domingo, 1 de dezembro de 2013

Passos seguros para a liderança

Se houve algum nervoso miudinho pelo facto de termos o 1º lugar ao nosso alcance, isso não se notou. O Sporting atirou-se para cima do adversário desde os minutos iniciais, não descansando até alcançar o 1º golo. Numa equipa que já deu várias primeiras partes aos adversários (Guimarães, Benfica para a taça, Marítimo, Setúbal), exibir esta vontade de resolver o jogo logo no princípio foi uma excelente demonstração de saúde psicológica.

O Paços não pôde fazer mais que estacionar junto da área, como se esperava. Quis o destino que, tal como em Guimarães, um corte infeliz de um defesa colocasse a bola direitinha num nosso jogador, para abrir o caminho da vitória.

William foi o melhor, bem acompanhado por Cédric, Maurício, André Martins e Montero (melhor na construção do que na finalização). Aliás, o jogo correu tão bem que até o avançado colombiano, que demonstrava nervosismo na hora de rematar, pôde regressar aos golos que, todos esperamos, lhe poderão devolver a tranquilidade e frieza que arrasaram os nossos adversários durante as primeiras sete jornadas.

Foto: maisfutebol.pt

A entrada de Slimani foi um prémio justo para a importância que o argelino tem tido nos últimos jogos, e notou-se vontade na equipa de o servir para manter a sua elevadíssima média de golos por tempo de utilização. Slimani não marcou, mas conseguiu uma coisa que não se vê muitas vezes: fazer uma assistência sem tocar na bola. Ao proteger o esférico enquanto este se afastava da baliza, Slimani não cedeu à tentação de rematar à meia volta, preferindo desviar-se no momento em que André Martins, em melhor posição, começava a encher o pé para o tiro que selaria o resultado.

Maturidade, desejo de vencer e inteligência. Três adjetivos que caracterizaram o jogo de hoje e que fazem parte da tal identidade que Leonardo Jardim vem apregoando, e que cada vez mais é evidente aos olhos de todos.

Sem comentários :

Enviar um comentário