domingo, 30 de novembro de 2014

Blitzkrieg com fogo de tanque e morteiro

Nenhum sportinguista se terá sentido defraudado com a vontade de marcar com que a equipa entrou em campo. Foi notório que a mensagem de Marco Silva passou para os jogadores, e estes não pouparam esforços para resolver o jogo rapidamente. E fizeram o suficiente para isso, com exceção da malfadada eficácia finalizadora. Nos primeiros 20 minutos foram imensas as ocasiões de golo criadas, que incluiu duas bolas nos ferros, algumas más finalizações e um guarda-redes que teve algumas intervenções que adiaram a festa em Alvalade mais do que se esperaria.

O ritmo acabaria por abrandar, mas sempre com o Sporting a dominar completamente a partida, acabando por resolvê-la de rajada na segunda parte no espaço de um minuto com dois excelentes golos. A partir daí a equipa começou a gerir o esforço, mas nem por isso deixou de ter oportunidades para ampliar a vantagem, perante um adversário completamente inofensivo no ataque.

Uma vitória absolutamente indiscutível que apenas pecou por não ter a expressão em golos que merecia. Deviam ter sido mais, e não deviam ter demorado tanto tempo a aparecer.



Positivo

A importância de Fredy Mortero - Marco Silva disse na conferência de imprensa que a equipa deveria entrar com tudo para cima do adversário, e o treinador foi o primeiro a dar o sinal prático ao colocar o colombiano de início em simultâneo com Slimani. Aposta inteiramente ganha, pois Montero foi o principal dinamizador do ataque na melhor fase da equipa, recuando, recebendo entre linhas passes (sobretudo de William), distribuindo e apoiando Slimani. Montero acabaria também por ser Mortero, quando disparou um projetil de longa distância que aniquilou a oposição que ainda se organizava nas trincheiras após as linhas terem sido furadas pela primeira vez por um tanque argelino - repetindo a brincadeira que já tinha feito com o Paços.

O tanque argelino - começou mal ao não conseguir concretizar 3 oportunidades nos primeiros minutos (numa delas podia ter feito muito melhor), mas acabou por ser uma das figuras do jogo ao marcar o 1º golo com a canela e o 3º de cabeça. À ponta-de-lança.

As manobras flanqueadoras dos laterais - tanto Cédric como Jefferson fizeram excelentes exibições no apoio ao ataque. O brasileiro está a atravessar uma grande fase e mais uma vez foi decisivo ao assistir Slimani para o 1º golo com um cruzamento teleguiado, e quase marcou na 1ª parte através de um livre. Cédric esteve sempre muito ativo, com alguns bons cruzamentos e um excelente entendimento quer com Mané quer com Carrillo.

O sniper peruano - Carrillo substituiu Mané e, apesar de o peruano ter estado menos participativo que o português, foi tremendamente mais objetivo e perigoso. Várias excelentes iniciativas, das quais se destacam a assistência de morte que Capel desperdiçou incrivelmente e o excelente passe para o último golo de Slimani.

O spray para marcar a posição das barreiras - tardou a chegar a Portugal mas é um progresso que saúda.


Negativo

Ineficácia finalizadora - não é novidade nenhuma esta época (ainda na terça-feira tivemos um show de oportunidades falhadas contra o Maribor), e a história repetiu-se com o Setúbal. De destacar as três bolas nos ferros, uma das quais num falhanço de Capel à boca da baliza, que entrando dariam uma expressão mais adequada à diferença de produção das duas equipas.

Arbitragem demasiado permissiva - a arbitragem de Artur Soares Dias foi, num jogo fácil e com poucos lances de difícil juízo, péssima. No rescaldo da partida falar-se-á muito (e justificadamente) do livre marcado a 2 tempos por William que antecede o 1º golo, mas será lamentável se não se referir o critério incompreensivelmente permissivo que o árbitro utilizou. O Setúbal abusou das faltas e de contactos para além do que as regras permitem, e ficaram sem favor 10 a 15 faltas por assinalar. É ridículo que o Sporting tenha terminado com 17 faltas cometidas e o Setúbal apenas com 13. É ridículo que o Setúbal tenha apenas terminado o jogo com um amarelo. E é um desrespeito para com quem paga bilhete que se seja tão tolerante com as prolongadíssimas reposições de bola (pontapés de baliza e lançamentos laterais) e "lesões" sucessivas sem que se dê uma compensação minimamente adequada nos descontos.

