segunda-feira, 24 de março de 2014

A cruzada de Luís Sobral contra os fanáticos

É conhecido o pouco apreço que Luís Sobral tem por Bruno de Carvalho. Não se trata de nenhum segredo, pois o diretor do Maisfutebol vai fazendo questão de o referir frequentemente -- umas vezes subtilmente, outras de forma bem mais clara.

Nas últimas semanas tem sido particularmente evidente a aversão que Luís Sobral demonstra pelo presidente do Sporting e pelo seu discurso. O seu meio preferido para difundir essa repulsa é o Twitter, onde podemos encontrar comentários como estes:

Comentário no final do Marítimo - Sporting

Sobre o balanço feito pela Lusa sobre o 1º ano de mandato de BdC

Não foi a primeira vez que Luís Sobral criticou a Lusa no Twitter, pois umas semanas antes já tinha feito um comentário de natureza semelhante.



Confesso que até achei interessante a invasão (no bom sentido) de egípcios ao facebook do Sporting, principalmente por mostrar a força globalizante do futebol em mercados à primeira vista menos evidentes. Não me parece errado que alguém na Lusa tenha pensado o mesmo. Mas voltemos a Bruno de Carvalho:

Sobre as declarações do presidente da APAF sobre as declarações de BdC

Sobre as declarações de BdC na CI no dia a seguir ao Sporting - Porto

Orgulhando-se de o MF não dar relevância à CI de BdC após jogo c/Setúbal

Após as queixas do Sporting sobre o atraso do Porto na Taça da Liga

Existem mais tweets de Luís Sobral sobre o presidente do Sporting que vão no mesmo sentido. Luís Sobral não gosta que se ataquem os árbitros, considera o erro de arbitragem algo que faz parte do jogo, pelo que critica todos aqueles que fazem acusações contundentes contra os homens do apito. Por exemplo, analisemos pormenorizadamente os tweets de Luís Sobral em que se insurge contra as duras declarações de Luís Filipe Vieira sobre a arbitragem após o Belenenses - Benfica:


Pois, Luís Sobral devia andar ocupado com outras coisas na altura.

A verdade é que a animosidade de Sobral é real e não tem apenas a ver com as críticas do Sporting à aos árbitros. Antes de Bruno de Carvalho ter feito qualquer comentário sobre arbitragens, já Luís Sobral o criticava abertamente -- como neste artigo, que foi escrito duas semanas após a tomada de posse como presidente do Sporting:


"A conferência de imprensa de Bruno de Carvalho esta tarde foi um exercício inédito de pressão sobre a banca.", escreveu neste artigo de opinião. E concluiria da seguinte forma: "Já quanto ao estilo o estado de graça terminou, pelo menos para mim. A conferência de imprensa com adeptos é uma prática antiga, própria de dirigentes inseguros e organizações que não sabem comunicar.".

No Sporting, o apreço pelo jornalista também não é coisa que abunde. Pouco tempo após o Benfica - Sporting para a Taça de Portugal, o Jornal Sporting escreveu uma peça apontando o dedo à falta de isenção de diversos jornalistas, nos quais se encontrava Luís Sobral. O que o Jornal Sporting escreveu na altura foi isto:




Não gostei de ler, pois achei esta iniciativa bastante deselegante. O facto de um jornalista desportivo ser benfiquista não é nenhum pecado. E a frase de Sobral que foi colocada também não tem nada de condenável. No máximo pode ser considerada de ingénua -- ou hipócrita, no caso de não ser sincera.


O que é condenável nas atitudes de Luís Sobral é o facto de não dar tratamento igual a situações idênticas protagonizadas por presidentes de outros clubes. É certo que já criticou Vieira e Pinto da Costa no passado, mas normalmente fê-lo de forma bem mais genérica e empregando um grau de acidez bem menor. Bruno de Carvalho tem defeitos, tem um estilo agressivo e pouco popular para quem não está do seu lado, mas não merece que lhe dispensem um tratamento bem mais agressivo da parte de quem não concorda com ele. A soma das atitudes de Bruno de Carvalho que possam ter contribuído para a suspeição da indústria do futebol fica a milhas de tudo o que de mau Pinto da Costa e Vieira já fizeram.

