quinta-feira, 3 de julho de 2014

Gauld Rush

Sobre a contratação de Ryan Gauld                                                                                                     
O que significa para o Sporting a contratação de Ryan Gauld?

O Sporting terá provavelmente que vender 2 jogadores

Em primeiro lugar, os €2,5M + €0,5M por objetivos acordados com o Dundee fazem com que se trate da contratação mais cara da presidência de Bruno de Carvalho. Por um lado, significa que existe uma grande crença no potencial do jovem jogador e que deverá fazer parte do plantel principal já no imediato - um clube com as dificuldades do Sporting não pode gastar €3M num jogador para a equipa B. Por outro, juntando-se às contratações de Tanaka, Geraldes, Slavchev, Oliveira e Rosell, faz com que o clube já tenha à volta de €8,5M em novos jogadores para o plantel principal, o que significa que o Sporting terá obrigatoriamente que vender jogadores.

Não acredito que William, que é o jogador que previsivelmente renderá mais dinheiro em caso de venda, saia do Sporting já neste verão. O jogador com mais probabilidades de ser vendido é Rojo, não só pelo grande mundial que está a fazer, mas também pelo facto de ser um fundo o principal detentor dos seus direitos económicos. Se o Sporting vendesse Rojo por €20M (o valor mais alto que se vai falando nas especulações dos media, e que seria excelente), caber-nos-ia uma fatia de €5M, que não é suficiente para cobrir o que já gastámos em contratações. O Sporting terá provavelmente que vender ainda outro jogador.


Confirmação na aposta em mercados de menor visibilidade

Parece evidente que o Sporting descobriu nos mercados com menor visibilidade a forma de se reforçar sem ter que competir com outros clubes. Este ano fomos reforçar-nos ao Japão (Tanaka), EUA (Rosell), Bulgária (Slavchev) e Escócia (Gauld). No mercado de inverno fomos ao Egipto contratar Shikabala. No verão passado recrutámos Slimani num desconhecido clube argelino, Montero nos EUA e Maurício na 2ª divisão brasileira.

Parece-me uma atitude muito inteligente: é cada vez mais comum vermos jogadores das mais diversas nacionalidades nos campeonatos mais mediáticos, o que é sinal de que o talento está cada vez mais espalhado pelo mundo. Aliás, este mundial tem vindo a provar precisamente isso. Preconceitos de que os bons jogadores só podem vir da América do Sul ou da Sérvia já não fazem sentido - basta lembrar que o Porto descobriu Hulk na 2ª divisão japonesa.


Expetativas altas: o mini Messi

Não gosto deste tipo de alcunhas, porque põem automaticamente um peso enorme nos ombros do jogador e elevam as expetativas dos adeptos para níveis pouco aconselháveis. Não nos podemos esquecer que Gauld tem 18 anos e terá a sua primeira experiência num país que não o seu, em que o nível de competição é bastante mais exigente daquilo a que está habituado.

É verdade que se torna difícil não ficarmos entusiasmados com os vídeos do jogador que se encontram na internet, mas devemos estar preparados para a possibilidade de o Sporting optar por integrar o jogador de forma gradual nos convocados e depois no onze.

Consiga o Sporting ajudar o jogador a concretizar o enorme potencial que aparentemente tem e ficaremos certamente todos imensamente satisfeitos, mesmo não se tratando de um Messi. Messi só há um e pertence ao Barcelona.


Conflito com a aposta na formação?

Não há nenhuma incompatibilidade na contratação de jovens provenientes de outras origens que não Alcochete, com o princípio fundamental de aproveitamento da nossa formação. O talento nunca é demais, e surgindo boas oportunidades o Sporting deve procurar aproveitá-las.

No entanto, creio que o Sporting deverá sempre reservar espaço para integrar pelo menos 2 novos jogadores da formação no plantel principal. Por uma questão de cultura, para dar sinal aos jovens dos vários níveis da formação que o clube continuará a dar oportunidades aos melhores, e porque os nossos jogadores mais promissores nunca poderão atingir o seu potencial completo se não tiverem oportunidades para serem testados ao mais alto nível.

