segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A quantidade também tem as suas virtudes

                                                                                                                                                    
Dizia Jorge Jesus no lançamento do derby que o Sporting deste ano é uma equipa com mais... quantidade, ao referir-se às diferenças que separam a equipa comandada por Marco Silva daquela que Leonardo Jardim conduziu ao segundo lugar na época passada. Este não elogio de Jesus não passou de uma alfinetada no meio de outras observações pouco simpáticas que fez sobre o Sporting (incluindo na conferência de imprensa após o jogo), mas não discordo do que o treinador benfiquista disse, no sentido em que o Sporting deste ano tem muito mais soluções capazes de, a meio de um jogo que não está a correr de feição, repor o equilíbrio necessário em situações de maior aperto. 

A verdade é que foi essa quantidade que, lançada no momento certo, acabou por ser decisiva para primeiro estancar, e depois inverter, uma tendência do jogo entre os 55 e os 65 minutos onde o golo encarnado parecia adivinhar-se a qualquer momento. 

Marco Silva mexeu bem na equipa, primeiro apostando em Capel para manter a bola em nossa posse, arrancar umas faltas e quebrar o ritmo de jogo que estava demasiado sufocante, e depois colocando Mané e Rosell para refrescar o meio campo numa altura em que o jogo já estava mais partido, contribuindo para o crescimento do Sporting no jogo nos últimos minutos em que a vitória acabaria por escapar devido a uma extraordinária defesa de Artur.

Contra isto, provavelmente Jesus desejaria ter mais... quantidade. Fez apenas uma substituição, aos 86', sendo incapaz de interferir no desenrolar do jogo por notória falta de confiança nos jogadores que não fazem parte do onze.

A inacreditável fífia de Artur que está na origem do golo de Slimani acaba por ser o momento incontornável do jogo, que teve várias alternâncias no domínio ora de uma equipa ora de outra (apesar de o domínio mais acentuado ter sido do Benfica na primeira metade da segunda parte), e em que o empate acaba por ser o resultado mais certo - apesar de, confesso, ter-me sabido a pouco pela forma como o Sporting terminou o jogo.



Aplausos

Inteligência na exploração das fraquezas do adversário: o Sporting percebeu os pontos fracos do Benfica e insistiu, insistiu, insistiu nos lançamentos para as costas da linha defensiva adversária e na pressão imediata sobre o jogador do Benfica que recuperava a bola. O golo, apesar de ter sido um erro gravíssimo de Artur, só acontece porque Carrillo não desistiu dessa pressão e porque Slimani já se aproximava para fechar as linha de passe no lado oposto. Era esse o plano e o plano deu frutos porque ajudou a provocar um erro que nos deu o golo do empate. Muitas vezes diz-se que um jogo é decidido nos detalhes - e foi precisamente isso o que se passou aqui.

Mexer bem na equipa e na altura certa: Marco Silva conseguiu provavelmente evitar a derrota ao lançar Capel, que foi importantíssimo para estancar o domínio de jogo do Benfica numa altura em que já se adivinhava o 2-1. Refrescou a equipa com Mané e Rosell a 10 minutos do fim, que foram decisivos para que o Sporting terminasse a partida em claro ascendente sobre o adversário. Não arriscou e tirou os amarelados Carrillo e Adrien - num jogo destes um segundo amarelo poderia surgir a qualquer momento e deitar tudo a perder. Esteve muito bem o nosso treinador.

A presença de Slimani: devolveu ao Sporting aquilo que era mais que evidente para todos - precisamos de mais, muito mais presença na área adversária. O golo foi provavelmente o mais fácil da carreira do argelino, e até teve mais algumas ocasiões para marcar que acabou por desperdiçar, mas é um animal de área que torna o Sporting imediatamente mais perigoso. Vem de uma ausência prolongada que pode explicar a ferrugem demonstrada na finalização, mas é imperioso que continue no plantel.

Carrillo primeiro, Nani depois: na primeira parte Carrillo foi o elemento que mais tentou desequilibrar (em oposição a um Nani discreto), mas mesmo assim nunca deixou de trabalhar incansavelmente em tarefas defensivas. Voltou a confirmar a mudança de atitude em relação ao passado, estando continuamente focado naquilo que tem a fazer em campo, com e sem bola, o que o torna num dos jogadores mais valiosos que temos. A experiência de Nani veio ao de cima a meio da segunda parte, tendo sido decisivo para inverter uma tendência de jogo que nos era desfavorável. Fez uma assistência de morte perto do final que Slimani por pouco não converteu no golo da vitória.