Pode ter sido por necessidade, mas Bruno de Carvalho foi o primeiro presidente a cortar de forma radical um orçamento em nome do saneamento financeiro, e de definir um rumo que passa pela aposta nos jovens da formação, com todos os benefícios que daí advirão para a seleção nacional e para o futebol português.

Comparar a seco Bruno de Carvalho com João Loureiro, que foi uma figura com ligações a uma rede de corrupção e tráfico de influências que desvirtuaram o futebol português durante anos a fio, e que acabou por levar o Boavista à falência, apenas expõe de forma evidente o ódio visceral que Sobral sente pelo presidente do Sporting.

Luís Sobral costuma acusar pessoas como eu de serem fanáticas, por só quererem saber do clube que apoiam e não gostarem realmente de futebol. Admito que possa ter razão. Mas o que é facto é que o próprio Sobral revela algum fanatismo nestes ataques incondicionais que vem fazendo, demonizando todos os atos de um presidente e ignorando ou criticando ao de leve os atos de outros. Se calhar não somos assim tão diferentes.

37 comentários :

  1. É que antes de Bruno de Carvalho o futebol português era um mar de rosas em que toda a gente se dava bem. Não partiram os dentes a um arbitro, os jogadores não corriam atrás de um arbitro a pressina-lo, ninguém morreu nos estádios etc.

    Estava tudo tão bom e era para dividir por dois, malandro do BdC.

    A propósito recomendo a leitura do livro "As guerras de Mourinho" só pela seguinte passagem.

    O primeiro negócio que deu lucro à "Benfica Stars Found" foi a trasferência de Di Maria para o Real Madrid. Nesse livro relata o meios que Mourinho usou para justificar a contratação de Di Maria e a quantidade de jogadores queimados para que ele jogasse, desde Kaka a Pedro Leon, até Ozil.

    Aliás para mim ficou bem claro o porquê de Mourinho não praticar aquele futebol do FC Porto e o porquê de não apostar em jogadores com potencial, é que ele só pode escolher do catalogo de Jorge Mendes e este é reduzido, ah além de se recusar a comprar jogadores ao Sporting Clube de Portugal.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Green Lantern, Bruno de Carvalho veio estragar algo que estava tão bem...

      Eliminar
  2. O Sobral é um escarro. Daqueles infectados.

    ResponderEliminar
  3. O sobral é um dos mais ressabiados jornaleiros da nossa praça, contra o Sporting. E apesar de reconhecer que este ressabiamento piorou com a chegada do BdC, antes as coisas não eram muito melhores. Aliás, salvo erro, no tempo do Domingos chegou a ser proibido de entrar na sala de imprensa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Dash, os jornalistas sempre foram muito mais valentões quando se sentem maltratados pelo Sporting. Noutros lados podem ser agredidos, e nem piam.

      Eliminar
  4. Lendo os lamentáveis tweets deste esgoto jornaleiro, destaco um, alterando somente o termo "presidente do Sporting" e colocando "Luis Sobral":

    "os Luis Sobral não tem noção dos danos e do risco deste discurso triste e lamentável. O futebol é tão diferente disto."

    Espelho meu, espelho teu.

    (admiro a preocupação pela Lusa gastar dinheiro de contribuintes para fazer peças jornalisticas sobre o Sporting; gostava de ter visto a mesma preocupação e condenação quando a CML, EPUL fizeram grande parte do Estádio da Luz (com ofertas de terrenos), quando o Governo aceitou acções do slb, não cotadas em bolsa, como garantia fiscal, quando a Caixa Geral Depósitos ofereceu a etar do seixal, quando Gaia ofereceu o centro de estágio ao Porto, quando a CM Porto ofereceu terrenos para estádio do Dragão [grande Nuno Cardoso], quando a Assembleia da República oferece, anualmente, um jantar a Pinto da Costa, etc, etc, etc. Tudo isto é pago por mim e por ele. Não está preocupado?)

