sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

É a pressão, estúpido!

A esperança é a última a morrer, e todos os que desejam ver o Sporting do 3º lugar para baixo vão alimentando narrativas que possam servir de uma espécie de farol na escuridão que vivem nos dias de hoje.

Daí o discurso que diz que o Sporting anda a ser levado pelas arbitragens, sobre o qual farei um post na próxima semana.

Daí o discurso de que o plantel é curto, e que ou as lesões, ou as suspensões, ou os batatais irão mais cedo ou mais tarde travar o Sporting.

Daí o discurso da pressão. Este é para mim o mais divertido, pela forma como tem sido apresentado.

Por exemplo, João Gobern, no programa Trio d'Ataque, logo após a vitória do Sporting em Guimarães:


(vídeo: 12s)

E hoje o Correio da Manhã, com esta capa sensacional.



Gobern diz que o Sporting estava pressionado por saber que um rival não perdeu pontos e por saber que outro rival perdeu pontos.

O CM diz agora que o Sporting fica pressionado ainda antes de saber se os rivais perderam ou não pontos. Extraordinário.

Já agora, será que águia e dragão não sentirão neste momento uma pontinha de pressão nos seus ombros? Tanto quanto sei são eles que vão atrás.

4 comentários :

  1. "HÁ uma nova teoria no futebol português. Consiste em demonstrar que a pressão sobre a equipa que vai à frente do campeonato é superior, muito superior, à pressão a que estão submetidas as equipas que a perseguem. A formulação rigorosa e científica desta teoria ainda está por fazer. Podemos admitir, no entanto, que ela venha a concretizar uma adaptação moderna do princípio de Arquimedes, a saber: a pressão exercida sobre o corpo que está em cima é inversamente proporcional à exercida sobre os corpos imediatamente abaixo. Ao teórico que formule a teoria definitiva está assegurado um lugar na história da idiotice universal.
    (...)
    Ao que se percebe deste conceito a pressão que é exercida sobre o Sporting obriga-o a vencer todos os jogos até ao final do campeonato. Mas não exige aos seus perseguidores que façam o mesmo. Para ganhar o campeonato só quem vai à frente é que tem de vencer tudo. Quem está atrás até pode perder ou empatar que, por qualquer milagre ainda não revelado, aproxima-se da frente, em vez de se distanciar. Em qualquer outra actividade, desportiva, política ou social, pede-se a quem está em segundo ou terceiro um esforço redobrado para passar o primeiro. Logo um aumento de pressão física e psicológica. No futebol português é ao contrário: esse esforço só é exigido a quem já está em primeiro. Trata-se de uma descoberta recente. Só aconteceu quando o Porto deixou de ser o líder.
    (...)
    À luz desta teoria só o Sporting tem a obrigação de jogar sempre bem, ao ataque e esmagando os adversários. Os outros podem jogar mal, ganhar à tangente e beneficiar dos erros dos árbitros. Na realidade, o Sporting, como qualquer outra grande equipa, tem de atacar quando é de atacar e defender quando é de defender. E tem de continuar a jogar como até aqui: com segurança e espírito de vitória. Na certeza de que a nova teoria da pressão está a ser formulada para esconder quem verdadeiramente está sob pressão." Luis Marques in Record, Quarta-Feira, 12 abril de 2000 http://www.record.xl.pt/Arquivo/interior.aspx?content_id=30180

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente! Vou fazer um post com os excertos que indicou. Obrigado!

      Eliminar
  2. De nada. Nunca me esqueci deste texto. Parece-me relevante para a situação actual. Feliz Natal. SL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado mais uma vez, Marisa. Atualizei o post para lhe fazer a justa referência.

      Eliminar