Segundo o que foi noticiado, Marco Silva incluirá na pré-época vários jogadores da formação: João Mário, Iuri, Chaby, Esgaio, Tobias e Semedo. João Mário já provou que está preparado, mas seria bom que pelo menos mais um destes jogadores ficasse no plantel principal. Os outros deverão ser colocados a rodar em clubes da primeira divisão (portuguesa ou estrangeiras) com quem tenhamos boas relações para crescerem e poderem ser opções válidas para 2015/16.

30 comentários :

  1. Completamente de acordo com o post Mestre.

    Fiquei bastante entusiasmado para ver jogar o "Gold" e estou também curioso para ver o Tanaka.

    Nesta fase gostava que fossem vendidos alguns jogadores para equilibrar as contas e começarmos a reduzir o plantel. Falo sobretudo de Capel, Rojo, Rinaudo e Viola. Vitor creio que sairá sem grande compensação financeira.

    Teremos sempre a dúvida da manutenção de William e Slimani, muito valorizado neste mundial.

    Em relação à nossa cantera gostava muito que ficassem no plantel principal o João Mário o Esgaio e o Iuri Medeiros. E se não fosse pedir muito...era também a renovação do Dier.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM, se conseguíssemos vender esses 4 jogadores seria ótimo. A saída do Rojo é, infelizmente, quase inevitável. Capel, Rinaudo e Viola não são elementos fundamentais e suponho que os três tenham salários mais elevados que a média do plantel (apesar de gostar muito da atitude de Capel e Rinaudo).

      Um abraço.

      Eliminar
  2. Aposta na formação? Claro!3 de julho de 2014 às 09:56

    Assim em contas por alto, o Sporting fez 23 contratações desde que o Bruno de Carvalho chegou à presidência do clube.

    Como??! 23???!?!?!? Sim, 23. Um número superior ao prometido de jogadores no plantel principal. E ainda estamos a dia 03 de Julho.

    Portanto, desde que o Bruno de Carvalho chegou à presidência, ancorado na sua promessa de contratações cirúrgicas, de aposta na formação (que aliás até se reitera nos relatórios e contas da SAD) e de milhões a jorrar no curto prazo, o Sporting já contratou mais do que um plantel.

    Claro que há quem entenda que não há qualquer conflito com a "aposta na formação", nem com as "contratações cirúrgicas". Basta mudar-lhes o significado, reconverter em "integrar 2 ou 3 jogadores só para dar o exemplo", mudar o cirúrgico para "mercados secundários e jogadores baratos" e continua tudo alegremente a aplaudir o cumprimento das promessas eleitorais do Bruno de Carvalho e a achar que este é que é o caminho. Vejam lá que até dá para constatar que o Godinho também apostava na formação quando contratou 6 jogadores e integrou os (então miseráveis, mas hoje excelentes) Adrien e Cédric.

    Por outro lado, também há pessoas que entretanto descobriram que a formação do Sporting afinal é uma merda.

    Sinceramente prefiro achar que o Bruno de Carvalho se enquadra neste 2º lote, a acreditar que, à imagem dos primeiros, os conceitos vão mudando ao sabor do vento... sempre mostrava algum sentido crítico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apostar na formação não implica jogar apenas com jogadores da formação. Quem sabe se isso um dia não poderá acontecer? Nesta altura é impossível.

      A realidade mostra-nos que tendo em conta a forma como Godinho (o supra-sumo da competência que só contratou 6 jogadores -e todos muito baratinhos para o clube.) deixou as contas é preciso apostar em jogadores baratos que se possam valorizar e sair por muitos milhões.

      O que eu não achava possível era encontrar alguém que conseguisse criticar o Bruno de Carvalho usando como termo de comparação o Godinho Lopes. Agora sim, já vi de tudo!

