terça-feira, 2 de setembro de 2014

A aposta na formação

                                                                                                                                              
Durante o defeso, ao ser anunciada a contratação de Ryan Gauld, jovem promessa de 18 anos com muitos minutos nas pernas na primeira divisão escocesa, por um valor que terá rondado os €2M-€2,5M, não tardaram as reações (de alguns jornalistas, paineleiros e até de sportinguistas), a denunciar o mito que é a aposta do Sporting na formação. 

Segundo os defensores desta teoria, outra prova concludente é o número elevado de contratações de jogadores com idades entre os 18 e os 22 anos realizadas pela direção: para além de Gauld, entraram ainda Slavchev, Paulo Oliveira, Rabia, Sarr, Jonathan, Rosell, Sacko e Geraldes. 9 jogadores. Curiosamente, não vejo tanta estranheza pelas 17 contratações que o Porto já fez este ano, a maior parte dos quais neste intervalo de idades, e muitos deles sem vínculo de longo prazo.

Admito que se possa discutir a sabedoria de algumas contratações - apesar de ainda ser cedo para estarmos a fazer conclusões alargadas - mas é um absurdo colocar em causa a aposta na formação do clube. Os jogadores da casa continuam a ter as suas possibilidades de ascender se demonstrarem competência e vontade em evoluir. 

Ontem, no fecho do mercado, o Benfica contratou uma truta italiana de 19 anos por €6M que tem no seu currículo uns impressionantes 3 jogos pela equipa principal do Milan. Não estou a fazer julgamentos sobre o seu valor, mas será que vamos ter o mesmo clamor indignado que tivemos que ouvir quando o Sporting contratou Gauld? Nomeadamente num clube que recentemente despachou para bem longe várias das suas promessas, muitas das quais nunca chegaram a ter oportunidade de mostrar em campo o que valiam?

E olhando para o Porto, um deserto de jogadores da casa nos últimos anos, interrompido agora de forma inesperada por Rúben Neves, mas que de qualquer forma contratou de emergência mais um brasileiro de 19 anos e um espanhol de 21 para lhe fazerem concorrência? Onde Gonçalo Paciência, uma promessa do clube de 20 anos a quem nunca foram poupados elogios, já foi relegado para a equipa B e que poucos minutos terá enquanto Jackson e o reforço Aboubakar por cá andarem?

De qualquer forma, nada como fazer um balanço inicial após 3 jornadas:

Rui Patrício, 3 jogos, 270 minutos
Adrien Silva, 3 jogos, 259 minutos
André Martins, 3 jogos, 231 minutos
Ricardo Esgaio, 2 jogos, 180 minutos
Nani, 2 jogos, 167 minutos
William Carvalho, 2 jogos, 156 minutos
Carlos Mané, 2 jogos, 56 minutos
Cédric Soares, 1 jogo, 45 minutos

Oito jogadores da formação. Na visita ao estádio do atual campeão, entrámos em campo com 6 jogadores da formação - mais de meia-equipa - e ainda entrou um 7º jogador na segunda parte. Acham pouco?

O Sporting é o único clube dos grandes que aposta de forma sustentada nos jogadores da casa. Isso não é sinónimo de que qualquer jogador da formação tenha imediatamente o direito de ascender ao plantel principal. Isso é o que os detratores da política de formação do Sporting queriam: uma equipa tenrinha, com jogadores ainda com demasiado por provar, e que desse menos luta na disputa dos lugares da frente.

55 comentários :

  1. Claramente o Sporting é o único clube dos 3 grandes que tira frutos da sua formação para alimentar a equipa principal. Todos têm formação mas o salto dos jogadores da casa para a equipa principal só é visível (de forma peremptória) em Alvalade.

    No entanto, penso que a critica que coloca em causa a nossa formação, tem a ver com o facto de chegarem jogadores de valor desconhecido que depois ou tapam lugares na equipa principal aos da B que já cá estão ou treinam com os A e depois são enviados para a B para manterem o ritmo de jogo, alinhando ao fim de semana nos jogos da liga secundária. E este segundo cenário levanta-me alguma preocupação pois era importante perceber se estes jogadores que ao fim de semana "descem" à B têm lugar assegurado em virtude do seu estatuto ou se o actual treinador da B tem liberdade total para colocar a jogar quem bem entender. É que se a resposta for a primeira... então temo mesmo que se percam alguns dos bons produtos da nossa formação. Não sobem à equipa principal e vêem lugares no onze titular reservados para os preteridos da A a cada fim de semana. Espero sinceramente que tal não aconteça, para manter a moral de jogadores como Iuri, Tobias, Wallison e outros que no futuro serão desejávelmente os nossos maiores craques.

    O ano passado muita tinta correu por causa do Abel e da sua competência para treinar os futuros jogadores da equipa principal. Quando mandou recados para dentro foi crucificado e sempre que surgia alguma noticia de jogadores encostados ou insatisfeitos por não jogarem, a culpa era apontada ao Abel porque não sabia lidar com eles.

