terça-feira, 24 de junho de 2014

A luta de um jornalista desportivo contra uma horda de climatólogos

                                                                                                                                           
Luís Pedro Sousa, chefe de redação do Record, escreveu na semana passada a propósito das reações que se seguiram ao Alemanha - Portugal:
Portugal viveu uma semana de depressão. A goleada sofrida frente à Alemanha, no jogo de estreia do Mundial 2014, não só fez esquecer a euforia vivida nos dias anteriores, especialmente desde as vitórias nos dois mais recentes jogos de preparação e das notícias relacionadas com a plena recuperação de Cristiano Ronaldo, como permitiu que emergisse uma série de novas vocações entre os cidadãos nacionais. O país ficou a saber que tem milhares de especialistas em meteorologia, climatologia, fisiologia e até medicina, que ainda acumulam tais saberes com uma notável cultura futebolística, especialmente nas suas componentes tático-estratégicas.

Da parte que me toca, assumo que a carapuça me serve na perfeição. Sim, escrevi sobre a hipótese de o local de estágio ter sido mal escolhido. Sim, escrevi sobre o facto de a seleção poder não ter tido tempo suficiente de adaptação às diferentes condições climatéricas que iria encontrar na fase de grupos. Sim, coloco em causa a preparação física e o rigor dos pareceres médicos que deram a cobertura necessária para que Paulo Bento embarcasse com os jogadores da sua preferência. Sim, coloquei em causa os experimentalismos nos jogos de preparação que impediram que o mais-que-provável onze inicial ganhasse rotinas no sistema de jogo que todos saberíamos que seria utilizado quando chegassem os jogos a doer.

Sim, tenho tendência para ficar otimista para o futuro próximo quando conseguimos uma boa exibição, da mesma forma que fico mais cético para o que aí vem quando fazemos um jogo abaixo das expetativas.

Quais as minhas qualificações técnicas de metereologia, climatologia, fisiologia, medicina e cultura futebolística, em especial nas suas componentes tático-estratégicas? Zero. 

Considero-me, no entanto, um indivíduo relativamente atento ao que se vai passando, e há décadas que sigo em detalhe todas as incidências à volta destas grandes competições. E lamento dizer a Luís Pedro Sousa que sempre que chegamos a estas grandes competições internacionais levamos com os discursos dos responsáveis em como todos os pormenores estão a ser minuciosamente preparados para que nada falhe quando chegar a hora das decisões. E existem temas que são invariavelmente referidos quando chegamos a esta fase, como a importância da adaptação ao clima local e a existência de programas específicos para que cada jogador possa chegar à competição na melhor forma possível após uma longa e desgastante época. Coisas que normalmente damos por garantidas, mas que acabam por saltar à vista de todos quando não são feitas de forma competente.

Mais: se os pormenores extra-jogo não fossem importantes, bastaria levarmos uma comitiva com 23 jogadores, treinadores, uma equipa médica, algum staff de apoio direto, e seria suficiente. No entanto, a comitiva oficial que está no Brasil é composta por:
  • 23 jogadores (agora apenas 22)
  • 1 selecionador nacional
  • 3 treinadores adjuntos
  • 2 médicos
  • 1 enfermeiro
  • 1 fisioterapeuta-chefe
  • 2 fisioterapeutas
  • 1 fisioterapeuta do Real Madrid
  • 1 analista de equipas adversárias
  • 1 técnico de audiovisuais
  • 4 técnicos de equipamentos
  • 1 presidente da FPF
  • 1 vice-presidente da FPF
  • 1 diretor da FPF
  • 1 diretor geral da FPF
  • 1 diretor da divisão desportiva da FPF
  • 1 diretor de operações
  • 3 observadores (não sei o que observam)
  • 2 assessores de imprensa
  • 1 organização (é este o cargo oficial, não faço ideia do que significa)
  • 1 oficial de segurança da PSP
  • 1 oficial de segurança da GNR (é para não ferir suscetibilidades?)
  • 2 chefes de cozinha
  • 1 representante da Nike (?)
  • 1 representante da Cosmos (WTF?, o que faz este? Leva a bolsinha com todos os bilhetes de avião?)
  • 1 fotógrafo

in Media Guide FPF

Ao todos, viajaram para o Brasil 36 indivíduos para que nada falte aos 23 jogadores convocados. Das duas, uma: ou assumimos que as pessoas que fazem parte da comitiva têm efetivamente um papel a desempenhar, ou então estão simplesmente a passar férias pagas à conta da FPF. Prefiro acreditar na primeira hipótese, e creio que Luís Pedro Sousa concordará comigo (caso contrário já o teria escrito nas suas colunas de opinião).

