quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O que pode fazer a direção para evitar casos como os de Rojo e Slimani?

                                                                                                                                       
Na caixa de comentários do post anterior, Duarte Fonseca deixou um comentário para reflexão que me parece muito pertinente:
Caro,
Considero ser muito importante ter uma postura forte na negociação, mas não lhe parece que são casos a mais? E todos idênticos? Não lhe parece que começa a ser contra producente a forma de actuação? Prefere continuar a acreditar que a culpa é sempre dos jogadores? Não era bom questionar (mesmo que abstractamente) os métodos relacionais entre os gestores desportivos do Sporting e os jogadores?
São só algumas questões que gostaria de deixar para discussão.
SL

É uma questão de facto muito relevante. É inegável que este tipo de casos tem sucedido com demasiada frequência e é perfeitamente legítimo que se questione se a posição de permanente intransigência que a direção adota perante jogadores com objetivos divergentes é a que melhor defende os interesses do clube.

Desde que esta direção tomou posse já tivemos os seguintes casos:

  • Bruma, com quem o Sporting não chegou a acordo para renovar, tendo posteriormente o jogador e representantes procurado, sem sucesso, a rescisão unilateral de contrato;
  • Ilori, que a dois anos do fim do contrato disse veementemente que queria sair e que estava disposto a ficar dois anos sem jogar;
  • Cassamá, Sambu e Bramé, com quem o Sporting não chegou a acordo para renovar e que assinaram pelo Porto no final do contrato;
  • Labyad, colocado a treinar na equipa B sem jogar, cujo "pecado" era o enorme salário que auferia (em comunicado aquando da sua cedência ao Vitesse, foi referido que o Sporting poupa €4,5M durante o ano e meio do empréstimo) sem que tivesse um rendimento desportivo condizente;
  • Elias, que ao voltar do empréstimo do Brasil foi também colocado a treinar na equipa B;
  • Dier, que afirmou após ter saído que só não ficou no Sporting porque a direção não quis;
  • Vários casos de jovens da formação que se recusaram a renovar contrato (ou cujas negociações se prolongaram durante largos meses), como Fokobo, Alexandre Guedes, Gelson Martins ou Matheus Pereira, em que alguns deles foram impedidos de jogar ou colocados noutras equipas.


Existirão certamente outros casos de que não me lembro de momento, mas que poderei colocar aqui caso alguém lhes faça referência. De qualquer forma, o objetivo deste post não é abordar cada caso de forma individual, mas fazer uma reflexão sobre aquilo que a direção pode fazer para este tipo de casos - ou sobre o que faz ou não faz de forma preventiva para impedir que as situações cheguem a pontos de rotura.

Excluo desta reflexão alguns dos casos referidos acima, em que é evidente que o único plano de carreira definido pelos empresários é o dinheiro imediato. Esses casos não merecem sequer que se perca tempo em pensar no que poderia ter sido feito para evitar a rotura.

É verdade que cada jogador é um caso, e todos têm os seus planos de carreira delineados, mais ou menos realistas e razoáveis, em função do valor que consideram ter - e se puderem cortar etapas nesse plano de carreira tanto melhor. Mas creio que também é legítimo que a direção se sinta no direito de estabelecer limites nos salários que paga ou em definir um preço para a saída dos jogadores, de acordo com as possibilidades e os melhores interesses do clube.

Há no entanto algo que nunca pode ser colocado em causa: durante os processos de negociação de renovações ou transferências, o mínimo que se pode exigir aos jogadores é que continuem a treinar e a jogar no caso de serem opções do treinador.

Infelizmente só há uma forma de apaziguar este tipo de situações: colocando dinheiro na mesa. É assim que Benfica e Porto normalmente resolvem os seus casos. Enzo pede para sair? Então em vez de ganhar 700.000€ ao ano passa a ganhar €2M. Jackson quer ser transferido? Então passa a ganhar €3M ao ano e ainda oferecemos 5% do passe ao empresário. Oblak, no princípio de 2013/14, numa altura que seria previsivelmente suplente, desapareceu sem deixar rasto. Chamou-se o empresário, oferece-se 20% do passe, aumenta-se substancialmente o salário ao jogador, e caso resolvido. 

