terça-feira, 17 de junho de 2014

Portugal - Alemanha: continua tudo em aberto

Não vi o Portugal - Alemanha em direto. Estive no estrangeiro durante alguns dias e o voo de regresso foi precisamente à hora do jogo. Tinha esperança ainda de ver a segunda parte no aeroporto, mas o voo atrasou-se mais de uma hora e estragou-me totalmente os planos.

A determinada altura do voo, a hospedeira informou os passageiros de que o resultado estava em 3-0 para a Alemanha. Olhei para o relógio e eram cerca de 18h45, pelo que presumi que o jogo estaria a acabar. Apercebi-me momentos depois que a hora do meu relógio ainda estava no fuso horário da Europa central, e nesses senti a sandes de peixe fumado que tinha ingerido alguns momentos antes a subir-me pelo tubo digestivo. 

Num assomo masoquista, estive agora a ver a partida. É possível que o facto de ter visto o jogo sem a pressão do momento me dê uma visão ligeiramente diferente de quem sofreu em direto, mas de qualquer forma aqui fica a minha opinião.


O jogo

Foi mau, mas não podemos confundir o jogo antes da expulsão de Pepe com o que se passou depois. Até à expulsão de Pepe, Portugal não jogou assim tão mal. Apesar de a Alemanha ter sido melhor em todos os aspetos, Portugal conseguiu chegar à baliza adversária com algum perigo, dispondo também de algumas ocasiões para marcar. Houvesse maior frieza no momento da finalização e talvez a história do jogo tivesse sido bem diferente.

Concordo com Paulo Bento que o penálti é forçado - João Pereira usa o corpo mas não me parece falta - mas a expulsão de Pepe é correta. Se um jogador desvia a sua rota para ir dar um encosto de cabeça a um adversário que está no chão, não cabe ao árbitro sacar do intensómetro para decidir a cor do cartão.

Com 2-0 e um jogador a menos em campo, o jogo ficou decidido. Com demasiado tempo para jogar, o resultado foi depois avolumando-se à conta de erros individuais dos nossos jogadores.

Como se tudo isto não fosse suficiente mau, ainda tivemos os azares das lesões de Hugo Almeida e Fábio Coentrão. Há dias em que realmente mais vale não sair de casa.


O karma da aposta na polivalência

A lesão de Coentrão vai expôr a sabedoria de uma das decisões mais polémicas de Paulo Bento: levar apenas dois laterais de raíz. Coentrão parece fora de hipótese para os dois próximos jogos, pelo que sobram duas alternativas: André Almeida e Miguel Veloso. Portugal precisa de vencer os EUA e o Gana, e não ter nos laterais uma arma ofensiva é, evidentemente, preocupante. Para piorar as coisas, se João Pereira vir um amarelo no próximo jogo ficará de fora na última jornada da fase de grupos.

Com tanta polivalência e com tantos centrais no banco, não se percebe porque Paulo Bento apostou em Raúl Meireles para fazer o lugar de Pepe até ao intervalo. É certo que não foi por isso que sofremos o terceiro golo, mas fica a estranheza. Também não percebi a saída de Miguel Veloso, que me pareceu o melhor dos médios na primeira parte.


As hipóteses de apuramento

Perdemos com a melhor equipa do grupo, uma das maiores candidatas, que felizmente costuma encarar todos os jogos (mesmo os que são a feijões) com a maior seriedade possível. Se a Alemanha vencer os dois jogos que lhe faltam, e se Portugal fizer o mesmo, conseguiremos o apuramento para a fase seguinte.

A grande questão é saber como vão os jogadores reagir psicologicamente à goleada. Tratando-se de um grupo com grande experiência neste tipo de competições, há motivos para acreditarmos na capacidade dos jogadores entrarem em campo totalmente focados e vencerem quer os EUA quer o Gana. Haja vontade, espírito de sacrifício e um pouco de sorte, e a nossa história não se ficará pela primeira fase.