    Semelhanças entre BC e João Loureiro? Há. Ambos serão péssimos a cantar, a julgar pela voz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, as críticas à Lusa (que foram as únicas que alguma vez LS fez) revelam de facto que há qualquer coisa no Sporting que o incomoda profundamente. Também não o vi irritado pelas dividas fiscais que Porto e Benfica tinham (pelo menos há uns meses atrás), apesar de isso ser lesivo para o contribuinte.

      Eliminar
  5. Por um lado prezo e até agradeço ao pessoal que ainda vai lendo este tipo de jornalismo, infelizmente não tenho estômago para isso... Enoja-me!
    Não por serem de outros clubes, enoja-me por ser extremamente tendenciosos quando usam meios/ferramentas em que terão de ser obrigatoriamente isentos, ao serem jornalistas têm uma enorme vantagem sobre os restantes, têm os meios, o privilégio, de puderem fazer passar a palavra para milhares de pessoas e aí mais que tudo em vez de jornalistas são "opinion makers ".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, Karl. Cada vez mais os jornalistas emitem opinião, ou seja, vestem a pele de comentadores. Mesmo assim é possível emitir opinião mantendo a isenção. Luís Sobral irritou-se pelo texto da Lusa sobre BdC. Não se percebe, porque esse texto limita-se a ser um resumo, sem juízos de valor, dos principais momentos da presidência. A ironia é que se fosse o jornalista Sobral a escrevê-la, seria certo que a peça levaria com adjetivações bem vincadas para sublinhar a sua opinião, em vez de se manter neutral e objetiva.

      Eliminar
  6. Lembrar ainda a espetacular coerência deste comentadeiro (que de jornlalista tem pouco) que há uns meses pediu documentos e propostas concretas a Bruno de Carvalho para mudar o futebol português.

    Ora, Bruno de Carvalho apresentou as propostas, formalizou os documentos, defendeu várias soluções lógicas para a transparência, como o sorteio dos arbitros. O que disse o senhor Sobral? Nada, Moita Carrasco, falar está de chuva.

    Destes moralistas estou eu farto. Aliás já o Domingos o tinha topado há dois anos recusando-se a falar para o Sobral.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade sim senhor. Acho que escrevi qualquer coisa sobre isso -- o Maisfutebol nunca chegou a emitir qualquer opinião sobre as propostas do Sporting. Um abraço.

      Eliminar
    2. Eu vi-o a comentar as propostas do Sporting no twitter, onde disse que não é a meio do campeonato que se fazem propostas destas... É impressionante a falta de carácter deste senhor.

      Eliminar
    3. Hugo, é verdade, também me lembro disso.

      Eliminar
  7. "...e de definir um rumo que passa pela aposta nos jovens da formação, com todos os benefícios que daí advirão para a seleção nacional e para o futebol português."

    A aposta nos jovens da formação deve ter como benefício exclusivo o Sporting.

    As selecções prejudicam desportiva e financeiramente os clubes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Superleão, é inevitável o benefício da seleção nacional, seja enquanto os jogadores têm contrato com o Sporting, seja quando seguirem para outros países...

      Eliminar
    2. Discordo, formar jogadores também significa ensiná-los a renunciar às selecções desde as selecções jovens para se concentrarem no Sporting. Os ensinamentos permanecerão até ao final da carreira.

      Eliminar
  8. Os presidentes fanáticos só pode ser benfiquistas ou portistas, os sportinguistas têm de ser uns desprendidos que não se importam com o Sporting, não é? No fundo, eles pensavam que o Sporting afundava com o Bruno de Carvalho. Como as coisas não correram mal, ou é porque é fanático, ou é garoto, ou é populista, etc. A dor de corno é uma chatice.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é verdade. Os profetas da desgraça esfregavam as mãos de contente quando souberam o resultado das eleições. Correu-lhes mal...