É claro que estes três casos têm uma coisa em comum que é indiscutível: os clubes podem ter cedido perante situações de chantagem (pelo menos no caso de Oblak é inegável), mas depois retiraram um enorme proveito desportivo dos jogadores que se traduziram em títulos (no caso do Enzo e Oblak) e em muitos golos (previsivelmente no caso de Jackson).

Mas o Sporting não pode seguir esse caminho. A meu ver, o espartilho financeiro em que o clube vive é um fator incontornável que reduz as hipóteses de gerir a relação entre os gestores desportivos e os jogadores. Estamos a falar de jogadores profissionais, a maior parte dos quais (se não todos) vê o Sporting como uma mera plataforma que os ajude a atingir outros patamares na sua carreira - e contra isso, sem liberdade orçamental para ir afastando tentações externas, a única coisa que vejo que a direção pode fazer é procurar gerir as suas expetativas a curto prazo. Se a estrutura de futebol faz isso de forma competente ou não, é difícil saber.

No entanto, não nos podemos esquecer de uma coisa: a direção NUNCA poderá controlar ofertas provenientes de outros clubes aos jogadores. Uma vez surgindo essas ofertas, não há muito a fazer - qualquer ser humano que não tenha poços de petróleo no quintal fica com a cabeça às voltas na perspetiva de poder receber um salário muito superior. Todas as expetativas que estavam alicerçadas na mente do jogador e empresário, repentinamente desvanecem-se.

Perante isto, o Sporting ou cede ao fim de 2 ou 3 tentativas negociais, ou tenta impor a sua vontade até ao limite da razoabilidade. Se essa razoabilidade foi ultrapassada nos casos de Rojo e Slimani, não sei, mas inclino-me para acreditar que não - pelo facto de ainda haver 3 semanas até ao fecho do mercado.

Mas independentemente da linha de rumo a seguir, acho inaceitável que exista tolerância para um jogador que se recuse a treinar e jogar. Até ao momento em que assine por outro clube, é jogador do Sporting Clube de Portugal e tem que cumprir as suas obrigações.

51 comentários :

  1. Simples:

    Alguém os obrigou a assinar os contratos? Não! Então, só têm de os cumprir!

    A meu ver estes são os dois melhores para servir de exemplo:
    - um, porque graças a mais uma Godinhice não vamos ganhar nada com ele é por isso nada temos a perder
    - o outro, porque veio lá detrás das dunas por meia dúzia de tostões e a perda não será considerável.

    Por isso, por mim ficam a treinar à parte até pedirem desculpa. São só 3 anos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cafageste, espero no entanto que se consiga encontrar uma solução em que todos possam ganhar. Aliás, acredito que as negociações vão prosseguir normalmente.

      Eliminar
  2. Copia-se os melhores, ponto final.

    http://www.volkskrant.nl/vk/nl/2686/Binnenland/article/detail/3566909/2013/12/23/Cruijff-dreigt-Zaakwaarnemer-moet-gaan-meedenken-anders-eruit.dhtml

    'The agents job at ajax will be changing'. Johan Cruijff made this statement today in his column in "de telegraaf" today.

    For the club this will be yet another way of standing by their young talent. The technical staff will be dividing the talent pool into a new scaling system. Every player will get some sort of ranking, that will put them into a financial bracket. When they prove they deserve a higher ranking, like Veltman, Klaassen and Denswil have done with their recent performance, an adjustment to the financial ranking will follow.
    The agents role should be supporting and not obstructive in this new process says Cruijff. 'If the agent doesnt comply, he can find his player another club and he himself will not be welcome at Ajax anymore' according to Cruijff. 'If another youth talent shows up at the club with that agent he will be out of luck, because Ajax will not be doing business with people who are basically disruptive to the youth education process. This will strengthen the Ajax philosophy'.
    Cruijff wants the players to complete their education in the youth academy and stay at the club until they are 22 or 23 years old. 'Then they will get all the cooperation from Ajax they could wish for to leave for another club. If an agent wants to deviate from this route, he doesnt have any fate in the people that are involved in the education of the footballer. If you are lacking that kind of faith, there is no use in coming here.'

