quarta-feira, 30 de julho de 2014

O que pode correr mal na época do Porto?


Num ano em que o Sporting irá manter uma política de forte contenção orçamental (assumo que ainda serão vendidos jogadores por verbas que cobrirão os gastos em contratações) e em que o Benfica está em processo de desmantelamento de uma equipa de grande qualidade, o Porto tem-se destacado dos rivais ao realizar um grande número de contratações sonantes por montantes consideráveis - mesmo considerando o forte patrocínio de Jorge Mendes e outros fundos.

São bastantes os comentadores que, perante esta demonstração de fulgor financeiro dos ex-campeões, a par da sangria que vai havendo para os lados da Luz, e do Sporting que não deixa de ser o Sporting - e como tal, colocado num patamar abaixo em relação aos seus rivais -, não hesitam em colocar o Porto como principal favorito na corrida ao título. Pelo menos era assim até ao jogo de apresentação com o Saint-Étienne.

Concordo que se os planos correrem da forma que os seus dirigentes desejam, o Porto poderá ser a equipa melhor colocada à partida. No entanto, tenho as minhas dúvidas sobre a política de rotura com o passado que o Porto optou por seguir - já as tinha antes do empate a 0 do último domingo, pelo que não foi esse resultado que me moldou a opinião. Olho para a forma como o plantel do Porto se está a formar e vejo uma série de decisões de risco que poderão causar bastantes problemas ao longo da época que agora começa.


Parece que poucos comentadores repararam, mas o futebol portista está no meio de uma GRANDE revolução

Para além de terem contratado um novo treinador, são grandes as alterações do plantel do Porto relativamente ao ano passado. Comparando com o início da época passada, Helton (faz parte do plantel, mas dificilmente será utilizado), Otamendi, Mangala, Fernando, Lucho, Defour e Varela não farão parte da equipa. Ainda não se percebeu se Jackson continua ou não. Só aqui estão 8 dos jogadores mais importantes na conquista do campeonato em 2012/13 (some-se as saídas de Moutinho e James há um ano). Isto significa que dos 12 jogadores mais utilizados nessa temporada já só sobram Danilo e Alex Sandro. 

Uma das imagens de marca do Porto, que é contar com jogadores habituados a somar títulos, está portanto muito enfraquecida. Adrián, Óliver e Tello já foram campeões em Espanha, mas desempenharam um papel secundário.

O Benfica mantém o treinador, o Sporting mantém (até ver) todos os jogadores. O Porto nem uma coisa nem outra.


Lopetegui não tem experiência de clubes e de campeonato português

Lopetegui pode ser muito metódico, um estudioso do futebol, e extremamente competente em diversos aspetos relevantes para a profissão que tem, mas há algo que ninguém pode negar que lhe falta: experiência de treino em clubes.

Todos sabemos que existe uma diferença significativa entre:
- liderar um grupo de jogadores jovens que num dia podem ser chamados para a seleção e noutro podem ficar de fora das convocatórias, e 
- liderar um grupo de jogadores seniores, que não podem ser despachados de um dia para o outro, muitos dos quais com egos e empresários que podem desestabilizar o ambiente no balneário. 

E, claro, há os adeptos: a pressão diária de trabalhar num clube em que todos estão habituados a vencer títulos atrás de títulos, e que ao fim de 2 jogos sem ganhar entram em parafuso, é completamente diferente de fazer de dois em dois anos umas competições num país estrangeiro em escalões que poucas paixões despertam. Os assobios que a equipa ouviu no final do jogo com o Saint-Étienne são um bom indicador para que Lopetegui saiba o que lhe espera se o sucesso não for imediato.

Há outra questão importante: Lopetegui é espanhol e, como sabemos, é muito comum aos treinadores estrangeiros que vêm trabalhar para um grande português subestimarem as equipas mais pequenas. Normalmente estão mais habituados a competições em que os clubes mais fracos têm algum pudor em colocar constantemente 11 jogadores atrás da linha da bola, a marcarem implacavelmente os jogadores mais talentosos, e usando e abusando de expedientes que quebrem o ritmo de jogo do primeiro ao último minuto.