A segurança de Rui Patrício, Esgaio e Sarr: Patrício foi um esteio de tranquilidade para a equipa, tendo brilhado com um punhado de intervenções muito complicadas. Esgaio e Sarr, que pela sua falta de experiência pareciam ser os pontos fracos a explorar pelo Benfica, estiveram muito bem. Prova inteiramente superada.


Assobios

As incertezas à volta de William: não é que William tenha jogado mal, mas esteve longe do monstro que vimos vezes sem conta durante a temporada passada. Certamente que os rumores de mercado terão alguma coisa a ver com um início de época abaixo do que se esperava dele. Para o melhor ou para o pior, é um assunto que estará resolvido amanhã - mas como é óbvio, será fundamental que William continue connosco.

A intranquilidade de Maurício e a concentração defensiva de Jefferson: o central voltou a mostrar-se demasiado nervoso, principalmente com a bola nos pés, enquanto que o lateral ficou ligado ao golo do Benfica - pareceu-me que podia ter feito melhor na cobertura a Sálvio no início do lance do 1-0. Aliás, o Benfica insistiu nos ataques pelo nosso flanco esquerdo precisamente por saberem que Jefferson tem algumas lacunas nesse departamento.


Conquistar um ponto na casa dos rivais é sempre um resultado positivo, independentemente das incidências do jogo que acabaram por se verificar. Mantemos a desvantagem de dois pontos em relação ao Benfica e passamos a ficar a quatro do Porto, mas acaba por ser um resultado moralizador que fecha um ciclo de jogos marcado por uma enorme instabilidade na constituição do plantel. E ao contrário do que muitos pensavam, saímos desse ciclo bem vivos.

15 comentários :

  1. Respostas
    1. Acho que não, Peyroteo, parece-me um caso de bola no braço. Um abraço.

      Eliminar
  2. Penso que nao foi um grande derbi,foi bem disputado mas nem sempre bem jogado e começou
    bem azedo,va lá conseguiram mater os 22 em campo.
    Como disse nao foi grande jogo,foi mais de entrega do que outra coisa qualquer,derbi de inicio de epoca,mas melhor resultado para o sporting do que para o benfica.
    Nota positiva para Sarr,parece ser bom jogador,rapido e possante,bom jogo de cabeça e algo muito importante e que venho a acompanhar nos jogos do mesmo,muito dificilmente perde um lance pelo ar.
    Nao entendo os tremeliques de mauricio,é experiente devia estar como peixe dentro de agua e nao esta nao esteve so nervoso neste jogos,ja nos outros anteriores tambem esteve.
    Gostei do esgaio é sem duvida uma boa alternativa a cedric.
    Jefferson esteve bem mas pelo que vi de jonhatan silva vai ter concorrencia á altura.
    Carrillo,que dizer de carrillo,grande jogador,pena é que ás vezes tenha a cabeça por certo no peru,ontem mostrou aquilo que pode fazer,ontem se nao tem visto aquele amarelo tinhamos jogador para deixar o maxi ou o eliseu na pre reforma,tal o poderio tecnico do rapaz.
    Na frente devo dizer slimani enche a area,que perigo,a defesa do benfica borou a cueca toda com o gajo,e que nao podiam dar uma nesga ao homem que lá estava ele.Uma coisa sei tanto ele como montero sao bons e tanaka tb parece ser,mas slimani mete respeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, acho que Marco Silva deveria explorar, contra equipas mais fechadas, um ataque com Montero e Slimani. São dois jogadores que se complementam (um mais fixo e outro bem mais móvel que não se importa de ir atrás buscar jogo). André Martins tem trabalhado muito mas infelizmente não está a confirmar as indicações que deu na pré-época e voltou ao registo da temporada passada - sempre muito longe da baliza e do PL.

      Este Maurício não pode ser titular. Ou se acalma e volta a ser o jogador incisivo que foi na época passada, ou tem que dar o lugar a outro...

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Voltaram ao Sporting os problemas defensivos,basta ver como o golos deles foi conseguido.Com a saida do Dier e do Rojo a defesa está bastante mais fraca.Falta--nos um patrão,por exemplo um Luisão.

