segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Considerações sobre a derrota em Guimarães

A tentação de exacerbar os defeitos de uma equipa após uma derrota expressiva é um fenómeno inevitável. Se nos adeptos isso trata-se de uma situação normal atendendo à ligação emocional ao clube, nos comentadores - que em teoria deveriam ter um distanciamento que os coloca mais a salvo destas flutuações de humores - já é algo não tão compreensível. O que é facto é que isso é muito frequente e nenhum clube está a salvo disso.

Na minha opinião, não pode ser por um jogo mau que se deve colocar tudo em causa. Nunca ninguém teve a ilusão de que o Sporting é uma equipa perfeita, até porque os defeitos já foram mais que debatidos - nomeadamente no que toca ao centro da defesa. Há que saber separar os problemas estruturais dos conjunturais.

Na minha opinião a exibição e o resultado de sábado deveram-se sobretudo a dois problemas, em que um é recorrente - dificuldades nas bolas paradas defensivas - e outro foi inédito - incapacidade de colocar em campo um nível de empenho minimamente equiparado ao adversário.

A vantagem que o Guimarães levou para o intervalo foi excessiva para o que se passou em campo, pois se é verdade que o Sporting poucas vezes conseguiu incomodar o guarda-redes adversário, também é verdade que a produção ofensiva da equipa da casa não foi nada de transcendente - a primeira parte foi disputada sobretudo a meio-campo tendo havido poucas ocasiões de golo para ambos os lados.

O descalabro defensivo a que assistimos na segunda parte foi circunstancial em função do risco que Março Silva foi forçado a assumir para tentar recuperar da desvantagem. Qualquer equipa balanceada para o ataque, por mais defensores competentes que tivesse, dificilmente não passaria por dificuldades contra jogadores de grande velocidade como aqueles que o Guimarães tinha em campo. Sim, existiram erros que mesmo um defesa banal poderia ter evitado, mas o quarteto defensivo jogou a segunda parte completamente desapoiado, o que ajuda a compreender a fragilidade emocional revelada que esteve na origem da maior parte dos erros cometidos.

O que falhou acima de tudo no sábado, e que não é normal no Sporting, foi a incapacidade de manter a posse de bola no meio-campo do Guimarães, por mérito evidente de Rui Vitória e dos seus jogadores - que souberam montar e executar uma rede protetora a meio-campo bastante eficaz, e também por demérito de Marco Silva e dos seus jogadores que, por incapacidade tática ou falta de determinação, não conseguiram encontrar alternativas para romper a tal rede.

Quero com tudo isto dizer que, havendo muita matéria para reflexão dos jogadores, equipa técnica e estrutura do Sporting, não é motivo para passarmos de um estado de encantamento para uma profunda depressão. Os problemas da defesa já eram conhecidos e não foi este jogo que veio revelar qualquer ponto fraco escondido da equipa. A questão foi mesmo de atitude revelada na primeira parte, e tenha sido motivada por excesso de confiança ou por terem a cabeça no jogo de quarta com o Schalke, não é nada que não possa ser conversado e corrigido com efeitos imediatos para o próximo jogo do campeonato.


P.S.: muito a contragosto, tomei a decisão de terminar com os comentários anónimos no blogue, já a partir de amanhã. Lamento-o verdadeiramente pelos muitos leitores que, sem se identificarem e concordando ou discordando do que vou escrevendo, sejam sportinguistas ou de outras cores, deixam os seus comentários de forma correta - e que na minha opinião valorizam muito este espaço.

Não tenho qualquer problema com picardias feitas por adeptos de outros clubes na sequência de uma derrota (eu próprio faço posts que podem ser considerados provocadores por adeptos de outros clubes), e creio que terão sido muito poucos os casos em que não tenha revelado poder de encaixe quando a picardia é dirigida no meu sentido.

O que é facto é que tem sido crescente a quantidade de comentários que apenas servem para inflamar ânimos, que não trazem qualquer valor acrescentado, e que acabam invariavelmente em trocas de insultos que são degradantes não só para quem os faz, mas também para o próprio espaço onde são proferidos, e que é extremamente desagradável para quem apenas quer debater opiniões de forma correta.

Sei que isto não impedirá que os comentários provocadores ou insultuosos continuem a suceder, mas dar-me-á um maior controlo para identificar e agir sobre quem persista nessas atitudes. Sabendo que isso poderá dissuadir a participação de muitos leitores que acrescentam valor às discussões (no bom sentido) que aqui se fazem, resta-me desejar que se registem com um mail, nick ou nome, para continuarmos saudavelmente a concordar ou discordar de tudo e mais alguma coisa - mas compreenderei perfeitamente se optarem por não o fazer.