Entrada no estádio na porta 3 - já com o Paços as coisas não correram bem, e esta noite foi ainda pior, pois as entradas pela porta 3 estiveram paradas durante muitos minutos devido a uma avaria nos torniquetes. Os stewards podiam continuar as revistas, e as pessoas poderiam esperar no interior que o problema dos torniquetes fosse resolvido, mas em vez disso, pararam as revistas e atrasou-se ainda mais todo o processo de entrada no estádio. Tudo isto levou a uma enorme concentração no exterior de pessoas impacientes por entrar, e consequentemente gerou muitos empurrões de quem vinha de trás, com a polícia na zona das revistas a não deixar passar ninguém. No meio havia muitas crianças. Qualquer dia as coisas poderão correr realmente mal.


Foi um regresso às vitórias no campeonato com uma exibição inteiramente convincente. A equipa levou a sério o adversário e se esta atitude se mantiver temos condições para reduzir o fosso para a liderança nas próximas jornadas.

24 comentários :

  1. A avaria também se verificou na porta 4, por volta das 20h. O meu irmão entrou por essa porta e a certa altura tiveram que deixar entrar toda a gente por os torniquetes não funcionarem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi como na porta 3, Müs. Nunca me tinha acontecido ter passado pelos torniquetes sem passar o cartão da gamebox. Um abraço.

      Eliminar
  2. No Ojogo diz «problema resolvido em 2 minutos», mas é uma gralha, deve-se ler «problema resolvido em 2 toques»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Costa, 2 toques? Sim, de facto, o do Jefferson e o do Slimani! ;) Um abraço.

      Eliminar
    2. ó costa lacaio do pinto e os 2 penalties do jogo do rio ave? não dizes nada morcão? E a falta do jackson antes do 1º golo, também nada? e obrigarem, via lacaios da sporttv, o rio ave a jogar 2 dias depois de uma viagem à ucrânia, nada? claro, quem recebe árbitros em casa acha isto normal.
      FoiComPutas é merda e corrupção.

      Eliminar
    3. Os '2 penalties pedoados' ao FCP parece que foram uma questão de acerto de contas do Benquerença que os estava a dever desde a 6.ª jornada deste campeonato.

      Caro gato verde,

      Espero que na vida, a única coisa que te falte seja a educação.
      As melhoras...

      Eliminar
    4. Porquistas a queixarem-se de arbitragens é o mesmo que um pedófilo queixar-se que lhe foram ao cu.

      Na 6ª jornada ficaram 2 penalties por marcar contra o clube de Contumil: um logo no primeiro minuto, que punha a equipa porquista a jogar com menos 1 o jogo todo e possivelmente a perder. Boiquerença fingiu que não viu e como foi golo tudo foi esquecido. Mas não há "lei da vantagem" em lance de penalty. Penalty e expulsão Como se vê, beneficiou o infractor.
      2º penalty: empurrão a Slimani a meio da 1ª parte. A choradeira do clube de contumil é o costume: não ganmham queixam-se dos árbitros. Logo do Boiquerença, que é o apitador de mão desse clube.

      Quanto ao chamares-me gato, estás certo. Os gatos caçam ratos. Como tu, que vens aos blogues dos adversários meter nojo e se calham ainda te pagam pelo serviço.

      Eliminar
  3. Jogo desbloqueado de forma irregular.
    Primeiro golo com dois toques de william na reposição da bola ensombra a vitoria!
    O que é pena
    Porque foi de todo merecida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensei que tivesse a falar nos foras de jogo mal assinalados no inicio da partida! isso sim erros graves .... mas não apenas a desonestidade intelectual habitual!

      Eliminar
  4. Não estou certo de que na atabalhoação que foi o livre do primeiro golo o João Mário não tenha pisado a bola antes de o William dar seguimento ao lance..se assim foi, quem marca o livre é o João Mario e o William pode dar os toques que lhe apetecer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, se ele realmente lhe toca, fica resolvido. Não sei é como se prova que tocou ou não tocou (ainda não vi a repetição na SportTV, não sei se mostram). Mais um motivo para um eventual protesto estar condenado ao fracasso. Um abraço.