      Eliminar
  9. Vocês ainda perdem tempo com este tipo e com o site. Não vou ao site nem quero saber das suas "opiniões", pois não o considero isento. O problema dele não é o dr. Bruno de Carvalho, o problema chama-se Sporting. Não percam tempo com este tipo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sobral será ou não um lã-piurso; de certeza, é um escroque moral. Jornalista? Provavelmente tem a cartilha...mas nem a deve ter lido. Ética, isenção, que é isso? Quem é assim profissionalmente, também o é particularmente -a não ser que o tipo seja bipolar, o que é uma possibilidade a ter em conta.

      Eliminar
  10. O que irrita mais no Sobral é mesmo o tom beato que põe, dando aquele ar de pairar acima das quezílias mundanas e de só estar atento às coisas bonitas do desporto, quando, na verdade, não passa de mais um lampião. Mas pronto, é só mais um, num país onde o Manuel Queiroz e o Bruno Prata se apresentam como jornalistas, todos fingem que o Alexandre Tavares Teles não está no youtube, e a Sport TV mete e tira linhas virtuais e repete ou não repete os lances em obediência a leis invisíveis. SL JPT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JPT, esses nomes que indicaste são outros que demonizam o que Bruno de Carvalho representa, nomeadamente Bruno Prata. Acusam-no de ser populista e alimentar fanatismos, mas não conseguem abrir a boca para avaliar o bom trabalho que Bruno de Carvalho tem feito desde que chegou ao Sporting.

      Segundo essa gente, a única coisa boa que BdC fez foi contratar Leonardo Jardim. Tudo o resto não conta: a reestruturação, o corte orçamental, a aproximação aos adeptos, um clube que fala a uma só voz.

      Eliminar
    2. Meu caro, o que diz que não conta, pois deve contar e muito! Tanto, que omitem esses aspectos e se os enaltecessem estariam a criticar, implicitamente, os seus patronos.

      Eliminar
  11. Mas, numa coisa, o Sobral tem razão: a arbitragem na Madeira foi um nojo, e o facto de termos ganho não devia levar os nossos dirigentes a calar este facto. O critério de faltas e cartões prejudicou grosseiramente o SCP, o golo do Slimani foi anulado sem explicação e o Mané foi agarrado e derrubado quando ia isolado para a baliza, sem a competente expulsão (nem, curiosamente, repetição do lance... o que, por sua vez, determina que ele deixa de contar como "lance polémico"). PS: esqueci-me de incluir nas bizarrias da nossa comunicação social o tal Leirós como "especialista de arbitragem". A apreciação que faz dos "casos" do FCP v. Belenenses de ontem, trouxe-me à memória o quase linchamento de que ele foi vítima, se não me engano (não encontrei nada na net...), ainda no início da carreira, no Estádio do Mar... Um caso de justiça popular. SL JPT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me lembro desse episódio, JPT... Que jogo foi?

      Eliminar
  12. Quando li o tweet sobre o texto da Lusa, há uns dias, até me ri. O homem está descontrolado. O facto do Sporting não ter "acabado", como muitos previam há um ano, está-lhe a fazer imensa comichão. Até aceito que ele não goste da forma de comunicar de Bruno de Carvalho e o escreva nos seus artigos de opinião. Também aceito que não goste de discutir arbitragens, apesar de achar que é uma tentativa de "tapar o sol com a peneira". O grande problema de LS é não ser coerente. O seu fanatismo é demasiado evidente para ser levado a sério.

    Outra actividade que LS adora é a de distribuir vitórias e derrotas morais. Ontem a “vítima” foi Cristiano Ronaldo. Coitado, perdeu duas vezes, uma vez no jogo e outra depois. Deve ser duro para Ronaldo ter duas derrotas consecutivas. Mas Ronaldo estava a pedi-las, teve o azar de jogar no Sporting.