    If you are lacking that kind of faith, there is no use in coming here.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PTM, o princípio é bom, mas o problema está nos empresários que olham mais para o ganho imediato do que para o desenvolvimento dos jogadores. Não sei como é o comportamento dos empresários na Holanda, mas se existirem muitos Catiós e Paulos Barbosas, então está tudo estragado. :)

      Eliminar
    2. MdC Por isso é que se faz um apelo aos jogadores, sem a vontade deles nada feito. Se houver um modelo pré-definido com balizas de objectivos e remunerações não poderia haver conversas paralelas de contratos.
      Jogar no Sporting tem que ser entendido pelos jogadores, famílias destes e empresários como um privilegio ao alcance de poucos jogadores mas a relação de confiança e respeito tem de ser mutua.

      Eliminar
    3. O princípio é bom e demonstra que, na verdade, o Ajax se debate EXACTAMENTE com os mesmos problemas do Sporting. Veja-se a forma como ele se refere aos agentes e compare-se com o discurso considerado "bélico" de BdC desde que chegou ao Sporting.

      Veremos se resulta. Obrigado pela referencia - é bom saber que o Sporting nao está de todo sozinho neste problema global do futebol hoje em dia.

      Eliminar
  3. Afinal, Bruno de Carvalho limitou-se a copiar o Cruijff...

    E qual era o ex-candidato às últimas eleições que alegava ter uma relação muito próxima com o Johan Cruyff Institute? :P

    ResponderEliminar
  4. Aposta na formação é coisa para meninos...13 de agosto de 2014 às 13:58

    "Mas o Sporting não pode seguir esse caminho. A meu ver, o espartilho financeiro em que o clube vive é um fator incontornável que reduz as hipóteses de gerir a relação entre os gestores desportivos e os jogadores."

    ... 9 contratações e 10 milhões de euros depois (só em transferências), o Sporting está com um espartilho financeiro lixado!!!

    Se o ridículo matasse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Relembre-se que contabilisticamente esses valores são diluídos ao longo da duração dos contratos dos jogadores (em média 5 anos). Relembre-se também que as vendas conseguidas superam o valor das aquisições.

      Mais: o teto salarial. Porto renovou o contrato com Jackson e deve andar na casa dos €2M-€3M. O Sporting tem um teto salarial de €350.000 / ano para as contratações.

      O espartilho é uma realidade, e mais evidente fica quando comparado com a forma de atuação do Porto no mercado. Todas as contratações do Sporting não chegam ao valor da contratação de Adrian, por exemplo.

      Se o ridículo matasse eu não seria certamente o primeiro a partir deste mundo.

      Eliminar
    2. Aposto na formação das contas de somar13 de agosto de 2014 às 18:08

      Mestre, em primeiro lugar, recomendo que se reclame junto da Direcção do Sporting o cumprimento da medida 46 do seu programa, nomeadamente para a "dinamização
      de uma política de responsabilidade social proactiva que envolvam para além das vertentes tradicionais novos domínios, entre outras, a literacia financeira".

      Porque é interessante debitar a vacuidade de que os valores gastos na aquisição de jogadores são amortizados ao longo da duração dos contratos, difícil é perceber se (a) isso não é possível realizar com jogadores que já têm contrato (será?!) ou (b) para que isso serve (qual é o objetivo, o que retira o Sporting disso?).

      Não vou responder para dar tempo à reciclagem do guião arranjar 1 único argumento válido para que, no contexto financeiro do Sporting, pagar a um terceiro que esteja fora do clube é melhor do que pagar a um terceiro que esteja dentro do clube. Boa sorte.

      Aproveite o ensejo para solicitar o cumprimento da medida 16 do programa eleitoral do Bruno, em que se referiu que o plantel principal deveria ter 20 jogadores. E digo-lhe isto por uma razão simples. É porque se quer avançar com o espúrio argumento da inserção contabilística dos valores a pagar, queira então explicar-me se um bolo dividido por 25 (quer dizer...) ou por 20 dá a mesma parte para todos.

      Porque o Sportig já contratou 9 mas não gastou só os 10 milhões. Se cada um ganha uns (irrisórios) 20 mil euros por mês isso corresponde a 2,5 milhões de euros no final do ano (o que nem corresponderia ao absurdo "teto salarial"). Mas olhe que se formos pelos (ridículos) 350.000 anuais brutos já chegávamos a quase 4,5 milhões de euros. Algures nestes 12,5 ou 14 milhões de euros haveria de se arranjar alguma margem negocial para aumentar os salários de 2 ou 3 jogadores.

      E sabe porquê? É porque o dinheiro que é gasto em transferências não faz pufffff! Continua na conta.