      Eliminar
    2. Integrar 2 ou 3 elementos da formação por ano não é bom? O anormal é termos que apostar em 5 ou 6 ao mesmo tempo pelo facto de a política de contratações ter falhado redondamente.

      Há um ano torceria o nariz à aposta nestes mercados, mas a verdade é que o índice de aproveitamento tem sido muito bom. Quem contrata barato jogadores desconhecidos que têm um ótimo rendimento merece indiscutivelmente o benefício da dúvida. Errou em alguns, sim, mas felizmente são erros com poucas consequências para o clube.

      Bojinov, Pranjic, Boulahrouz, Gelson, Elias, Jeffren, Labyad, por exemplo são 4 nomes que nunca renderam mas que em salários consumiriam 40% do orçamento total da época que passou. É comparável com erros como Welder e Gerson Magrão, casos em que o clube soube precaver-se? (um emprestado, outro com um contrato a um ano com opção do clube)

      Podemos de facto discutir se se tratam de contratações cirúrgicas: isso para mim significaria a contratação de 2 ou 3 elementos de valor indiscutível, o que não tem sido obviamente a política seguida. Mas a verdade é que o plantel tem que ser reforçado em qualidade e quantidade, pois não sabemos quem vai sair e teremos uma carga competitiva muito superior na época que agora está a começar.

      Adrien e Cédric foram integrados por Godinho Lopes nos seus dois anos de mandato? Suponho que tenhamos que estar-lhe eternamente agradecidos por isso.

      Eliminar
    3. Realmente, a gestão do BdC tem sido uma vergonha.

      Godinho, volta que deixaste saudades.

      Eliminar
    4. Adrien pode ser considerada aposta na formação? Parece-me que foi mais por obrigação que outra coisa. Se fosse pelo godinho, ainda agr andava a ser emprestado, com pranjic e maniches a tirar-lhe o lugar...

      Esta época, Sporting acabou com 7 (!) jogadores da formação a lutar pela titularidade: Patrício, Cedric, Dier, William, AM, Adrien, Mané. O Dier não jogou tanto como poderia e Wilson não está na lista porque perdeu gás, portanto contam como 1.
      Isto seria o normal em médio prazo, não em tão curto prazo. Isto apenas foi necessário devido ao miserável plantel deixado pelo teu herói Flopes.

      Mesmo com aposta na formação, será sp necessário colmatar falhas em posições específicas (DE, Extremo, PL/Avançado). Dando como exemplo os juniores deste ano, tirando Matheus Pereira e o gelson, não há muito mais talento que se possa aproveitar. Somas a isto as vendas, e o inevitável desaparecimento de certos miúdos que não foram feitos para futebol senior, e ficamos com esta necessidade de contratações.

      Agr diz-me o que não percebeste.

      Eliminar
  3. Aposta na formação?... Afinal não.3 de julho de 2014 às 10:46

    Oh Cafageste... se "apostar na formação" não "implica jogar apenas com jogadores da formação" - sugestão que ninguém fez e que só poderia ser realizada por um binário que só conhece duas realidades.... - implica exatamente o quê?

    É que há pessoas que acham que contratar 23 jogadores é incompatível com a promessa de "apostar na formação" (dos jogadores formados no Sporting, está claro). E não é porque todos os jogadores têm de ser da formação, é porque até se dá o caso de - com 23 e a promessa de 20 para o plantel da equipa A - poder não ser nenhum.

    E olha que isto até já faria sentido para um binário: se o contrário de apostar na formação é nenhum ser da formação, com as 23 contratações já realizadas isso seria perfeitamente possível...

    Por último não fiz qualquer crítica ao Bruno de Carvalho e o termo de comparação com o Godinho Lopes foi feito pelo Mestre de Cerimónias, quando sugeriu que 6 contratações + uns eventuais 2 novos jogadores da formação no plantel principal seriam suficientes para confirmar a "aposta na formação". É que foi exatamente isso que foi realizado pelo Godinho Lopes em 2012/2013.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então quantos jogadores da formação devem ser integrados por ano na equipa principal? Eu escrevi "pelo menos 2". Suponho que não esteja de acordo. Quantos então?