    Eu não vou deixar de ler o Mais Futebol, pois no panorama deprimente do jornalismos desportivo português consegue ter uma qualidade aceitável, apesar de não ser perfeito. Gosto especialmente das crónicas de diversos colaboradores. Também gosto muito do programa na TVI24 (adoro o Pedro Barbosa desde os meus 13 anos) e acho aceitável que não discutam arbitragens naquele formato. Existem outros para o fazer. Pelos vistos sou menos fanática que Luis Sobral.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marisa, também acho que o Maisfutebol tem qualidade e, atendendo que é gratuito, acaba por ser o melhor site de informação sobre futebol disponível.

      Não costumo ver o programa de sexta-feira, mais por uma questão do dia e hora em que é transmitido, do que por falta de vontade. Tem várias pessoas que gosto de ouvir (começando também pelo Barbosa) e tem um tom descontraído e bem-disposto que faz falta.

      Em relação ao comentário que LS fez sobre o Ronaldo, também me pareceu uma tristeza. Pelos vistos não é suficiente para LS que Ronaldo jogue à bola como ninguém, também tem que ser uma fonte de virtudes no final do jogo como se fosse a Madre Teresa de Calcutá, mesmo no final de jogos polémicos com erros graves de arbitragem. Haja paciência.

      Eliminar
  13. Ora qui está uma aventesma de se lhe tirar o chapéu!!!...Este careca mental sofre de raiva incontrolada contra o SPORTING desde que foi corrido da direcção da revista do nosso clube nos idos,salvo erro do Bigodes,ou talvez Sousa Cintra(ai memória minha,que já me falhas).Foi um verdadeiro erro de casting pois a revista pouco durou devido á sua pouca qualidade e ao nº de infiltrados que lá pululavam! O ressaibiamento pela perda do "tacho",foi tanto ou tão pouco que ainda perdura...É um verdadeiro escarro intelectual,vendido aos donos do dinheiro,na nossa dita imprensa desportiva. É um querido do tamanho do j.manha,talvez mais escorregadio e por isso mais capaz de enganar os incautos.No começo do site, em que debita a sua diarreia mental,ainda me ia divertindo com os seus sobe e desce...depois cansei-me de tal mente retorcida e intelectualmente desonesta, que nunca mais lá voltei! É que a criatura féde mesmo!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só o Francisco para me pôr a rir a uma hora destas... :)

      Tem razão quando diz que LS tem um estilo capaz de enganar os mais distraídos. De facto o discurso sobre a arbitragem é coerente, e é provavelmente o que marca mais quem o lê. Mas olhando para além disso a coerência esfuma-se, mostrando uma personalidade rancorosa que não poupa ataques nem dá descanso a alguns eleitos. Os outros vão passando por entre os pingos da chuva.

      Eliminar
  14. Sobral é doente mental, pelo menos apresenta claras dificuldades na interpretação da realidade.
    É doente e como doente deve ser encarado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Liondamaia, se o anti-sportinguismo for doença, o SNS não aguenta o aumento da despesa. :)

      Eliminar
  15. Caro Mestre,

    Tenho acompanhado o sério caso desse Sobral pelo twitter, com dificuldade é certo pois não tenho por hábito seguir nem filhos da puta nem canalhas sejam eles dissimulados, descarados ou assim-assim (parece-me ser o caso). É certo que esta minha renitência não abona em favor da minha contribuição para promover a resolução de um problema que quanto a mim é muito complexo e requer atenção redobrada.