      Mas claro, há quem goste de ser enganado.

      Eliminar
    3. Meu caro, confesso que tenho dificuldade em seguir esse raciocínio dos pontos do programa eleitoral.

      Acho também que não faz sentir assumir que todos os jogadores entraram a receber o teto salarial dos €350.000.

      Estas contratações não me parecem impeditivas de aumentar outros jogadores - nomeadamente Slimani. Pelo menos li notícias que diziam que o Sporting o iria aumentar substancialmente após o fecho do mercado. Em relação a Rojo já é mais difícil, pois o argentino tem um salário muito acima da média, ao que se diz na casa das largas centenas de milhares de euros / ano.

      De resto, se conseguir ser mais claro na ideia que está a tentar passar, agradeço-lhe.

      Eliminar
  5. a direcçao não esta a fazer nada do que essa filosofia cruiff diz, muito pelo contrario.

    tem contratos fotocopia para todas as renovações independentemente do talento dos jogador

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Riga, também existem prémios por objetivos em função do número de jogos feitos. A questão do salário tem que passar pela renovação dos contratos - e tanto quanto me lembro no plantel principal ainda não houve nenhuma desde o final do defeso passado.

      Eliminar
    2. Já cá faltava este com os contratos-fotocópia. Leu isto em qualquer lado e gostou.

      Não gostas, tens bom remédio: arranja assinaturas para destituir a direcção, e candidata-te às eleições. Se ganhares podes por o teu plano em acção. Seja ele qual for...

      Mestre, está vista qual vai ser a tendência do blog. Cada vez mais anónimos e agora este para lançar a confusão em tudo o que é post, como faz noutros estaminés.

      Eliminar
  6. Riga apresenta lá esses "contratos fotocopias"
    como distingues o que o Chaby deve ganhar do que o Iuri? Ou Slachev e João Mario?

    O modelo que o Cruyff apresenta para o Ajax não é aplicável no caso do Rojo e Slimani mas para a formação, no entanto tem um valor que tem de ser transversal a todos os atletas do clube "If you are lacking that kind of faith, there is no use in coming here."
    Rojo e Slimani são para mim ex-jogadores do clube, no entanto se a transferência do slimani estivesse reduzida ao lucro que a do rojo vai ter não me importava de o pendurar na B durante 3 anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. independentemente de ser alguém para segunda e terceira linha ou ser um talento, todos os contratoa são de 5, 6 anos e com clausulas de rescisão de 30, 45 ou 60 milhões, aqui varia quase apenas a posição em campo

      e depois temos casos onde a proposta de renovação é inferior ao que o jogador ganha actualmente

      devia ser sempre esses patamares, de talentos comprovados mais protegidos por clausulas, mas com os valores do salario compatíveis,e os jogadores de segunda linha no máximo dos máximos a ter clausulas seria de 5, 10 milhões e apenas se merecessem passavam para o outro patamar.

      mas eu defendo que as renovações e contratações devem de obedecer ao critério talento e preponderância na equipa e não ao critério financeiro onde o que interessa é que ganhe pouco

      Eliminar
    2. ah para quem quer pendurar os jogadoree durante x anos, o que vale é que inventaram a lei Webster que protege os jogadores dessas jogadas dos clubes, e o rojo acho que mais 1 ano e já a pode invocar.

      Eliminar
    3. "e depois temos casos onde a proposta de renovação é inferior ao que o jogador ganha actualmente" quais casos?

      "máximos a ter clausulas seria de 5, 10 milhões e apenas se merecessem passavam para o outro patamar." má opção, requer nova renegociação de contrato exactamente quando o valor do jogador está a subir, ou não renovam e saem por 5 ou 10M ou saem a custo zero.

      "o que interessa é que ganhe pouco" o clube vai sempre querer que o jogador ganhe o menor possível e o jogador através do empresário vai procurar o melhor contrato possível para o seu cliente. É um processo negocial claro e simples, ninguém no Sporting é obrigado a assinar nada - espero eu -

      a lei webster é uma opção para o Rojo no final da próxima época quando o nosso contrato com ele acaba portanto é indiferente. No caso do Slimani ainda faltam duas épocas.

      A única coisa que não entendo nos contrato efectuados pelo Sporting é a necessidade de haver uma clausula de rescisão. Entre não haver uma e outra de saída de 45 milhões qual é a diferença?