      Eliminar
    2. Pf, ilucida-nos. Define "aposta na formação".

      P.S. - tenta responder na mesma thread, em vez de criar novo comentário, já agr.

      Eliminar
  4. 2013/14: (6) - Slavchev, Paulo Oliveira, André Geraldes, Rosell, Tanaka, Gauld

    2012/13 : (11) Piris, Maurício, Welder, Magrão, Montero, Cissé, Slimani, Jefferson, Vitor, Shikabala, Heldon

    Que eu saiba 11+6 ainda não são 23, mas deve querer empolar os factos falando de contratações para a equipa B... Hugo Sousa, Enoh, Dramé e agora o Gazela. Ainda não dá 23... Mas está perto, 21...

    Ora, quer-me parecer que os jogadores da formação devem ascender ao plantel principal, sim. Mas não por serem da formação, mas sim porque mostraram que têm valor para isso.

    Quanto a contratações cirúrgicas, até agora temos
    - um central internacional sub-21 que vai muito provavelmente substituir um internacional argentino.
    - uma alternativa ao William Carvalho
    - uma alternativa ao Adrien
    - uma jovem promessa para a posição 10, que desde os tempo do Balakov não tem um inquilino a serio.
    - uma alternativa ao Cedric

    Na época passada tanto se falou na falta de substitutos à altura dos titulares e agora já se esquece isso? Ainda por cima vamos ter mais jogos.

    Só a contratação do Tanaka é que ainda não entendi, mas espero para ver.

    Não vamos ter jogadores da formação? João Mario não é da formação? Esgaio, Iuri e Tobias não vão ter possibilidade de mostrar valor? O William não esteve lá na pré-época passada a batalhar para mostrar que tinha valor? Ou têm de ficar só porque sim, porque são jogadores da formação? Não é preciso mérito para jogar na primeira equipa do Sporting?

    Não falemos nos 6 jogadores contratados pelo Godinho, que foram todos baratinhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aposto na formação mas marimbo na Equipa B, é isso?3 de julho de 2014 às 11:37

      Não percebo... mas as contratações que vêm ocupar o lugar dos jogadores dos Bs não contam porquê?

      Falta nessa lista o Sambinha, o Pérez e o Everton Tiziu. É que tanto se gozou com o Lucas Patinho, que esse Everton nem chegou a calçar.

      Por outro lado eu não discuto se é bom ou mau. Só discuto se se aposta na formação e isso parece-me claro que não acontece. Quem disse que a contratação do Gauld não era incompatível com a "aposta na formação" não fui eu, e eu só disse que era incompatível. A contratação até pode ter sido muito certeira, isso apenas veremos no futuro.

      Mas deixo esta pergunta: imagine-se que o Marco Silva quer trabalhar apenas com 2 jogadores para a posição 8, um deles sendo o Adrien. Leva para o estágio 4 jogadores capazes de fazer essa posição: Slavchev, João Mário, Wallyson Mallman e Luka Stojanovic, sabendo-se de antemão que 3 deles serão dispensados ou despromovidos à equipa B. Qual deles é que acha que vai ficar na Equipa A?

      Eliminar
    2. Ficaria muito surpreendido se Slavchev E João Mário não ficassem no plantel principal. Não está mal para a posição 8: 2 da formação, 1 contratado.

      Eliminar
    3. Honestidade intelectual não abunda.

      Vamos apenas falar nesse exemplo. Se o MS apenas quer 2 jogadores para a posição 8 (e não inclui aqui outro miúdo da B que treina com A lol), e tendo em conta que costuma jogar com 3 jogadores no meio campo, vai precisar de 2 para posição 6, e outros 2 para a posição 10.
      Para 6: Oriel + William (Zezinho?). Para 10: Gauld, Iuri, Joao Mario, AM (sai?).

      Portanto, dá perfeitamente para ter os seguintes 6 jogadores para o meio campo (pq o MS só quer 2 por posição): Rosell, WC, Adrien, Slavchev, JM, Gauld.

