terça-feira, 26 de novembro de 2013

O meu desejo para os jogos europeus de Porto e Benfica

O tempo em que sofria pelo sucesso de Benfica e Porto nas competições europeias já lá vai. 

Lembro-me, ainda menino, de ter torcido pela vitória do Porto contra o Bayern e de ter vibrado com o calcanhar de Madjer, não porque o meu sportinguismo fosse mais ténue na altura, mas porque via no sucesso do Porto também o sucesso do país.

Que ingénuo que era.

Não foi preciso passar muito tempo após 1987 para perceber que Pinto da Costa & amigos estão perfeitamente a borrifar-se para os interesses do país. Estamos a falar de gente que formulou o desejo de ver Lisboa a arder e que durante anos incendiou o país com uma estúpida guerra norte-sul para desviar as atenções das trafulhices que praticavam, como os famosos quinhentinhos, as viagens Cosmos, a oferta de fruta e café com leite, e tantos outros métodos vergonhosos de que todos fomos tendo conhecimento ao longo dos anos.

Enquanto esta malta por lá continuar, desejarei sempre que percam, seja no futebol, no andebol, no berlinde ou em processos criminais. Com uma exceção que mais à frente indicarei.

Em relação ao Benfica, a minha infância e adolescência foram sempre dominadas por um genuíno sentimento de ódio, causado pelo facto de ter tido quase sempre turmas em que a esmagadora maioria dos rapazes eram do Benfica, e em que eu era o único sportinguista ferrenho. Falamos de um período em que o Sporting teve um jejum prolongadíssimo e em que o Benfica ainda tinha um nível considerável de conquistas, tornando as discussões futebolísticas num inferno para um rapaz como eu.

Entretanto, fui amadurecendo e esse ódio foi-se dissipando. Hoje, posso dizer com sinceridade que não odeio o Benfica. Como é evidente, quero que o Benfica perca sempre nas competições nacionais, mas apenas por se tratar de um rival, e não por outro tipo de sentimentos menos puros.

Quando o Benfica joga nas competições europeias sinto uma certa indiferença. Só não é uma total indiferença por dois motivos que vou passar a expor.

O primeiro é que prefiro que não vão longe na Liga dos Campeões porque isso dá muito dinheiro, com o qual podem comprar mais um autocarro de sérvios ou argentinos, ou então que lhes permite resistir à venda de algum dos principais jogadores. O dinheiro facilita o fortalecimento da equipa e isso não é bom para o Sporting.

O segundo e principal motivo é que, quando o Benfica começa a cheirar a possibilidade de vir a ganhar alguma coisa, os benfiquistas ficam insuportáveis. É que não lhes basta festejar o sucesso pelo sucesso. O sucesso numa competição, para um benfiquista, não chega. Sentem imediatamente a necessidade de reivindicar um estatuto supostamente divino de serem o clube português que está acima de todos os outros, e com o qual só se podem equiparar os maiores colossos europeus.

A possibilidade real de sucesso desportivo está para o benfiquista assim como a água e a alimentação após a meia-noite estão para o mogwai: o número de benfiquistas multiplica-se de forma instantânea, e perdem a sua sanidade mental para além de qualquer razoabilidade.

À esquerda: um benfiquista após a derrota com o Guimarães em 2012/13; à direita: um benfiquista antes da derrota com o Porto em 2012/13


Tudo isto para dizer que desejo a Porto e Benfica os resultados suficientes para conseguirem apenas e só o 3º lugar na fase de grupos. Se forem parar à Liga Europa, significa que poderão contribuir com mais pontos para o ranking da UEFA, terão mais hipóteses de irem longe na competição e por isso sofrerão um desgaste físico muito superior, e ainda ganharão muito menos dinheiro. E há outra coisa: quem joga na Liga Europa tem menos dias de descanso para os jogos que se seguem para o campeonato, o que pode fazer toda a diferença.

Por isso saquem lá um empatezinho. Não é mau para vocês e eu até ficaria contente.

4 comentários :

  1. 1 já te fez a vontade, que queridos :)
    aguardamos com muita ansiedade o segundo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiz o desejo mas nem acreditava muito que se concretizasse, foi muito simpático da parte deles (principalmente do Danilo). :)

      Eliminar
  2. Tal e qual. O mesmo sentimento nutro por tripas corruptos e lamps insuportáveis.

    Mt de vez em qd lá lidamos com um benfiquista ou portista ditos, 'normais'. Gente boa, com quem se pode viver a rivalidade e discutir futebol de forma sã.

    SL!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Virgílio, na minha experiência pessoal, conheço mais benfiquistas que portistas com quem se pode falar sobre futebol.

      Quando falo com portistas é inevitável que aborde o tema da corrupção, e ainda estou para conhecer um portista que admita que a hegemonia do seu clube foi conseguida à base de estratagemas ilegais. Acabam por desviar invariavelmente a conversa para a competência de Porto e incompetência de Sporting e Benfica (que é também um facto importante, no Porto há gente que percebe muito de futebol e nos clubes de Lisboa isso nem sempre tem acontecido).

      Ainda na minha experiência pessoal, os benfiquistas são mais diversificados na postura que têm. Há os que são incapazes de admitir uma decisão de arbitragem que os tenha favorecido, que entram em euforia após 3 vitórias seguidas, quem têm sempre os melhores jogadores, treinador e presidente, e que são incapazes de reconhecer mérito a qualquer adversário. Depois há os que conseguem ler para além da demagogia de Vieiras e Vales, e que sendo apaixonados pelo clube conseguem reconhecer as suas fraquezas e o valor dos adversários. Com esses dá gosto de falar sobre futebol, mesmo que os pontos de vista sejam frequentemente diferentes.

      Obrigado pelo comentário e um abraço.

      Eliminar