O playoff da Champions

É pouco provável que aconteça, mas se o Porto não se qualificar para a fase de grupos da Champions será um golpe profundo no moral dos jogadores (que se querem valorizar e perdem a maior montra de todas) e dos adeptos. Condicionará de forma extremamente negativa o resto da época.


As fraturas na estrutura

O conflito aberto entre Antero Henriques e Alexandre Pinto da Costa promete continuar em 2014/15, em que cada um procurará capitalizar os fracassos das apostas do outro. Não é de excluir que um ou outro possam procurar usar a sua influência para benefício dos seus protegidos no plantel, podendo contribuir para um eventual envenenamento do bom ambiente no balneário.


Divisões no plantel (os espanhóis e os outros), Quaresma e a situação de Jackson

O treinador está a trazer jogadores em quem confia. Outros jogadores que aspiravam à titularidade poderão não achar piada ao facto de serem relegados para o banco. Por exemplo, será que Fabiano, que poucas semanas antes da lesão de Hélton queixava-se de não ter oportunidades para jogar, reagirá bem se Lopetegui entregar a baliza a um guarda-redes desconhecido que vem do Osasuna?

Com a chegada de Tello e Brahimi, que espaço no onze sobra para Quaresma? Sabe-se que o jogador tem um feitio pouco compatível com o estatuto de suplente.

E finalmente, Jackson. Na minha opinião é um dos melhores jogadores do nosso campeonato (se não mesmo o melhor), mas é sabido que quer dar o salto para outra liga. Se ficar, qual será o seu nível de motivação?


Equipa macia e pouco dada ao choque, com falta de alternativas para um estilo de jogo mais físico

Olhando para o plantel em geral, vejo demasiados artistas e poucos operários. Dos operários do ano passado, Defour não foi apresentado e Fernando foi embora, sobrando apenas Herrera. Veio Casemiro, que apesar de ser trinco é considerado pelos especialistas como um jogador com mais apetência para construir jogo do que para varrer os ataques adversários. E ainda há Carlos Eduardo, Quaresma, Evandro, Quintero, Óliver, Brahimi, Tello e Adrián - mas nenhum deles é um jogador fisicamente poderoso. O único com essas características é Jackson.

Em teoria, uma equipa recheada de jogadores talentosos tem melhores hipóteses de vencer jogos, mas vai haver situações em que a inspiração coletiva vai tirar um dia de folga, e outras em que os terrenos são de tal forma pesados que são impróprios para se jogar pelo chão. Nesses casos daria jeito ter jogadores com outras características - coisa que este Porto parece pouco preocupado em recrutar. Nesse sentido não compreendo a dispensa de Ghilas, que oferece uma disponibilidade física ao ataque que apenas Jackson consegue superar.


A pressão financeira em janeiro de 2015

O Porto é um clube que tem custos gigantescos, e necessita de mais-valias substanciais na venda de jogadores para conseguir equilibrar as suas contas. 

Ainda não são conhecidas as contas finais de 2013/14, mas muito provavelmente o Porto terá prejuízos à volta dos €20M, pois:
a) no final do 3º trimestre o clube apresentou €38M de prejuízo
b) a esse valor, deve-se somar o prejuízo operacional do 4º trimestre, que deverá andar à volta dos dos €7-8M
c) descontar as mais-valias das vendas de Iturbe (o Porto recebe €7M), Castro (€2M) e Fernando (€15M - será que o Porto vai receber todo o valor da transferência? não acredito mas vou assumir que sim para esta simulação)

A venda de Mangala já fará parte das contas de 2014/15. Se a transferência for feita por €40M, o Porto receberá €22,4M (pois possui 56% do passe) que não será suficiente para cobrir o prejuízo do 1º semestre. Em janeiro, em função do enorme investimento que o Porto está a fazer (entre as contratações milionárias de Adrián e Martins Indi e os salário presumivelmente altos de todos os jogadores que vieram de Espanha), é normal que haja pressão para vender.

38 comentários :

  1. Na prática, e falta de dinheiro, o porto "subcontratou" o seu futebol profissional a fundos e empresários. Não acredito que fiquem fora da fase de grupos da Liga dos Campeões, até porque são cabeças-de-série. Mas pode acontecer, e se assim for, será muito complicado de gerir, até porque a espanholada toda veio para o porto na expectativa de jogar na "Champions". Nesse caso teria de haver uma redução substancial no plantel em Janeiro.