      E dp o facto de haver lesões/suspensões durante a época deve ser colmatado pelos adjuntos, deduzo. Se Adrien se lesiona, joga o Slavchev mas ficamos sem suplente (pq é que quiseste treinar só 2 MS? :\).

      Este ano por mim, Iuri, Betinho, Cissé e Chaby (possivelmente esgaio) eram emprestados a equipa de 1a liga, tal como JM foi.
      Evolução na formação tipicamente: junior -> B -> emprestimo 1a liga -> A.
      Há excepções (Bruma, Mané) em que se salta directamente para A por mau planeamento e talento excepcional, mas devem-se evitar esses casos (vide Ilori, Bruma).

      Eliminar
    4. FC, concordo com esse percurso: junior -> B -> empréstimo -> A. Está visto que a equipa B não é um desafio suficiente a partir de uma determinada altura.

      A única coisa que não tenho gostado na política de contratações é o excesso de aquisições para a equipa B. Sei que são baratas, com pouco risco e com potenciais vantagens (Dramé correu bem, por exemplo), mas dá a ideia de se estar a investir um bocado à toa. Por exemplo, não percebo a ideia do Gazela. Espero no entanto que ele me demonstre que estou errado! :) Um abraço.

      Eliminar
  5. Não esquecer os 3 milhões que vieram do Mónaco pela desvinculação do Leonardo Jardim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me lembrava disso, caro anónimo. Obrigado!

      Eliminar
    2. E os 750.000 do Carriço.
      E 1M€ do Djaló.
      E mais algum do Bruma.
      E mais algum da Macron.
      E outros "trocos" que não me recordo agora.

      Eliminar
  6. Aposta na formação: um conceito sujeito a muitas interpretações, afinal...3 de julho de 2014 às 11:26

    Integrar jogadores no plantel principal? Eu, pelo menos, entendo que a "aposta na formação" não passa necessariamente por integrar jogadores no plantel principal. Acho que a maior parte das pessoas a entende como dar uma preferência ou uma oportunidade aos que estão no clube, por oposição aos que não estão no clube. Assim, eu acho que seria "apostar na formação":

    - não contratar no Cissé e apostar no Betinho
    - não contratar o Welder e o Piris e apostar no Esgaio e no Arias
    - não contratar o Magrão e apostar no Zézinho
    - não contratar o Vítor e apostar no João Mário e no Chaby
    - não contratar o Héldon e o Shikabala, para dar espaço ao Mané, ao Iuri e ao Podence
    - não contratar o Maurício e o Paulo Oliveira para dar espaço ao Dier, ao Nuno Reis, ao Ruben Semedo e ao Tobias Figueiredo

    e assim sucessivamente.

    Note-se que "apostar na formação" não significa "fazer ascender ao plantel principal", mas dar a oportunidade de, desportiva e financeiramente, os jogadores da formação do Sporting serem felizes ao serviço do Sporting. Teria sido renovar com o Ilori, renovar com o Bruma, renovar com o Farley Rosa, renovar com o Dier, renovar com o Matheus Pereira, assim como se renovou com o Tobias, o Iuri, o Chaby e tantos outros.

    Quem tinha (e tem) estes talentos em casa não precisava de ir contratar 23 jogadores para lhes dar condições de progredir na carreira e alcançar títulos ao serviço do Sporting. Precisava, apenas, de fazer as tais "contratações cirúrgicas". E portanto o reverso da promessa da "aposta na formação" era precisamente a promessa das "contratações cirúrgicas", porque uma coisa não faria sentido sem a outra. Portanto se se nega uma das premissas, é preciso bastante agilidade para sustentar a outra.

    Mas enfim... cada um come o que quer, com gosto.