    Refiro-me ao risco sério da esquizofrenia comunicativa em torno do fenómeno futebolistico. Vou tentar delinear as grandes linhas da questão. A ausência de uma entidade disposta ou capaz de regular os abusos neste meio particular da CS leva a sucessivos casos em que as prerrogativas deontológicas da profissão/ocupação são alvo de bárbara transgressão ou simplesmente ignoradas como ideia distante. Chamo a atenção para um ponto importante. Quanto a mim o tratamento grotesco de que o Sporting tem sido alvo de há vários anos a esta parte não se inicia nem se agrava com a tomada de posse de BdC. As ideias e retramentos sobre o fim do Sporting CP, tão recentes cronologicamente mas tão distantes por força deste último ano, imprimiram um ataque final da CS que caiu no erro de se assumir como comadre maior da bipolarização, neste particular as reportagens-drama da SIC sobre os desaires e os falhanços de Wolfswinkel assim como o branqueamento das capeladas são ilustrativos. O que se passou foi que o acontecimento decisivo que foi a eleição de BdC amplificou as muitas vozes de indignação em torno daquelas representações grotescas feitas pela comadre. Ora os resultados desportivos, o arrumar da casa e o discurso vertical de BdC esbarram de frente com muita comadre disposta a tudo para demonizar e adulterar as suas mensagens e comunicados do clube. O repto que BdC faz aos sportinguistas, o de adoptar como fiáveis somente os canais de comunicação do clube, é uma reacção tardia e necessária que agrava o complexo que é a esquizofrenia comunicativa. Um observador exterior será levado a crer que o retratamento do fenómeno desportivo não tem critérios de verdade mas posições determinadas de antemão, posições muitos extremadas. Em condições normais a imprensa ou se assume parcial ou está obrigada a critérios de objectividade e transparência. Como não vivemos nessas condições normais vai desaparecendo o patamar mínimo do facto e do bom-senso como bases da interpretação. A consequência disso é a de que cada temos menos pontos em comum que permitam manter uma conversa, debate ou discussão sustentável com adeptos de outros clubes. O que numa conversa com 1) alguém que leia o record, 2) não tenha raciocínio crítico 3) ou seja um vulgar canalha (qq destas condições é suficiente), é o diz-que-disse, o terrorismo de BdC, montero infinitamente fora de jogo, os casuals do porto e o cheque na conta do ferrari na madeira. Quando perguntamos alguma coisa sobre o que funda essas crenças o que encontramos é uma mão cheia de nada. Quando pedimos que nos digam o que têm esses assuntos a ver com o roubo de D.Gomes na taça, com o atraso do dragão na TL, com os likes do talhante, com o andor em que levam os eusébios, com a condição bipolar do tenista VitorFDPereira, já para não falar com os empréstimos18M do bpn, com a agressão a autoridades, com a coação física a jornalistas, nada dizem e voltam a vir à baila os foras de jogo do montero... São caracóis são caracolitos...e andam em círculos. No caso do dito sobral a figura de cão que escolheu para conta do twitter assenta-lhe bem, é que os cães ladram e... é bom que estejam vacinados, é um problema de saúde pública.

    Um abraço a todos os que procuram resistir à demência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. zébicho, estou de acordo. A CS tem sido uma promotora da bipolarização, quer pela falta de respeito que com frequência trata o Sporting. Cada vez é mais difícil, quando lemos alguém, não ter a sensação que nos estão a tentar vender uma narrativa conveniente aos interesses dos dois clubes do costume.

      A proximidade histórica da Bola com o Benfica, a parceria da Cofina com a Benfica TV, as relações perigosas entre O Jogo / Olivedesportos / Joaquim Oliveira / Pinto da Costa / Porto, a vassalagem da SIC ao Benfica, fazem com que tenhamos que colocar um olhar crítico em tudo o que daí é transmitido.

      Por exemplo, no acidente de automóvel de Mário Figueiredo, uns jornais dizem que o presidente da Liga foi vítima de abalroamento, mas o Jogo escreveu que foi ele o culpado. A CS devia transmitir factos, mas os seus joguinhos e as ligações perigosas em que se envolveram fazem com que seja impossível saber por vezes quem fala verdade, que é precisamente o objetivo contrário a qualquer órgão de comunicação social que tenha orgulho na sua atividade.

      E o mesmo podemos dizer das muitas omissões de acontecimentos incómodos para os suspeitos do costume, como foram esses casos que indicaste (empréstimos 18M do bpn, com a agressão a autoridades, com a coação física a jornalistas).

      Tenho a certeza que isto é imposto por um pequeno conjunto de pessoas que controla e condiciona o trabalho da maior parte dos cada vez menos bons jornalistas que ainda andam por aí.

      Obrigado pelo comentário e um abraço.

      Eliminar
  16. Mais um excelente post! Parabéns!

    Z

    ResponderEliminar