quarta-feira, 12 de março de 2014

Capas que não fizeram história, nº 23: Simulacro de terramoto

Janeiro de 2012

Uma das coisas que nos últimos anos tem sido um padrão da política desportiva de Porto e Benfica é a contratação de ex-jogadores do Sporting, ou de jogadores que o Sporting mostrou interesse em contratar.

Mais do que o proveito desportivo que Porto e Benfica esperariam retirar dessas contratações, parece evidente que o objetivo principal passava por provocar novos tremores de terra em Alvalade, que abalassem ainda mais o frágil estado anímico em que o clube vinha vivendo.

Só para dar alguns exemplos:
  • Benfica contrata Pizzi, jogador em que o Sporting estava interessado
  • Benfica contrata Sílvio, jogador em que o Sporting estava interessado
  • Benfica contrata Fariña, jogador que a imprensa referia como sendo alvo do Sporting
  • Porto contrata Liedson, ex-jogador do Sporting
  • Porto contrata Izmailov, ex-jogador, do Sporting (a última vírgula desta linha não é um erro)
  • Benfica contrata Djaló, ex-jogador do Sporting

Foram todas apostas ganhas, como se pode ver até agora. Sílvio vai sendo utilizado o suficiente para ambicionar estar presente no mundial (já que é um jogador benfiquista com utilização superior a 45 minutos nesta época). Liedson e Izmailov, sem querer, ganharam um campeonato. Liedson foi enxotado à primeira oportunidade, mas Izmailov continuou a fazer no Porto aquilo em que é especialista, ou seja, não jogar e não treinar.

Djaló, um projeto de estrela segundo Jesus, também não teve uma vida fácil. As oportunidades foram quase nulas: ao longo destes dois anos, foi utilizado em 5 jogos, apenas 1 dos quais a titular. 

Mas a prova que Jesus acreditava realmente acreditava na ascensão de Djaló ao estrelato foi o facto de, desses 5 jogos, 2 terem sido contra o Sporting em Alvalade (onde o Benfica perdeu por 1-0) e na 2ª mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões contra o Chelsea (!!!), que ditaria a eliminação dos encarnados. Depois desses dois jogos, Djaló seria utilizado apenas mais uma vez.

O abalo que se perspetivava em Alvalade, aquando da ida de Djaló para o eterno rival, acabou por não passar de um simulacro de terramoto. 

Entretanto, o jogodor atravessou um período de ano e meio de férias pagas. Mas finalmente o jogador conseguiu encontrar colocação, tendo ido por empréstimo para a MLS, para uma equipa chamada... San Jose Earthquakes. Que apropriado.

14 comentários :

  1. Indo para os States, Djaló estará mais próximo de se tornar a estrela que Jesus projectou. Demorou mais foi! Quem diz que Jesus não cumpre?

    Também gosto da referência ao "custo zero". Terá ganho, pelo menos, 50 mil euros/mês. Isso em 2 épocas foi quanto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, para aquelas bandas chove dinheiro. Olha por exemplo o Carlos Martins, que recebe €160.000 / mês, e que tem contrato até 2016 (altura em que terá 34 anos).

      Eliminar
  2. Pelo lado positivo, se alguma vez tiver saudades de ver o Djaló a não jogar à bola, estou apenas a 54 minutos de San Jose.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marisa, ora aí estaria uma bela forma de desperdício de tempo... com os Golden State Warriors aí ao pé, seria um crime ir ver um jogo da equipa do Djaló. :)

      (desejo no entanto que as coisas lhe corram bem, o rapaz teve azar na forma como correu a saída para França)

      Eliminar
    2. Também não lhe desejo mal nenhum. Daquilo que já tive oportunidade de ver da liga Americana, posso dizer que roça o deprimente - parecem todos estar a fazer um grande frete. A NBA, por outro lado, é um espetáculo que vale a pena. Espero conseguir bilhetes para os playoff. Let's go Warriors!

      Eliminar
    3. Que inveja. Sou um grande fã da NBA e adorava ver uns jogos ao vivo. Ando a planear ir a Miami ver o LeBron jogar, mas tem que ser na época regular -- nos playoffs é impossível arranjar bilhetes.

      Eliminar
    4. E eu que achei que o preço para ver os Miami Heat em Oakland era muito elevado... Agora já me arrependi de não ter ido. Ir ver um jogo ao vivo vale mesmo a pena. Nada que se compare ao Sporting em Alvalade, claro :) Pelo menos para a NBA tenho a companhia do meu namorado portista ferrenho. Domingo vai ser um dia difícil...

      Eliminar
    5. A ideia era aproveitar também para passar uns dias na cidade e ir visitar os Everglades, para amortizar o gasto nos bilhetes de avião. Mas o momento alto seria mesmo ver o LeBron a jogar... :)

      Eliminar
    6. Ainda não estive na costa Este, mas a minha experiência de parques naturais nos EUA é muito positiva. Ver o LeBron deve ser espectacular, mas eu vou "puxar a braza à minha sardinha" - O Curry é fantastico e adoro o David Lee.

      Eliminar
    7. Os Golden State têm uma excelente equipa. O Curry vai ser um dos melhores PGs se conseguir manter-se afastado das lesões. Eu pessoalmente também gosto muito do Iguodala (uma espécie de LeBron, numa menor escala, que sabe fazer de tudo - defender, passar, lutar nas tabelas e lançar). Também gosto do David Lee, desde os tempos que estava nos Knicks, é uma máquina de duplos-duplos.

      Eliminar
  3. Mais um que um dia vai dizer, que o maior erro da vida dele, foi ter saído do Sporting. Mestre nesta lista falta o Carlos Martins, o pé canhão que ia arrasar. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. F. Pais, já tenho capa para isso... é uma questão de tempo até ser lançada! :)

      Eliminar
  4. Nos anos 90, o Amaral e o Marinho quando assinaram pelo Benfica diziam na apresentação "já sinto o 3º anel".
    Foi muito rápido até irem para lá ver os novos colegas a jogar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, há uma capa d'A Bola onde o Djaló diz que já sente a grandeza do Benfica. É mais ou menos igual a esses exemplos que deste. O desfecho também foi igual. :)

      (tens boa memória)

      Eliminar