segunda-feira, 17 de novembro de 2014

A ironia e os beneméritos

in abola.pt

É no mínimo irónico ver que uma das primeiras medidas tomadas por Luís Duque enquanto presidente da Liga é o pedido de uma auditoria externa às contas do organismo. Trata-se de uma medida perfeitamente compreensível atendendo ao buraco financeiro em que a Liga se meteu, mas fico curioso para saber se determinados opinadores irão fazer o mesmo tipo de observações condenatórias que fizeram quando a atual direção do Sporting anunciou a auditoria de gestão das direções anteriores.

O que não é tão compreensível é que alguém considere positivo que Porto e Benfica se ofereçam para sustentar as competições em caso de emergência. É assustador pensar que, numa situação dessas, teríamos delegados e árbitros numa posição de dependência direta do estado de espírito de dois presidentes que já demonstraram serem capazes de tudo, dentro e fora de campo, para facilitar a vitória dos seus clubes.

Se já há delegados que fecham os olhos e não incluem no relatório factos gravíssimos (no episódio da escaramuça de Jesus com a polícia, nem o árbitro Bruno Esteves - ring a bell? - nem os dois delegados da Liga, nem o chefe dos delegados - que também estava presente no relvado - se lembraram de relatar o ocorrido), se já há árbitros e fiscais-de-linha que em caso de dúvida favorecem constantemente os mesmos, já imaginaram o que acontecerá se eles tiverem a consciência de que o pagamento do seu salário estará dependente do bom ou do mau humor de Pinto da Costa ou de Luís Filipe Vieira?

Ninguém vê nenhum conflito de interesses se isto acontecer?

6 comentários :

  1. É o mesmo pais onde um clube detem a transmissão dos seus jogos profissionais, detendo o direito das imagens (utilizáveis em caso de justiça...... ou não ! ).

    Sei que isso acontece no caso das modalidades do SCP e da B.
    Mas aqui é diferente, se não for a Sporting tv, ninguém transmite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lourenço, no caso das equipas B a situação é diferente. O facto de as equipas B não poderem subir, e de serem por natureza equipas para desenvolver e rodar jogadores, dão-lhes uma carga completamente diferente.

      E é mesmo isso: a SportTV deve ter transmitido quanto muito 1 ou 2 jogos do Sporting B em casa.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. De acordo. O conflito de interesses é evidente

    ResponderEliminar
  3. não há qualquer conflito de interesses.

    o que há é um conflito de países.

    se isto fosse o burkina faso não havia problema.

    o problema é que estamos em portugal.

    ResponderEliminar
  4. Se isto for para a frente (só o facto de se colocar essa hipótese já é de condenar), será a derradeira oportunidade para verificar se ainda existe jornalismo, opinião e vergonha neste país "futebolístico".

    Mas não tenho grande fé, pois se não existir Campeonato, de que viverão os jornais, programas televisivos, jornaleiros e paineleiros?
    Logo, esta solução será sempre uma boa solução.

    (se pensarmos bem, isto será a oficialização de quem, realmente, manda nesta vergonha toda; todos sabemos [e os empregados também sabem quem é o "patrão"]. A única diferença é que passa a ser oficial).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, aposto que a maior parte dos comentadores tecerá enormes elogios ao sentido patriótico de Benfica e Porto em viabilizar as competições... Um abraço.

      Eliminar