quinta-feira, 8 de maio de 2014

Capas que não fizeram história, nº 32: O sonho do filho do faraó

Existe um episódio muito conhecido do Antigo Testamento em que o Faraó pede a José para lhe interpretar um sonho que o tinha perturbado. Nesse sonho, surgem sete vacas magras que devoram sete vacas gordas que pastavam à beira do Nilo. José disse ao Faraó que o sonho significava que viveriam sete anos de bonança, aos quais se seguiriam outros sete anos de fome. Foi daí que surgiram as expressões tempos de vacas gordas ou tempos de vacas magras.

Nos dias que correm já não existem faraós à face da terra, mas ainda há cantinhos no nosso planeta em que alguns líderes parecem apreciar algumas características do poder da civilização egípcia.

No outro lado da 2ª circular, existe um desses líderes. Luís Filipe Vieira é neste momento um líder incontestado, dado a obras faraónicas, apesar de a fonte do seu poder ter uma explicação de características mais terrenas. Enquanto os faraós egípcios eram considerados divindades pelo povo, a liderança vitalícia de Vieira advém das alterações estatutárias que foi promovendo ao longo do tempo em que esteve no poder. 

À semelhança do que se passava no antigo Egipto, em que a sucessão de poder estava pré-definida, também por aqui o faraó Luis Filipe I há muito que escolheu e anunciou quem será o seu sucessor.

Setembro de 2007

Mesmo considerando que esses planos não eram a curto prazo, certamente que a maior parte dos súbditos imaginaria que seriam necessários menos de sete anos para os concretizar. 

Quem sabe se para reavivar a memória dos súbditos, o filho do faraó veio ontem a público referir que ainda planeia ser o sucessor do líder atual.

in maisfutebol.pt

Faz bem Rui Costa em ter a noção que esse projeto não passa pelo imediato. Não sei o antigo jogador teve algum sonho premonitório, mas a verdade é que já se passaram sete anos de vacas magras desde que Vieira lhe fez essa promessa, e ainda não se vislumbra qualquer sinal de pasto abundante para as aspirações presidencialistas do maestro.

Sem querer estar a fazer o papel de José, parece-me que o sonho de Rui Costa será mais parecido com isto: 15 vacas bem anafadas (cada uma representando um ano da carreira do jogador) pastavam junto ao rio Tejo, e foram atraídas por 7 vacas magras com bigode com falsas promessas de planícies verdejantes de erva ainda mais tenrinha e fresca. As 7 vacas magras com bigode aproveitaram um momento de distração e devoraram carne das 15 outrora roliças mimosas. O problema é que o alcance do sonho não acaba em 2014. Entretanto apareceram mais 7 vacas com carapinha que se aproveitariam dos restos em decomposição, chupando-lhe os ossos, cartilagens e peles.

Em 2021 Vieira terá 71 anos, mas se continuar determinado em seguir as pegadas do seu mentor tenho a impressão que ainda aparecerão pelo menos mais 5 ou 6 vacas magras com um fio de ouro ao pescoço para acabar com o sonho de Rui Costa.

2 comentários :

  1. não te esqueças que o vieira mudou as condições de acesso para se ser candidato, logo acho queinda falta algum tempo para o rui costa poder ser candidato via estatutos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Riga, se as eleições fossem hoje Rui Costa ainda não poderia ser candidato. Precisa de ter 25 anos de sócio ininterruptos após chegar à maioridade, ou seja, no mínimo só quando tiver 43 anos (RC tem 42). Um abraço.

      Eliminar