quarta-feira, 11 de junho de 2014

O paradoxo dos mundiais de futebol

John Oliver e a FIFA                                                                                                          
Apesar de os mundiais de futebol serem eventos que apaixonam centenas de milhões de pessoas em todo o mundo, todo o processo de escolha do país e a imposição de condições imorais aos felizes contemplados é algo que deixa doente qualquer pessoa conscienciosa. 

Quem esteja à vontade com o inglês não deve perder este vídeo do programa de John Oliver (quem costuma seguir o programa do Jon Stewart sabe quem é). Hilariante, como de costume, mas colocando bem o dedo na ferida. É um assunto de tal forma grotesco que é impossível compreender como é que esta malta da FIFA não está atrás das grades. Em vez disso, continuam a ditar leis nos países por onde passam e a partilhar camarotes presidenciais com os líderes políticos mais poderosos do mundo.


17 comentários :

  1. Por acaso vi ontem, muito bom especialmente a parte da religião ah ah ah

    E o filme que a Fifa bancou com o Tim Routh como Blatter é ridiculo um filme de desporto sobre os organizadores hilariante!!!

    E o mundial no Catar com 50º ah ah ah

    Não obstante todos estes escandâlos adoramos o futebol, isso é que é engraçado.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, essa do filme que eles financiaram é uma joia. Neste momento Vieira está a pensar "Como é que não me lembrei disso antes?", e indeciso entre escolher o Russell Crowe ou o Brad Pitt para fazerem o seu papel (de carapinha e bigode são capazes de ficarem parecidos).

      Eliminar
  2. eu pessoalmente fiquei chocado com as leis criminais implantadas pela Fifa e a criação de um tribunal próprio na Africa do Sul. Ou exigirem a um País que esqueçam as leis durante a sua estadia e venderem álcool para ganharem ainda mais com patrocinadores. Parece-me que algo no Brasil não vai correr bem. Não sabia dessa situação e como eu milhares para não dizer milhões de portugueses também não. Isto mostra bem, como é feito o jornalismo em Portugal. Para mim, o primeiro poder deste país.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jorgen, é chocante. Não só são beneficiados com isenções de impostos (que são um insulto a todas as pessoas e empresas que efetivamente fazem crescer o país), como ainda têm o descaramento de impôr leis de exceção. É uma vergonha. Um abraço.

      Eliminar
  3. Sempre honesto saudar a evolução , nesta descoberta que a FIFA é um sistema . Normalmente, por aqui apela-se a BC que vá á FIFA expor as suas ideias inovadoras e afins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo pessoas tapadas como eu podem eventualmente ver a luz. Qualquer dia retrato-me das centenas de posts de elogio à FIFA que tenho escrito nos últimos anos.

      Eliminar
  4. A estratégia da FIFA é correcta.

    Hoje em dia o futebol é o principal desporto mundial e a FIFA tem promovido estes TORNEIOS DE VERÃO por todo o Mundo.

    Usa1994, Coreia do Sul/Japão2002, África do Sul2010, Rússia2018, Qatar2022.

    Depois consegue encaixar o França1998, Alemanha2006 e Brasil2014 (países tradicionais).

    A FIFA tem conseguido espalhar estes TORNEIOS DE VERÃO, por todos as Confedrações e continentes (excepto Oceania que não é relevante).

    A FIFA tem conseguido arrecadar verbas gigantescas dos países organizadores (tanto a nível privado como mesmo a nível estatal) e tem sabido aproveitar os desejos de certos Governos de notoriedade com a promoção de grandes eventos desportivos.

    A criação de infra-estruturas se forem bem aproveitadas podem servir para o futuro e se não servirem quem paga são os habitantes locais via impostos.

    Tudo isto tem sido muito fácil para a FIFA que conta com dirigentes dos clubes que estão a dormir e que fornecem jogadores ao preço da chuva para serem utilizados pelas selecções.

    A FIFA, as confederações e as federações enriquecem facilmente, já os clubes lutam com dificuldades diárias para sobreviver.

    ----------------------------
    ----------------------------

    Este é mais um argumento que se enquadra na minha teoria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Superleão, do ponto de vista da conta bancária, sem dúvida que têm tido uma estratégia correta.

      A questão das infra-estruturas poderem ser úteis se forem bem aproveitadas é discutível -- o facto de terem que ser construídas a contra-relógio e à volta dos estádios de futebol é certamente mais prejudicial do que se tivessem planeado fazê-las gradualmente e nos locais onde fossem mais necessárias...