24 comentários :

  1. Um dos grandes problemas é mesmo o de falta de seriedade em todos os jogos e tempo de preparação.

    A sensação que tenho há já algum tempo é que os dirigentes da FPF confundem os estágios que antecedem estas competições com folclore! Os jogadores perdem mais tempo em festinhas, recepções e campanhas de publicidade do que a treinar, físico e cabeça (não é uma alusão ao Pepe).

    Só assim se percebe que depois, aquilo que realmente devia ser prioritário, passe a secundário e se ande pelos EUA a confraternizar com as comunidades ou a passear por NY, em vez de ir mais cedo para o Brasil, para um local mais perto de onde se vai jogar, para que a habituação ao clima seja feita como deve de ser.

    Depois, a culpa é sempre dos árbitros!

    O árbitro tem culpa do Pepe ser parvo e ter lugar cativo; tem culpa de 2 centrais altos não serem o suficiente para impedir um avançado alemão de cabecear; tem culpa da lesão do Coentrão e do Hugo Almeida; tem culpa de agora levarmos com o Eder e o André Almeida (esse experiente jogador) nos próximos 2 jogos; tem culpa do Neto não ser afilhado de ninguém importante; tem culpa da falta de capacidade física e frescura da selecção; ...

    Tem culpa do dia não do Rui Patricio.
    Sim, esse que todos os comentadores referem como tendo sido o primeiro a demonstrar a falta de concentração da equipa, naquele passe disparatado para os pés do alemão que, felizmente para nós, estava sem pontaria.
    Sobre este lance é engraçado como ainda não ouvi nenhum desses iluminados falar da acção do Pepe no lance, uma vez que foi ele que atrasou a bola para o guarda-redes.
    O Rui estava junto ao poste direito da baliza - poste do lado em que Pepe estava com a bola - e este central de lugar cativo, fez o passe para lá do poste contrário. O erro do Rui foi não ter deixado a bola sair para canto ou chutar a mesma para onde estava virado. Vejam as imagens do jogo e digam lá que merda de passe do Pepe é aquele?! Mas não, o Rui Patrício é que esteve mal e por isso deve ser substituído pelo Beto ou até pelo Eduardo.

    Como eu gostaria agora de ter hipótese de apresentar contra os EUA um onze com:

    Rui Patrício (ou Beto pois penso que não é pela baliza que perdemos os jogos);

    João Pereira (tem amarelo e pode apanhar outro que o tire do Gana mas a alternativa André Almeida justifica esse risco - já que o Cédric não é polivalente e portanto, nunca poderia ser seleccionado), Neto, Bruno Alves, Miguel Veloso (lá está, a alternativa André Almeida justifica a ida do Velosos para lateral - já que o Antunes tb não é polivalente e portanto...);

    William Carvalho (que Paulo Bento deve ter achado ser um pouco franzino para um meio campo alemão, constituído por jogadores possantes);

    Meireles e Moutinho (ou Amorim - já que Adrien não é polivalente e devia estar em baixo de forma depois de uma época em que jogou quase todos os jogos);

    Nani, Ronaldo (ponta de lança) e Varela.

    O problema será depois o que fica no banco! Que jeito dava ter um Adrien, Cedric, Antunes, Danny, Bebé, Nelson Oliveira ou o tal do conflituoso do cigano. Deviam ter medo que tirasse protagonismo ao Pepe.

    Por tudo isto, sinceramente, tenho algumas dúvidas se vamos conseguir passar a fase de grupos. Ou começam a encarar os jogos com seriedade e rigor ou então mais vale voltar à base e poupar alguns euros a toda a gente, porque beber umas imperiais e petiscar para depois o resultado ser este, não é tão barato como isso. E o resultado não quer dizer vitória! Quer dizer empenho, dignidade, profissionalismo, querer, lutar, dar o litro pelas cores (pelo menos uma delas) da nossa bandeira.

    Quem achar que pedir isso é demais, estará certamente no sitio errado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mordoga, estou totalmente de acordo em relação ao folclore que anda à volta da seleção num tempo que deveria ser de total concentração. A FPF tem patrocinadores e patronos, todos querem o seu tempinho para o bate-boca, autógrafos e selfies com os jogadores, e a questão da preparação parece um assunto um pouco secundário. Infelizmente já é algo que vem de trás. Como as fases finais até têm corrido bem, volta-se a insistir no erro...