    Depois da péssima época passada já se esperava uma "revolução" até pela fraca qualidade de muitos jogadores, em especial das contratações realizadas na época passada. Agora pretenderam subir um patamar, mas como não têm dinheiro, "subcontrataram" o futebol, como disse. É muito arriscado, até porque o treinador é uma incógnita. Mas como o porto até prova em contrário é o porto, se tiver os empurrões que teve o Villas-Boas, é capaz de ganhar o campeonato. Se não tiver e os rivais derem muita réplica, será uma aposta completamente falhada que obriga a voltar tudo à estaca zero. O problema é que mesmo que ganhem o campeonato não terão grande sustentabilidade financeira na mesma, porque quem vai encher o bolso é o Jorge Mendes & Ca. No fundo o porto, até por razões internas, procura travar o declínio e impedir a ascensão dos clubes de Lisboa, mas não tem maneira de o fazer sem ser através destas dependências que o subalternizam e por isso percebe-se perfeitamente como o poder do porto caiu tanto, por muito que queiram manter as aparências através do valor das transferências. Teve pelo menos o mérito de voltar a mobilizar os adeptos, que estavam completamente desmoralizados há poucos meses. Mas isto pode tudo ser muito pouco consistente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Teve pelo menos o mérito de voltar a mobilizar os adeptos? " eu vi bem isso no jogo do Porto / St Ettiene...mobilizados e com muito (pouca) paciência. Vá la que no final não desataram a assobiar como o fizeram durante a 2ª parte desse encontro. No Porto há hábitos que não se perdem....um deles é andarem na frente do campeonato...e se o Lopetegui começar a marcar passo, começa logo a pressão dos adeptos...isso é garantido.

      Eliminar
    2. Não vi o jogo, por isso só soube dos assobios pelas manchetes dos jornais desportivos do dia seguinte. As expectativas estão elevadas por causa dos valores das contratações, embora o treinador não seja visto para aqueles lados como grandes "espingarda", por isso o adepto vai cobrar, é lógico. O resultado com o Saint-Étienne, (que apesar de clube histórico em França não é um candidato ao título, por não ter os recursos do PSG e do Mónaco) foi muito lisonjeiro.

      Mas nesta altura não se pode levar estes resultados muito a sério, porque as equipas que contratam muitos jogadores se estes forem bons podem mais tarde "explodir" apesar de terem dificuldades no início, já que o seu potencial é superior. Já aquelas que têm muitos jogadores medianos nunca vão passar do mesmo registo esforçado, possivelmente organizado, mas sem grande rasgo. Não sei se as contratações do porto são assim tão boas para lhe darem esse potencial, sei que o Sporting para ter hipóteses terá de ser sempre uma equipa muito esforçada e organizada, porque à partida tem menos jogadores que façam a diferença.

      Eliminar
    3. É normal que a equipa do Porto não esteja oleada. Para além da mudança de treinador, vieram muitos jogadores novos (e que continuam a chegar a conta-gotas) e outros que estiveram no mundial apresentaram-se mais tarde.

      Se não estou em erro, o Saint-Étienne ficou em 3º lugar no campeonato francês, pelo que não é uma equipa fraca, e estão numa fase mais adiantada de preparação, pelo que o estranho seria que o Porto dominasse o jogo do princípio ao fim.

      O plantel do Porto está mais equilibrado, no sentido em que há alternativas para todas as posições (menos para a 6 e 9) - só acredito que o puto de 17 anos que tem jogador será solução quando o vir em campo - pelo que podem vir a formar de facto uma equipa competitiva.

      A minha maior dúvida de todas é a falta de jogadores operários. Podem vir a fazer muita falta no inverno e nos jogos contra Sporting e Benfica.

      Eliminar
  2. "as contratações milionárias de Adrián"
    Consta que o FCP não pagou nada pelo Adrián, aparentemente o Atlético ainda devia dinheiro ao FCP do negócio Falcao. Mas terá de arcar com os salários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não só: do ponto de vista da tesouraria pode ter impacto 0 (mas também deixam de receber aquilo a que teriam direito), mas do ponto de vista contabilístico os €11M terão que ser amortizados ao longo do contrato. Mais os salários, claro. Um abraço.

