segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Ainda o penálti de Nani


Costuma dizer-se que o sono é bom conselheiro, e a verdade é que a indignação que senti no sábado ao ver Nani a teimar em bater o penálti se foi desvanecendo à medida que fui considerando as circunstâncias em que tudo isto aconteceu.

Não me interpretem mal: continuo a achar que o que Nani fez foi tremendamente errado, com a agravante de ter ficado a um cabelo de comprometer a conquista dos três pontos. No entanto, a quase certeza com que fiquei na altura de que tudo aquilo tinha sido provocado por um impulso de vedetismo foi-se atenuando com o passar das horas. Admito agora que Nani possa ter sido traído pela sua vontade de regressar em grande e querer retribuir com um golo o clima de festa com que foi recebido.

De qualquer forma, teremos bom remédio para descobrir se foi uma questão de vedetismo ou ansiedade. Basta esperarmos umas semanas para ver como se integrará Nani no grupo. Se foi vedetismo poderemos contar com mais atitudes destas num futuro próximo. 

Apesar de a minha opinião ter mudado, continua a parecer-me que o destino foi muito nosso amigo: não sabemos como seriam as reações das diversas partes se não tivéssemos ganho o jogo. O conforto dos três pontos no bornal certamente que ajudou à elevada dose de discernimento daqueles que falaram publicamente após o final do jogo:

  • Adrien, aquele que se poderia sentir mais injustiçado, relativizando a questão imediatamente na flash interview (concordo com aqueles que disseram e escreveram que temos em Adrien um verdadeiro capitão sem braçadeira)
  • Marco Silva, reconhecendo a existência da hierarquia e relativizando o sucedido
  • Mané, o herói do jogo, ao afirmar que Nani é um dos seus ídolos

Todos desejamos que o assunto seja esclarecido e arrumado internamente com a maior das tranquilidades, e estas declarações foram um excelente primeiro passo nesse sentido.

É claro que podemos também atribuir algumas responsabilidades a Marco Silva. Sim, podia ter mandado uns berros lá para dentro, ou enviado um recado por alguém. Mas a meu ver foi uma situação extremamente ingrata para um treinador que provavelmente se sentiu com alguma falta de estatuto perante o estado de euforia em que o jogador foi recebido. Do ponto de vista de liderança de grupo não é uma atitude que lhe fique bem, mas não nos podemos esquecer que falamos de um treinador que chegou há pouco tempo ao clube e que nunca teve que lidar com uma situação tão invulgar - invulgar até na história recente do Sporting.

Existe um outro fator atenuante para Marco Silva. Se do ponto de vista disciplinar a atitude de Nani era um problema evidente, do ponto de vista desportivo nem por isso. Nani é um excelente marcador de penáltis (e de bolas paradas em geral), que já esteve na situação de maior pressão que se possa imaginar - ser o marcador do 5º penálti de uma final da Liga dos Campeões, em que se falhasse a sua equipa perderia o troféu. Nani converteu o penálti e o Manchester United acabaria por ganhar a competição.


A Silver Lining de tudo isto é que todos poderão refletir no que se passou sem a pressão de um mau resultado. Principalmente Nani, que teve oportunidade de ver que o grupo que veio integrar também pode ganhar jogos sem ele, mas que no final não deixaram de ter palavras encorajadoras que demonstram que acreditam no valor acrescentado que o 77 poderá trazer para a equipa - e a utilidade do seu inegável talento será diretamente proporcional ao sucesso da sua integração nas restantes competências que já existiam no grupo antes do seu regresso ao Sporting.

15 comentários :

  1. Se o Marco tivesse mandado um bero lá para dentro, seria pior a emenda que o remédio por três razões.

    1- O Nani não é nehum puto
    2 - Acabou de chegar mas era da casa
    3 - É um excelente marcador de penaltis, como referiste e bem. (Aliás, o penali até foi bem marcado)

    O melhor que o Marco e o Adrien tinham a fazer foi o que fizeram. E no fim ainda estiveram melhor.

    O Nani, embora compreendendo como tu a vontade de brilhar, esteve muito mal.

    E acho que a nossa grande sorte (e dele) não foi termos ganho o jogo. Foi o Nani ter falhado.

    O pior que podia ter acontecido era ele ter marcado e termos ganho o jogo apenas com esse golo.

    A dose de humildade que o Nani está a levar desde Sábado não teria existido, antes pelo conrário.

    E se calhar perdíamos o jogador.

    Abraço

    mário

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mário, esperemos realmente que todos saibam aprender com o que se passou no sábado. Um abraço.

