quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A verdade desportiva de Vieira

Tenho a certeza que a maioria dos benfiquistas deseja vencer de forma justa as competições em que estão inseridos, e que repudiam todas as formas de falseamento da verdade desportiva.

É certo que muitos terão dificuldade em reconhecer quando são beneficiados pontualmente, usando como contra-argumento os jogos em que foram prejudicados ou os jogos em que os adversários foram beneficiados. Isso acontece com os adeptos de todos os clubes.

Mas também tenho a certeza que a esmagadora maioria dos benfiquistas recusaria ganhar uma competição viciada a seu favor.

O jornal Sporting de hoje tem 4 páginas dedicadas ao apito dourado. Enquanto que as 3 primeiras páginas são dedicadas a clássicos como Pinto da Costa, Pinto de Sousa e Valentim Loureiro, a última página é reservada para outros personagens que foram apanhados nas escutas a escolher árbitros ou a pedir favores a pessoas com influência nos bastidores do futebol.

Como já era do conhecimento público, Luís Filipe Vieira foi uma dessas pessoas. Tal como João Rodrigues, antigo presidente da FPF, que atuava em nome do presidente do Benfica.

Carregar na imagem para alargar

Argumentos do tipo "ele tinha que fazer isso porque o Porto faz muito pior" não são aceitáveis. Isto é uma questão de princípios, de estrutura moral. Quem aceitou entrar num jogo destes certamente que não terá escrúpulos a fazer outras coisas idênticas se tiver oportunidade para isso.

E o pior é ainda ter que aguentar com discursos deste género.


in expresso.pt

Da maior parte dos adeptos portistas espera-se que aceitem este tipo de coisas sem contestação. Trinta anos é tempo suficiente para efetuar uma lavagem cerebral ao mais impoluto dos indivíduos. Estarão sempre prontos a desculpar a corrupção e o tráfico de influências a um homem que lhes deu vitórias com que nenhum sócio sonharia no início da década de 80.

Custa-me a entender como ao longo dos anos nunca apareceram movimentos de sócios a tentarem afastar Luís Filipe Vieira da presidência do Benfica. É certo que é uma tarefa hercúlea, porque o presidente do Benfica tem feito alterações estatutárias que dificultam o aparecimento de outros candidatos e o ajudam a manter-se no poder, tem arranjado uns tachos para personalidades que poderiam ser uma oposição forte, e beneficia de uma máquina de propaganda muito bem montada.

Dos benfiquistas é legítimo esperar-se mais.

7 comentários :

  1. Penso que o que caracteriza a grande maioria de adeptos do benfica neste momento é uma enorme cegueira. LFV conseguiu realizar, em tempo recorde, uma lavagem cerebral aos adeptos que não param, nem um bocadinho, para pensar. Começam-se a ver manifestações de revolta com a gestão desta direcção, mas muito ténues para quem pretende fazer cair o Querido Líder.

    A propaganda é imensa e, tal como tiveste oportunidade de dizer, LFV quis combater o sistema para implementar um só dele. Para isso ganhou a máquina de propaganda Record e conseguiu manter A Bola. É ridículo o nível de podridão a que o Record chegou para enaltecer a liderança de Vieira. A ideia de pôr Rui Costa como "responsável" pelo futebol é toda ela excelente ("Eish...uma hierarquia em que o Rui Costa não é o líder...este LFV deve ser mesmo bom")

    Posto isto...o benfica apresenta um passivo próximo dos 500M€, já se encontra em falência técnica, ou seja, a desculpa do "activo" já caducou, não aparenta abrandar e a nível desportivo é aquilo que se sabe: pior década a nível de títulos.

    LFV teve um momento de sorte na presidência, o momento em que escolheu JJ para treinador, que permitiu disfarçar o registo de um treinador por época que até então apresentavam. Coincidiu com a pioria desportiva do Sporting e, para quem tanto diz que o objectivo do Sporting é ficar à frente do benfica, o que é um facto é que enquanto ficaram à frente do Sporting mantiveram o mesmo treinador. Veremos o que sucede com esta súbita melhoria leonina.

    Quanto às escutas, corrupção e afins...nem me apetece falar...

    Em suma, com o mal dos outros posso eu bem!

    Bibliografia/Videografia:

    http://www.youtube.com/watch?v=BryUSNOzzw0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Whiplash, a questão da falência técnica, que poderá estar sub-avaliada por um empolamento de ativos como o museu, centro de estágios, etc., é bastante relevante. Não conheço esses números mas seria interessante saber (não só em relação ao Benfica, mas também ao Sporting e Porto).

