domingo, 13 de abril de 2014

A loja dos mestres André e Cédric

O jogo de hoje foi, na minha opinião, um mais fracos que tivemos oportunidade de assistir em Alvalade. O golo madrugador, em vez de injetar confiança e tranquilidade, pareceu funcionar como um anestesiante que se traduziu numa das primeira partes mais chatas que me lembro de ver nos últimos tempos.

O golo, marcado antes de o ponteiro dos segundos dar uma volta completa, nasceu de uma excelente jogada entre Cédric e Carrillo, cabendo ao peruano um cruzamento que foi encontrar a cabeça de Slimani. O argelino cabeceou colocado e estava feito aquilo que parecia mais difícil.

Infelizmente, o Sporting pareceu pouco interessado em ir à procura do segundo. Trocava a bola lentamente, à espera que o Gil se esticasse um pouco mais no campo, mas... nada. O Gil, a perder, não arriscou um milímetro que fosse -- mantendo-se trancados no seu meio campo quando não tinham a bola, e jogando com 7 ou 8 jogadores atrás da linha da bola quando a tinham em seu poder. Foram um redondo zero de ambição. O meu coração palpita de felicidade quando penso que para o ano poderei ver mais duas equipas deste calibre a jogar em Alvalade, graças ao oportuno e celebrado alargamento para 18 clubes.

No resto da primeira parte, apenas escapou a este torpor o flanco direito do Sporting: Cédric e Carrillo estiveram muito bem, e tiveram alguns rasgos de genialidade que proporcionaram ao público alguns fantásticos momentos.

A segunda parte continuou na mesma toada da primeira. A equipa pareceu reagir apenas quando Leonardo Jardim decidiu colocar André Martins. Entrou muito bem o nº 8 do Sporting, que colocou uma intensidade que acabou por contagiar um pouco os seus companheiros. A partir daí o Sporting teve várias ocasiões de golo, com especial destaque para um grande remate de longe de Rojo que embateu com estrondo na barra. Rojo teve também um jogo seguríssimo e esteve bem nas poucas vezes que conduziu a bola, fazendo um outro passe longo com grande acerto. Eu sei que já o referi antes, mas estou mesmo a ficar fã do argentino.

O golo da tranquilidade acabaria por chegar já em tempo de descontos. Rui Patrício bateu o pontapé de baliza, após a única jogada do Gil que provocou alguns calafrios, Martins ganha de cabeça para Montero, que solta de imediato num passe a rasgar para a velocidade para Carrillo, que sacou da régua e esquadro para colocar a bola direitinha em Heldon, que apenas teve que encostar. Segunda assistência para golo de Carrillo num grande momento de futebol, que aproveitou uma das poucas situações em que apenas metade da equipa do Gil estava no seu meio-campo.


Foi a 5ª vitória consecutiva e a 8ª nos últimos 9 jogos, deixando o apuramento direto a apenas dois pontinhos de distância, assumindo que o Porto conquistará amanhã os três pontos em Braga. Para a semana temos uma deslocação a Belém, sem Cédric, que viu um amarelo que o colca de castigo na próxima jornada. Será que Esgaio terá a sua oportunidade para nos dar um cheirinho do que será 2014/15?

10 comentários :

  1. Se hoje o FCP não ganhar em Braga, temos o 2º lugar matematicamente garantido. E se assim for, acredito plenamente que LJ ponha Esgaio a lateral direito no próximo jogo. Se o FCP ganhar, não sei se LJ terá coragem para meter Esgaio de inicio (embora gostasse da ideia).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mike, apesar de não estar matematicamente decidido, creio que faz mais sentido utilizar o Esgaio do que o Piris (que para o ano já cá não está e deve ter muito menos ritmo competitivo) ou o Dier (que só deve ir para LD em caso de necessidade no meio de um jogo). Um abraço.

      Eliminar
  2. Os jogos mais difíceis são os 2 últimos. Há que resolver o 2º lugar até lá.
    Por outro lado, esta vitória faz com o Benfica jogue com tudo em Arouca, mesmo a 3 dias de receber o Porto para a Taça de Portugal (onde ninguém na luz acredita ou aceita uma derrota vermelha).

    Continuo a dizer: o empate em Setúbal foi o que nos matou. E não foi por acaso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que o empate em Setúbal acabou com o campeonato, no que diz respeito à discussão do titulo. Foi tão só a pior arbitragem da época para o Sporting e possivelmente de todo o campeonato. Havia que deixar o enfique tranquilo, para não acontecer o colapso tradicional da Páscoa.

      No entanto, também há que reconhecer que os jogos com os rivais são cada vez mais decisivos e foi aí que o Sporting perdeu quase todos os pontos que o separam dos encarnados. Há uns anos era verdade que os campeonatos se decidiam nos jogos com os clubes pequenos, mas agora já não é assim, porque o desnível dos grandes para os outros é cada vez maior e a qualidade das equipas pequenas deixa cada vez mais a desejar devido à crise.