      Esperemos que Paulo Bento faça as alterações que tem que fazer - sendo William a mais urgente de todas.

      Prefiro não falar dos ausentes... se formos por aí, nunca mais paramos... :)

      Um abraço.

      Eliminar
  2. Afinal o Rui Patrício não é assim tão bom caro Mestre de Cerimónias, confesso que não gostei de ler a forma como falou do Eduardo num texto anterior. Se calhar ele foi tão procurado no Google precisamente por não termos um guarda-redes que transmita confiança nem do mesmo nível que o resto da equipa, na sua generalidade. Não estou a dizer que o Eduardo seja esse guarda-redes, apenas a dizer que o Rui Patrício está longe, ou devia estar longe, de ser um intocável. Ah, e sou do Sporting caso isso seja relevante.

    Tudo em aberto para passar o grupo? Mas voltamos a esses tempos? No Euro 2012 perdemos com a Alemanha e no geral ficou tudo com uma boa vibe depois do jogo, sentimos que tínhamos equipa capaz para competir com toda a gente. Onde vimos que actualmente não temos equipa para competir com selecções como a Alemã ora isso, na minha opinião, tira por completo o objectivo do Mundial. Sair do grupo para perder logo a seguir? Sair do grupo para perder mal encontremos uma equipa de nome maior que o nosso? Porque neste momento é isso que se passa, Portugal é sinónimo de derrota garantida sempre que apanhar uma Argentina, Espanha, Alemanha, Brasil, Itália, França... Mas não é sinónimo de vitória garantida contra uns Eua ou Gana.

    Claro que isto já é um problema estrutural da FPF que tem uma mentalidade de falhados e que não pensa o futebol de formação, e equipa A, com um propósito. Agora seria engraçado comparar a preparação Alemã com a nossa mas mais engraçado ainda é dar folga aos jogadores depois daquilo que se viu ontem. Ninguém assume responsabilidades, é como quem diz "Pronto, já passou agora vão lá ter com as vossas Irinas e vejam lá se voltam mais contentes". Ninguém aponta dedos, não há profissionalismo nenhum...

    Outra coisa que me incomodou foi o facto do capitão, e melhor jogador do mundo, se ter escondido, a mando de outros certamente, atrás do Postiga, Almeida e Ricardo Costa. Ainda para mais se tivermos em conta as palavras dele na conferência de imprensa antes do jogo onde "Este vai ser o ano de Portugal" e "Amanhã (ontem) as coisas vão mudar" foram alguns dos chavões. É muito bonito falar antes mas dar a cara depois é tão ou mais bonito ainda.

    Cheira a Coreia (até nas arbitragens) e acima de tudo cheira a futuro negro para o futebol Português.

    Ah e por favor, Adrien, Cédric, Danny, Quaresma, Nélson Oliveira... Isso é tudo lixo que nem aquece nem arrefece para este nível. Antunes seria um bom suplente e o Bebé podia trazer coisas boas, e novas, à selecção mas o resto é lixo autêntico, o caminho não é esse!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bem te podes auto denominar Leão....mas nem pra gato serves. Cheiras à merda nortenha...sem engano possível. Como não mandas nenhum jogador ao Brasil , entreténs te a desdenhar dos que lá estão....fraco...porco e de má língua !!!!
      Sobre o titulo ...." tudo em aberto" ! sim continua, especialmente a porta da rua.
      Se não alterarmos este sistema de lugares cativos de alguns jogadores, tenham tido boas ou mas épocas...estejam em forma ou a recuperar de lesões....mas sempre presentes por opção do treinador ...assim não. Se olharmos para os planteis que ontem se encontraram e compararem como s do ultimo embate entre Alemanha e Portugal, vemos que o Paulo Bento continua numa de fé inabalável nos mesmos de sempre. E a lata competição não se compadece de estados de espirito, birras e truculências. Exemplo. Porque na presença de um meio campo reforçadíssimo alemão ( a meu ver cagados de medo dos tugas) o Mister não tratou de reforçar o nosso miolo com a saída do H Almeida ??? vergonha de jogar sem ponta de lança...como os alemães ??? ou falta de visão tatica e coragem para arriscar um pouco (já estávamos a levar duas no bucho)? Ficou visível alguma fraqueza estratégica na preparação do jogo...e uma lição do Joachim Low (em que nem ele próprio acreditava)
      A F

