terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Palavra de Jorge Gabriel

O leitor Peyroteo fez o favor de me recordar de um comunicado emitido pelo Conselho Leonino sobre Jorge Gabriel em Agosto de 2013. O conteúdo desse comunicado é bastante claro.


É legítimo que se argumente que a decisão dos membros do Conselho Leonino em não serem comentadores não pode vincular Jorge Gabriel, visto que o apresentador / treinador / paineleiro / escritor / patinador / candidato-a-junta-de-freguesia-mas-que-entretanto-recuou-e-ficou-apenas-mandatário / conselheiro leonino não esteve presente nessa reunião e, como tal, não teve a possibilidade de defender a sua posição. Podem também dizer que Jorge Gabriel apenas se representa a si próprio no programa, e nunca afirmou falar pelo Conselho Leonino, pelo que deveria ser livre de continuar a participar no Trio d' Ataque.

Isso tudo pode ser verdade, mas e se prestássemos atenção à opinião do próprio Jorge Gabriel, candidato nº 1 ao Conselho Leonino pela lista de Carlos Severino, numa entrevista dada ao Expresso a três dias das eleições?


Portanto, segundo o próprio Jorge Gabriel é incompatível o cargo de conselheiro leonino com o de comentador em programas de televisão. Para ser coerente com a sua palavra, talvez fosse bom abdicar de uma dessas ocupações.

Honestamente, espero que Jorge Gabriel se mantenha como conselheiro leonino. Ao candidatar-se estabeleceu um compromisso com os sócios que votaram na sua lista e, assim como assim, a sua presença não aquece nem arrefece porque ainda estamos para descobrir que utilidade prática tem o Conselho Leonino. Saindo do programa de televisão as vantagens são evidentes, pois pode dar o lugar a alguém que faça um trabalho mais competente.

8 comentários :

  1. Eu acho que o Presidente devia chamar esses comentadores e explicar-lhes que estes estão em programas em que supostamente estão a defender o nosso clube e como é evidente que os comentadores dos outros clubes estão alinhados com as respectivas direcções e as defendem com unhas e dentes estes deveriam fazer o mesmo ou então deveriam abdicar e dar o lugar a quem o fizesse com mais eficácia, isto em nome do amor ao Sporting.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guto, às vezes dá vontade que se faça uma coisa dessas, de facto. É claro que é impraticável, haveriam logo de aparecer vozes indignadas a dizer que o presidente do Sporting estaria a procurar condicionar as opiniões livres de quem comenta na praça pública. Quem não gosta de Bruno de Carvalho teria tema para falar durante meses... :)

      Eliminar
    2. Mestre, não acho impraticável, tanto não é que os outros conseguiram colocar os comentadores que mais lhes interessava, autênticos pontas de lança das suas políticas.Claro que isto não pode ser um ato isolado, tem ser um plano estratégico mais amplo sobre os média em geral.

      Eliminar
    3. Guto, em teoria também não acho mal. O problema é que aquilo que é encarado com naturalidade quando se fala de Benfica e principalmente do Porto, se fosse feito pelo Sporting cairia o Carmo e a Trindade. Hipocrisias típicas do futebol português.

      Mas é verdade, o Sporting precisa de um plano estratégico em como abordar a questão dos media. Não é tão prioritário como a questão do poder do dirigismo na federação e liga, mas também é importante.

      Eliminar
    4. Mestre, eu acho que é muito importante, claro que tem de ser um plano estrategico que englobe as outras questões, mas sabes como os media distorcem informação e toldam as ideias e a visão das pessoas.

      Eliminar
  2. Na foto que acompanha o artigo JG veste (ao que parece) camisola azul. É caso para dizer que o azul fica-lhe tão bem!..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando defendeu o Pinto da Costa das bocas do Bruno de Carvalho sobre a sua idade, só faltou estar vestido de riscas azuis e brancas. :)

      Mas não coloco em causa o sportinguismo dele. Sente o clube certamente de forma menos apaixonada que a maior parte de nós, mas cada um vive as coisas à sua maneira e não deve ser criticado por isso. O problema é que estes programas precisam de pessoas um pouco mais apaixonadas e que vivam o clube de uma forma um pouco mais intensa.

      Eliminar
  3. Penso que o Gabrielito se achou famoso de mais e se sentiu parte do Sporting.

    Calma lá. Quem é ele?

    Neste momento é um adepto que nem sequer interessa.

    É óbvio que os programas de TV sabem muito bem quem lá metem.

    O Paulo de Andrade não dava muito jeito à SIC por exemplo, comia as papas na cabeça ao Guilherme Aguiar e ao Rui Gomes da Silva.

    ResponderEliminar