quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Jorge Gabriel e Jaime Mourão Ferreira

Miguel Guedes, durante o programa Trio d' Ataque do último domingo, procurou desvalorizar a importância do atraso com que o Porto - Marítimo começou:


O argumento que o Miguel Guedes usa é que na 1ª parte o atraso foi de "dois minutos e tal" e na 2ª de "quarenta e cinco segundos". 

É falso. Segundo as contas da TVI, que transmitiu ambas as partidas, a diferença foi de 2m45s no início do jogo, e de 3m12s no princípio da 2ª parte.

De qualquer forma, Jorge Gabriel, não contestou a afirmação do seu colega de painel.

Pouco depois, Miguel Guedes voltou à carga:


Miguel Guedes esfrega de forma pedante os 45 segundos na cara de Jorge Gabriel. Gobern ainda tenta rebater como pode, trazendo o caso Calabote à baila, mas o representante do Sporting mais uma vez fica calado.

No dia seguinte, no programa Grandes Adeptos, na Antena 1, Miguel Guedes já não tem as mesmas facilidades. Quando o tema do atraso do Porto - Marítimo é mencionado, não é Miguel Guedes que está ao ataque. Quem está ao ataque é quem foi efetivamente prejudicado pelo atraso do jogo:


Aqui Miguel Guedes nem se atreveu a falar em atrasos de 45 segundos, alargando para "dois minutos e meio". E muito menos pôde fazer o ar de virgem ofendida que tantas vezes faz na RTP Informação.

Duas formas bem diferentes de defender o Sporting. Jorge Gabriel tem estado melhor nas últimas semanas, mas mesmo assim não é suficiente. Miguel Guedes faz o que quer de Gabriel e de Gobern, pois é o único elemento daquele trio verdadeiramente bem informado sobre tudo o que acontece no mundo do futebol. Miguel Guedes é extremamente competente, e como sabe que os outros se preparam mal, está à vontade para distorcer factos -- dificilmente será contrariado. 

O mesmo não acontece com Jaime Mourão Ferreira, que na minha opinião é o melhor representante do Sporting neste tipo de programas. Vai bem preparado, sempre com resposta adequada e pronta, tem uma memória impressionante, defende intransigentemente o Sporting e nota-se na voz que vibra com o clube.

12 comentários :

  1. A diferença é que o Jaime Mourão Ferreira é um "profissional", enquanto os outros apenas dão uma perninha porque paga bem e dá visibilidade representar o Sporting na TV.

    Mas os nossos rivais não levam isto na desportiva. Os gajos do Porto, mais ou menos bestas, são todos contundentes. E o Benfica arranjou maneira de tirar tanto o Júlio Machado Vaz como o António-Pedro Vasconcelos desses programas, por serem demasiado civilizados. O cineasta, em particular, porque é um crítico do Luís Filipe Vieira e não deixava de criticar a direcção do seu clube quando achava necessário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, não costumava acompanhar o programa no tempo do António Pedro Vasconcelos, mas vi muitos programas com o Júlio Machado Vaz. JMV era um senhor, dizia aquilo que tinha para dizer com uma inteligência e classe extraordinárias. Tirarem-no para pôr o Gobern foi, passe a expressão, passar de um cavalo puro-sangue para um burro.

      Júlio Machado Vaz é demasiado bom para este tipo de programas. Contra mim falo porque os vejo... :)

      Eliminar
  2. O Jorge Gabriel é muito fraquinho como comentador. Podia e devia estar mais bem preparado e defender melhor o Sporting. O Gobern e o Guedes dizem o que querem, apequenam o Sporting e ele por impreparação ou negligência não está à altura. Se calhar não é por acaso que o convidaram. E se calhar também não é por acaso que a Sic convidou um ainda pior que JG o inconfundível ROC. Existem 3 bons comentadores sportinguistas: Jaime Mourão Ferreira (na Rádio) e dr. Paulo Andrade pela qualidade do comentário e pela defesa intransigente do Sporting (são tão bons que não serão convidados para programas televisivos, não convém...) e o dr. Eduardo Barroso apenas (o que é muito) pela defesa intransigente do Sporting. O resto é de medíocre a mau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, estou de acordo, com exceção de uma coisa: acho que o Gobern é pior do que o Jorge Gabriel. A argumentação do Gobern é fraquíssima. O Jorge Gabriel consegue apresentar as suas ideias de forma bem mais convincente.

      O problema de Jorge Gabriel, a meu ver, é ter uma vida profissional demasiado preenchida. Muitas vezes não vê os jogos, por estar em trabalho (ou se os vê deve ser em diferido e a correr) e não deve ter tempo para se preocupar com as miudezas que acabam por ocupar a maior parte dos programas.