      Eliminar
    2. Caro anónimo, em relação ao post sobre Eduardo, foi num tom de piada que nada tinha a ver com o jogador em si. Leia os outros comentários que fiz aos restantes quadros e chegará a essa conclusão.

      O que é discutível é que Rui Patrício tenha chegado ao jogo contra a Alemanha apenas com uma partida disputada no espaço de um mês.

      Quanto ao Euro 2012 discordo do que escreveu. Quando perdemos com a Alemanha seguiriam-se jogos contra a Dinamarca e Holanda. Ninguém estava totalmente otimista em relação à nossa passagem para a fase seguinte.

      O facto de podermos ser eliminados nos oitavos de final pela Bélgica ou Rússia, é irrelevante. Seguindo esse raciocínio só valia a pena participarmos quando tivessemos jogadores para sermos campeões do mundo. Caso contrário, haveriam sempre equipas com maior estatuto e melhores equipas do que nós.

      Se chegarmos aos oitavos logo se vê quem nos aparece à frente, e até pode ser que tenhamos uma boa surpresa com a prestação da equipa - se lá chegar significa que vem de duas vitórias consecutivas. Mau será se ficarmos eliminados na fase de grupos.

      Quanto ao problema da FPF, concordo. Muito folclore, pouco profissionalismo, muitas cedências a interesses comerciais, pouco foco naquilo que é realmente importante.

      Um abraço.

      Eliminar
    3. A F, infelizmente Paulo Bento costuma ignorar a equipa adversária ao preparar a sua própria equipa. Aposta nas rotinas adquiridas e não tem qualquer maleabilidade para tentar inverter jogos que estejam a correr mal... Hugo Almeida de princípio já é estranho. Enquanto jogou nem um cruzamento se fez para aproveitar o jogo de cabeça dele...

      Quanto ao "tudo em aberto", acredito nisso. A Alemanha é das equipas mais fortes que nos pode calhar. Os adversários que se seguem estão ao nosso alcance. Se ganharmos os dois jogos seguiremos em frente.

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Boa tarde

    Se Portugal tivesse ganho não ficava eufórico e como perdeu (na liguagem Tauromáquica, foi fortemente colhido) também não fico deprimido.
    No entanto e como as circuntâncias do jogo foram muitas venho aqui colocar algumas notas, a saber;
    - Como é possível que o Patricio que já não jogava à seis semanas não tenha feito os jogos de preparação;
    - Como é possível que aquando da expulsão, e ainda faltando mais de 10 minutos que a entrada de um central não fosse imediata;
    - Por outro lado e o problema já vem da fase de apuramento, o meio campo de Portugal não funciona, não segura a bola, não pressiona enfim não tem dinâmica (e penso que não é só dos jogadores que lá estão, mas sim da dinâmica do sistema implantado);
    E já agora, uma questão ainda da convocatória:
    Não vou discutir (e para nós Sportinguistas deveriam ser) a não convocação do Cedric ou do Adrien ou do Danny, enfim são opções que temos de respeitar, mas a não convocação do Antunes ( e a comunicação social calou ) que para além do seu valor esteve nos momentos decisivos quando o Coentrão não jogou, tendo sido dos melhores da Selecção, foi a MAIOR INJUSTIÇA, para não dizer outra coisa.
    Agora que o Coentrão está fora, deixa de ser injustiça, para ser uma falha grave
    Cumprimentos
    BD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BD, concordo com quase tudo. Patrício devia ter sido mais utilizado na fase de preparação, colocar Meireles a central durante 10 minutos foi uma loucura, e a ausência de Antunes (e de outro defesa direito de raíz) não faz sentido. Amorim, felizmente, deu boas indicações contra a Irlanda a defesa direito, pelo que por aí deveremos não ter problemas em caso de indisponibilidade de João Pereira. Foi uma enorme injustiça Antunes não ter sido convocado depois dos bons jogos que fez durante a qualificação.