O que também quero pedir (e isto também é válido para os sportinguistas) é que evitem partir de imediato para o insulto. Há muitas formas de escrevermos sobre o que nos desagrada, e a máxima do "não faças ao outro aquilo que não queres que te façam a ti" - e perante isso há quem se sinta com inteira justificação de se sentir ofendido. No fundo somos todos adeptos que vivem os respetivos clubes de forma apaixonada, e nenhum de nós tem qualquer controlo sobre as motivações e decisões dos líderes e representantes dos nossos emblemas. Perante um comentário que não passe de pura provocação, a melhor atitude é simplesmente não responder - e o silêncio não beliscará a honra nem do clube nem de ninguém em particular. Pelo contrário, nestes casos a maior bofetada de luva branca que se pode dar é deixá-los a falar sozinhos.

17 comentários :

  1. Quanto ao texto em formato normal, nada a dizer.

    Em relação ao que está em itálico, apenas uns reparos. Fui eu quem, no post anterior, pedi encarecidamente para que o Mestre fizesse algo para acabar com a praga de trolls anónimos. E, tal como já aí disse, chega a um ponto em que a quantidade é tanta e a insistência tal, que a tal tática de ignorar acaba por se tornar deveras infrutífera. Não discordo que, por princípio, essa será sempre a melhor política: ignorar. Mas há casos em que os trolls acabam eventualmente por nos vencer pelo cansaço. E é aí que se tem de partir para medidas mais concretas, infelizmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É precisamente pela quantidade e insistência que achei este o melhor caminho a seguir, Ricardo. Um abraço.

      Eliminar
  2. Estou triste e desapontado e teria muitas coisas para dizer, mas só me apetece gritar:

    FORÇA SPORTING.

    NÓS ACREDITAMOS EM VOCÊS

    Saudações Leoninas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não demonstraram garra nem vontade de vencer e isso é lamentável só nos restando pedir desculpa por não termos sido dignos do clube que representamos.

      Eliminar
    2. Eu acredito que tenha sido apenas um dia mau. Os jogadores saberão identificar o que faltou, e irão tentar compensar nos próximos jogos.

      Eliminar
  3. Caro Mestre, é uma pena ter que tomar essa decisão mas a mesma parece-me adequada e legítima. Tenho escrito como anónimo (embora identificado) e, de facto, o blog ameaça tornar-se ingerível e palco de conversas sem qualquer rumo.

    Se achar que posso adicionar valor continuar a comentar nos novos moldes, nunca será a minha preferência clubística a condicionar isso (ao contrário do que alguns aqui defendem).

    Pena é que, muitos dos problemas surjam a partir de comentários de utilizadores registados e mais do que "apresentados" e não necessariamente de clubes adversários dos do MdC.
    E isso dificilmente desaparecerá.

    Que continue a manter a qualidade média dos posts e o bom trabalho feito até aqui.

    Saudações,
    sic transit gloria mundi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stgm, percebo o que quer dizer. Existem muitos comentários provocadores que partem de sportinguistas e tenho plena consciência disso. De qualquer forma gostaria de continuar a contar com os seus comentários, são daqueles que na minha opinião valorizam a discussão. De qualquer forma percebo se preferir não o fazer. Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  4. MdC,

    o que se passou em guimarães acontece uma ou duas vezes numa época. são aqules jogos em que todos ( sem excepção) falham... Desde o Rui Patricio, ao Montero e até mesmo ao Slimani e Mané. E Marco Silva, que não percebeu que com aquele campo e conhecendo a alma vimaranense, não podia ir com a mesma estratégia de posse de bola para este jogo. Pior, chegar ao intervalo e deixar o pior jogador do meio campo ( William) para recomeçar na segunda parte. Ou baixava William para central e tirava o horrivel Mauricio, ou tirava William para lançar Slimani. Além de que este jogo era um jogo à imagem de Rosell, que não saiu do banco. E tinha posto o capel no lugar do jonathan, estar lá o argentino ou não era indiferente.

    Acontece, foi mau e ainda por cima vinha encomendado ( viva o Duque ) pela péssima actuação do árbitro e dos auxiliares. Ninguem do Sporting percebeu bem ao que ia ( incluindo os adeptos / sócios dos quais faço parte) ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Rosell ficou na bancada e foi o André Martins para o banco...
      Foi uma má opção do Marco Silva, assim como o critico por não tirar um lateral quando meteu o Mané...
      Mas isso não interessa nada...