    Abel foi-se dispensado da forma que se sabe. Não se sabe mais porque até à data a explicação prometida para breve pela direcção ainda não viu a luz do dia. No site do clube ainda consta o nome do Abel como técnico dos B (a nova empresa de comunicação já tratava de mudar a coisa). Agora temos no seu lugar um tal de Francisco Barão - não sei se seria adjunto do Abel - de quem não conheço nada, nomeadamente no que respeita às funções de treinador de futebol. Terá Barão as capacidades que não eram reconhecidas por muitos a Abel? Está a equipa B a praticar um futebol melhor?

    Para terminar, não consigo entender o facto de chegarem jogadores para a A que depois passam uns bons tempos na B até estarem aptos ao escalão principal. Casos de Shikaballa e agora de Gauld. Do egípcio já nem falo, pois ainda não consegui perceber o tamanho da crença que grande parte dos adeptos depositam no jogador, tanto mais que em jogos oficiais pela A apenas esteve em campo cerca de 15 minutos. O youtube arrasta multidões. Quanto a Gauld, pelo valor que custou em cenário de poupanças, pela posição que ocupa e que é uma das lacunas existentes na equipa principal, porque raio não é convocado e lhe vão sendo dados minutos de jogo!!! Assim ia percebendo a realidade estando no banco, podia ser um trunfo a lançar nos últimos 15, 20 minutos de jogo. Ou será que o nivél de jogo da B é superior ao do antigo clube? E se assim for como pode o jogador ter custado os tais 2,5 ou 3 milhões se apenas era possível avaliar o seu jogo numa liga inferior à nossa 2ª?

    Ponham lá o miúdo no banco e ao minuto 70, 75, é mandar o rapaz lá para dentro ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mordoga, em relação à ligação equipa A - equipa B, penso que seria vantajoso se tivessemos um plantel principal mais curto. Acho que faz sentido os menos utilizados da A descerem à B para ganhar ritmo de jogo, mas seria bom que houvesse mais oportunidades (mesmo que conjunturais por especificidades de um determinado jogo) para jogadores da B integrarem convocatórias da A.

      O meu receio é que, com os caminhos da A tapadas, haja desmotivação nos jogadores da B - pelo que tenho visto nos bocados de jogos que tenho visto parece-me uma forte possibilidade, e também não estou seguro que Barão seja o homem certo para aquele lugar.

      De qualquer forma, a II Liga tem 24 equipas, que representa 46 jogos ao longo do ano, pelo que é necessário um grupo grande que permita rotatividade. Mas por outro lado, também acho que seria bom colocar alguns dos miúdos em fases de evolução mais adiantadas a rodar noutros clubes da I Liga - coisa que não aconteceu.

      Em relação ao caso de Gauld, concordo - não faz sentido deixá-lo na B muito mais tempo. Mais vale estar no banco e gradualmente dar-lhe minutos - estou a assumir que o miúdo tem o valor que lhe deram ao contratá-lo por aquele montante, claro.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. É preciso ter uma coluna muito maleável para dar as cambalhotas que a maioria dos cumentadores dá neste assunto da formação.

    Os tipos bem tentam desprezar e achincalhar o Clube que em Portugal melhor trabalha a formação, desde os benjamins até à transição para o futebol profissional sénior.

    Os factos (nº e minutos de jogadores da formação no plantel principal; jogadores fornecidos à seleção principal e restantes Clubes ao longo de décadas) não os demovem, pelo que tenho a certeza que o constante desprezo e mentiras que debitam acerca da formação Leonina obedece a uma estratégia insidiosa de desmoralização e ataque ao SCP e seus atletas.

    Há uns tempos num programa de paineleiros qualquer, o tema foi a formação e conseguiram estar um programa inteiro sem referir uma palavra elogiosa ao SCP. No outro dia ouvi o Dani (Sportinguista?...) a dizer que os espanholitos do oporto é que apostam na formação!

    Enfim, mas também só os tolinhos e mentecaptos se deixam enganar pelos ventos mal cheirosos das nádegas.

    Para ler uma análise isenta e a verdade evidente acerca da formação e do rumo do Sporting temos de ler em estrangeiro:
    http://www.uefa.com/uefachampionsleague/news/newsid=2141144.html#rejuvenated+sporting+look+future

    PS. Caro MdC, é com agrado que verifico que a aposta na formação continua e que o nosso plantel cada vez mais é constituído por jogadores em que o SCP detém a grande maioria dos passes. Que diferença para a situação de há um ano e meio atrás! As nádegas que se enterrem com os fundos... Esta estratégia vai compensar enormemente a médio longo prazo. Que alívio retomarmos as rédeas do nosso destino!

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, sem tirar nem pôr.
      Obrigado pelo artigo, nota-se a diferença para os pasquins nacionais...

      Eliminar
    2. Sar, o blogue A Insustentável Leveza de Liedson fez um post exemplar sobre esse programa que fizeram na TVI24 sobre a formação.

      E em relação ao PS, estou totalmente de acordo. Gradualmente vamos voltando a ser donos do nosso destino em vez de estarmos a valorizar jogadores cujos passes pertencem maioritariamente a terceiros. Ainda vai demorar a inverter totalmente esta situação, mas estamos no bom caminho - ao contrário do que o Porto está a fazer.

