segunda-feira, 24 de março de 2014

Mudam-se os tempos, mudam-se as verdades

No passado sábado, Pinto da Costa fez declarações ao jornal O Jogo sobre o momento do clube e, em particular, sobre o rendimento recente de Quaresma.

in O Jogo

Lendo isto, subentende-se que foi mais uma vez o instinto visionário de Pinto da Costa que proporcionou ao Porto um reforço de enorme qualidade. Quando Quaresma fez saber que estava interessado em regressar, Pinto da Costa não hesitou e criou condições para que o jogador voltasse ao clube assim que possível, pois pensava que seria uma mais-valia, ao contrário de outros que colocavam dúvidas.

Lembrei-me imediatamente de outras declarações do presidente portista sobre a contratação de Quaresma, feitas no dia 1 de janeiro deste ano. Curiosamente ou talvez não, as afirmações de Pinto da Costa foram feitas num tom bem mais lacónico do que agora:

in maisfutebol.pt

Na altura eram efetivamente muitas as dúvidas sobre a capacidade de Quaresma conseguir recuperar os níveis competitivos do passado. Essas dúvidas eram legítimas, pois Quaresma estava sem competir ao mais alto nível há anos, com uma lesão grave pelo meio, sendo partilhadas de uma forma generalizada por jornalistas, adeptos portistas, e adeptos de outros clubes. 

Ao virar do ano, não só Pinto da Costa não colocou as mãos no fogo por Quaresma -- as declarações que fez são claramente no sentido de baixar as expetativas -- como empurrou a responsabilidade da contratação para Paulo Fonseca, não fosse a contratação correr mal.

E não me venham dizer que a confiança real que Pinto da Costa teria no jogador poderia ser superior à que demonstrou nas suas declarações. Seria a primeira vez no dirigismo desportivo que um presidente deixaria de aproveitar uma contratação de um jogador em quem acredita para tentar elevar o moral dos adeptos.

Mudam-se os tempos, mudam-se as verdades.

13 comentários :

  1. Quando ganha o mérito é de PdC, quando perde a culpa é do treinador/jogadores/arbitros.

    É um labrego, com laivos de chico-esperto.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente. Até lhe ficaria bem elogiar Paulo Fonseca por ter acreditado em Quaresma, mas em vez preferiu puxar os méritos para si -- como de costume.

      Eliminar
  2. Eu confesso que não estava nada à espera deste Quaresma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francis, eu também não. Nunca pensei que viesse com tanta vontade de se impor. No entanto, parece-me que em determinados pontos está longe do jogador que já foi, nomeadamente na velocidade de ponta. Não vejo a maior parte dos jogos do Porto, mas não me lembro de o ver ultrapassar em velocidade o adversário. Normalmente quando tem a bola no pé abranda o ritmo e tenta ultrapassar através de dribles.

      Também joga demasiadas vezes sozinho, que prejudica o rendimento da equipa.

      De qualquer forma, não há dúvida que está num grande nível. Este Quaresma tem lugar na seleção -- não para ser titular, mas para entrar a meio da 2ª parte e tentar resolver um jogo.

      Eliminar
  3. Lembro-me perfeitamente de ver as declarações no Porto Canal, onde o Capo atira a responsabilidade da contratação (e o seu eventual fracasso) de Quaresma para cima do ex-castor.
    Quando vi as declarações deste sábado ri-me. É tão normal esta atitude...

    Faz-me lembrar certos blogues e adeptos benfiquistas que, desde Maio até Novembro cuspiam ofensas a Jesus e seus pares, mas agora sempre foram visionários e é só elogios. Uma esquizofrenia típica daqueles lados, um pouco como fazem com Cardozo (que odeiam, depois glorificam, depois odeiam e, agora que não joga porque há Rodrigo já dizem que não presta novamente). Digno de quem não sabe perder ou tem medo de.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, é verdade. Jesus foi o homem mais odiado no Benfica entre maio e dezembro de 2013. Agora é o maior, e até lhe desculpam tudo o que faz, como os empurrões a Shéu e Rui Costa. Não conseguem isolar o comportamento que tem e o mérito do seu trabalho, dos resultados.

      Eliminar
    2. Não vás mais longe. Há três meses no "Ontem vi-te na lixeira" o Benfica já não era o Benfica, o Benfica estava em crise, o Vieira estava a matar o benfiquismo, blah, blah, blah. Agora, porque tem sete pontos de avanço, é só amor pelo Benfica, o Benfica é o maior; o futebol português agora já não presta, mas não é por causa do Vieira, é por causa do Bruno de Carvalho, que chegou "ontem" ao futebol. É alguma admiração aquela corja ganhar o campeonato com o dinheiro que estouram todos os anos? E mesmo assim é preciso os Motas e os Santos e dar um empurrão.

      Eles só ainda não deitaram os foguetes e apanharam as canas porque o último jogo é no Dragão. Na prática a vantagem não são 7 pontos, são 4, porque os gajos têm um medo do último jogo do campeonato que até se cagam, porque aí são três pontos a menos garantidos para as galinhas. Portanto o Benfica não pode perder 5 pontos dos 18 em disputa até ao jogo no Dragão. Se eles perderem em Braga a barraca abana toda, e por isso a arbitragem desse jogo deve estar viciada à partida. A acontecer alguma coisa de inesperado será nas jornadas a seguir, em que eles menos contam e não vão pôr o melhor onze em campo.

      Eliminar
    3. O Geração Benfica já tem o título reservado. Eles 'tão muit'a fortes, e nada os vai parar. Depois do que lhes aconteceu o ano passado, seria de imaginar que tivessem um pouco de humildade para não começarem já a vender os ovos no cu da galinha. Enfim...

      Eliminar
  4. Esta nova energia do Quaresma trintão, faz lembrar a segunda juventude do Fernando Mendes de dragão ao peito, ou as confissões de Casagrande.
    Este rendimento estupendo de jogadores sem força noutros lugares não terá uma explicação mais química?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem lembrada essa do Fernando Mendes. Já vinha preparado do Boavista, mas foi aí no Porto que jogou como nunca.

      Eliminar
    2. Também não tinha pensado nisso. Também explicaria aquele ataque de raiva no final do jogo com o Guimarães e a forma impetuosa como entra frequentemente às pernas dos adversários.

      Mas neste momento dou-lhes o benefício da dúvida, apesar de daquele sítio poucas coisas me surpreenderem...

      Eliminar
  5. Pode perfeitamente ter uma "explicação". Por isso é que o Paulo Bento não o deverá convocar, não vá acusar alguma coisa e depois era uma barraca. O efeito Quaresma dura até final da época, se tanto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não vá ocorrer outro caso tipo "Kenedy", que nunca jogou tanto (nem emagreceu tanto) como naquela época no Marítimo e que o levou à Coreia e Japão em 2002, embora tivesse que regressar bem antes do Mundial.

      Eliminar