      Gosto muito, mas mesmo muito do Marco Silva. E só espero que esta estratégia do presidente seja em coordenação com o Marco.

      NÓS ACREDITAMOS EM VOCÊS

      SL

      Eliminar
    2. Por acaso também me passou pela cabeça tirar o Maurício e baixar o William. As substituições de Marco Silva não resultaram - é um facto - mas arriscou e não pode ser censurado por isso. O trabalho dele tem sido extremamente positivo, e isso é o mais importante. Um abraço.

      Eliminar
  5. Caro Mestre,

    Para além de tudo o que já foi escrito sobre o jogo de Guimarães,em que perdemos e perdemos bem, fiquei com a sensação de que a somar aos problemas que já tínhamos no nosso sector defensivo, temos um outro que resulta da falta de velocidade do Johnatan Silva. Este problema que foi evidente neste jogo, e já o tinha sido contra o Maritímo, é preocupante em jogos em que tenhamos que enfrentar bons contra-ataques.

    SL
    António

    PS: Anónimos na blogosfera é como no resto, só se justifica se não for possível identificar-se por razões de vida ou de morte. Não será este o caso, por isso, a minha total concordância com o fim dos posts anónimos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António, também não gostei do Jonathan. Nem a defender (o facto de ter jogado muito desapoiado e contra um jogador extremamente rápido não ajudou) nem a atacar (não acertou num cruzamento, saíram sempre muito largos). Mas de facto já contra o Marítimo não esteve bem. Um abraço.

      Eliminar
  6. "Há que saber separar os problemas estruturais dos conjunturais."

    O verdadeiro problema estrutural do Sporting é a sua proletarização que tem conduzido à sua inevitável decadência desportiva e financeira. Hoje é a Juve Leo quem domina o clube, estilhaçando no seu caminho a génese nobre e elitista.

    Como verdadeiro tropel, a Juve Leo assumiu a sua postura jacobina e deixou milhares de vítimas pelo caminho incluindo presidentes, dirigentes, treinadores, jogadores, antigas glórias, sócios, accionistas, etc.

    O Estalinismo (implica o culto da personalidade, neste caso, de BdC, vulgo Bruninho) indica-nos que a estratégia de manutenção do poder será feita através das "purgas" e, logo após um fim-de-semana atípico com duas derrotas pesadas, BdC "arrasa" imediatamente a equipa principal e a equipa B, sabendo que nesta última seguiu-se a uma "purga" do Barão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não chega já de parvoíces Luis Miguel? Não há blogs do teu portinho que gostes de frequentar?

      Eliminar
    2. ó migo, no Sporting ainda não foram abolidas as eleições...
      deixe-se lá dessas merdas... você e o riga só aparecem para dizer mal...

      Os verdadeiros sportinguistas vêem-se nos momentos difíceis... É esta a NOBREZA do SPORTING

      Eliminar
  7. Fiquei triste com o jogo efetivamente foi daqueles em que tudo corre mal a duas das equipas intervenientes apenas o Guimarães esteve num bom nível.

    Estou muito de acordo com o que o Rogério Alves defendeu no programa dia seguinte (cada vez mais sou fã dele) e pasmem-se também o Guilherme Aguiar que disse qualquer coisa do género, não foi o Sporting que fez um jogo desastroso foi o Guimarães que esteve num grande nível se conseguir manter este nível exibicional é um sério candidato ao título.
    Estranho ouvir estas palavras oriundas da outra banda!!!
    Também acho que o “ralhete” que levaram via face não foi merecido. Os jogadores vêm de uma série de jogos de alto nível, daqueles que não são 3 dias que dá para recuperar (podia-se começar a pedir mais rotatividade… mas tb depois da derrota é fácil falar), viagens pelo meio entraram mal no jogo convencidos se calhar que iam jogar contra o Penafiel… Na primeira parte não fomos inferiores se calhar estava à espera de uma entrada em força na segunda parte que não aconteceu…

    Enfim, tanta coisa que se podia dizer deste jogo mas não são os resultados menos positivos que tapam o bom trabalho que acho estar a ser feito, com os eventuais reparos.

    O que chateia é que quando temos falhas as coisas correm mal nos outros lados não se anda a jogar nada de especial mas os pontinhos aparecem…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou totalmente de acordo, Pedro. A equipa tem tido sempre uma atitude irrepreensível, e o caso de Guimarães até agora não passou de uma exceção - que coincidiu com o adversário mais determinado que apanhámos este ano. Um abraço.

      Eliminar