      Eliminar
  3. Correndo o risco de ser arrogante, Anónimo das 9:01, dá-me ideia que "consta" ainda não conta.
    Pode conhecer a informação transmitida à CMVM pelo fcp para perceber que, a não ser que o fcp esteja a mentir, 60% do jogador Adrián custaram 11Milhões de Euros...

    http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/FR51260.pdf

    De todo o texto, o Anónimo só pegou nisso para criticar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xusso, a questão da tesouraria e da forma de pagamento não tem influência no facto de o Porto ter que avaliar contabilisticamente Adrián em €11M + comissões.

      Todos os jogadores, quando são contratados, são avaliados pelos valores totais de compra. Esse valor é colocado no ativo do clube, e vai sendo assumido como custo em partes iguais durante a duração do contrato.

      Ou seja, dos €11M, o Porto assumirá custos de €2,2M por ano pela contratação do jogador. Mais o salário anual, claro.

      Se o Porto paga de imediato ao Atlético, ou em prestações, ou se limita a dar como saldada a transferência de Falcao não interessa do ponto de vista dos R&C que terão que apresentar.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Penso que esta época o Porto se está a arriscar muito, para não dizer muito e demasiado. Na roleta diz se que é colocar todas as fichas (investimento) num único numero (Lopetegui). O que me parece algo a raiar a loucura. Em fria analise , estão a deixar que Lopetegui introduza modelos e jogadores que pouco ou nada aproveita do passado recente do FCP, e isto baseado em quê? resultados do trabalho do Lopetegui em termos de clubes não será de certeza, porque não tem experiencia dos mesmos. Reconhecimento de uma tal excelência do mesmo ??? duvido...porque treinar miúdos nas seleções é uma coisa bem diferente e muito mais soft do que treinar um clube que pretenda ganhar campeonatos.....ou dar o braço a torcer e assumir que a ultima época foi um total descalabro???A ver vamos. O que sobressai é a falta de proteção (rede) com que o Porto avança para a época para 2014/15, com varias incógnitas (treinador, novos e muito dispendiosos jogadores , rutura com o plantel anterior, e com o modelo tradicional de proteção do FCPorto) e uma grande incerteza futura : onde irá parar Pinto da Costa se o numero de circo correr mal ....
    AF.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade AF, é de facto uma revolução muito invulgar para o Porto. E há outra coisa que não escrevi (por não fazer parte do âmbito), mas que poderá vir a ter um impacto muito negativo nas finanças do clube a médio prazo: a maior parte dos jogadores que estão a ser contratados nunca darão mais-valias significativas em vendas futuras. Num clube que tem um défice operacional tão grande, poderá ser arrasador. Escreverei sobre isso daqui a uns dias. Um abraço.

      Eliminar
    2. É isso mesmo Mestre,

      É que estes jogadores não vêm para os corruptos com salários tipo josué e/ou licá's... Esta gente que fala "espanholês" ganha muito... Atenção ao aumento exponencial da massa salarial!!!

      Espero que tenham no sorteio da Champions a sorte que sempre nos desejaram... E que lhes calhe uma equipa 'a sério' para, pelo menos fazerem alguma receita no jogo do 'ladron'...

      Abraço

      Eliminar
  5. Tudo muito bem (e é só para o Xusso não achar a minha crítica redutora, ainda que me esteja a marimbar para a sua opinião)... exceto no que diz respeito à "pressão financeira". Sinceramente, não a vejo.

    Conforme salienta o anónimo acima, o Porto é credor do Atlético de Madrid em quase 4 milhões de euros. Acresce que também é credor do Valência em 11 milhões de euros e que não entra nas contas aqui feitas à "pressão financeira de Janeiro". E ainda é credor do Zenit em10 milhões de euros. Só aqui estão 25 milhões, 4 dos quais se compensam directamente na transferência do Adrian (que envolve, nessa medida, um fluxo financeiro de 6 milhões de euros). Aos valores do Iturbe (7 milhões), do Fernando (15 miilhões) e do Castro (2 milhões) e que perfazem um valor total de 24 milhões que se juntam aos 21 milhões a receber (45 milhões portanto), ainda se deverão juntar as prováveis saídas do Mangala (22 milhões pelas contas feitas) e do Jackson (de que o Porto diz ter 100%). No mínimo 67 milhões de euros, provavelmente um pouco mais (Jackson por 23 milhões e chegamos aos 90 milhões).