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Começando por dizer que o número de contratações me parece excessivo e algumas totalmente desnecessárias, como a do Geraldes por exemplo ou a questão dos centrais e do seu acerto. Mas relativamente ao tema do post, a formação - Parece-me que certamente não seria apostar na formação despejar na equipa A mais 4 ou 5 jogadores assim sem mais, sem grande suporte, em especial num ano que se adivinha de grande exigência e de risco elevado.

    Será que integrar no plantel o Esgaio, o Tobias, o Wallyson, o Iuri, o Chaby seria apostar na formação? A mim parece-me mais queimar a formação.

    E bem depressa o disco se iria alterar para "só com miúdos não dá, é preciso experiência bla bla bla"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FCS, precisamente. É necessário integrar aos poucos os melhores da formação no meio de gente mais experiente, sem que tenham a pressão de carregar a equipa aos ombros.

      Este ano já temos Esgaio, e deve ser uma questão de João Mário aparecer. Parece-me equilibrado.

      Essa conversa do "só com miúdos não dá" ficámos nós fartos de a ouvir ao longo dos últimos anos (com exceção da primeira época e meia de GL). Para determinadas pessoas há sempre qualquer coisa que está muito errada na estratégia do Sporting, seja num sentido seja noutro.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Até concordo que despejar putos na A não é solução, agora, quando olhamos para os que foram contratados para que não tenhamos que os "despejar" na A, quer em termos de idade, quer de qualidade, fico a pensar se há realmente aqui uma estratégia de protecção dos miúdos ou outra coisa qualquer.

      Eliminar
  4. Aposta na formação (a formação faz-se até ao final da carreira)2 de setembro de 2014 às 14:08

    Depois da contratação de 3 dezenas de jogadores, a esmagadora maioria dos quais sem qualidade necessária para tirar o lugar dos que estavam no plantel do Sporting à altura da chegada do Bruno

    ... depois de gastos cerca de 25 milhões de euros...

    ... e com a constatação de que o Sporting fica bem servido pelos jogadores que já constavam nos quadros profissionais do Sporting à altura da chegada do Bruno à presidência...

    ... o Mestre de Cerimónias entende louvar a ""aposta na formação" realizada pelas direcções anteriores.

    Palavras para quê? É um artista português.

    Só é pena que entretanto os jogadores mais talentosos da formação do clube estejam a sair, para que o futuro-Bruno não possa "apostar na formação" de forma semelhante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahah!!!!

      Sim, a aposta na formação das direcções anteriores traduziu-se na contratação de jogadores de grande qualidade (Bojinov, Elias, Jeffren, Pongole, Schaars, Boulahrouz, Labyad, etc, etc...) que não tapavam os jogadores da formação e até foram baratinhos (contratação + prémios + comissões + ordenados...).

      Cereja no topo do bolo (de arroz) desta "estratégia" de aposta na formação, foi vender a eito e ao desbarato % de passes de jogadores da formação (!) para pagar os prémios e salários destas mais-valias (mais valia estarem quietos....). Ficámos nas mão dos fundos e dos bancos, mas isso é que era aposta na formação...

      Depois temos pormenores como a pior classificação de sempre e 90M€ de prejuízo em dois anos para dar força ao seu argumento... Enfim...

      Também gosto do gene Zandinga que em Agosto já diz que as contratações de jovens internacionais com muitos jogos e minutos de primeira liga nos seus países não têm qualidade...

      Claro que o "Bruno" (a indisfarçável azia com o garoto!) para apostar a sério na formação devia despachar todos os jogadores da casa que lá estavam desde as anteriores direcções e começar de novo... Raciocínio "brilhante"...

      O "Bruno" para a rua e eleições já!
      Tão engraçado estes trampiões a passarem-se por Sportinguistas...

      Eliminar
    2. Quem diria, já tem valor ser internacional. Só no centro da defesa já foram duas gerações à vida, falta o Tiago para vir mais um Maurício. E até os que caíram na grande aposta de renovar mantendo o valor contratual já começaram a cavar. Grande aposta na equipa B, não param de chegar e todos a pedido do treinador.

      Eliminar
    3. ahaha, desculpa, não consigo parar de rir, ahahahaha.

      Tu queres dizer que o rumo existente anteriormente é que era o correto? ahahahahahaha

      Eliminar
    4. Enfim, o que dizer dp de ler tanta estupidez. Primeiro, recomendo que não comece e acabe as frases com reticências. Não é para isso (?) que servem.

      Depois, apenas 2 reparos:

      "... depois de gastos cerca de 25 milhões de euros..."
      12,5M por época é muito? Mais gastou o Braga só este ano. Nem vou comparar com os rivais (que por essa lógica nunca o poderiam ser). Com o teu mestre flopes, chegámos aos 90M de prejuízo, por isso gastámos mais e tivemos resultados um bocadinho piores.

      "... e com a constatação de que o Sporting fica bem servido pelos jogadores que já constavam nos quadros profissionais do Sporting à altura da chegada do Bruno à presidência..."
      Metade da equipa (titular) não estava cá há 2 épocas: Jefferson, Sarr, Maurício, William (emprestado), Nani, Montero/Slimani.
      Do resto, eram apenas titulares o Patrício e o Cédric (carrillo dava uma perninha de vez em quando).
      E do resto do plantel nem falo: Schaars, bolo de arroz, elias, boji9, jeffren, e o resto do entulho que foi despachado andava a ocupar o banco e muitas vezes o 11, com os resultados vergonhosos.