      Eliminar
    2. Só discordo com uma coisa, Mário. O penalti não foi bem marcado, penalti bem marcado é o que entra ;)

      Eliminar
  2. Só queria acrescentar uma coisa que vi no estádio e que ajuda a resolver a questão "O que devia ter feito o Marco Silva":
    Quano vi o Nani pegar na bola e o Adrien ir falar com ele, porque previa o que ia acontecer a seguir, olhei logo para o banco. Mas o Marco Silva estava junto à linha a dar indicações a outro jogador (não me recordo qual) e virado para a baliza do Patrício, pelo que tenho a certeza que não viu o que se passou.
    Quando ele terminou e se virou, já o Adrien se tinha afastado e o Nani estava pronto para bater o penalty, pelo que ele só deve ter tido conhecimento do que aconteceu mais tarde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não reparei nisso no estádio, Ryder. O meu olhar estava preso na área...

      Obrigado pelo relato e um abraço.

      Eliminar
  3. Não sou religioso, mas Deus escreve direito por linhas tortas. Correu tudo extraordinariamente bem, ao contrário do que se poderia pensar. O Mário já explicou tudo no seu comentário. Relembro que é preferível ir em crescendo do que ir perdendo fulgor. SAUDAÇÕES LEONINAS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As tais linhas tortas causaram-nos grande sofrimento durante 25 minutos, mas depois os festejos foram duplamente saborosos. Ainda não recuperei totalmente da voz do tanto que gritei no momento do golo. Um abraço.

      Eliminar
    2. Sem dúvida, Mestre. Considero psicologicamente decisivo vencer as lampinaças, como forma de credibilizar o Sporting, não só desportivamente, como em termos de viabilização das respostas aceradas e certeiras que BdC tem dado às contas delirantemente más do Carnide. Um abraço!


      PS- Nem eu ainda a recuperei e, veja bem, até me comovi, senti-me parte de algo maior que mim mesmo. Eu sei que isto é muito new age, mas ver tanta alegria reinstilou-me alguma fé e esperança no género humano. O Sporting é muito isso, é um amor incompreensível.

      Eliminar
  4. Na minha opiniao nao ha nada de filme nisto, o jogador so mostrou tar empenhado na sua causa de ajudar o sporting, quis mostrar trabalho, a mim faz-me mais confusao quem nem sequer se quer mostrar, foi o 1º jogo dele e o 2º da equipa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. jcnaguiar, de qualquer forma neste tipo de situações há uma hierarquia pré-definida, que deve ser respeitada. Um abraço.

      Eliminar

  5. As usual mais um sábado de emoções fortes....uma vitória arrancada a ferros fruto de um futebol prevísivel contra uma equipa que sabe fechar-se bem e que na época passada empatou a 2 na casa do BESfica.

    O Sporting de Marco Silva ainda está verde e se o Sporting tem bons extremos não tem ponta de lança.É mais do que urgente a titularidade do Muçulmano,sem ele o nosso futebol fica amputado.Para quê centrar ?,senão temos um homem de área.Montero não é o matador que é o Slimani.Porque não experimentar o Montero no lugar do André Martins,uma vez que este não é o 10 que faz jogar a equipa.

    Quanto ao caso Nani digo o seguinte estou grato a ele por ter vindo para o Sporting,mas o Sporting não é o Nani...nem uma equipa de futebol é um jogador.O Adrien é e será o marcador de penalties.O excesso de protagonismo do Nani ia custar caro ao Sporting e espero que ele ultrapasse a situação o mais depressa possivel e que para a próxima saia do campo o mais depressa possivel pois os sócios e adeptos não gostam de empates !...

    Por outro lado este Sporting ainda não está tão sólido como na época passada.O sector defensivo preocupa-me.Dier e Rojo fazem falta ao Sporting e uma equipa para ser campeã tem de ter uma defesa de betão e a nossa parece-me macia não só a defender como também a fazer circulação de bola ou melhor a levar a equipa para a frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, concordo que se a ideia é ir à linha para cruzar, então Slimani tem que estar lá no meio. Caso contrário é estarmos a entregar a bola aos adversários - mas é curioso que os dois golos que marcámos surgiram de cruzamentos para a área.

      Quanto à defesa, também concordo. Maurício parece estar a jogar com bastante menos tranquilidade, e Sarr, apesar dos bons indicadores, ainda tem muito para provar. E Cédric, se não recuperar, fará muita falta contra o Benfica.

      Um abraço.

      Eliminar
  6. Seria injusto finalizar e não falar sobre o improvável herói da noite de nome Carlos Mané.Com um inicio de época apagado o golo da vitória pode ser que o faça voltar para a ribalta e quem sabe lhe dê titularidade no campo do BESfica.Rápido,felino este Mané, pode ter um grande futuro.Já agora porque não a 10,porque não uma oportunidade a 10 ?.

    ResponderEliminar
  7. Nani esteve mal no lance do penálti e na sequência disso foi bem substituído. Foi uma decisão corajosa de Marco Silva que assim marca território perante o jogador e restante grupo. Não basta afirmar que não há vedetas, é preciso demonstrá-lo.

    Adrien e Marco Silva estiveram ambos bastante bem na abordagem ao caso na flash interview.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é preciso dizer que Marco Silva teve uma atitude corajosa ao tirar Nani, e a aposta foi ganha. Um abraço.

      Eliminar