      Em relação ao meio-campo, discuto apenas o facto de Veloso / Meireles / Moutinho não terem jogado um único minuto em simultâneo durante a fase de preparação. Se há lacunas (o jogo com a Alemanha não me parece o melhor exemplo pois tem uma equipa poderosíssima) poderiam ter sido detetadas mais cedo.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. É evidente que há erros crassos na selecção.

    Para mim o maior é a condição fisica e psicológia:

    a) Porquê um estágio nos EUA, em Boston onde o clima nada tem a ver com o brasileiro;

    b) Se há gente que não aguenta o esforço e tem rupturas como o H. Almeida, Coentrão e até o Pepe não podem jogar;

    c) Os níveis fisicos de Meirelles e Moutinho estão pessimos pois pouco jogaram, pela enesima vez Adrien, não tinha lugar com William. Só o facto de jogarem juntos no mesmo clube não é uma mais valia? Na Alemanha parece que sim;

    d) Antunes e Cedric não acrescentam muito mais às laterais que A. Almeida e Ricardo Costa. Com a falta de um dos laterais é que vamos ver;

    e) A falta de jokers ou de alguém que agite o jogo se necessário, não será o Vieirinha nem o Rafa, talvez Quaresma e Danny pudessem mexer com o jogo se necessário.

    São estas as minhas criticas no entanto tendo em conta os que lá estão, acho que Portugal vai ter de dar o litro nos próximos jogos e se passar apostar no contra ataque, nada mais há a fazer as escolhas são fracas mas como tenho memória também sei que Paulo Bento é mais forte na adversidade. Não sabe evoluir uma equipa isso é certo mas sabe como jogar quando tudo está quase perdido. Acredito que vai fazer das tripas coração pela enésima vez.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu comentário, num outro blog, a um post de um tripeiro e posteriores comentários de anti sportinguistas:

      “A lagartagem em todo o seu esplendor”,
      à Pátria a sua grandeza quer passar,
      mas esta, cheia de fedor,
      aquela dádiva se farta de recusar.

      A maça podre nem à África do Sul foi
      pois vestia ainda de verde e branco,
      fez um treino pelos tripeiros,
      deve ser do cheiro, logo titular foi.

      E que dizer dos almeidas e cavaleiros?
      jogam na B dos lã-piões?
      pois nesta Pátria tal é bastante
      para serem os novos sebastiões.

      Eliminar
    2. Comentário noutro blog a um post de um tripeiro:

      “A lagartagem em todo o seu esplendor”,
      à Pátria a sua grandeza quer passar,
      mas esta, cheia de fedor,
      aquela dádiva se farta de recusar.

      A maça podre nem à África do Sul foi
      pois vestia ainda de verde e branco,
      fez um treino pelos tripeiros,
      deve ser do cheiro, logo titular foi.

      E que dizer dos almeidas e cavaleiros?
      jogam na B dos lã-piões?
      pois nesta Pátria tal é bastante
      para serem os novos sebastiões.

      Eliminar
    3. Green Lantern, só não concordo com a questão b). Se os jogadores estão dados como aptos pela equipa médica, Paulo Bento deve utilizá-los se achar que são as melhores opções para cada jogo. Mas há a questão da qualidade da preparação por detrás de todas estas lesões, isso sem dúvida.

      Em relação às outras questões estou de acordo. Penso que Amorim será a 2ª opção para defesa direito (à frente de Ricardo Costa) depois do bom jogo que fez contra a Irlanda. Infelizmente acho que vamos sentir a falta de Antunes...

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Migas, havia de ser bonito uma seleção sem jogadores formados no Sporting... Um abraço.

