segunda-feira, 10 de março de 2014

O benemérito do futebol português

in record.pt

Na passada semana ficámos a saber, por ocasião da reunião de clubes em Fátima, que Vieira usa o Benfica como se tratasse de instituição bancária e empresta dinheiro a um clube concorrente da I Liga. Ninguém acredita que tenha sido uma ação de caridade genuína, já que os €320M que o Benfica deve à banca custam algumas dezenas de milhões de euros em juros todos os anos. Foi a troco de quê, então? 

Já sabíamos que o Benfica usa o seu canal de televisão para adquirir direitos televisivos de clubes concorrentes. Hoje é apenas o Farense, mas deve ser uma questão de tempo para o fazer também com um ou mais clubes da I Liga. Conflito de interesses, anyone?

Era conhecido de todos que o os jogadores emprestados pelo Benfica a outros clubes da I Liga acabam por não ser utilizados contra os encarnados, apesar de isso estar expressamente proibido nos regulamentos da Liga.

Na semana passada descobrimos também que o Benfica cedeu gratuitamente um jogador a outro clube da I Liga, mantendo 90% dos direitos económicos do atleta e estabelecendo um acordo verbal de "cavalheiros" com o clube que o recebeu, que impede o jogador de ser utilizado nos jogos contra os nossos vizinhos da 2ª circular.

Também é do conhecimento público, pelas escutas do apito dourado, que Vieira não tem problemas em escolher árbitros para jogos do Benfica.

Estes são alguns dos casos conhecidos, e só podemos imaginar que mais coisas do género se passam e que nunca chegam a conhecer a luz do dia.

Significa que o Benfica é pior que o Porto na tentativa de condicionar adversários diretos e de os manter debaixo da sua asa através de dependências extra-desportivas? Claro que não. O Porto tem décadas de experiência em montar redes que condicionam ativamente a competição futebolística em Portugal, alimentadas por um conjunto de práticas altamente censuráveis.

Mas é indiscutível que o caminho do Benfica é cada vez mais semelhante ao do Porto. Os métodos podem diferir e serem menos condenáveis, mas não duvido que é apenas por uma questão de falta de oportunidade do que falta de vontade. Atendendo aos exemplos que dei, alguém duvida que se estendessem de mão beijada a Vieira e ao Benfica uma rede de corrupção e tráfico de influências semelhante à do Porto, a oportunidade não seria agarrada com as duas mãos?

23 comentários :

  1. Porque é que o Vieira está com cara de quem se está a cagar ?

    Será que a corrupção provoca gases ?

    Mário

    ResponderEliminar
  2. Embora as coisas estejam à vista de todos,nada se faz, ninguém quer pegar nisto tudo e fazer uma limpeza geral . E o Futebol Português caminha para o abismo. Caminha mesmo, não tenham dúvidas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RP, e têm a lata de dizer que as propostas do Sporting não servem de nada. Não servem de nada ao estado atual das coisas, é por isso que não querem mudar.

      Eliminar
    2. Discordo que o futebol português caminhe para o abismo, já certos clubes já foram para o abismo e outros deverão lá ir.

      Outro assunto

      Afinal quais foras as propostas concretas credíveis e exequíveis do Sporting para mudar o estado actual das coisas?

      Eliminar
    3. Luís Miguel, podes vê-las aqui. Não estão muito detalhadas, mas dá para ter uma ideia.

      http://bancadadeleao.blogspot.pt/2014/01/propostas-do-sporting-para-melhoria-do.html

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Lá está, dei uma vista de olhos e não se pode levar as propostas de Bruninho muito a sério a começar pelo ponto 10 de segurança associada ao desporto como se comprovou com o caso do adiamento para 48 horas depois o Benfica-Sporting no mesmo estádio.

      Os objectivos do ponto 1 são para delirar, ou seja, legislar sobre os jogadores mas de forma a beneficiar os clubes/sads empregadores.

      O ponto 5 revela uma profunda ingratidão aos fundos que tanto têm ajudado alguns clubes/sads, nomeadamente o Sporting.

      Eliminar
    5. Luís Miguel, creio que a segurança terá a ver com o estatuto dos funcionários das empresas de segurança privadas que não têm regulamentação. Hulk e Sapunaru provavelmente não seriam suspensos durante tanto tempo se os stewards fossem reconhecidos como agentes do jogo (na altura lembrei-me de ouvir qualquer coisa nesse sentido).

      Quanto aos fundos, é verdade que o Sporting os utilizou (na minha opinião com prejuízo para o clube, com responsabilidade total dos dirigentes sportinguistas, em função das verbas irrisórias por que percentagens de jogadores promissores foram vendidos), mas nunca é tarde para corrigir algo que está mal.

      Quanto ao ponto 1, serve para determinados clubes não virem buscar Cassamás e afins, a troco de uns cobres a mais para as famílias. Acredito que gostes dessa lei tal como está... :)

      Eliminar
    6. Errado, os stewards eram considerado "público" e por isso, o CJ puniu Hulk e Sapunaru em 3 e 4 jogos respectivamente, mas só depois do CD presidido por um tal de Ricardo Costa ter punido os jogadores em mais de 20 jogos cada, ou seja, foi claramente uma decisão com o objectivo claro de prejudicar o Porto.