      Eliminar
    4. Atenção que a lei Webster, penso que só é aplicada a jogadores com 28 anos ou mais.

      Eliminar
    5. mike

      a lei Webster serve a qualquer jogador ao fim de 3 anos de contrato, a partir dos 28 anos é que passam a ser 2 anos

      ptm

      qual caso que se oferece menos? matheus pereira

      neste momento ganha x+ y de objectivos+ viagens ao brasil+ casa paga, nova proposta apenas comtempla o x sem mais nada

      Eliminar
    6. coitado do matheus pereira mesmo, um momento de silencio para a vida difícil que ele tem

      pronto

      qual é a nova proposta?

      Eliminar
    7. exactamente o mesmo x que ganha agora sem mais nada

      Eliminar
    8. para um jogador de 18 anos que joga há 9 no sporting que tem contrato até 2015. que sabe as dificuldades financeiras do clube. vamos ver como a estoria acaba

      Eliminar
    9. vai acabar perdendo mais um talento, por apenas interessar a parte financeira

      Eliminar
    10. Riga esse comentário é bastante ingénuo. Então onde traças o limite? o Gelson Martins agora quer o mesmo aceitas? recusas?

      O clube instituiu um limite salarial ou o matheus aceita ou não e está no seu direito, o que não se pode fazer é colocar a sanidade financeira em causa por causa de um possível talento

      Eliminar
    11. para mim a prioridade sempre será manter os talentos

      nunca aceitarei que se perca talentos com a única justificação a ser a financeira, ainda mais quando se contrata jogadores com a mesma idade a ganharem muito mais do que o que se dá a estes jogadores da casa

      Eliminar
  7. "Mas independentemente da linha de rumo a seguir, acho inaceitável que exista tolerância para um jogador que se recuse a treinar e jogar. Até ao momento em que assine por outro clube, é jogador do Sporting Clube de Portugal e tem que cumprir as suas obrigações."

    É isto que muita gente não consegue perceber!!!

    Querem sair tudo bem, mas não é de qualquer forma, será na melhor maneira que o Sporting entender para si, e até lá só tem de continuar a fazer aquilo para o qual sem muito bem pagos.

    Não é fazendo birras e faltando a treinos que se resolve situações destas. Vejo muita gente a defendê-los e a dizer "coitados ficaram com a cabeça à roda com as propostas que receberam". Tudo Bem, façam por merecê-las, TRABALHEM!!

    ResponderEliminar
  8. Não tenho a solução. Mas algo não bate certo: os jogadores e técnicos da Académica saberem, a 4 dias do jogo, que não há Rojo e Slimani. Isto é amadorismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não entendo como uma tomada de posição acerca dos dois jogadores possa ser vista como amadorismo. se estão sobre a alçada disciplinar do clube é lógico que não sejam opções

      Eliminar
    2. O que o Cantinho quer dizer é que BdC não deveria ter dito publicamente que eles não iriam jogar. Poderia ter deixado na duvida para não dar vantagem à Académica. Assim a equipa tecnica deles pode planear a sua estratégia de jogo, sabendo que o SCP não vai ter Slimani em campo.

      Eliminar
    3. Sim, porque na Académica quando os jogadores estão sob alçada disciplinar costumam jogar...

      Lá também se diz que é... amadorismo?

      Eliminar
    4. Obrigado Mike. Pensei que tinha sido claro.

      Eliminar
    5. Até foi....mas como a narrativa não interessava.

      André, desde quando é que nos interessa o que quer que seja da Académica? Que raio de argumento é esse?

      Até porque nós também já tivémos processos disciplinares que não resultaram em suspensão (Mauricio, p. e.)

      Eliminar
    6. Eu sei o que o Mike quis dizer o que não compreendo é como nisso resulta numa "vantagem competitiva" para a Académica

      Eliminar
  9. Bruninho não aprende. Bruninho tinha a grande oportunidade de reforçar laços e aumentar a cooperação com a Doyen Sports com uma eventual transferência de Rojo.

    Para a Doyen Sports, Rojo é apenas mais um negócio, já para o Sporting, mesmo que praticamente não ganhasse nada com a transferência de Rojo conseguiria um forte aliado e parceiro estratégico para o futuro.