      Depois também tem uma postura que me irrita: diz que não gosta de falar de arbitragens ou de outros podres. Num programa deste tipo é absurdo, se quer falar só de bola está claramente no sítio errado.

      Raramente vi programas com o Paulo de Andrade, mas pelo pouco que vi parece-me ter nervo para defender o Sporting. E o Eduardo Barroso é um verdadeiro sportinguista, que defende intransigentemente o clube com o coração, mas pouca preparação -- mas no programa em que está isso acaba por não ser um problema.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Penso que o principal problema do JG é o de ter que ser o gajo porreiro que apresenta os programas da manha.
      Às vezes dá a impressão que ele engole o que tem a dizer para não entrar em bate boca.

      PS. Neste meu 1º comentário aqui, não posso deixar de dar parabéns pelos conteudos do blog.

      Eliminar
    3. Nuno, também me parece que o JG não quer defraudar o seu público principal, que não são os sportinguistas. Por exemplo, quando Bruno de Carvalho fez a piada sobre a idade do Pinto da Costa, JG atirou-se a ele com uma violência despropositada (era uma provocação ao presidente do Porto e nada mais). Ali não estava o JG sportinguista a falar, quem falava era o JG autor do "Livro dos Avós".

      Ninguém lhe pede para abandonar os seus princípios quando está no Trio de Ataque, mas pode fazer um esforço para tentar ver os casos mais complicados do ponto de vista dos sportinguistas -- é para isso que ele lá está.

      Obrigado pelo comentário e um abraço!

      Eliminar
  3. O Sporting está muito mal representado quer pelo ROC quer pelo JG. Confesso que gosto da abordagem do Eduardo Barroso, pese embora uma ou outra atitude. Mas é preciso não ter papas na língua nestes programas.

    Chego a ficar incomodado quando o Gomes da Silva e o Guilherme Aguiar gozam com o ROC, que é demasiado permissivo.

    Não tinha boa opinião do Paulo de Andrade (desde que foi dirigente) mas dou a mão à palmatória. A par do Jaime é dos melhores a defender o clube.

    Não sei até que ponto a direcção pode "intervir" neste assunto. É um campo sensível muito porque os nossos comentadores não estão instrumentalizados como os outros...

    P.S. Descobri este blog há pouco tempo mas já é de leitura diária. Parabéns e um abraço, caro Mestre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Peter.

      Duvido que a direção tenha alguma possibilidade de influenciar as escolhas dos canais informativos. Será sempre mais forte a ligação de JG à RTP e de ROC à SIC.

      Os próprios canais é que deveriam procurar as pessoas mais competentes. Mas o Dia Seguinte é a quintinha do Rui Gomes da Silva, e o Trio de Ataque parece ser um tacho para gente que trabalha ou colabora com a RTP - deve ser uma questão de custos.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Nunca ouvi esse programa em que entra Jaime Mourão Ferreira e os da TV vejo apenas ocasionalmente mas o "representante" do Sporting que mais gosto de ver e ouvir é o José de Pina no canal Q. Para além da pouca preparação revelada por vezes até dá ideia que o problema de ROC e de EB é o programa ser a seguir ao jantar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tugarão, sim o José Pina também faz um bom trabalho. A brincar a brincar, no Sacanas Sem Lei acabam por dizer grandes verdades.

      Eliminar
  5. De facto nao somos bem representados nestes programas,o comentadores afectos ao sporting costumam ser sempre muito fraquinhos,mas os dos outros clubes tao o sao, disfarçam é um bocado melhor,tambem pq tem uma vida mais facilitada acho eu,ja que os seus clubes tem tido epocas aceitaveis algo que o sporting nao tem tido,no entanto o formato deste programas tb é algo baixo,havendo um ou outro que se safe.
    O sacanas sem lei é bom,é dos poucos programas que se safa no genero ja que juntam a comedia a uma discussao de bola o que da resultado,levando a que se digam muitas verdades,uma das coisas boas e nao ter moderador,o que torna o programa fluido.
    E sim o jose pina defende o sporting.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, é verdade que a maior parte dos comentadores são fraquinhos.

      Na minha opinião, o problema é que há dois que se destacam (nos programas da TVI, SIC e RTP): Miguel Guedes (é muito competente naquele papel) e o Rui Gomes da Silva (a posição de vice-presidente de Benfica dá-lhe estatuto quando fala de assuntos de bastidores, e permite-lhe mandar no programa com a colaboração do Paulo Garcia).

      ROC e Gobern são maus, Jorge Gabriel e Guilherme Aguiar assim-assim.

      Na TVI parece-me que estão todos equilibrados, é um programa em que se fala mais com o coração do que com a cabeça. :)

      Um abraço.

      Eliminar