      Fazendo uma ponte entre estas 2 barbaridades que escreveu: dos 25M gastos, quantos jogadores ficaram no plantel deste ano? E do prejuízo de 90M, quantos tiveram de ser despachados, quase a custo zero, por ninguém lhes pegar (valha-me o santo Pongolle)?
      Tente pensar um bocadinho pela sua própria cabeça. Pessoas como você fazem mal a este país... (reticências a serem usadas correctamente)

      Eliminar
    5. Nem sei o que dizer do comentário que começou este thread. O facto de se apostar hoje em Mané, Esgaio, João Mário e William, é mérito das direções anteriores? Nesse caso esta direção não poderá ter mérito nos próximos 8 anos, já que a maior parte dos juniores, juvenis e iniciados terão sido recrutados por direções anteriores.

      Quanto aos €25M, esperemos para ver o aproveitamento que darão ao clube. Mas para já não faz qualquer sentido comparar-se com os descomunais desperdícios patrocinados pelas direções anteriores (com a agravante de terem salários incomportáveis para o clube e que tiveram que ser resolvidos pela direção agora em funções).

      Eliminar
    6. Claro que o facto de se apostar hoje em Mané, Esgaio, João Mário e William é fruto de muito trabalho do passado. Pena foi outros que já saíram entretanto.

      Eliminar
    7. Facto 1: em todo o mundo só vejo uma equipa que aproveite tanto a formação como o Sporting: o Barcelona.

      Facto 2: por muito que custe a alguns, o Sporting da era Bruno de Carvalho é o que mais oportunidades deu aos jogadores da formação nos últimos 30 anos. E isto, meus amigos, é um facto e é indesmentível. Basta pensar nos casos do Adrien e do Cedric que andaram (incrivelmente) a ser emprestados enquanto nos endividávamos até à medula para ir buscar toda a espécie de lixo lá fora.

      Facto 3: os factos 1 e 2 demonstram que entre os adeptos do Sporting há gente muito estúpida como é inequivocamente o caso do senhor que comentou às 14h08.

      SL

      Eliminar
    8. Com tantos investidores aonde é que já ia o Adrien.

      Eliminar
    9. E o Cédric foi outro que também já renovou. E pensar que ainda há pouco tempo era pecado jogar na equipa principal sem 5 anos de contrato e alguns até já saíram por bem menos.

      Eliminar
  5. Caro Mestre, percebo o que escreve, ainda para mais se tentarmos encontrar semelhanças em Portugal. Não há. O caso mais gritante é o bernardo silva não servir aos 20 anos e o cristante servir com 19. Se não serve agora é porque a formação não o formou como devia ou porque não tem características de jogador de equipa A, e nunca vai servir.

    Esse problema não é nosso.

    Os nossos problemas são outros...

    - Estória mal contada do Matheus Pereira
    - Manter jogadores que precisam de evoluir em ambientes mais competitivos na equipa B (Chaby, Iuri,...)
    - ...

    Temos de trabalhar melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniel, no caso de Matheus Pereira, não sabemos por quanto queria renovar. É preocupante que existam alguns jovens a sair prematuramente, mas creio que não será por falta de vontade da direção em mantê-los. Se há uma política de remunerações definida (e acredito que existam exceções previstas para premiar os melhores em relação aos outros) há que segui-la.

      Quanto ao 2º ponto, estou de acordo. Acho que há alguns jogadores que ganhariam muito em serem colocados em equipas de 1ª divisão - Chaby, Iuri e também Tobias e Wallyson, na minha opinião. Se existissem mecanismos que lhes assegurassem tempo de jogo relevante, claro.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Mestre,

      Existem mecanismos que lhes podem assegurar tempo de jogo relevante. Basta que o SCP escreva no contrato que por cada jogo a titular, o SCP cobrirá 5% do ordenado do jogador.

      Eliminar
    3. Exatamente, Mike. Essa estratégia foi seguida pelo Porto durante anos. Se jogarem muito, o clube que os recebe praticamente não tem custos com eles. É eficaz e todos saem a ganhar. Um abraço.

      Eliminar
  6. O Sporting tem esta tradição de facto, o que muito nos orgulha. Tenho visto um interesse na exploração de novos mercados a nível da formação e muito gostaria que BdC não esmorecesse este capítulo. A melhor forma de captar talento fora é fazer com que eles queiram vir. Estar nos locais onde despontam talentos é a melhor forma de o conseguir. Temos muitos ex-jogadores que são símbolos do SCP espalhados pelo mundo, utilizem-nos. Façam parcerias com organismos oficiais locais. Não precisam ser mega estruturas, antes pelo contrário. Pequenas estruturas são mais ágeis e adaptáveis. Quem não consegue ver uma Academia Balakov ou Iordanov a funcionar na Bulgária, ou uma Academia Juskowiack na Polónia, ou ainda uma Academia Jordão em Angola?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Vê de Verde. Utilizar as ligações que temos com antigos jogadores que voltaram aos seus países de origem seria uma boa forma de estender a área em que recrutamos jogadores. Um abraço.