    Já Slimani é um forte caso de valorização devido à excelente época no Sporting. Mesmo com a desvalorização no Mundial, se Slimani fosse um jogador do FCPORTO seria tranquilamente transferido por no mínimo dos mínimos uns 10 M€.

    Slimani merece ser recompensado pelo Sporting ou com um aumento salarial (difícil devido ao fair-play finaneiro) ou com uma transferência que lhe dê a tranquilidade financeira.

    As novelas Rojo e Slimani irão prolongar-se numa primeira fase até ao final do período de transferências, depois saberemos mais coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cala-te, caralho!

      Quem é que quer reforçar a cooperação com aquela lavandaria?

      Slimani, se fosse jogador do fcputas seria oficialmente transferido por 40M de euros. Dinheiro da treta, tal como com Hulk, Mangala e afins.

      Tantas transferências e um passivo tão grande? Vai dar banho ao cão!

      Eliminar
    2. Cafageste, o senhor enganou-se a "assinar"

      Lê lá melhor esta frase:

      "Já Slimani é um forte caso de valorização devido à excelente época no Sporting. Mesmo com a desvalorização no Mundial (...)"

      Quem poderia dizer um disparate destes?

      O único, o inigualável, o inimitável.... Superleão!!

      Ou seja, não ligues!

      Eliminar
  10. No dia 4 de Julho de 2011, dia em que, voluntariamente, vendeu o seu capitão ao FC Porto, o Sporting Clube de Portugal redefiniu-se para o mundo - para os rivais, para os empresários, e para os jogadores - como um capacho. Como um grupo de lorpas, que qualquer clube podia pisar, qualquer empresário podia comprar (ou aldrabar) e qualquer jogador podia coagir. Perder a reputação é uma coisa de um segundo. No caso de Sporting Clube de Portugal, clube centenário, bastou uma assinatura. Enquanto não voltarmos a provar que não somos os lorpas que, por escrito, declaramos ser, qualquer ex-trolha que jogue à bola e qualquer empresário de charcutaria a acha que faz de nós o que quer. É tão simples como isto. SL! JPT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JPT, de facto foi um momento muito baixo na história do clube. Uma humilhação que ainda hoje custa pensar. Um abraço.

      Eliminar
    2. Foi a maior transferência interna de sempre.

      Duvido que o Bruninho consiga uma transferência interna tão boa quanto essa.

      Eliminar
    3. Quem acha que a transferência do capitão para um rival pode ser "boa" não serve nem para sócio do Benfica. Mas pronto, há de sempre haver quem ache que, desde o preço seja certo, pode ser bom negócio vender a mãe, a pátria ou o cu. SL

      Eliminar
  11. Caro MdC, pela primeira vezvou discordar com o teor do seu post
    estou completamente em desacordo.

    Não há casos, há gente mal formada, maus profissionais e aliciamento de terceiros..
    há alguns casos de fuga para o norte, o que vale zero comparado com as renovaçoes.
    Vou mais longe, os jogadores que interessam realmente sao inteligentes e esses renovam...


    Bruma + Ilori rotura unilateral, sem qqr intersse em renovar logo RENOVAR = a missao impossivel. Honra seja feita a ambos que foi tudo as claras, o neblinas foi obvimanete influenciado e só ocmpnesaeria aos puppetmasters que houvesse transferencia.
    O ilory, gabo-lhe a lata de dizer que ficava os dois anos sem jogar, teve sorte do nosso presidente não ser o monstro que o pintam.
    Lição, lição era encostar esse tratante, put your money where your mouth is! Tenho a certeza q passou pela cabeça da estrutura fazer isto ao puto estupido. Mas lá terão pensado no melhor para o SCP e para o muido.
    Cassamá, Sambu e Bramé: aliciamento. End of question, next, contra fatos não há jumentos
    …... mas ainda me vou rir qunado vir este trio a jogar no rio ave
    Labyad: mercenario, aqui, na holanda, em qqr lado... memso assim haverá muito que não se sabe ...tanto da parte do parvo como do SCP.
    Para cúmulo, mau profissional, nunca demonstrou o valor suposto...
    pecado, era ser um pedante de cocó e não jogar uma nádega....
    Elias palavras para que? Ensinou tudo o que sabia ao Labyad
    Dier, que afirmou após ter saído que só não ficou no Sporting porque a direção não quis;
    (humm, o mesmo que disse que só ficava com as mesmas condiçoes do totem … e e comemos gelados com a testa para ficarmos unicornios, pois o SCP tem a mesma capacidade... ou, pior nem se fosse igualada a proposta renovava....)
    Este é o pulha mestre... entrevistas de amor... possibilidade de renovar... tudo a espera que aparecesse um grande ingles para sair (5 m, peaners para estes ingleses!) + não esquecer o estatuto homegrown... o puto é ambicioso, gabe-se isso, não saiu para um crystal palace porque não quis, a clausula estava lá.
    Tenho quase a certeza, se não parecesse o totem, o puto estava a tratar da renovação com juras de amor. FDP
    não passou a ser merda por ter saido do SCP mas, analisando tudo, não consigo ver doutra maneira:
    we the SCP have been played! Ganda ginga Dier, para quem dizia que eras duro de rins.... ora toma!