Por isso gostaria que os senhores jornalistas (Luís Pedro Sousa não foi o único) saibam viver com as opiniões sobre todas aquelas coisas que nos venderam como sendo fundamentais para que a seleção tenha sucesso, que vêm dos vários setores da sociedade civil, de gente com visibilidade mediática ou simplesmente pessoas anónimas como eu. Para todos os efeitos, é a nós que a seleção portuguesa está a representar. Não é um assunto que interesse apenas a jornalistas desportivos, dirigentes, jogadores e treinadores. Diz respeito a um país inteiro.

O que é triste é que, sendo jornalista desportivo, tenha preferido ocupar linhas a ironizar sobre quem fala sobre o assunto em vez de se dar ao trabalho de escrever sobre assuntos importantes que têm sido ignorados pela generalidade da imprensa.

Já agora, dispenso que jornalistas desportivos, uma classe carregada de "profissionais" que envergonham diariamente o seu código deontológico, incapazes de chamar os bois pelos nomes quando os factos o justificam plenamente, os primeiros a alinhar no folclore do desígnio nacional a bem da construção de audiências e vendas de jornais, que mataram o jornalismo de investigação para passarem a ser ferramentas de propaganda ao serviço de terceiros, que diariamente preenchem páginas de opiniões que ou são insonsas ou carecem de um mínimo de isenção, e que fizeram da especulação um modo de vida com o objetivo de faturar mais uns cobres, venham agora, do alto da sua imensa sabedoria, criticar aqueles que ousam dar a sua opinião nos espaços que têm ao seu dispor. Não só é pretensioso como, acima de tudo, não têm qualquer estatuto moral para o fazer.

25 comentários :

  1. Boa tarde MdC a mim a carapuça também me serve na perfeição.

    Também critiquei o local do estágio antecipadamente bem como as adaptações ao clima e bem assim a quantidade gente que seguiu com a selecção sem qualquer função relevante.

    Critiquei ainda o optimismo e a acefalia de uma imprensa para a qual o mais importante foram os 300 quilos de bacalhau levados para o Brasil entre outros factores tão mundados.

    Mas fi-lo porque sou um iluminado? Porque percebo de clima, de esforço fisico, sou doutorado em medicina desportiva ou porque sou uma sumidade em organização de participações em eventos desportivos?

    Nada disso está mais longe da verdade, critiquei esta preparação para o mundial porque tenho memória e caramba esta preparação foi a papel quimico da preparação do desastre de 2002.

    Também entramos com o melhor jogador do mundo limitado fisicamente, fizemos um estágio em Macau cujo clima nada tem a ver com o da Coreia e Japão, também se levou uma comitiva de gente que não sabia o que fazia, as opções do selecionador também eram inquestionaveis, até me recordo que a qualificação foi feita com o Ricardo e no mundial foi dada a titularidade ao Baia como prémio, tantos parelelismos.

    No entanto mantenho o optimismo e acho que a Alemanha vai querer ganhar aos USA e vai querer marcar posição, até porque não acho que queiram correr o risco de passar em segundo ou de sair de uma fase de grupos um baixa com dois empates e uma vitória, além do brio alemão que existe e é bastante real.

    Honestamente acho que as hipoteses de Portugal são bem maiores do que alguns pensam.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, Green Lantern. Em 2002 o local de estágio foi também mal escolhido, e na altura foi usado como um dos fatores para explicar a má prestação da equipa. Para piorar ainda houve a questão das meninas da praia em Macau, que pelo menos desta vez parece que não se repetiu.

