sábado, 12 de abril de 2014

Futebol sério é isto

in record.pt

Entretanto, em Portugal, o Benfica não deixa utilizar Miguel Rosa, apesar de já não ter quaisquer direitos desportivos sobre o jogador, Benfica e Porto impedem jogadores emprestados de serem utilizados, mas todos (Liga, clubes impedidos de utilizar os jogadores, e jornalistas) acham tudo isto perfeitamente natural.

12 comentários :


  1. Eu até acho que podia ser aceitável que se definissem cláusulas deste género. O ridículo ridículo é elas serem proibidas, os clubes acenarem com a cabeça que sim e por baixo da mesa é a vergonha que todos sabemos. M. Rosa e Abdulaye são apenas 2 exemplos recentes, há anos e anos que temos disto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. M., a questão é mesmo essa. Os regulamentos em Portugal eram omissos na questão da permissão ou proibição de jogadores emprestados. Há uns anos decidiu-se alterar os regulamentos de forma clara a indicar que são proibidas cláusulas que impeçam os jogadores emprestados de jogar contra o clube de origem.

      A UEFA preferiu não fazer-se de sonsa e referiu que o jogador deve jogar, avisando para as consequências. A Liga deveria fazer o mesmo.

      Eliminar
  2. A uefa esteve muito bem neste caso,quer dizer o chelsea esteve-se sempre a borrifar para o courtois,mas como ele é bom e vai jogar a meia final de uma competiçao contra a equipa com a qual tem contracto e que possilvelmente vai eliminar ja nao pode jogar contra eles,este tipo de coisas so estrgam o desporto,inacreditavel.
    Bem no caso do miguel rosa e daquilo que se tem falado,acho que o principal culpado é o miguel rosa ja que se ele fosse como o courtois cagava bem neste tipo de coisas,no entanto deve ser daqueles que ainda tem esparança de jogar no benfas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, creio que o Miguel Rosa será o menos culpado. A culpa, neste caso, é do Belenenses, por aceitar não utilizar um jogador do qual detêm os direitos desportivos, e o Benfica, por impôr um acordo desses. Não acredito que o jogador não quisesse jogar.

      Mas estou de acordo no resto: este tipo de coisas são um golpe na competição.

      Eliminar
  3. Caro Mestre,
    Sou um defensor acérrimo da liberdade contratual. O Estado/federações apenas devem intervir em casos limite. A proibição total dos empréstimos a clubes da mesma liga ou a proibição de cláusulas deste tipo (com fiscalização séria o que não acontece em Portugal) prejudicaria sempre a evolução dos jovens jogadores pois os principais clubes simplesmente deixariam de os emprestar, ainda para mais quando continuam a pagar grande parte dos ordenados a esses atletas.
    Também compreendo o ponto de vista dos clubes que não aceitam que jogadores seus, quando emprestados, os defrontem, não só pelos potenciais prejuízos imediatos como também pela suspeição que pairaria sobre os jogadores caso jogassem muito mal ou os anticorpos que gerariam nos adeptos caso jogassem muito bem (a este exemplo recordo Adrien e Cedric quando ganharam a TdP ao SCP).
    No entanto seria aceitável que se impusesse um número máximo de atletas acima dos 21 anos com contrato em cada clube, por ex 28 para clubes sem equipa B e 35 para os que tivessem equipa B (apesar de esta medida potencialmente colocar jogadores no desemprego) ou que se fixasse um número máximo de jogadores emprestados em cada clube, por ex cada clube da I Liga só poderia inscrever 3 jogadores emprestados e um da II Liga só poderia inscrever 5 jogadores emprestados.
    A situação do miguel rosa não tem nada a ver com isto, pois o jogador desvinculou-se permanentemente com a antiga equipa e a proibição de jogar contra os lampiões abrange toda a duração do actual contrato (5 épocas). Para terminar uma questão: se o carnide jogar a final da liga europa com o valência e o dono do rodrigo e do andré gomes não os deixar jogar contra a ?sua? equipa será que vamos assistir a mais algumas piruetas retóricas de queridos manhosos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tugarão, também acho que do ponto de vista dos maiores clubes, a opção de emprestar jogadores é bastante vantajosa. No entanto, é um mecanismo que acaba por facilitar uma estratégia de açambarcamento de jogadores. Os clubes grandes podem contratar qualquer jogador com potencial, inflacionando o valor de passes e retirando aos pequenos a possibilidade de se reforçarem com qualidade. Os clubes grandes sabem que no limite depois podem emprestar a outro clube.

      A proposta que colocaste é boa: um limite de jogadores sob contrato acima de uma determinada idade e um limite de jogadores emprestados no plantel de cada clube ajudaria a resolver o problema.

      Também acho que a questão das cláusulas de salvaguarda (que o Sporting tem usado nos contratos de venda dos seus jogadores), as cláusulas de opção preferencial, e as cláusulas de recompra (usadas muito pelo Benfica) também não deveriam ser permitidas.

      Eliminar
  4. Mestre, veja bem a vergonha a que o futebol chegou. Hoje depois dos jogos do Belenenses e do Rio Ave que perdeu com o Olhanense. Veio a terreiro, alguém da SAD do Belenenses, criticar o Rio Ave por fazer poupanças do plantel, por causa da meia-final da Taça. É PRECISO MUITA LATA, Já não se lembram do caso Miguel Vítor, o melhor jogador do Belenenses. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. F. Pais, é preciso ter descaramento. Pelo menos no caso do Rio Ave têm um motivo legítimo para entrar em poupanças. Mais uma bandalheira para a lista de abril. Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  5. A UEFA pode emitir os comunicados que entender.

    O Chelsea não proibiu o Atlético de Madrid de utilizar Courtois, apenas ficou estabelecido no contrato de empréstimo que se for utilizado em jogos oficiais entre as duas equipas, o Atlético de Madrid deveria pagar 3M€ por jogo pela sua utilização.

    Obviamente uma futura proibição da UEFA a estas cláusulas levará a que num eventual futuro empréstimo de Courtois não seja efectuado ao Atlético de Madrid mas sim a um clube que não dispute as competições europeias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luís Miguel, vamos a ver se Courtois vai jogar ou não, depois deste comunicado.

      Se isso levar a que no futuro o Chelsea deixe de emprestar o jogador a outros clubes da LC, assim seja. Não o deviam ter contratado em primeiro lugar, se não têm espaço para ele no plantel.

      Eliminar
    2. Se jogar paga se não jogar é porque vai estar constipado.

      Ora essa, Mestre de Cerimónias, afinal quantos jogadores emprestados o Sporting tem por aí?

      Eliminar
    3. É uma questão de bom senso. Nenhum jogador profissional deixa de jogar por estar constipado. Se estiver disponível três dias depois é porque alguma coisa estranha se passou.

      O Sporting tem demasiados jogadores emprestados, apesar do caso do Courtois ser um pouco diferente -- custou €6M sem que o Chelsea tivesse intenções de o integrar no plantel. Está no emprestado ao Atlético Madrid desde 2011.

      Eliminar