    Fokobo, braço de ferro … resolvido.... não vejo porque é um caso...
    Alexandre Guedes, Gelson Martins ou Matheus Pereira,
    destes, pelo que percebi, 1 ou 2 renovaram ou ainda tem tempo de contrato outro foi para longe para um “banho de humildade”...

    Já agora, agradeço o exercicio de quantos renovaram contrato (da formação e do plantel A)

    Quero ver, sobre o aliciamento e respectiva debanda, por parte de portistas contentes e SCPguistas descontentes com o mesmo, falarem disto daqui a anos quando ninguem se lembrar deles
    Quero muito estar presente caso as coisas não corram como eu penso que vao correr, o SCP a erguer-se como a potencia que é, e espero lembrar-me destes casos.
    Pois se a coisa não correr como p+revisto mas se esta direcçao se amntiver, se o fight &resist se manter o modo possivel, espero não me esquecer destes supostos casos graves de debada, para poder dizer: lembra-se daqueles 3 parvinhos que foram para o porco?



    ROjo e Slimani:
    um querer passar por cima do clube com o qual tem CONTRATO
    outro : vedetismo
    ide tomar no entrefolho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que grande azar, só com esta direcção é que apareceu "gente mal formada, maus profissionais e aliciamento de terceiros"

      Recomendo isto:

      21 151 14 52 - Grande Professor ADAMA - aconselha para problemas de mau olhado.

      É que só pode mesmo ser mau olhado, não vejo outra explicação

      Eliminar
    2. Lourenço, acho que me está a interpretar mal ao colocar a lista dos casos. Pessoalmente, acho que a direção agiu bem na maior parte das situações - e já escrevi sobre isso oportunamente no momento da resolução de cada uma dessas situações.

      A ideia do post é uma reflexão sobre o que pode ser feito para evitar que estes casos cheguem a ponto de rotura - e aí é inegável que seria bom que não fossem tantos. Agora, será fácil evitar que se chegue a este ponto? Sem dinheiro é muito mais complicado.

      Um abraço.

      Eliminar
  12. Caro, MdC, desde já agradeço a gentileza, retribuída com o link para este post no És a Nossa Fé.
    Julgo que terá servido para uma boa discussão, no mínimo. Não gosto de fulanizar estas questões, muito menos gosto de atribuir culpas a uns ou outros.
    Relevo uma das suas frases: "a única coisa que vejo que a direcção pode fazer é procurar gerir as suas expectativas [dos jogadores] a curto prazo.". É neste equilíbrio relacional que deve assentar a política desportiva relativamente aos jogadores do plantel. Quanto mais competentes formos nessa fase, melhores serão os resultados da política desportiva.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Duarte, é um tema extremamente relevante da vida recente do clube que merece ser discutido de forma saudável. Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  13. Mestre,

    Estive a dar uma “volta” pela blogosfera leonina, e, defacto, estes últimos acontecimentos cairam que nem uma bomba no seio leonino… No entanto encontrei alguns ‘denominadores comuns’ que convosco partilho:

    - Quase unanimidade na justeza das acções que o Presidente Bruno de Carvalho tomou e pretende tomar. Apoio total ao ‘endurecer’ da posição da Direcção, na defesa dos superiores interesses leoninos.