      Eu até acredito que a Alemanha vença os EUA, mas infelizmente não nos estou a ver a vencer o Gana...

      Um abraço.

      Eliminar
  2. Bem me parecia que com tanta lesão, faltava qualquer coisa na nossa selecção.

    FISIOLOGISTA
    São estudados pela fisiologia:
    Respiração
    Circulação
    Reprodução
    regulação hormonal
    Digestão
    metabolismo
    Coagulação sanguínea
    imunidade
    equilíbrio hidro-electolítico
    regulação da temperatura
    Pelos vistos não consideraram necessário.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em seu lugar levaram jornalistas....não sabem nada ...não tratam nada...mas fabricam papel higiénico !!!!
      A F

      Eliminar
    2. Estão a esquecer-se do Cabeleireiro

      Eliminar
    3. Foi isso, faltou-nos um fisiologista na comitiva! :)

      Eliminar
  3. Obrigado pela lista da comitiva. Eu não conhecia e é interessante. Por exemplo há um representante da Cosmos. Lembram-se da ligação Porto - Calheiros - Cosmos - Brasil? Boas práticas merecem recompensa. Reparei também que faltará alguém ligado à estética pessoal que trate dos cortes de cabelo, higiene de barbas, lubrificação de brincos e outras coisas do género. Coisas realmente importantes.
    Falar das questões climatéricas? isso não interessa nada. É incómodo. E estou de acordo com esse jornalista. Este pessoal não percebe nada disso. Não merecem a selecção que têm e tão bem nos tem representado no Brasil. Os treinos estão cheios de adeptos e de adeptas a mirarem as perninhas dos nossos representantes. Tem sido uma bonita propaganda do país. Se os treinos fossem em locais mais quentes e húmidos o suor estragaria o "look" dos nossos representantes. Portanto, os locais de treino foram muito bem escolhidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que Campinas foi escolhido por ter um clima parecido com Portugal. Não fosse a comitiva Portuguesa estranhar muito!!!! o problema é quando treinas num sitio, e depois vais jogar noutro totalmente diferente, Impressão minha ou os nossos jogadores ainda o jogo não começou e já escorrem por todo o lado !!!! Claro está que depois quando começam a puxar os músculos desidratados não se portam normalmente . E se a isso juntares lesões curadas à pressa ....é desastre certo. Falo por experiencia, porque faço ciclismo e sei bem como o meu corpo responde quando desidrata bastante....e nem é pela falta de agua, mas sim pelo que perdemos quando desidratamos....SAIS E MINERAIS...e o nosso organismo sem isso apresenta sempre umas falhas. Facilidade de lesões musculares...maior numero de caimbras.....maior dificuldade de recuperação...mais inflamação muscular durante e após o exercício...é isto tudo somado que tornam a desidratação perigosa para os atletas. Mas eles (os jornalistas) é que sabem. Para quem quiser tirar duvidas segue um link:
      http://www.apfisio.pt/gifd_revista/media/09jul_vol3_n2/pdfs/jul2009_3_hidrat.pdf

      Eliminar
    2. Caro anónimo das 15:17:
      Concordo consigo, mas o comentário anterior foi feito em registo ironico. É tão óbvio o disparate do jornalista que é preciso colocar um pouco de água fria sobre o tema quente.

      Eliminar
    3. Então não me lembro da Cosmos? Aí se nota o profissionalismo desta preparação: trabalhámos com a agência de viagens que mais sabe de viagens de agentes desportivos para o Brasil! :)

      Eliminar
  4. Mais uma Postada sobre adaptação climatática e ainda nenhuma sobre as previsões das tartarugas ou das capivaras? Há aqui um claro favorecimento a temas pouco importantes.
    Para compensar a falta desta vertente científica do jogo aqui fica a minha interpretação do tecer de teia de uma aranha que tenho lá em casa: segundo o modo como a dita aranha tecia a sua teia, cheguei à conclusão de que a Alemanha ganharia aos Estados Unidos e de que a Gana nos ganharia, ficando em segundo lugar. Neste jogo não haverá falta de Gana..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Gana com ganas gananos facil

      Eliminar
  5. Esse imbecil do Record mostra bem o que são os "jornalistas" desportivos: uma cambada de tarefeiros acéfalos. Em vez de pensarem e investigarem o que se passa, para tentar saber o que correu mal e assim INFORMAR o público, ocupam o tempo a ler redes sociais e blogues, respondendo-lhes a mando dos seus patrões. Estes pasquineiros são ainda mais patéticos do que os excursionistas que foram ao Brasil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, acho que os jornalistas finalmente acordaram. Há pouco a conferência de imprensa com Humberto Coelho já fez alguma faísca. Um abraço.