    Pela minha parte, apesar de discordar da estratégia subjacente, fico especialmente contente por ver o Bruno de Carvalho adoptar a mesma conduta "no mercado" que foi praticada pelo seu antecessor. Ainda tenho esperança que quem não hesitava em disparar acusações por todo o lado meta a mão na consciência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Note-se que "apostar na formação" não significa "fazer ascender ao plantel principal", mas dar a oportunidade de, desportiva e financeiramente, os jogadores da formação do Sporting serem felizes ao serviço do Sporting. Teria sido renovar com o Ilori, renovar com o Bruma, renovar com o Farley Rosa, renovar com o Dier, renovar com o Matheus Pereira, assim como se renovou com o Tobias, o Iuri, o Chaby e tantos outros." --> isso implica dar-lhes de mão beijada a titularidade, não lhes arranjar concorrência, dar-lhes os salário que eles acham que valem? Bela gestão de recursos humanos, sim senhor.

      Eliminar
    2. Tenho que experimentar essa abordagem com o meu patrão. Também quero ser feliz. Mesmo que seja na quadro de excedentários da empresa, sem tarefas importantes para fazer. Aqui estou eu, patrão! Paga-me o salário milionário que eu acho que tenho direito.

      Eliminar
    3. Cissé não tirou espaço a ninguém. Mas a verdade é que o Betinho não correspondeu totalmente em Setúbal. Precisa de mais um ano de empréstimo.
      Esgaio não é lateral. Arias? Tinha valor...mas também tinha um salário proibitivo.
      João Mário diificilmente jogaria com regularidade no ano passado. Apostar num jogador não é tê-lo no banco numa idade crucial. O mesmo se aplica ao Zezinho.
      O Mané teve espaço... Trabalhou pará-la chegar. Mostrou mérito e é assim que deve ser. Iuri vai poder mostrá-lo.
      Maurício não mostrou valor? Paulo Oliveira é mau? Nuno Reis? Mas agora todos têm de subir ao plantel principal mesmo que não tenha qualidade?

      Bruma? Ilori? Quem é que não renovou com eles? Quando está direcção chegou já era tarde e mesmo assim ainda se conseguiram vários milhões? Mas qual era a solução apontar-lhes armas à cabeça? Farley Rosa, que se transferiu para o grande Sevastopol?

      Perceba primeiro o que é apostar na formação e depois fale.

      Eliminar
    4. Para apostar na formação é preciso saber o que é formar3 de julho de 2014 às 12:02

      Ah... logo vi que tinha de "perceber" primeiro antes de poder falar.

      23 jogadores contratados. Isto é que é a "aposta na formação".

      De resto nem é preciso fazer muitas considerações. Os factos falam por si.

      23 jogadores contratados e ainda há quem tenha a capacidade de, falando sério!, dizer que o salário do Arias era proibitivo. A sério!

      Que tristeza de comentários. É caso para dizer que o Mestre de Cerimónias e o Cafageste estão muito bem juntos.

      Eliminar
    5. Epicondilite(*) ou epicondilite lateral é uma inflamação dos tendões do cotovelo, que atinge principalmente os músculos extensores do punho e dos dedos.
      Recomenda se repouso e tratamento com pomadas anti inflamatórias. Em iltimo caso correção cirúrgica.
      (*) Dor de cotovelo

      Eliminar
    6. Também há disto para quem se sente enganado ou quem ainda não sente:

      http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/5261/problemas_comuns_anorretais.htm

      Eliminar
    7. Rebatidos os argumentos, resta-lhe falar várias vezes nos 23 jogadores contratados. Uma estratégia muitas vezes usada, mas que não resulta muito.

      E sim, o Arias tinha um salário proibitivo. Tal como o Rubio, o Bojinov, o Pranjic, ou Boulahrouz, o Onyewu, o Miguel Lopes, o Schaars.

      A mais-valia de uma eventual venda do Slimani - uma das famigeradas 23 contratações - não dava para pagar a estes marretas!

      Tenha vergonha na cara!