      Após esse caso, foi aprovada legislação que promove os stewards como "agentes de jogo", ou seja, hoje em dia estão teoricamente mais protegidos, embora não os impedirá de provocar ou mesmo agredir ninguém.

      Quanto aos fundos, a proposta é inexequível. Quem regulamenta os fundos de investimento são as autoridades financeiras.

      Ponto 1, isso é ridículo, o Sporting faz o mesmo a outros jogadores jovens de outros clubes, simplesmente não se pode limitar a circulação de jogadores nacionais.

      Bruninho deve pensar que é algum génio quando só chegou ao futebol há menos de um ano e outros lá andam há muitos anos.

      Nem mencionei outros pontos que se tornaria exaustiva mas a grande maioria das propostas não são credíveis nem exequíveis.


      Eliminar
    7. A Liga inglesa não permite a inscrição de jogadores que seja detido parcialmente por fundos. A Liga portuguesa poderia fazer o mesmo. A UEFA já está a discutir exatamente a mesma coisa.

      Em relação ao resto não vou entrar em discussão. É claro que para que ganha 8 campeonatos em 9 está tudo bem, porque motivo se haveria de mudar alguma coisa?

      Eliminar
    8. Se a Liga portuguesa não permitisse a inscrição de jogadores que seja detido parcialmente por fundos quais seriam os jogadores que o Sporting inscreveria? Os juniores ou os juvenis? ou teriam que comprar uns 20 Héldons?

      Eliminar
    9. Passaríamos a contratar apenas quem teríamos capacidade de pagar. E deixaríamos de vender percentagens de passes de jogadores da formação a preços irrisórios.

      Teríamos que viver com Slimani, Montero, Maurício, Jefferson, Rui Patrício, Adrien, André Martins, Dier, Wilson Eduardo, Cédric, William Carvalho, Heldon, Carlos Mané, e outros. Ou seja, dos que temos agora teríamos que viver sem o Rojo e o Capel.

      Eliminar
    10. Segundo o R&C de 30-06-2013 o Sporting detém:

      30% do passe de Adrien, André Martins, Carrilo, Wilson Eduardo

      50% do passe de Cedric, Boeck

      60% do passe de Capel, Jeferson, William Carvalho

      25% do passe de Rojo

      65% do passe de Rui Patrício

      Em relação aos outros não foi disponibilizada informação ou pelo menos não a li em leitura rápida tanto no R&C de 31-09-2013 como no R&C de 31-12-2013.

      Eliminar
    11. Grande parte dessas percentagens pertenciam à Holdimo, que ao entrar no capital social devolveu essas percentagens de passes. Existem vários jogadores com percentagens de passes do Sporting Star Funds. 75% do passe de Rojo pertencem à Doyen Sports.

      Se não fosse possível vender a fundos, os jogadores da academia seriam 100% do Sporting. Foi uma asneira tremenda de Godinho Lopes ter feito o que fez.

      Eliminar
    12. Segundo o último R&C não existe nenhuma referência à Holdimo como tendo uma participação qualificada no Sporting Sad.

      Aliás se o Sporting pudesse apresentar que a totalidade dos passes fosse sua, certamente já o teria feito.

      Eliminar
    13. De facto não existe nenhuma referência nem à Holdimo nem à transferência dos passes, nem sequer a quem são os detentores dos passes, genericamente falando.

      Eliminar
    14. Aliás, tenho que reconhecer que os R&C de Benfica e Porto têm um nível de explicação bem mais detalhado que o do Sporting.

      Espero que a falta de detalhe e os pontos omissos tenham a ver com a reestruturação em curso.

      Eliminar
  3. so aos calimeros falidos é que ninguem oferece nada...nem corrupção! e eles la vao andando felizes e contentes em que so eles é que sabem porque nao ficam em casa e no final trofeus que é bonito....nada. sao mesmo tristes e motivo de gozo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, chama-se isso amor ao clube. Não está dependente de ganhar títulos. Isso é coisa de outros clubes, que só aparecem no estádio se tiverem os títulos mais ou menos bem encaminhados.

      Eliminar
  4. Vieira, o Benemérito.

    Já não se fazem homens assim... Não admira que Eusébio o tenha escolhido como confidente, passando-lhe tantos desejos que já não viria a serem cumpridos.

    O último homem desta grandeza que passou pela Luz também era ovaciono nas AGs e só perdeu as eleições para um alcoólico porque o Vieira prometeu, uns dias antes do sufrágio, a contratação de Mário Jardel (que estava no Galatasaray, ou Gasalataray como diz o Toni).
    Começavam aí as promessas (por cumprir) de Vieira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, é boa gente. Muito boa gente. E as promessas são um clássico do dirigismo. Tenho dezenas de citações de Vieira guardadas, talvez um dia faça uma série de posts sobre isso...

      Ou Galasataray, como diz o Bruma! :)

      Eliminar
  5. Não me digam, que foi com um processo idêntico que o Miguel Rosa não pode jogar contra o Benfica. O presidente do Setúbal já veio hoje agradecer os jogadores que o Sporting emprestou. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. F. Pais, é verdade, ficou-lhe muito mal não ter referido a correção do Sporting em relação à utilização do João Mário. Um abraço.

      Eliminar