    Acho que cobre os prejuízos do exercício...

    Dito isto, os salários elevados dos jogadores que entram ter vindo apenas substituir os salários elevados dos jogadores que saem ou saíram: Lucho, Mangala, Fernando, Varela, Otamendi, Fucile, provavelmente Defour e Jackson também, e quem sabe o Hélton, não ganhavam pouco com certeza.

    Mas pronto, lá saberá mais do que nós...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernando renovou em Janeiro em troca de uma percentagem do passe, portanto o porto qd muito recebe 50% dos 15M (sem descontar comissões).
      Era a única maneira de convencer Fernando a renovar, para não sair a custo zero para esse mm Man City.

      Portanto esse minimo de 67 milhoes reduz-se para 60, e mais uma vez não contou com comissões de empresários, agentes, jogadores, etc. Ou o valor pago pelo porto ao Adrian (directamente como comissão) tb fazia parte da divida do Atleti?

      Interessante como critica a pressão financeira como "excesso", mas dp cria um cenário utópico, com vendas fantásticas, que afinal mostram que porto está completamente desafogado. Nem 8 nem 80...

      Eliminar
    2. É isso FC. Chama se trabalhar com dinheiro fêmea...aquele que se reproduz !!!
      Nunca sei é como se contabiliza esses créditos sobre os clubes. Repete todos os anos ....ou será como a vendo do Roberto do Benfica. que entre o deve (nunca visto) e o haver (só falado) ainda deu um prejuízo de 750 mil Euros??
      É que me parece que esses créditos não aparecem nos R C anteriores do FCP...mas vou investigar.

      Eliminar
    3. "qd muito recebe 50%"
      Como você pode ter tanta certeza se o FC Porto recebe 10, 50 ou 100% desses 15 milhões??
      É assim, lança-se umas bujardas para o ar e pronto, dá-se uma de sabichão.

      Eliminar
    4. Do jornal A Marca

      El Oporto admite que pagó 22 millones en comisiones por Falcao y Guarín
      El Oporto cerró la campaña 2011-2012 con pérdidas de 33,5 millones de euros, según se desprende de las cuentas enviadas por el club a la Comisión del Mercado de Valores lusa. El club precisa que estos resultados no incluyen las ventas de Hulk ni de Álvaro Pereira este mismo verano, ni el fichaje de Jackson Martínez, pero sí los traspasos de Radamel Falcao al Atlético de Madrid (40 millones) y de Freddy Guarín (11) al Inter de Milán. De estas dos últimas operaciones se descuentan casi 22 millones en costes de transacción e intermediación, lo que deja el beneficio en 29 millones. En el caso del Tigre, casi la mitad de su traspaso se dedicó a pagar comisiones, entre ellas a Gestifute, empresa de Jorge Mendes, y a la compañía holandesa Orel B.V.

      Eliminar
    5. Para ajudar o anónimo do "dinheiro fêmea", está na página 27 do último relatório trimestral, que é também o último que foi enviado à CMVM.

      Só para dizer que entre comissões e percentagens de passes, até acredito que o Porto esteja cheio de pressão financeira a curto prazo. Só não a vejo nos valores de transferências que ainda tem a receber e que não se encontram totalmente reflectidos neste post.

      Digo também que só acrescentei 1 valor ao dos referidos pelo Mestre de Cerimónios: o de uma eventual transferência do Jackson, por uns "conservadores" 23 milhóes de euros. Nesse mesmo relatório refere-se que o FCPorto detém 100% dos direitos do jogador. Depois quanto pagará em comissões, etc., é outra questão.

      Por último, pode entrar e sair muito dinheiro do Porto. É indesmentível que se vender o Iturbe por 15 milhões, o Mangala por 45 milhões, o Fernando por 15 milhões e o Jackson por 15 milhões (valor hipotético), o Porto numa época de insucesso desportivo terá realizado cerca de 90 milhões de vendas a dividir por si e pelos seus parceiros.

