terça-feira, 14 de outubro de 2014

Vitória da simplicidade

                                                                                                                                                               
Por vezes as pessoas gostam de complicar. Ter um trunfo no banco para ser lançado quando os outros estão mais desgastados sempre foi uma arma a que a maior parte dos treinadores sempre recorreu em jogos fechados. Não acho que Quaresma seja jogador para ser titular na seleção - pois tem a tendência de agarrar-se demasiado à bola, acabando demasiadas vezes a jogar sozinho - mas está acima de qualquer outra opção de banco que a seleção tenha neste momento. Fernando Santos puxou do trunfo no momento certo e ganhou a aposta: Quaresma sacou um cruzamento teleguiado a que Cristiano Ronaldo correspondeu da melhor forma. Uma ideia simples que acabou por oferecer-nos três pontos no recinto de um dos principais adversários do grupo. E, repentinamente, o apuramento para o Euro 2016 passou a estar bem mais ao nosso alcance.


Umas palavras também para Ricardo Carvalho: vê-lo jogar foi um deleite e fico muito feliz por poder engolir as palavras que escrevi ontem, quando referi que na minha opinião Bruno Alves deveria ser titular. Que grande jogo fez aquele que é o melhor central português que já vi jogar. Não condeno Paulo Bento por ter optado por não convocá-lo após o cumprimento do castigo, mas Fernando Santos mais uma vez arriscou e ganhou. Tem neste jovem de 36 anos um reforço importante para esta fase de qualificação.

De resto, foi um jogo pouco inspirado mas disputado com grande concentração pelos jogadores. Não houve momentos de grande brilho, a seleção portuguesa poucas vezes conseguiu chegar com perigo à baliza adversária, mas também soube manter os dinamarqueses quase sempre longe da área de Rui Patrício. O empate talvez fosse um resultado mais justo, mas neste tipo de situações com o mal dos outros posso eu bem.

Para além de Ricardo Carvalho, gostei dos jogos de Pepe, William e Cédric. Ronaldo e Nani estiveram demasiado tempo desaparecidos do jogo, Moutinho voltou a ser uma sombra daquilo que já foi, principalmente com a bola nos pés, e Danny poucas vezes conseguiu ser influente. Nenhum dos suplentes conseguiu mexer com o jogo, com a óbvia exceção de Quaresma - que ao sacar aquele cruzamento acaba por ser uma das figuras do jogo.

De qualquer forma parece-me estar aqui uma base muito interessante para atacar o resto da qualificação - desde que continue a haver abertura para integrar outros jogadores que se destaquem nos seus clubes. E se forem alguns dos miúdos dos sub-21 que tão bem estiveram ontem, tanto melhor.

via @PAPP1906

P.S.: dos 14 jogadores utilizados, 8 jogam na liga portuguesa (Rui Patrício, Cédric, Eliseu, William, Nani, João Mário, Éder e Quaresma). Fica demonstrado que não é necessário recorrer a jogadores que estão no estrangeiro só porque sim.

21 comentários :

  1. Como em tudo na vida, muitas vezes, um pouco de bom senso acaba por resolver muitos problemas.

    ResponderEliminar
  2. Vá lá, não tive que te dar uma chapada :P

    ResponderEliminar
  3. A super estrela continua a zeros? Afinal o pb tinha razão em pré convocar o João Mário e deixar a estrela de fora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece me que Moutinho podia dar o lugar na 2ª parte à estrela que te referes. De certeza que não ficávamos pior servidos.
      AF

      Eliminar
  4. Há um jogador que, há muito tempo (é ver a última dúzia de jogos da selecção), não merece ser titular.
    Ontem nem esteve muito mal, mas provavelmente João Mário, Adrien ou André Gomes teriam estado melhor e quem sabe até teríamos marcado mais cedo.

    Chama-se: maçã podre.

    L'attention des fans de Monaco: moutinho = pomme pourrie.

    Saudações Leoninas e venha de lá o que verdadeiramente importa: o Sporting

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Migas. Continua a ser muito esforçado mas as coisas não lhe têm saído bem. Um abraço.

      Eliminar
  5. Também achei que Ricardo Carvalho estava acabado, afinal equivoquei-me.

    Até porque o seu posicionamento é cada vez melhor e de facto é um central fora de serie.

    Também acho que devem convocar jogadores da liga portuguesa com qualidade que joguem, trazer qualquer um só porque joga fora e muitas vezes em equipas pequenas não faz sentido.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podia vir acabar a carreira no Sporting já a partir de janeiro... ;)

      Eliminar
    2. Foi convidado antes de ir para o Mónaco, mas as vistas do Hotel para a Baía são fenomenais.....já para não falar no Eden fiscal, e a montanha de massa que deve estar a facturar, Só em prémio de jogo..upa upa, em 2013 foi o jogador mais utilizado na liga francesa, e em 2014 parece me que vai repetir o feito...a não ser que se lesione ao serviço da selecção eheh
      AF

      Eliminar
    3. Esta coisa do dinheiro é realmente uma chatice, AF... :)

      Eliminar
    4. Anónimo, essa seria mais uma prova da teoria do Superleão.

      Eliminar
  6. Os teclados ainda não treinam.

    ResponderEliminar
  7. "Ver Ricardo Carvalho a jogar é um deleite" !! Só mesmo o Paulo Bento para desfazer a dupla de centrais do Real Madrid de Mourinho. . Enfim...tempos passados.

    ResponderEliminar
  8. Parecem as criticas que li aqui contra a Suécia. Nada de novo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De novo há !!!! estamos novamente na corrida ao apuramento para o Euro, depois da derrota caseira com a Albânia!!!! Chega ou é preciso mais ?

      Eliminar
    2. Saímos e entramos foi?

      Eliminar
  9. Agora, dou razão ao Rui Gomes da Silva, a formação no Sporting, é um mito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheheheheheh no coments!

      Eliminar
    2. Concordo, claramente RGS usou a palavra "mito" como adjectivo. Do tipo: "o Cristiano Ronado é uma figura mítica do futebol".

      Qualquer outra interpretação não abona muito a favor da inteligência desse senhor.

      A formação do Sporting é mítica! Gosto!

      Eliminar