      Eliminar
    8. Que confusão que vai nessa cabeça (é o meu último post, pq parece-me que não vale a pena). Vamos por pontos:

      1) É completamente errado dizer que mais vale ter um miúdo parado, como 3ª ou 4ª opção na equipa. Vitor, Welder, Piris, Magrao, Cissé, e Shikabala jogaram todos juntos menos de 10 jogos no plantel principal. Um miúdo precisa de minutos, de competição. Treino não chega. Para isso ficam na B, e quando passam esse patamar, são emprestados.

      2) Todas as renovações que fala eram da responsabilidade do GLopes. Não se lançam jogadores na equipa A sem ter isso assegurado, pq dp jogadores pedem mais, são assediados, etc. Renovação não depende apenas do clube, isto não é o PES ou FIFA. A excepção é o Matheus, e até ver não se sabe o que se passa. Se sair, veremos o que aconteceu. Se é outro Diogo Amado, por ex.

      3) As 15 contratações para a equipa A justificam-se pelo legado do senhor que estás sp subrepticiamente a defenteder. Se houvesse um plantel equilibrado em 2012/13 não teríamos ficado em 7º, e a ser obrigados a usar tantos miúdos.
      Para a equipa B, foram contratações de baixo risco, de miúdos com potencial, para colmatar posições deficitárias. Por exemplo, não há um lateral decente na B neste momento (mica é fraco, riquicho é novo).

      3)

      Eliminar
  7. O ano passado muito se falou do plantel (exiguo!) do nosso clube, tentando com isso retirar (teoricamente) qualquer possibilidade de ombrear com os extra super Planteis do Benfas e dos Tripas. A fazer fé nesses "coments". mais valia termos ido pra 2 liga para não passar vergonhas. Eles diziam que eramos poucos, tímidos e envergonhados, sem cabedal, etc Mas espremendo tanta diarreia, o busílis era a falta de banco , coiso que no Benfas até abusavam. Pois para a época de 2014/15, com a liga dos Campeões e as restantes competições, coisa que vou ter muito prazer é olhar pro nosso banco e ver um manancial de mão de obra que nos garanta estabilidade durante toda a época. Isso, pelos comentários que aqui vemos, já começa a incomodar e só levamos 2 dias da nova temporada !!! Calma, mês meninos, calma. Não se preocupem tanto com o nosso plantel. São muitos ? deixa pra lá, que ainda vai dar para por a jogar pelo menos mais dois da nossa formação (João Mario e Iuri Mediros/ Wallimam) a juntar aos que já lá estão. E depois é ver, com tanta e saudável competição, os que evoluem ainda mais. No final fazemos os balanços e as continhas, não antes de começar, De qualquer modo, continuamos a ser o plantel com mais jogadores portugueses e de formação própria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, caro anónimo. Mais alternativas de qualidade beneficiam o clube, seja pela concorrência que fazem aos habituais titulares - que não vão poder dormir à sombra da bananeira - seja pelas opções de banco que teremos ao longo de uma época que será bastante mais desgastante que a anterior. Um abraço.

      Eliminar
  8. Em relação à formação:

    A pré-época ainda mal começou e já há vários jogadores da formação dos 3 grandes (e outros clubes) que em vez de iniciar a preparação para mais facilmente lutarem pela titularidade, tanto nas equipas BB como na equipa principal, foram brincar para a selecção de sub19 que irá disputar durante este mês de Julho o Euro sub19.

    O atraso mental dos dirigentes dos clubes e dos próprios jogadores continua, mas os dirigentes até nem estão totalmente a dormir e pensam assim, se estes atrasados mentais dos jogadores vão brincar para a selecção vou mandar vir "charters" de jovens jogadores brasileiros que estes pelos menos não brincam nas selecções.

    E assim havendo mais procura de jogadores brasileiros que não brincam nas selecções a valorização é evidente enquanto que uns atrasados mentais que brincam nas selecções não fazem a pré~epoca, correm o risco de lesão, correm o risco de não conseguir a titularidade quando voltarem da selecção e continuam a desvalorizar-se.

    ---------------------------------------
    ---------------------------------------

    Este é mais um argumento que se enquadra na minha teoria.

    ResponderEliminar