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Não é a FIFA que paga as infra-estruturas (estádios).

      Eliminar
    3. Precisamente, a parte dos custos fica sempre do lado do país organizador. E os recursos gastos não são feitos em função das necessidades do país, mas sim em função da organização da competição.

      Eliminar
  5. Nada que ja nao fosse verdade.
    A fifa é uma organizaçao muito poderosa,que com estas competiçoes mexe na logistica e organizaçao de qualquer pais que receba uma competiçao deste tipo.
    Se repararem nao é so a situação do qatar que é estupida,pelo menos para nos,ja que para eles é o engrossar de suas contas ja que vai movimentar muito dinheiro.
    Querem la eles saber se se vai jogar com 50 ou 60 graus,eles nem sequer la estao.
    O caso do brasil é so mais um,um pais que vive no limbo de uma guerra civil,que tem serviços basicos de saude e de ensino miseraveis,ordenados miseraveis e vai organizar um mundial,espelha bem o alto indice de desorganizaçao organizada que ajuda a fifa a encaixar milhoes e milhoes de euros com copas que nao tem cabimento.
    Eu adoro futebol mas acho este tipo de mundiais e europeus em paises com pouca organizaçao uma completa estupidez.
    Todos sabiamos que iria ser algo feito em cima do joelho,estando á vista de toda a gente o que nao esta pronto.
    Continuando a haver manifestaçoes,roubos,assassinatos e por ai fora.
    A policia essa nao tem capacidade para aqueles que estao do lado do bem(manisfestantes alguns) muito menos para aqueles que sao organizados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os políticos continuam a pensar nos boosts de popularidade que recebem quando ganham este tipo de eventos. As empresas de construção salivam perante a enorme quantidade de projetos que poderão desenvolver a troco de compensações bilionárias.

      Fiquei surpreendido ao ver os brasileiros manifestarem-se contra os desperdícios que o mundial gerou, e perante a canalização de recursos que seriam bem mais úteis em áreas muito mais prioritárias. Uma lição para o mundo - e também para nós, que aceitámos o Euro 2004 e a construção de 10 estádios com a maior das naturalidades.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Os brasileiros estao fartos,como qualquer populaçao em qualquer pais que é explorada sem dó nem piedade e que a cada dia que passa vem meia duzia de iluminados(como diz o nosso presidente) enchem os bolsos.
      Eles continuam a trabalhar,mas as desigualdades socias aliadas á pouca funcionalidade dos seu serviços gera aquilo que estás a ver,mais ou menos como portugal.

      Eliminar
  6. FIFA, UEFA, COI, vão todos beber à mesma fonte.

    Será que o povo não aprende e não é o 1º a aceitar?

    O grosso dos milhares de milhoes gastos em organizar essas competiçoes são bem distribuidos entre os organizadores. Cria-se trabalho temporario para justificar os investimentos dos estados, mas o reverso é a criação custos permanentes, muitas vezes insuportáveis (estadio aveiro, leiria e algarve, casos tão proximos).

    A treta da fifa levar os campeonatos para africa e brasil para "ajudar" ao desenvolvimento dos paises tem explicaçao muito simples: maiores lucros. Paises com dinheiro, com mais de metade da população analfabeta ou perto disso e altos niveis de corrupção a nivel governativo são alvos fáceis para uma sangria.

    Pela primeira vez vejo brasileiros a dizer que o melhor para o pais será serem rapidamente eliminados para a população em geral começar a ver realmente o que significa e quais serão as consequências desta competição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Nuno. Uma feira de ilusões que têm um efeito psicológico positivo, mas que acabada a festa deixa um peso insuportável sobre quem tem responsabilidade de manter as infra-estruturas montadas de propósito para o mundial. O estádio de Manaus é um escândalo.

      Cá foi parecido, mas à nossa escala. Lembro-me de inúmeras cidades a disputarem a organização. Viseu, por exemplo, reagiu pessimamente ao facto de ter sido excluida das cidades com estádios. Agora já sabem que foi o melhor que lhes aconteceu...

      Um abraço.

      Eliminar
  7. Ainda hei de ver o Mundial 2026 em Angola, mark my words

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, em 2026 devem voltar a um país europeu mais tradicional (o último mundial foi em 2006)... mas em 2030 é bem capaz. :)

      Eliminar