      Eliminar
  7. O Sporting tem esta tradição de facto, o que muito nos orgulha. Tenho visto um interesse na exploração de novos mercados a nível da formação e muito gostaria que BdC não esmorecesse este capítulo. A melhor forma de captar talento fora é fazer com que eles queiram vir. Estar nos locais onde despontam talentos é a melhor forma de o conseguir. Temos muitos ex-jogadores que são símbolos do SCP espalhados pelo mundo, utilizem-nos. Façam parcerias com organismos oficiais locais. Não precisam ser mega estruturas, antes pelo contrário. Pequenas estruturas são mais ágeis e adaptáveis. Quem não consegue ver uma Academia Balakov ou Iordanov a funcionar na Bulgária, ou uma Academia Juskowiack na Polónia, ou ainda uma Academia Jordão em Angola?

    ResponderEliminar
  8. Não conseguiram impingir o Shikabala nem ao Leonardo nem ao Marco que papa tudo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O flop Shikabalo custou-nos 200 mil euros euros.
      Quantos flops que custaram 10 vezes mais pelo menos, podemos encontrar na Luz ou no Dragão?

      Eliminar
    2. Espanholito corrupto, não tens mais nada que fazer?
      Não há blogs da Doyen BálonPie ou do Alverca 2.0 para ires vomitar veneno?

      Eliminar
    3. Para além de outros prejuízos, a Doyen vai-se transformar rapidamente no palácio de gelo do SCP que o burlão já tinha tentado na Expo. E ainda hoje mais um jogador de saída fez referência ao prestigio que o chefe da claque empresta ao clube. Vá lá que nem o Rojo confunde o aldrabão com a instituição.

      Eliminar
  9. Vamos lá ver a formação do Sporting nestes ultimo ano e meio (com BdC) deu:
    - 3 jogadores que foram vendidos ( Dier, Ilori e Bruma);
    - 5 jogadores que jogam no onze titular ( Patricio, Cedric, W.Carvalho, Adrien, A.Martins)
    - 3 jogadores que vão completando o onze sempre que preciso (Esgaio. J.Mario e Mane)

    Quer dizer neste espaço de tempo o sporting soube rentabilizar alguns activos (25 milhões em 2 anos), manter ainda o nucleo duro da "casa"(o tal ADN do Sporting) no onze inicial e ainda lancar mais jogadores que se prepararam para ir entrando (com as naturais vicissitudes sobre o que é lançar um jogador).

    Eu sei que queremos sempre ver mais jogadores e talvez num ou noutro caso se possa ter razão, talvez Tobias e Wallyson merecessem mais em comparação com P.Oliveira e Slavchev, mas daí a dizer que o Sporting esqueceu a sua formação parece-me um exagero

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. J., estamos a ter um aproveitamento bastante razoável. Creio que também ninguém pode condenar as contratações de Paulo Oliveira e Slavchev - jogadores muito utilizados ao longo dos últimos anos e com características que à partida seriam importantes para o Sporting. Não pegaram até agora, é verdade, mas ainda há muito tempo. Da mesma forma que não sabemos como se comportariam Tobias e Wallyson se ocupassem os seus lugares no plantel principal.

      É um balanço que terá que ser feito daqui a uns meses.

      Um abraço.

      Eliminar
  10. É de facto de dar os parabéns à formação do Sporting, clube que empatou com a Académica, ganhou nos descontos ao Arouca em casa e só pontuou com os galináceos devido ao aviário de avestruzes do Artur, já está no 8º lugar, ou seja, no segundo terço, da classificação.

    ResponderEliminar
  11. Vamos imaginar por um instante que o Sporting se apresentava na Luz depois de um empate em Coimbra e de uma vitória muito sofrida em casa com o seguinte 11:

    Patricio, Esgaio, Tobias, Mauricio, Jefferson, Wiliam, Adrien, João Mário, Carrilho, Nani e Montero/Slimani.

    E no banco tinha por exemplo o Ruben Semedo, Wallyson, Chaby, Iuri Medeiros e o Mané.

    E que realmente o jogo corria mal.

    Quais seriam as perspectivas para a temporada? Num ano com Champions?

    Que ambiente teriam todos estes miúdos que suportar? Tendo sobre eles a responsabilidade de carregar com a equipa?

    Seria este Sporting mais candidato?

    Realmente não é este o meu conceito de apostar na formação.

    ResponderEliminar
  12. Ahh e não esquecer o jovem treinador vindo de um Estoril.... um cenário prometedor sem dúvida.

    ResponderEliminar
  13. Mas não era este treinador, que os benfiquistas queriam, depois do Jesus se ter ajoelhado no Dragão.