      Eliminar
  5. O resultado e a exibição não foi surpresa para mim. O futebol que jogamos é ridículo. E não é apenas de agora. A nossa "táctica" é fé no Ronaldo. E infleizmente prevejo outra derrota com EUA. O jogo vai ser em Manaus e o nosso meio campo vai "jogar" parado.

    Meter Veloso e deixar William no banco é parvo. Insistir em João Pereira não tem explicação. Meireles já acabou para o futebol há uns anos atrás. E colocar um pino na frente também não ajuda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gandaia, eu continuo a ter esperança, porque não vão ser Alemanhas que nos esperam no próximo jogo. Mas, como é evidente, há coisas a alterar.

      Houve demasiada gente a render pouco, mas cá para mim Paulo Bento só vai fazer as alterações a que for forçado (saem Patrício, Pepe, Hugo Almeida e Coentrão).

      Sem pensar muito, se fosse eu colocava: Eduardo; J. Pereira, Neto, Bruno Alves, Miguel Veloso; William, Amorim, Moutinho, Nani, Ronaldo e Eder.

      Veloso a DE por causa das bolas paradas. William a trinco, Amorim no lugar de Meireles. Deve jogar o Eder, se Postiga estivesse minimamente em forma teria já jogador contra a Alemanha...

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Para mim tambem seria esse 11 á entrar em campo!

      Talvez trocasse o Bruno Alves pelo Ricardo Costa.

      Eliminar
    3. Cush, já agora, também tenho dúvidas entre Eduardo e Beto. Se o Beto já estiver totalmente recuperado talvez mereça a titularidade devido à época que fez. O problema é que já não joga há um mês... Um abraço.

      Eliminar
  6. Depois de ler os comentários, pergunto-me se só há idiotas a ler este blog, o que me deixa a temer pela minha virtual pessoa.

    ResponderEliminar
  7. Post exemplar. Talvez devido ao facto de o autor ter visto o jogo em diferido. Como jogo não teve muita história, foram cometidos erros individuais gravíssimos, muito cedo, que destruíram o que parecia que ia ser uma exibição colectiva positiva. Obviamente, a responsabilidade pelo estado emocional da equipa é de quem manda, mas comentários acerca da condição física ou do modelo de jogo não têm sustentação no que sucedeu na meia hora que houve de jogo. PS: registo os brilhantes comentários que dizem que a selecção não tem físco, não tem organização, e está pejada de coxos, mas "acredito que vão ganhar": assim, qualquer que seja o resultado, o comentador sempre razão! JPT SL!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JPT, foram de facto sobretudo erros individuais a determinarem a história do jogo.

      Não estou a ver Paulo Bento a fazer mais alterações do que aquelas a que estará obrigado. E não há motivos para isso, por duas razões: a 1ª é que tirando William (e eventualmente Amorim) não há alternativas que possam dar um rendimento superior imediato. Se PB não colocou William a 6, duvido que o faça agora (a não ser que coloque Veloso a DE). A 2ª razão é que os adversários que se seguem estão muito abaixo da Alemanha em termos de valia, e os primeiros minutos que fizemos contra a Alemanha enquanto o jogo esteve em aberto foram de alguma qualidade.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Se pensa que o problema foram erros individuais e que houve uma exibição colectiva positiva, aconselho a leitura deste post no lateral-esquerdo:
      http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2014/06/criatividade-posicional.html

      Chamar ao jogo português positivo não tem qualquer fundamento. Pode ser que chegue para selecções mais fracas, mas mesmo contra EUA (e principalmente jogo rápido e físico de Gana) vamos ter mtas dificuldades com este treinador...

      Eliminar
    3. FC, não concordo. Até ao 1º golo a exibição estava a ser positiva. A equipa não jogava com linhas mais próximas, porque tentava pressionar em todo o campo, e a verdade é que conseguiu provocar erros do adversário que podiam ter terminado em golos nossos.

      Depois do 1º golo a história foi evidentemente outra.

      Um abraço.

      Eliminar
  8. eduardo-amorim,neto,alves,veloso-william,moutinho,nani,varela-ronaldo,eder

    ResponderEliminar