      Se eu tivesse dinheiro para ter um fundo de jogadores, acho que era em quem tem a capacidade de movimentar estas somas que poria o meu dinheiro.

      Se é uma boa ou má opção para o clube, andam a referir há cerca de 10 anos que o Porto não pode sustentar este nível de alavancamento. E o Porto continua a mostrar ser possível. Que sportinguistas o refiram só pode ser uma mistura de wishful thinking e de justificação da própria incapacidade para ter este modelo de negócio.

      Eliminar
    6. Não percebi porque é que fui chamado à conversa, no entanto a opinião de todos é saudável em qualquer discussão...

      Eliminar
    7. António, é verdade que o Porto no final do 3º trimestre ainda tinha €31M a receber de transferências de jogadores (com especial destaque para €10M de Hulk e €11M de Falcao), num total de €50M na conta corrente de clientes.

      A questão é que:
      a) O dinheiro de Falcao deverá ser compensado pela compra de Adrián
      b) A rúbrica de fornecedores tem o valor de €35M, que o Porto não discrimina no R&C

      Na prática é chapa ganha, chapa gasta. E a verdade é que os prejuízos operacionais do Porto prometem não abrandar.

      Não sei mais do que os outros e admito que os números que coloquei não são exaustivos, mas não vejo sinais de uma mudança de vida que contribua para reduzir o défice operacional.

      Um abraço.

      Eliminar
  6. Financeiramente o FCPORTO SAD está tranquilo e tem vindo a melhorar lentamente. O seu ajustamento embora sendo lento é consistente e mantém-se enquadrado nas normas de fair-play financeiro.

    O financiamento está assegurado assim como a sua maior diversificação o que diminui o risco de deixar de ser financiado.

    Estrategicamente o GRUPO PORTO prepara-se para expandir e consolidar-se na Colômbia através da expansão da DRAGON FORCE o que deverá criar uma larga massa de adeptos, além de facilitar o recrutamento e a prospecção na Colômbia. Não esquecer que a Colômbia tem mais de 45 milhões de habitantes ou seja, mais do que qualquer país dos PALOP onde o FCPORTO já está definitivamente consolidado em termos de adeptos.

    Desportivamente é como sempre, precisamos de vitórias e conquistas de forma a consolidar o FCPORTO para os desafios do futuro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os corruptos e a sua 'lenga lenga mentirosa'...

      Então como é que explicam que, sendo o clube que melhor vendeu nos últimos 10 anos a nivel mundial, não tenham diminuido o passivo que tinham??? Antes, até o aumentaram. Não na escala em que SCP e os de carnide o fizeram, mas também aumentaram...

      E não me venha com a desculpa, que reinvestiram na equipa, porque nunca reinvistiram nem metade do que ganharam...

      Para onde foram essas centenas de Milhões de Euros????????

      Eliminar
    2. YaZalde, aprenda a ler e analisar os R&C.

      Está lá a informação que pretende saber.

      Eliminar
    3. Melhorar lentamente é ter 40M€ de prejuízo em 2013/14?

      Eliminar
    4. Sporting até morrer, os R&C do Sporting sad e da Benfica sad também estão disponíveis na net, é só comparar.

      Eliminar
    5. Luís Miguel, ficarei muito surpreendido se o Porto apresentar resultados positivos em 2013/14... será um autêntico milagre atendendo ao que se conhece... :) Um abraço.

      Eliminar
    6. MdC, 30-06-2014 já passou, ou seja, as contas já não irão ser alteradas. É esperar para confirmar.

      O FCPORTO SAD já está a trabalhar para melhorar as contas de 30-09-2014 e com a mais que provável venda de Mangala, isso é perfeitamente possível.

      Entretanto, o FCPORTO SAD emprestou Licá e Abdoulaye ao Rayo Vallecano.

      http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=492122

      Certamente poderão regressar em 2015/2016 ou serem transferidos. Alternativas não faltarão.