    De resto continuamos sem um 10.O André Martins não é o 10 que precisamos.Gostaria de ver o Montero ou o Mané nessa posição com o Slimani mais adiantado.

    Ontem empatou-se com a grande ajuda do Artur.O Sporting tem de jogar mais futebol.Assim vai ser complicado lutar pelos primeiros lugares.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou preocupado com Maurício, King Lion. Não é um jogador brilhante, mas tem estado muitos furos abaixo do que fez na época passada. Resta saber se Oliveira e Rabia (ou mesmo Tobias) o poderão substituir se continuar assim.

      Eu acho que o Sporting fez um bom jogo. Não é muito razoável esperarmos que a equipa chegasse à Luz e dominasse o jogo todo - o Benfica pode ter tido muitas saídas mas continua com um onze muito forte.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Boas
    Começo como o primeiro comentário, Luisão fez penalty, logo no inicio do jogo e ninguem fala disso, os médias fizeram um silencio sobre o penalty, tem os braços atrás das costas mas abre para impedir a bola de passar, segundo o Artur não deu nenhum frango passam-lhe a bola á queima e ele chuta, acontece que estava o nani no sitio certo, o resto é pura oportunidade do Sporting, ninguem falou que tivemos mais minutos com a bola de jogo, metade das faltas do Benfica, ou seja o empate pode ser justo, mas como o futebol é assim deviamos ter ganho aos 88 minutos e ai queria saber o que iam dizer os merdias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, não estou de acordo em relação ao penálti. O Luisão tem os braços atrás das costas e não podia evitar que a bola lhe batesse no braço quando se virou.

      Quanto ao Artur, numa situação de pressão tinha que mandar a bola para longe. Felizmente hesitou e ganhámos nós com isso - mas é claramente um jogador sem confiança, que abana aos primeiros sinais de dificuldades e é incapaz de recuperar mentalmente. Eu não quereria um GR destes na baliza do Sporting.

      Foi pena a defesa que fez ao remate de Slimani aos 88'.

      Um abraço.

      Eliminar
  5. Boa análise Mestre de Cerimónias.

    Agora que voltámos a jogar com ponta de lança, fica evidente a falta de um 10.

    Estou em crer que na maior parte dos jogos da liga portuguesa Montero e Slimani sejam utilizados por Marco Silva em simultâneo.

    Maurício ontem esteve irreconhecível e tenho pena que Paulo Oliveira não esteja a evoluir da forma que se pretendia... podemos vir a ter problemas nesta zona!

    Saudações Leoninas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raf77, também acho que se justifica começarmos a jogar com dois PL (Montero ou Mané mais recuados). De acordo em relação à questão dos centrais - é uma pena que Oliveira se esteja a demorar a afirmar. E ainda há Rabia, vamos ver no que dá.

      Um abraço.

      Eliminar
  6. MdC

    O Benfica continua a ter uma boa equipa,tem Luisão,Enzo,Sálvio e Gaitan que são jogadores acima da média e infelizmente nenhum deles vai sair.O Benfica é um candidato ao título embora com a saída de Rodrigo e Cardozo em termos ofensivos está pior.Hoje espero que eles não consigam contratar o tal ponta de lança que tanta falta lhes faz.Diziam mal do Cardozo mas para o nosso campeonato assentava como uma luva.Mal o deles.

    É fundamental a nossa defesa encontrar estabilidade,uma equipa que se quer campeã tem de ter uma defesa de betão !...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, Cardozo fará muita falta ao Benfica se não contratarem nenhum ponta de lança. Não tinha grande mobilidade, mas era um matador. Não podem é tentar pedir-lhe coisas que não batem com as suas características. É um caso semelhante ao de Slimani. A sua presença é sinónimo de mais trabalho para as defesas adversárias - apesar de Slimani ser mais batalhador, e Cardozo ser muito melhor a finalizar.

      Um abraço.

      Eliminar
  7. Bom texto MC, como de hábito.

    Gosto acima de tudo, sã abordagem positiva na análise...

    Está o mundo sportinguista em pânico, por termos empatado en casa do campeão em título !!

    Claro que é preciso relativizar as coisas, este benfica não é o do ano passado mas tb não é o benfica do Ribatejo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente não percebo tantas preocupações que um empate na Luz levanta... como se Gaitan e Sálvio não tivessem talento para colocar problemas à melhor das defesas... Um abraço.

      Eliminar