segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Afinal os zombies também falam

                                                                                                                                    
in record.pt

Uma figura que está associada ao pior período da história da arbitragem em Portugal, tantos e tão frequentes eram os escândalos a favorecer invariavelmente os mesmos, ainda se sente no direito de vir mandar umas bocas sobre o assunto. Que falta de descaramento.

Uma espécie de Tom Hagen (quem não souber quem é, procure na net) da estrutura de poder que contaminou o futebol português durante décadas.

Após a decisão tomada pelo CD na semana passada, o Apito Dourado pode ter sido definitivamente enterrado, mas o facto de as escutas serem dadas como inadmissíveis em tribunal não significa que aqueles factos não tenham acontecido. O facto dos processos serem anulados por tecnicalidades legais não apaga a podridão que esta gente espalhou pelo futebol português.

Podia colocar aqui uma escuta ou outra para a assinalar a ocasião, mas em homenagem ao legado do zombie prefiro recordar dois momentos que demonstrem aos mais novos o que era a arbitragem nos anos 90 (não, não são os 100 metros costas de José Pratas a fugir de Fernando Couto e Cª). Esqueçam as conversas em código da fruta e café com leite que vigorava já no século XXI. Nos anos 90 era mesmo tudo às claras.



12 comentários :

  1. Bem se esforçam mas ninguém vos liga nenhuma. Comem a palha encarnada que o Vieira vos dá e já é um pau.

    ResponderEliminar
  2. o anónimo das 15:18 é dos que gostam de corrupção, seja no desporto seja na vida. não é o vieira: são as PROVAS. AS ESCUTAS CUJO CONTEÚDO É CLARO. as da fruta. as da rede de distribuição de quinhentinhos. a viagem de calheiros ao brasil, paga pelo porto, confirmado pelo banco.

    meus caros, a propósito do foro oftalmológico deviam colocar aqui o penalty perdoado ao porto em paços de ferreira, na 2ª jornada, que dava o empate... afinal o lourenço tem razão. mas ao contrário, já que em alvalade não a teve, em guimarães a mesma coisa (golo bem anulado, penalty contra bem marcado e ainda por cima o casimiro com vermelho perdoado...) e com o boavista a mesma coisa...

    ResponderEliminar
  3. Só podemos dizer que estamos no bom caminho quando vemos tripeiros e lampiões a acusar-nos de andar de braço dado com uns ou com outros.
    Bom sinal!

    ResponderEliminar
  4. Caro Mestre, subscrevo tudo. Ponto por ponto. É um case study como é que esta personagem absolutamente sinistra ainda aparece em público e sente legitimidade para dizer o que quer que seja.
    Lembro-me perfeitamente desse jogo que coloca no vídeo em que é anulado um autogolo por fora de jogo (!) depois de uma (mais uma) defesa do Vìtor Baía algures na meia lua.

    Curioso. Apesar de não ser adepto do SCP, estava no estádio a ver ao vivo no dia em que aconteceu esse lance do Balakov a convite de amigos. Inenarrável, nem dá para ter palavras.
    Julgo que o SCP ganhou esse jogo e por vários golos, sem certeza.

    Bem haja.

    Saudações,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o Sporting ganhou por 4-0. E o resultado nem sequer estava em aberto quando este lance se dá. Mas é demasiado mau para ser verdade.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Ah, e também estava no estádio a ver esse jogo. Ainda me lembro perfeitamente, ficou tudo a rir quando o árbitro não assinalou o penálti.

      Eliminar
    3. permita-me uma correção... mais uma defesa COM as MAOS.. porque nenhuma lei o impede de defender ali!
      mas com as maos fora da àrea, sim... a lei impede...

      tb me lembro de um jogador isolado frente ao baía, fora da àrea (mas isolado) e o arbitro marcar falta e dar amarelo ao redes.. sim, o arbitro assume a falta e dá um amarelo... que estupido.. antes errar e nao ver a falta do que nao cumprir a lei... enfim....
      a falta era demasiado evidente... mas a expulsao seria um castigo muito grande para o baía, assim o arbitro foi "criativo" deu um amarelito...

      Eliminar
  5. no tempo dele é que era bom...

    ResponderEliminar
  6. Só para relembrar que no "caso da fruta", em 2003/2004, o Estrela da Amadora era muito poderoso e o FCPORTO estava em dificuldades no campeonato.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Luís Miguel, do meu ponto de vista o seu argumento do "muito poderoso" vale zero ou perto disso.

      Ainda por cima num contexto em que o FCP acabou de empatar com uma equipa que tem um plantel com nível de Campeonato Nacional de Seniores.

      Aliás, "muito poderoso" ou não, 2 anos depois do "café com leite", o Estrela da Amadora venceu o FCP, em pleno Estádio do Dragão.

      O argumento do "eu roubei mas até nem tinha precisado de roubar" chega a ser caricato.
      Cada qual que fique, portanto, com a sua sentença.

      Eliminar
    2. "Cada qual que fique, portanto, com a sua sentença."

      Caro Anónimo

      Tal como o Superleão mencionou há tempos, as opiniões são como as bufas, toda a gente as dá.

      Eliminar