terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Populismo é isto

in record.pt

Comparem o discurso de Bruno de Carvalho com o de Luís Filipe Vieira. Bruno de Carvalho pode não conseguir resistir à tentação de mandar umas bocas aos adversários e de fazer uns discursos de gosto discutível em almoços dos núcleos do clube, mas desde que é presidente do Sporting nunca poupou os sportinguistas da difícil realidade em que o clube vive. 

Luís Filipe Vieira aproveita um programa da RTP em memória de Eusébio, num momento de fragilidade emocional dos benfiquistas pela perda do principal símbolo da história do clube, para fazer mais umas promessas ao mundo encarnado. Eis Vieira, o executor da vontade de Eusébio.

Mas é tudo tão mau que nem as promessas são originais, não passando de uma recauchutagem do discurso da espinha dorsal da seleção -- de recauchutagens percebe Vieira, temos todos que admitir.

Diz que para haver um Benfica made in Benfica não basta carregar num botão. Certo, não é uma coisa instantânea. Quanto tempo precisa? Cinco anos? Dez anos? Então o que anda a fazer desde 2001, altura em que entrou para o futebol do Benfica pela mão de Manuel Vilarinho?

Na hora da verdade, os portugueses do Benfica não têm hipótese de se afirmar. Porque há sempre lugar para mais um argentino ou sérvio rotulado como uma grande promessa e uma potencial mais-valia para o clube. As promessas portuguesas, made in Benfica, que dão mais trabalho para serem transformados em valores reais, acabam por serem empurradas para fora do clube.

E quando Vieira diz que viu no cemitério um sinal de que as coisas vão mudar, ultrapassa o patamar do populismo e entra no mundo dos contos de fadas. Se continuar assim ainda veremos um dia Vieira a publicar um livro para as crianças benfiquistas, porque começa a ficar complicado para adultos minimamente racionais continuarem a comprar as suas patranhas.


10 comentários :

  1. "Fazer mais uma vontade a Eusébio, apostar na prata da casa" ridiculo, risivel, triste.

    Leia-se a entrevista de Nelson Oliveira onde entre outras coisas elogia o Sporting e a sua aposta nos jovens em contraste com a politica do benfica em que as vedetas são estrangeiras. Afinal a realidade está longe de ser cor de rosa, conforme alguns pintam.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Green Lantern, o Nelson Oliveira deve ter ficado cheio de satisfação ao ouvir essas declarações. Quando estiver com 28 anos talvez tenha as portas do clube de origem abertas para o seu regresso...

      Eliminar
    2. Já para não falar que o Querido Líder disse que não tinham opções para ponta de lança.

      Citando-te: "ridículo, risível, triste"

      Eliminar
    3. Essa não tinha ouvido... ele deveria querer dizer opções para ponta-de-lança provenientes da América Latina... :)

      Eliminar
  2. Será que ele antes não esteve a snifar o pó dos seus pneus?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francisco, sempre ouvi dizer que os dealers de pneus nunca deviam provar do seu próprio produto. :) Ele já pode ter sido o Kadhafi dos pneus, mas tem aspeto de agora andar mais refinado.

      Eliminar
  3. O aproveitamento da morte de um simbolo do futebol português, para a motivação de toda a estrutura do benfica, é para alem de um populismo a todos os niveis inqualificavel, uma demonstração da verdadeira face de alguns dirigentes do futebol nacional.
    São as equipas com portugueses à Eusébio, são as camisolas com Eusébio estampado, é o luto anual, o que virá depois ?
    Persuasão dos arbitros para as vitórias à Eusébio?
    Campionatos ganhos à força para se poder comemoral em memória do falecido?
    Haja vergonha e que se respeite o desporto, que é a melhor maneira de respeitar a memória de um grande desportista que acima de benfiquista é visto por todos nós, como um grande p Português.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leorodri, a exploração para os fins eleitoralistas de Vieira são certinhos. Vamos ver ao nível comercial o que vão fazer. O Vieira parece de facto demasiado preocupado em anunciar as mudanças nas camisolas.

      Para mim, atendendo que o nome do oficial do estádio é "Estádio do Sport Lisboa e Benfica", faria todo o sentido que a derradeira homenagem fosse a alteração do estádio para o nome do Eusébio. Os adeptos poderiam continuar a chamar-lhe Estádio da Luz, não me parece que perdessem algo com isso.

      Mas como o Vieira deve andar com a pulga atrás da orelha para cobrar mais uns milhões com o naming do estádio, já não interessará esse nível de homenagem.

      Quanto a tentarem retirar outros proveitos menos lícitos à custa de Eusébio, duvido que consigam. O Pinto da Costa simpatizava com Eusébio, mas não me parece que vá facilitar nesse patamar.

      Obrigado pelo comentário e um abraço.

      Eliminar