      O Sporting, fazendo provavelmente o pior jogo da época, venceu tranquilamente o Gil Vicente, o que deixa antever que o motivado enfique não tenha grandes dificuldades em despachar o Arouca e o Olhanense, mesmo que estes estejam precisados de pontos. Os dois últimos campeonatos foram decididos nos jogos entre os lampiões e os andrades, e esta época foi a nossa incapacidade (já esperada) de vencer os encornados que cavou o fosso, porque a partir do momento em que ficamos dependentes dos pequenos para tirar pontos ao líder da prova, é muito complicado. E depois as arbitragens estão lá para assegurar que a classificação se mantém.

      Eliminar
    2. Mas ainda se continuam a decidir com os chamados "pequenos"...

      O que são ...: o Olhanense...O Nacional...a Académica...?

      E nenhum deles sem "o reforço" da arbitragem, teriam empatado com o Sporting...!!

      Foram "só" seis pontos...

      Lembrar que estamos a sete (contando já com a vitória de hoje dos encarnados...) pontos...!!

      Sporting Sempre...!!

      SL

      Eliminar
    3. É verdade que o maior pecado do Sporting este ano foi nos jogos contra os grandes: temos 6 empates e 2 derrotas, dos quais 1 empate e 2 derrotas foram com Benfica e Porto. Nesse capítulo não há dúvida que ficámos a grande distância do Benfica.

      O Benfica tem de longe o melhor plantel e têm uma equipa muito bem montada, é inegável. Serão campeões com mérito. Mas serão campeões indiscutíveis?

      O que lhes aconteceria se nos tivessem constantemente à perna, em vez de estarmos a 7 pontos? Será que jogariam com a tranquilidade com que jogam agora? E aí não foram só os jogos contra os grandes que fizeram a diferença. Foi acima de tudo os pontos que nos tiraram contra outros clubes mais pequenos.

      Nos 5 empates que tivemos contra clubes pequenos, em 4 deles fomos claramente espoliados de pontos (Rio Ave, Nacional, Académica e Setúbal), e no outro (Estoril) a arbitragem foi tendenciosa sem ter influência direta no resultado (apesar de muitos árbitros noutras circunstâncias certamente assinalarem penálti naquele lance sobre o Montero).

      Se o Sporting não tivesse sido prejudicado nestas situações, não sabemos o que poderia acontecer. Até podia ser que o Benfica fosse campeão na mesma. Mas nunca saberemos se conseguiriam aguentar a nossa pressão, em função dos fantasmas da época passada que ainda os atormentam. Por isso para mim não será um campeonato com um vencedor indiscutível. Justo, sim. Fizeram o suficiente para o justificar. Indiscutíveis não.

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Mesmo com roubos o plantel do sporting tem limitaçoes que os outros nao tem e isso faz a diferença.
    Acho que o campeonato esta entregue á equipa que foi mais regular,mas nao a melhor.
    Nos mesmo com um plantel mais reduzido ficamos so a 7 pontos do benfica e isso é muito bom,e podiam ate ser menos pontos.
    Nos tb tivemos outro problema que nao aconteceu com o benfica,jogadores que tinham sido importantes na mobilidade da equipa desapareceram do dia para a noite,o que veio provar que temos de investir mais,e com mais certezas.
    Jogadores com wilson eduardo,montero,carrillo,capel nao estiveram tao bem como no inicio da epoca e isso conta muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ponto forte do Benfica tem mesmo a ver com a profundidade do plantel. Após um início complicado, apareceu Cardozo em grande forma a resolver vários jogos. Cardozo entretanto deixou de render, mas surgiram Rodrigo e Lima em grande. Nas outras posições de ataque é a mesma coisa: quando Sálvio se lesionou, tinham Gaitan e Markovic para o substituir.

      O plantel do Sporting tem limitações, mas por outro lado deve muito menos jogos para disputar do que o Benfica. Não me parece que terá sido tanto por aí. Tirando a quebra de Montero, os restante jogadores tiveram um rendimento constantes. De facto nas alas houve uma quebra de alguns jogadores, mas felizmente aí é onde o Sporting tem mais quantidade, e foi dando para resolver melhor ou pior. Um abraço.

      Eliminar
  4. As limitaçoes de que falo sao essas,no inicio do campeonato os extremos alimentavam bem o montero,depois deixaram de o fazer,isto aliado á seca do montero e num plantel curto faz a diferença na luta para uma competiçao.
    O benfica tem um plantel vasto,jesus conseguiu com alguma mestria rodar bem o plantel,tem claro bons jogadores,e tem tambem tido a estrelinha da sorte aquilo que faltou o ano passado.
    Se o benfica merece ser campeao?Penso que sim,nao penso que foram melhores,o sporting e o porto andaram sempre perto,o porto quebrou e o sporting la foi luntando tendo estado inclusive em 1º lugar,so que faltou estofo.
    Vamos ver agora com uma nova realidade,a proxima epoca vai ser uma prova de fogo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A regularidade desta segunda volta do Sporting deixa antever coisas boas para a próxima época. Concordo que vai ser complicado, mas melhorar não será de todo uma tarefa impossível. Um abraço.

      Eliminar