    - Um palerma, de cognome ‘rigaqqcoisa’, aparece em alguns blogues sendo sistematicamente enxovalhado e comprovadamente demonstrado que é um mentiroso

    - Um ‘primo’ do ‘rigaqqcoisa’, de cognome ‘Superleão’, ou ‘Luis Filipe’, ou…. continua a debitar a ‘sua teoria anti-selecções’ e é sistematicamente enxovalhado e comprovadamente demonstrado que é um mentiroso

    Conclusões:

    - Os Sportinguistas estão com a Direcção do clube na tomada de toda e qualquer posição de força que seja necessária para defender o SCP contra agentes, fundos manhosos, pasquins, paineleiros, comentadeiros e jogadores ardilosos que queiram por em causa o bom nome da instituição e/ou dos seus grupos de trabalho, neste caso o grupo de trabalho do futebol profissional

    - O auto denominado ‘rigaqqcoisa’ e o outro palerma são algumas das personagens ‘multi-nicks’ que pululam pela blogosfera leonina procurando não só agitar as águas entre os adeptos, como também destabilizar o próprio clube e seus sócios e adeptos

    - As ‘duas nádegas’ deste futebol de merda português, estão metidas até à raiz dos cabelos nestas execráveis tentativas de destabilização do futebol profissional do SCP

    Vamos SCP! Contra tudo e contra todos os que nos querem mal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Avante camaradas. Contra tudo e todos. O mundo está todo contra o Sporting e o bruninho. Viva a lavagem cerebral

      Eliminar
  14. A(l)cides pá cabeça:

    ah ah ah ah ah

    começou com esta direção?! ah ah ah
    2 nomes:
    - joao montinho (de cocó)
    - liedson
    o primeiro foi o que foi, com o bruninho né?
    ui mas foi o melhor negocio entre portas do SCP... sim mas o SCP nao deve\pode vender dentro de portas...
    aceito trocas, emprestimos e até vendas entre adversarios nacionais mas o clube é que deve decidir... e nesse dia dissemos, "venham desde que paguem nós abrimos bem a nadega..."
    o segundo, desconfio que um dos muitos atrasos a voltar foi "premiado" com melhoria do contrato....

    infelizmente, já começou com o mete nojo do futre nos tempos do saudoso JR.
    este merdas que ainda tem a lata de ser candidato depois de se vangloriar de como enganaram toda a gente---
    depois o pesetero v. II, o figo, outro que cuspiu no prato, tal era a pressa que assinou por dois.....
    se ouço esse merdas a falar como sportinguista até me vem o vómito (conseguiu faze-lo ao barcelona tb, eh eh )

    coitadinhos dos jogadores, que se esquecem que assinaram um CONTRATO!!!
    zero ídolos, caralho zero idolos

    já agora, a imbecilidade de considerer que o Slimani, coitadinho já merece um aumento... porquÊ? porquÊ caralho?! é defesa central?!! nao foi contratado para marcar golos?! foda-se haja paciencia.
    ah porque ninguem, dava nada por ele e o tipo afinal marca muitos golos.. credito, entao, para a proespeçao SCP, caral.ho , nao para o jogador.. ha com cada uma....

    esse argelino de cocó não sabia que era "muita bom" quando assinou pelo SCP?!!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava a ser irónico, isto sempre aconteceu, e sempre acontecerá, a todos, culpar os jogadores não faz sentido, a menos que alguém achasse que isto não ia acontecer ao presidente sem medo

      já agora isso do "zero ídolos" não é verdade, há pelo menos um que está para muitos acima do Sporting

      chama-se Bruno de Carvalho

      ps: podemos discordar em muita coisa, quanto ao figo 100% de acordo, e depois de o ver metido em barafundas com o Sócrates nem precisa de falar do Sporting, basta aparecer na TV...

      Eliminar
    2. se era ironia, as minhas desculpas, não percebi.

      nao vejo que haja o sentimento de que o presidente está acima do clube

      vejo é que há muitos socios e adeptos que sentem que têm um presidente como eles
      que há muito não tinhamos ninguem a defender o clube, apenas a aproveitar-se dele (sim sim, já sei , o bruno é mais do mesmo e anda a enganar quase todos)

      quanto a manifestaçoes de culto de personalidade, a unica que realmente vejo e parece propaganda é a anti-bruno.....

      PS: ainda bem que temos um presidente sem medo, para o que vem aí!
      são varias frentes, tanto de fora, como de dentro (humm, muitos devem andar nervosos com a auditoria e tantos desejosos que falhe para que não mostre que, afinal, era tão simples defender o çlube e fazer melhor com menos...)

      Eliminar