      Eliminar
  6. Este deve ser mais um jornalista a escrever uma crónica para pagar um favor a alguém, hoje em dia a maioria do que é escrito na imprensa desportiva, para mim vale 0. Já agora li ontem no Expresso diário um especialista a dizer que a selecção não levou um Nutricionista e um Fisiologista para o Brasil, o que seria de todo recomendável. E este é um "especialista".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RP, no planeamento da FPF não é nada que 300 kgs de bacalhau não resolvam... :) Um abraço.

      Eliminar
  7. Belo post, será que o azelha que originou o mesmo vai lê-lo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ler vai certamente ignorar o que foi escrito, porque eu não sou um especialista em especialistas. :)

      Eliminar
  8. CLAP! CLAP! CLAP! Aqui está um texto que eu se fôsse jornalista desportivo gostaria de assinar,pois além de concordar plenamente com o autor;que não é jornaleiro pago à peça previamente "encomendada",demonstra competência e é isento no que escreve.Traduz aquilo que todos nós amantes do desporto-rei sentimos perante a inépcia dos responsáveis(tantos,mas tantos)pagos a peso de ouro nesta demonstração plena da sua incompetência.E espantemo-nos todos: é Amador e descomprometido do "status quo" !!! Bem Haja Mestre por mais um excelente post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mestre das cerimónias parabens pelo texto!
      E digo mais 80% dos jornalistas desportivos são umas vacas que gostam de andar a pastar. Fazem os fretezinhos todos aos meninos e aos dirigentes da fpf em troca de migalhas. O locutor dos jogos de portugal, sempre que a bola vinha ter com o C.R7, parecia que estava a ter 1000 orgasmos de uma vez!

      Eliminar
    2. Obrigado, caro anónimo.

      Os comentários do Paulo Sérgio são tenebrosos... fica ainda mais penoso estarmos a ver os jogos da seleção. Um abraço.

      Eliminar
  9. Pelos vistos, as equipas técnicas da Itália, da Inglaterra e da Espanha também não percebem nada de meteorologia, climatologia, fisiologia e, claro, táctica. Para contentar os génios do FM e os Rui Santos deste mundo, sugiro que, em vez de despedirmos todos os nossos respectivos treinadores (o que é chato, dado incluir o campeão, o finalista vencido e um dos semi-finalistas do último Euro), com o inerente risco de ter de os indemnizar, TROCAMOS! A Itália fica com o Del Bosque, nós com o Prandelli (já estamos habituados a penteados esquisitos) e a Espanha com o Paulo Bento (ele já fala espanhol, na realidade). O Hodgson volta à Suiça, porque cheira-me que o Hitzfeld (o peco das duas Champions) também vai à vida. Graças a Deus tenho Sport TV e, com 3 (agora 4) jogos por dia para ver, não tenho tempo para paineleiricies (com I, que é para a FIFA abrirem um processo disciplinar)! SL! JPT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas será que não mudamos ?? Porque os erros dos outros podem justificar os nossos ? O nível dos melhores não pode ser alcançado ??? ou ultrapassado ?
      O insucesso de Inglaterra, Espanha; Itália significa que Portugal teria o caminho mais facilitado!!!! Para muitos o insucesso destas equipas permite o nosso fracasso. Não deveria ser esta a mentalidade dos portugueses...e tenho pena que assim seja. Aproveitar o erro alheio para justificar os próprios erros....fraquinho, muito fraquinho... como a nossa seleção, infelizmente.

      Eliminar
    2. Concordo, os erros dos outros nunca podem justificar os nossos.

      Eliminar