      Eliminar
  5. Se fossem repetir um jogo por causa deste lance, então quantos jogos não teriam que já ter sido repetidos por o jogador marcar um livre sem a bola ter parado completamente ou por colocar a bola fora do sitio onde foi a falta. Ridículo !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Mike. Estariam a abrir um precedente complicado para o futuro. E não acredito que o Setúbal proteste, ainda teriam o azar de ganhar (juiz Herculano não dorme) e levar o saco realmente cheio para casa na repetição... Um abraço.

      Eliminar
  6. Mestre, grande exibição e grande vitória em que os números pecam pela escassez.
    O problema dos torniquetes já é recorrente e verificou-se também na porta 1 :(
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos vistos foi geral, Torres. Ao longo desta época e da época passada de facto têm havido demasiados problemas... esperemos que seja mais fácil resolver que o problema relvado! :) Um abraço.

      Eliminar
  7. A propósito do tempo perdido pelos jogadores do Setúbal, eis mais uma coisa para acrescentar à lista de merdas q só acontecem connosco:
    - O dia em que o Patrício levou amarelo por queimar tempo aos 36 min da primeira parte. Deve ser caso único na história do futebol português. Foi num Naval - Sporting, em novembro de 2008.

    Esta foi a reação do Paulo Bento após o jogo:
    "Sabíamos que era um jogo difícil, porque a Naval é uma boa equipa e ainda não tinha perdido em casa. Depois, as dificuldades aumentaram, quando entrou em acção mais uma equipa que não devia ter entrado. Se como treinador ainda tenho, se calhar, pouca experiência, porque vou completar a quinta temporada; como jogador foram 15 anos. E nesses 15 anos consegue-se ver e sentir muita coisa. E hoje, por exemplo, senti que ao minuto 37, quando foi o cartão amarelo ao Rui Patrício, nada de bom iria passar-se, depois, na segunda parte. E a verdade é que eu vou dizendo, se calhar às vezes num tom diferente, de forma mais agressiva, mas mão me vou enganando... Está cada vez mais difícil, mesmo com os castigos que me querem impor, irem desmentindo o Paulo Bento."

    Retirei as declarações daqui: http://jlportela.blogspot.com.es/2008/11/paulo-bento-analisa-o-jogo-ea.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eduardo, já tinha esse caso na lista mas faltavam-me elementos para o sustentar. Estas declarações de PB são excelentes! Obrigado e um abraço.

      Eliminar
    2. Falta dizer que o apitadeiro dos dois jogos foi o mesmo: Artolas-a-dias.

      Eliminar
  8. Também posso confirmar que se passou o mesmo na porta 2, e na altura a polícia disse mesmo que era no estádio todo.
    No estádio fiquei com a impressão que o João Mário dá um pequeno toque para o William antes dele dar os dois toques, mas à distância que estava, posso estar enganado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estava do lado oposto ao local do lance, vi claramente os dois toques do William e até comentei logo a seguir ao golo que aquilo nos poderia vir a trazer problemas. Não reparei se João Mário tocou antes, é possível que sim. Um abraço.

      Eliminar
  9. Se o vitoria protestar o jogo
    Pode ser repetido
    Erro técnico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não vi o jogo. Vi o resumo e no lance do primeiro golo só se vê o Jefferson a descer na ala e a arrancar mais um magnífico cruzamento para Slimani finalizar.
      O tal lance que "ensombra a vitória" dos dois toques na reposição de bola do William é antes disto? Realmente é um erro gravíssimo...

      O que vale é que o colo constante, os golos em fora de jogo (é só ver o jogo que acabou agora mesmo...), golos limpos anulados aos adversários, expulsões perdoadas, estarem constantemente a jogar contra dez não ensombra nada... É mesmo tudo às claras!

      Já agora, aquelas reposições laterais irregulares imagem de marca do boifica e que até já deram muitos golos são erros técnicos? Ensombram?

      Eliminar
    2. Futebolista, duvido que seja repetido. Isso abriria um precedente que colocaria no mesmo saco lançamentos de linha lateral mal executados, e por aí fora. Ninguém vai querer ir por aí.

      Sar, sim, foi imediatamente antes. William meteu em Jefferson a dois tempos, cruzamento, golo.

      Um abraço.

      Eliminar
    3. Este "futebolista" é um adepto do nalguedo, só pode. portifica ou benfiorto, é só escolher. Que ontem ganharam com o habitual andor. Não há vergonha para os lados do Sport Lisboa & Porto.

      Eliminar