      Eliminar
    7. Por isso mesmo é que ficarei muito surpreendido se forem positivos. Lá para setembro saberemos, mas aposto em €20M de prejuízo. :)

      Eliminar
    8. E tens a certeza que o Mangala vai render assim tanto ao teu clube?
      Talvez seja melhor leres as palavras do MdC...

      http://www.maisfutebol.iol.pt/reportagem-sobre-dinheiros-do-futebol-os-direitos-sobre-mangala-e-defour

      Eliminar
  7. Boa análise. Corrigir "mas vão haver situações em que" para "vai haver"!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela correção, Tim. É um erro que cometo com demasiada frequência... :)

      Eliminar
  8. Como todos sabem o Porto tem sido um dos clubes mais vendedores do mundo só que nos últimos tempos tem acumulado grandes prejuízos devido a um orçamento completamente desajustado para a realidade nacional.

    Nesta época Pinto da Costa decidiu operar uma " revolução" no futebol com os riscos que isso acarreta.Treinador novo,muitos jogadores novos,venda de jogadores fundamentais,como tal há sempre uma incerteza se será uma aposta ganha.

    De qualquer das maneiras o Porto com a estrutura experiente que tem e com alguns elementos da APAF a funcionarem como pronto socorro corre sempre menos riscos do que por exemplo o Sporting de Godinho Lopes.

    Mas também uma coisa é certa os tempos são de mudança e o Porto de outrora muito difícilmente será o Porto do futuro.Estou convencido que os prejuízos da SAD do Porto são para manter.A entrada na champions e a venda de jogadores são sempre a bóia de salvação dos clubes portugueses.

    A não ser que apareça uma Fly Emirates a patrocinar as camisolas do futebol juvenil e então sim temos os clubes todos a salvo de problemas económicos...é só rir com os taberneiros.




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, o ano passado a ajuda da APAF começou bem, mas depois houve qualquer coisa que mudou à medida em que o Porto foi caindo na classificação. Terá havido alguma zanga de comadres? :)

      Eliminar
  9. Para finalizar só quero dizer o seguinte nunca um treinador do Porto teve a oportunidade de elaborar uma equipa como o está a fazer Lopetegui.Pinto da Costa para acabar os conflitos internos depositou toda a sua fé numa pessoa que só teve sucesso como treinador das camadas de formação da selecção espanhola.Guerras internas obrigam a decisões salomónicas, a ver vamos o que vai dar a aposta num treinador inexperiente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, isso é uma questão muito interessante. O Porto sempre foi a antítese disso - a estrutura definia o plantel e o treinador estava lá para treinar. Este ano é completamente diferente, dando uma liberdade de escolha que já não se via desde que Souness esteve no Benfica.

      Em teoria, faz sentido que um treinador queira determinados jogadores para impor a sua ideia de jogo. Vamos ver como corre.

      Eliminar
    2. Mais: Adriaanse também tentou impôr alguns jogadores, o Porto recusou, e passado pouco tempo o holandês bateu com a porta. Nitidamente que a tolerância dos dirigentes em relação aos desejos do treinador mudou muito.

      Eliminar
  10. Mestre, desculpe estar a fugir ao tópico, mas esteve agora a dar um programa na Sporting TV sobre os Cinco Violinos e acho que todos os Sportinguistas têm de ver o programa. Estreou hoje, por isso vai repetir novamente, certamente. Chama-se "Arquivo Sporting" e hoje o tema do primeiro programa foram precisamente os Cinco Violinos.

    Achei muito comovente. Olho para aqueles jovens, aqueles jogadores fantásticos, com um ar feliz, jovial, vitorioso e, pá aquilo é o melhor do futebol. :) O Jesus Correia, que jogava futebol e hóquei em patins, acabando por abandonar o futebol para jogar hóquei. Imagine-se. O Peyroteo, bem, o Peyroteo era um super-atleta! Era o Cristiano Ronaldo da época. Que calmeirão! É pena haver tão poucas imagens deles a jogar, porque aquilo devia ser uma loucura.

    O Sporting teve os dirigentes fundadores, mas os nossos "pais fundadores", atletas de excelência, foram os Cinco Violinos. Para sempre MÍTICOS! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E sexta-feira é dia de homenageá-los mais uma vez em Alvalade.
      Mais que merecido!

      Eliminar
    2. Não vi, nem sequer sabia que tinha dado esse programa, mas não vou deixar de o ver - as gravações automáticas são a 8ª maravilha do mundo. :) Obrigado pela dica e um abraço!

      Eliminar