminar
    2. Whiplash, parece que a equipa fez questão de lhe fazer a vontade! Veja lá se faz um prognóstico do mesmo tipo para o jogo com o Porto... :)

      Eliminar