    ResponderEliminar
  14. Caro mestre,

    A propósito deste tema, um post bem divertido. Definitivamente, uma das melhores coisas da internet é ter memória...

    http://geracaobenfica.blogspot.pt/2014/07/benfica-marca-posicao-agora-com-formacao.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Delicioso, Férenc, delicioso... eu costumo lê-los e já não me lembrava deste post. A internet é mesmo uma coisa tramada. :)

      Eliminar
  15. Dos 8 acima arrolados sabe-se que:
    Patrício e Adrien - fazem parte do plantel pela iniciativa de PBento. Um sempre lá esteve e o outro foi emprestado e recuperado pelo Mesmo que o achincalhou na final da taça com a AAC com os lindos resultados que se sabe.
    Cedric - foi introduzido no plantel pelo PSergio num jogo na Bélgica pouco jogou depois e fez o mesmo percurso que o Adrien
    Nani - remonta aos tempos do Soares Franco. Estarei errado? Acho que não
    Martins - andou emprestado e fez as primeiras aparições decentes no tempo bom do DPaciência
    Esgaio - vi-o a ser utilizado no tempo do Vercauteren. Lembro-me de estar em Alvalade num celebro jogo da LEuropa contra o Videoton e vê-lo jogar pela primeira vez na equipa A. Tb acho que não estou errado
    Todos estes são anteriores ao BdC restando apenas o WC e o Mané, sendo que mesmo o WC já tinha jogado antes na equipa A, anteriormente ao empréstimo para a Bélgica. resta por isso o Mané.
    Ora, pelo que se percebe esta política de utilizar jogadores da formação já não é de agora, do tempo de BdC, e nem sequer tem sido uma história de sucesso como se depreende pelos empréstimos a que mesmo alguns destes foram sujeitos (muitos outros foram e por lá ficaram ou voltaram e perderam-se) e já nem falo do Carriço.
    É um facto que joga um número de elementos fruto da formação na equipa A mas tal acontece mais por necessidade do que por uma questão de identidade ou estratégica, porque o SCP está semi-falido e usa a prata da casa. Caso pudesse outro galo cantaria e o plantel do SCP seria mais parecido com o dos rivais. Como está teso o clube e não ganha nada, inventou-se este mito que, desde que a equipa B injectou recursos para evitar a descida 2 anos atrás, passou quase a questão sacra.
    Mas no fundo é um disparate. De todos os 8 só o Patrício simboliza um aproveitamento continuo do trabalho da formação (o Mané veremos) e em todos os outros casos o percurso não é imaculado e põem em causa esse mito tão conveniente.
    A verdade é que a aquipa B safou o SCP da maior vergonha da sua história e continua a ser tratada de uma forma que não é condizente com o mito criado, senão vejamos:
    1. A equipa B serve para rodar os que não são convocados ou recém-chegados
    2. Muitos dos que para lá vão contratados, nunca ou quase chegam a treinar com a A
    3. Muitos dos que fazem o percurso na formação e que são considerados excepcionais ficam barrados na equipa B AD eternamente (iuri e Chaby, ex.)
    4. Em setores que são lacunas constantes ou mesmo pontuais (caso de lesão) como no caso de PL jogadores da B que marcam vários golos na 2 liga (dramé, enoh) não são aproveitados qd podiam ser convocados e quiçá até jogar contra os Aroucas desta vida, pois estão fartos de marcar a esses Aroucas na 2liga. Ou será que quem os serve ou assiste para golo na 1liga será mais incompetente do que aqueles que o fazem na 2liga (os gaulds e afins)
    5. Chega-se a contratar jogadores estrangeiros dos mesmos países de outros que já lá estão para posições similares (sacko irá passar pela B)
    6. Fazem-se adaptações de posição de jogadores na B (Esgaio e Mané, ex.) que contrariam tudo aquilo que foi feito ao longo da formação com esses jogadores. O exemplo do Esgaio é absurdo: tem que ser utilizado a DD, qd podia fazer todo o corredor pois não foi a DD que ele marcou mais de 20 golos (embora alguns de PENALTY) na 2liga, e ainda por cima qd tinham contratado o Geraldes que é uma bela m**da. Que sinal estão a dar a quem vem da B
    É está a política de formação. Ou será parte de incompetência associada ao mito criado?
    Claro está que se o factor 45 ou 60 der frutos em 1 ou 2 casos nós próximos anos (como é provável no caso do WC) teremos a propaganda na hora do presidente a desenrolar todo o mérito da tal política, qd muito do que está feito foi iniciado muitos anos atrás e parte do que agora está a ser feito, está a Ser MAL FEITO.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esclarecedor, só não vê quem não quer. E quem não vai na propaganda oficial ainda é lampião.

      Eliminar
    2. Realmente, agora que penso nisso!

      Além desses jogadores já existirem há um ano e meio, se formos ver bem e se a memória não me engana não são a única coisa que já existia antes do "Bruno"!!!

      Vejamos, o Estádio José Alvalade já lá estava antes do BdC! Anda agora o garoto a aproveitar-se das infraestruturas criadas por outros só para alimentar o seu ego?!? Que desfaçatez!

      Já que fala da formação... E a Academia?!?!? Se bem me recordo até já completou 10 anos de existência! Bruninho, se realmente quisesses apostar na formação, mandavas a academia abaixo, loteavas o terreno e construías a nova Academia BdC!
      Assim também eu! É só aproveitar o que os outros deixaram e colher os louros. Fácil!
      E claro como se pode falar em aposta na formação quando os iniciados que foram para a academia na presidência de Godinho ainda lá continuam!!!

