terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Pinto da Costa falou nisto na entrevista ao Porto Canal?




É certo que o jogo do Porto B com o Penafiel foi apenas no domingo, e Pinto da Costa na altura da entrevista não poderia adivinhar quem iria jogar nem que Reyes iria estar diretamente ligado à derrota. Mas não é sobre essa derrota que quero falar. O que me parece importante é o facto de Reyes e Herrera, que em conjunto custaram perto de €20M, continuarem encostados na equipa B, 7 meses após o início da época, e estarem a ser até ao momento os maiores flops do campeonato.

Aliás, olhando para os reforços desta época, que foram Reyes, Herrera, Licá, Carlos Eduardo, Ricardo, Tiago Rodrigues, Bolat, Quintero, Josué e Ghilas, que em conjunto custaram à volta de €30M, não há um que já se tenha conseguido impor de forma indiscutível na equipa principal.

Quando Pinto da Costa veio confirmar a confiança total em Paulo Fonseca e apontar os erros de arbitragem como responsáveis pelo atraso na tabela classificativa, não faz mais do que desviar as atenções do principal fator que contribui para uma época abaixo das expetativas iniciais, que é o fracasso do reforço do plantel. E quem é o responsável por isso? Certamente que não é o treinador.

Aliás, não creio que alguém esperasse que Pinto da Costa fizesse outra coisa que não fosse apoiar inequivocamente o treinador. É que o treinador foi escolhido por ele, e admitir o fracasso de Paulo Fonseca seria admitir o fracasso do próprio Pinto da Costa. E os dirigentes como Pinto da Costa não gostam de deixar transparecer as suas fragilidades para o exterior. Nos filmes dos mafiosos, quem deixa transparecer fragilidades costuma acabar dentro de uma cova.

6 comentários :

  1. Por isso é que me faz especie dizerem-me que o Porto tem uma equipa melhor do que o SCP e terem de ir resgatar o Quaresma à reforma para terem alguém que desiquilibre.

    Ir buscar estrelas em fim de carreira foi coisa que o SCP já tentou e 9 das 10 vezes não deu resultado.

    A equipa do Porto com a excepção dos laterais, do ponta de lança e (ocasionalmente) de Lucho Gonzalez é muito mas muito fraca.

    O próprio Fernando é um mero destruidor e torna-se um peso para a equipa. Se jogasse numa equipa pequena era maravilhoso mas numa equipa em que 90% dos jogos da liga domina, um trinco não se pode limitar a destruir, tem de ser capaz de levar a bola.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, desde que foi buscar o Lucho, que deu frutos, o Porto tentou repetir a graça com o Liedson e o Izmailov e nenhum deles resultou. Foram agora buscar o Quaresma, mas a falta de fé é tão grande que o próprio Pinto da Costa sentiu necessidade de dizer que foi uma escolha do treinador.

      O Quaresma, a 60% do que foi, já será um upgrade em relação aos extremos que lá têm (com exceção do Varela), o que mostra a falta de qualidade do plantel atual.

      Quando os laterais (os verdadeiros desequilibradores do Porto) começaram a rebentar, o Porto ressentiu-se na produção ofensiva (quer o Danilo quer o Alex Sandro não têm substitutos). O Paulo Fonseca anda a tentar poupá-los, e nos últimos jogos nem um outro têm andado a fazer as cavalgadas pelas faixas que faziam no princípio da época. Mais uma vez, plantel desequilibrado.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. O tasco está com dinâmica. Estou a gostar (de quase tudo) :)

    Coxo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Coxo, calculo que existam algumas diferenças de opinião entre nós que nunca serão possíveis ultrapassar... :)

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Com qualidade ou sem ela, a verdade é que os reforços portugueses chegaram à seleção e já calçaram e tou para ver se mesmo não jogando ainda vão ao mundial... Ver lá o Josue no lugar do adrien é em termos futebolisticos uma aberração, e se juntarmos a isso a sua postura (vide a porcaria que andou a fazer na Suécia apenas estando no banco, falando apenas na seleção) é algo completamente incompreensível.

    Relativamente ao restante, o discurso de sempre. À que sacudir a água do capote e desviar as atenções para a arbitragem. Mas esta conversa de coitadinhos para o Porto não fica bem. Haja memória e se ficaram a arder em 5 pontos (em jogos em que também tiveram decisões favoráveis bastante questionáveis, seja penalties seja jogadas passiveis de expulsão) muitos outros conseguiram amealhar em jogos que se encontravam "bloqueados".

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lopes, a jogarem assim é um escândalo que o Cédric e o Adrien não tenham lugar entre os 23 que vão ao Brasil. Ver o Micael, o Josué, o Licá e o André Almeida à sua frente das preferências do Paulo Bento é incompreensível.

      Para quem chamava de burros aos que se queixavam de arbitragens e que disse que os árbitros são uns heróis, não está uma cambalhota mal dada.

      Um abraço.

      Eliminar