      O vídeo é fantástico. Achei piada ao facto de parecer bem menos entusiasmado quando apresenta o Jesus, não conseguindo dizer mais do que um: "... e de certeza com ele iremos ambicionar aquilo que todos nós pretendemos.". Um abraço.

      Eliminar
  2. Na mouche, no entanto considero que os benfiquistas na sua essencia não são diferentes dos portistas, são duas faces da mesma moeda. Uns vivem das vitórias actuais outros vivem das vitórias do passado.

    Tudo é legitimo desde que se ganhe. Aliás diga-se que a alteração dos estatutos para ser eleito presidente do benfica é dos maiores golpes anti democráticos de que há memória em Portugal. Aliás diga-se que até o Real Madrid ao exigir que o seu presidente tenha um crédito de 100 milhões de euros para ser eleito consegue ser mais democratico e lógico que os estatutos do benfica. Mais a forma como esses estatutos foram aprovados tem mais de plebiscito do que de aprovação em assembleia.

    Os 500 milhões de passivo e dois titulos são ridiculos e mais ridiculo é quem pensa que os activos do benfica cobrem esta divida. Se cobrirem 1/3 já é muito.

    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, essa alteração de estatutos...é cegueira, tal como tive oportunidade de dizer. Continuando com provérbios: cada um sabe as linhas com que se cose.

      Os activos, num clube de futebol, são muito relativos. Pelo menos no que diz respeito à avaliação de passes de jogadores. Basta uma época má e lá se vão os activos. Quem é que faz a avaliação do passe de um jogador? A resposta "é o mercado" não vale e não é argumento para esta matéria.

      Eliminar
    2. Green Lantern, os benfiquistas podem ser demasiado convencidos da força do clube para aquilo que ganharam há 50 anos atrás, mas acho que têm noção da diferença entre ganhar limpo e ganhar sujo, coisa que a maior parte dos portistas já não conseguem distinguir.

      A assembleia geral que aprovou os estatutos foi na véspera de o Benfica se sagrar campeão na primeira época do Jesus, e estavam lá 100 sócios. A expressão "golpe anti democrático" que usaste está certíssima. Perante as circunstâncias, ele (ou outro presidente de qualquer clube que apresentasse alterações de estatutos nas mesmas circunstâncias) até podia incluir uma proposta para mudar o nome do estádio para "LFV Arena" que aquilo passava por unanimidade. Um abraço.

      Eliminar
  3. É preciso não esquecer que o "orelhas" aprendeu com o consócio utilizador contumaz de Viagra a mexer-se bem nos meandros da corrupção que grassa no nosso futebol,desde os tempos do Alverca e tb quando se apanhou no poleiro do galinheiro andou muito tempo de mão(e ideias)dadas com o seu ideólego.Quando os seus interesses começaram a colidir com os do corrupto mór é que se lembrou de utilizar a bandeira da "verdade desportiva" que ficara sem quem a empunhara e dela fora o 1º e único porta estandarte:Dias da Cunha.Antes dizia que mais valia meter nos poderes do nosso futebol gente da sua confiança do que reforçar a sua equipe de futebol.E tal como os vermelhuscos adeptos do seu clube regozijou-se com a vitória na Taça lucílio !Foi o folclore que se viu e ouviu nas rádios e Têvês e não só!...Concordo pois que uns estão bem para os outros,desde os presidentes aos adeptos são tudo farinha do mesmo saco:-só grunham quando lhes falta a vianda ! Eles sabem bem que se deixarem a presidência das respectivas agremiações,como eles gostam de dizer,serão tal como o Vale e Azevedo trucidados pela Justiça das leis e do Pôvo!!! Eu por mim só peço e desejo que aconteça bem depressa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francisco, às vezes esqueço-me que o Vieira estagiou com o Pinto da Costa. E como qualquer mentor de qualidade, certamente que passou alguma coisa dos seus princípios profissionais para o estagiário.

      O curioso é que Vieira é suficientemente grato para não renegar os tempos que conviveu com o mestre, como provam as declarações que fez esta semana em tribunal.

      Há no entanto uma diferença entre os dois. Parece-me que Pinto da Costa só começou a cuidar da sua fortuna pessoal depois de ter tornado o Porto numa equipa vencedora. Vieira começou a cuidar da sua fortuna pessoal logo a partir do momento em que foi eleito pela primeira vez. A parte da equipa vencedora nunca pareceu ser uma prioridade.

      Eliminar