      Enfim, poderíamos continuar. Agora compreendo todo o logro do "Novo SCP". Afinal o Bruno herdou tudo! jogadores da formação, craques como o jeffren, boularhouz, labyad e elias, 440M€ de passivo, os próprios sócios e o Clube já lá estavam antes pelo que é óbvia a gigantesca manobra de decepção e burla em curso!

      Ahhh e fomos nós jogar com o Montero e o Tanaka e o Esgaio a DD, contra a AAC e o Arouca quando podíamos ter utilizado o Enoh de início (em vez de Montero), o Cissé entrava quando entrou o Tanaka e o Esgaio tinha jogado no lugar do Nani! Aliás, não se percebe como temos equipa A quando 90% dos jogos são contra Aroucas que os B estão habituados a esmagar.

      I was blind but now i see!

      PS. Eric D. vamos lá levantar a cabeça e ajudar a manter a reputação da academia SCP (mesmo que isso ajude o garoto burlão!). Este hat-trick defensivo que fizeste na última jornada não está com nada. Imagina se fosse o Sarr a fazer aquilo...

      Eliminar
    3. Eric, ninguém está a dizer que Bruno de Carvalho descobriu a formação. Felizmente, ao longo da nossa história, a nossa formação tem sido uma fonte de talentos aproveitados pela equipa principal (infelizmente não mais porque os deixamos sair demasiado cedo), interrompido apenas por algumas exceções.

      Mas que neste momento o Sporting está a aproveitar a formação, não há dúvida nenhuma - e não concordo com essa colagem a Esgaio ter sido lançado por Vercauteren e William por Couceiro - lançar não é apostar nos jogadores num jogo e fazê-los desaparecer de cena. Quem lançou William foi Leonardo Jardim. Vamos ver se Esgaio continua a ser uma aposta recorrente.

      Um abraço.

      Eliminar
  16. Interessante a maneira como classificam o empréstimo(ou venda) do Bernardo, Cavaleiro e Cancelo como "despachar". Se vender ou emprestar um jogador que vem da formação é despachar, não resisto a fazer a pergunta: quantos jogadores da formação o Sporting aproveitou? Isto é, que não vendeu ou emprestou? Parece que o critério é ficar no clube a carreira, é isso? Isso só acontece quando os jogadores não são bons o suficiente para alguém lá fora os querer, como o Patricio....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Islander, o Bernardo, o Cavaleiro e o Cancelo não saíram pelo que já demonstraram ou pelo que ainda poderão demonstrar. O Mónaco não olhou para o Bernardo e disse: "aqui está a solução para os nossos problemas". O mesmo para o Valência. No caso de Cavaleiro, acho que a colocação que lhe arranjaram faz sentido para a sua evolução, mas não deixa de ser uma saída por não ter espaço para se impor no Benfica.

      Aliás, tanto quanto me parece, os três saem porque foram oferecidos aquando da venda de Rodrigo e André Gomes, pelos serviços prestados pelo Jorge Mendes.

      O Sporting desaproveita muitos jogadores da formação. É um facto. Mas isso é inevitável. Andamos a formar 20 jogadores por ano, e é impensável que todos possam chegar à equipa principal. O que se pode discutir é o que anda a acontecer a alguns dos melhores - será que não se poderia ter feito mais para manter Matheus Pereira? Será que não faria sentido apostar em Iuri em vez de contratar Héldon ou Sacko?

      De qualquer forma, o que faz sentido (em teoria) é integrar por ano 2-3 jogadores. Este ano parecem ser João Mário e Esgaio, que se juntam a Mané e William (lançados no ano passado) e a outros que já tinham sido lançados antes, como Patrício, Cédric, Adrien e André Martins. A mim parece-me uma abordagem equilibrada.

      Eliminar
  17. Esta questão da formação (o "orgulho" dos sportinguistas) é das matérias onde nunca percebo do que estão a falar. Onde começa e onde acaba? Acham que formar jogadores é a partir de que idade? Aos 17 anos um jogador já está formado? Por exemplo, Nani veio para o Sporting com 17 anos do Massamá. Quem o formou? Onde foi formado André Gomes?(FCP). A formação é só de jogadores portugueses? Messi foi formado onde? James Rodriguez quando chegou ao FCP já estava formado?

    Claro que gosto de ver no meu clube (FCP) jogadores da casa, por exemplo o Ruben Neves, gostaria de ver muitos mais como eles, mas olho para o orgulho dos sportinguistas e vejo a vitrina de troféus em futebol vazia, olho para o meu museu e vejo a vitrina cheia de taças nacionais e internacionais. Só de 2000 para cá, a diferença é esmagadora.

    Mesmo assim desafio os sportinguistas a procurarem nos seus registos se a sua formação rendeu tantos títulos e dinheiro em transferências como renderam os nossos Vítor Baías, Ricardos Carvalhos, Brunos Alves, Rui Barros, Sérgio Conceição, Fernando Couto, Domingos, Postiga, etc. Aliás, alguns sportinguistas nem sabem que jogadores que eles "adoraram" foram formados no FCP - Oliveira, Pedro Barbosa, Rui Jorge e Sá Pinto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo todos esses argumentos e concordo que a aposta na formação está longe de ser a única via para se conquistar títulos - bem pelo contrário. Mas aqui o que está em causa não é dizer que o Sporting é melhor que os outros porque aposta na formação.

