quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Como proceder em relação a Maurício?

in abola.pt

Não é aceitável que um jogador profissional se envolva em episódios destes com uma época a decorrer. Independentemente de no dia seguinte o jogador estar de folga ou não, trata-se de um comportamento irresponsável que compromete o trabalho que a equipa técnica e o próprio jogador realizam diariamente de forma a atingir o maior rendimento possível em cada jogo.

Nem é tanto pela taxa de álcool no sangue. Basta beber um ou dois copos com a barriga mais vazia e chegamos a esse nível. O que me incomoda mais é que Maurício não tenha pensado que uma noitada realizada a 300 quilómetros de Lisboa é algo de inaceitável num jogador profissional.

É inevitável que se recupere o caso de Rúben Semedo, que perante uma infração da mesma natureza (apanhado de madrugada pela polícia) foi afastado da equipa principal. No entanto, tratam-se de casos que não são de todo comparáveis no que diz respeito à gravidade dos atos cometidos.

Maurício foi apanhado com uma taxa de álcool no sangue que é punível com uma coima. Rúben Semedo foi apanhado a conduzir sem carta, que constitui um crime cuja pena poderia ir até aos dois anos de prisão. No limite, poderia acabar com a carreira do jogador.

Parece-me, portanto, que estamos a falar de coisas completamente diferentes. Existe um regulamento interno que define a conduta que os jogadores que pertencem aos quadros do clube. O que espero é que as punições previstas nesse regulamento interno sejam executadas. Se estiver definido que o jogador deva ser afastado temporariamente da equipa principal, que assim seja, mesmo considerando que Rojo não poderá jogar contra o Rio Ave.

Podem dizer que estaremos a dar um tiro no pé, e que assim o clube está a ser penalizado duplamente. Pode ser verdade, mas creio que serão maiores os danos se os responsáveis do Sporting condescenderem com uma atitude repreensível de um jogador.

Bruno de Carvalho tem tido uma postura inflexível em situações em que os interesses do clube estão a ser lesados, como aconteceu com Bruma, Labyad, Bojinov ou Elias, só para dar alguns casos. Essa persistência pode, a curto prazo, dificultar a vida ao próprio clube, mas a médio / longo prazo contribuirá para que esse tipo de casos deixem de acontecer, por serem conhecidas as consequências a que estarão sujeitos. Na minha opinião, essa postura da direção deve manter-se, por muito que possa custar ao clube no imediato.

16 comentários :

  1. Espero é que o regulamento tenha sido feito com bom senso e que não se aplique suspensão da equipa para tudo. Há coisas que podem ser resolvidas com simples multas que vão ao bolso dos jogadores e que também lhes doi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo Mike, espero que o regulamento distinga umas situações de outras. No entanto, se para estes casos estiver prevista a suspensão, em nome da coerência, penso que Maurício deve ficar de fora.

      Eliminar
  2. Existe uma outra diferença que não mencionas:
    O Semedo pertencia à equipa B e pelas boas prestações estava a ser premiado a trabalhar com a A; pelo que o regresso à equipa B pode ser visto como o retirar de um privilégio e não tanto como um castigo.

    Quanto ao Maurício... faz parte da equipa A. Não há aqui um privilégio para retirar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem visto, Frederico. Pode ser uma diferença relevante ao determinar o castigo ao jogador.

      Eliminar
  3. Para mim, o Maurício deve ser suspenso, não deve haver atenuante por ser titular da equipa A.
    Se não ganharmos ao Rio Ave, é pena, mas acho que a longo prazo ganhamos mais se deixarmos a mensagem de que não há privilegiados no plantel.

    ResponderEliminar
  4. Na minha opinião deve ser castigado 1 jogo independentemente do Rojo estar ou não estar castigado. Não se podem abrir precedentes deste tipo, para que a paz reine no balneário. E é isso que todos têm que perceber, independentemente do resultado de Sábado.

    ResponderEliminar
  5. Acho que deve ser castigado e fazer um ou mais jogos na B. Os jogadores têm de perceber que estas atitudes não compensam. Para além disso, dava um sinal claro aos outros jogadores principalmente ao Rúben Semedo, que ia sentir que não há jogadores privilegiados e que quem erra, como ele, é devidamente punido.

    ResponderEliminar
  6. O problema aqui é que mesmo para dias de folga, existem horários a ser cumpridos segundo o regulamento interno do Sporting, essa é que é a questão.
    Multa e jogo de fora, ganhem o balneário agora

    ResponderEliminar
  7. É só lembrar o que se disse e fez ao Labyat por razões que ainda estão para entender para termos trazido o Magrão para andar a fazer de pendura ao cepo do Mauricio na noite tripeira.

    ResponderEliminar
  8. O caso Maurício é apenas um fait-divers, deve ser punido de acordo com o regulamento interno disciplinar, nada mais.

    Mas falando em Maurício quero realçar que Maurício é mais um jogador que não brinca nas selecções que se tem valorizado.

    Este é mais um argumento que se enquadra na minha teoria.

    ResponderEliminar
  9. Se a suspensão estiver prevista como castigo para estes casos, que seja suspenso.
    Que não o seja, porém, já no próximo com o Rio Ave, pois que o Rojo está castigado, mas no jogo seguinte.
    A sanção é aplicada à mesma mas duma forma que não causa tantos danos à equipa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JC, é uma hipótese. A direção adia a tomada de decisão que nem o Conselho de Disciplina da FPF, e divulga a sentença de Maurício na segunda ou na terça-feira... :)

      Eliminar
  10. Deve ser castigado e/ou multado. Mas, tem a seu favor (?) o facto de estar de folga. É um facto importante. É preciso que o seu eventual castigo não prejudique a equipa e hipoteticamente a classificação da mesma, só para mostrar-mos que somos diferentes...Agora é que é caso para dizer: não sejamos anjinhos! É que a Liga dos camp~eos não está ainda assegurada.

    ResponderEliminar
  11. Leo Garden falou e foi mais do que claro.

    http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=461247

    Já agora a taxa foi de apenas 0,54. Limite é 0,50.
    Eu sou do tempo que 0,80 era legal.

    E já agora a PSP foi mesmo tolerância zero ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peyroteo, em relação ao que disse Leonardo Jardim, concordo no que disse em relação à taxa de álcool, mas já não o acompanho quando tenta minimizar o facto de estar fora da hora limite para saídas apenas em uma hora.

      Eliminar
    2. Então mas a que horas bufou no balão mesmo?

      A ocorrência está registada pelas autoridades a que horas?

      Eliminar