      O objetivo deste post é rebater as afirmações que se ouvem por aí a dizer que o Sporting NÃO aposta na formação - o que é completamente falso.

      Eliminar
    2. Mas afinal quantos profissionais da formação é que o Mestre tem o prazer de conhecer? Porque não é a direcção e muito menos os adeptos que sabem alguma coisa sobre a aposta na formação. A realidade é que o clima vivido na formação nunca foi tão mau. Ajuda?

      Eliminar
    3. Bem, se o critério é não poder falar sobre formação porque não conheço ninguém da formação do Sporting, então estou mal. E já agora, como não conheço ninguém da equipa técnica, mais vale deixar de falar na antevisão e rescaldo dos jogos. Vendo bem, o blogue não faz qualquer sentido.

      "A realidade é que o clima vivido na formação nunca foi tão mau." --> aqui se calhar já posso dizer alguma coisa com conhecimento de causa. É algo inevitável quando não há dinheiro. Se o meu amigo já trabalhou em alguma empresa em que foi necessário fazer despedimentos e reduções salariais, saberá certamente que os que ficam, mesmo que poupados ao despedimento, não ficam propriamente nos píncaros da motivação.

      Se houvesse dinheiro para dar melhores salários a treinadores e jogadores, se não tivesse sido necessário tomar decisões difíceis, certamente que o clima (dando de barato que está num fundo histórico) seria bem melhor.

      Eliminar
    4. Eu neste caso restrinjo-me à formação, já os blogues julgo que servem sempre os seus autores. No caso da formação, cada um diz o que quer e pelo que se lê há sempre opiniões para todos os gostos. E para falar sobre qualquer assunto da casa do Mestre quem é que está mais habilitado ou avalizado? O Mestre, o senhorio ou algum vizinho desempregado? Finalmente em matéria de recursos e quanto às restrições financeiras que aborda e que hoje já ninguém ignora mais do que a quantidade interessava tentar perceber as prioridades. Também exactamente como na na casa de cada um e muito embora não tenha sido eu a levantar a lebre da falta dos investidores, até porque há sempre tanta mas tanta coisa mais importante que o dinheiro no que respeita à formação. E também ninguém quer ver mais a equipa principal vencer sempre que os profissionais da formação.

      Eliminar
    5. Já percebi que acredita que o Sporting não está a apostar na formação como deveria. Não concorda com o facto de o investimento na academia ter caído da forma como caiu, e acha discutível que dinheiro que podia ser em parte aplicado na melhoria da formação (dando melhores condições logísticas e materiais a técnicos e jogadores da academia).

      É esse o seu ponto de vista? Se é (apesar de não conhecer ao certo o nível do desinvestimento), não deixarei de lhe dar alguma razão.

      Mas apesar de haver um desinvestimento, isso não significa que a academia desapareceu. Continua-se a trabalhar diariamente no desenvolvimento de jogadores, e creio que o clube continua a acreditar na necessidade de aproveitar os melhores elementos das camadas jovens como nenhum outro dos grandes, que são quem têm maiores responsabilidades neste departamento, faz em Portugal.

      Eliminar
    6. * e acha discutível que dinheiro que podia ser em parte aplicado na melhoria da formação (dando melhores condições logísticas e materiais a técnicos e jogadores da academia) anda a ser desperdiçado em estrangeiros cuja mais-valia em relação aos que cá estão é discutível.

      Eliminar
  18. O Sporting aposta (mais) na formação por estratégia ou por necessidade financeira? O que eu questiono é essa aposta não ter tradução em resultados desportivos, os jogadores quase não chegam a jogar pelo clube mais do que 1 ou 2 anos, querem logo dar o salto... e quem manda no sporting também cede logo às primeiras abordagens financeiras, vide CR, Quaresma, Simão, e recentemente Bruma, Ilori, etc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma questão pertinente, caro anónimo. Creio que é um misto das duas. A aposta na formação feita em 2012/13 foi nitidamente um caso de necessidade, pois a equipa B deslocou-se em peso para o plantel principal quando a época já era dada como perdida.

      De qualquer forma, ao longo da última década, com o clube mais ou menos saudável em termos de finanças, sempre lançámos jovens da casa na equipa principal: Nani, Moutinho, Carlos Martins, Djaló, Pereirinha, Ronny, Custódio, Daniel Carriço, Miguel Garcia, Carlos Saleiro, Hugo Viana, Miguel Veloso, André Marques, Paíto, Adrien, Rui Patrício, André Martins, e por aí fora.

      O facto de os melhores se aguentarem pouco tempo é realmente um problema que urge resolver. O facto de William ter ficado mais um ano, para já, é um bom sinal em como se está a tentar inverter a situação. Porque concordo - o Sporting não devia vender jogadores sem que dessem pelo menos 3 épocas de rendimento desportivo ao clube. Caso contrário, nem o plantel estabiliza, nem se ganha uma cultura de compromisso com o clube.

      Um abraço.

      Eliminar