sábado, 22 de novembro de 2014

Festa da taça sem espinhos

Num jogo em que não eram esperadas grandes dificuldades, é justo que se diga que a alma dos jogadores do Sp. Espinho conseguiu disfarçar durante 60 minutos o enorme fosso que separa as duas equipas. O Sporting não entrou com grande determinação para resolver a eliminatória e teve dificuldades em furar a multidão que povoava o último terço do meio-campo espinhense.

Há no entanto que dizer que o Sporting controlou sempre completamente a partida, causando perigo sempre que o Sp. Espinho arriscava em subir um pouco mais no terreno, mas na primeira parte nunca conseguiu levar o Sp. Espinho às cordas. Na segunda parte, assim que as pernas do adversário começarem a fraquejar, o Sporting passou a fazer tudo o que quis, dispondo de inúmeras situações de golo. Aliás, a partir do 2-0, a resistência do Sp. Espinho esfumou-se definitivamente e a partir daí a única dúvida que existia era o número de golos com que a partida terminaria.

Boa jornada de taça, boa propaganda para o futebol, objetivo cumprido.



Positivo

A festa da taça - estádio cheio, público entusiasta que apoiou incansavelmente as duas equipas, um favorito que encarou o jogo de forma séria, e um underdog que se portou muito bem enquanto o resultado esteve em aberto e as pernas deixaram. 

Os golos - mesmo tratando-se de um adversário de uma divisão inferior, é sempre motivante para os nossos jogadores marcar e assistir - nomeadamente Capel (1G + 1A), João Mário (1G), Mané (2A), Montero (2G), Tanaka (1G) e Jonathan (1A). Destaque para o fantástico golo de Montero após passe delicioso de Mané. Outro grande momento foi o pontapé de bicicleta de Esgaio, mas infelizmente o golo foi (bem) anulado por fora-de-jogo.

Capel e André Martins na primeira parte - os primeiros 45 minutos não foram famosos, e foram poucos aqueles que se destacaram numa exibição coletiva um pouco trapalhona. Capel e André Martins foram os mais inconformados, com especial destaque para o segundo, que teve nos pés algumas das principais oportunidades de golo do Sporting.

Montero e Mané na segunda parte - com o fim da resistência do Sp. Espinho, de uma forma geral a equipa exibiu-se num patamar bem mais elevado. De todos, Montero e Carlos Mané foram os que mais se destacaram, em especial no lance do terceiro golo.

Noite de estreias - Marco Silva leu bem aquilo que os sportinguistas queriam ver em campo. Mal o jogo ficou resolvido lançou Tanaka (que se estreou a marcar), Podence (mais um menino de Alcochete a estrear-se pela equipa principal), e Esgaio (a jogar pela primeira vez como ala este ano na A). Nenhum dos três desiludiu, mostrando-se em bom plano - apesar de não se poder ignorar que entraram numa altura em que o Sp. Espinho já tinha atirado a toalha ao chão.


Negativo 

Primeira parte atabalhoada - os primeiros 45 minutos foram generalmente fracos. O Sporting apresentou um futebol pouco ligado, com muitos passes errados, e uma evidente falta de entrosamento entre muitos dos jogadores. Há algumas atenuantes que ajudam a explicar a fraca produção da equipa: estavam em campo poucos titulares habituais, o relvado não estava perfeito (certamente resultado da muita chuva que tem caído) e o Sp. Espinho jogava totalmente fechado atrás com uma enorme determinação. De qualquer forma, houve pouco Sporting para o que seria expectável, apesar do golo marcado e de um punhado de boas oportunidades mal finalizadas.

Algumas exibições descoloridas - apesar de ter marcado o 1º golo, João Mário pareceu-me o menos esforçado em campo. Jonathan esteve desastrado, em particular nos cruzamentos, mas em tudo o resto foram poucas as coisas que lhe saíram bem. Rosell falhou mais passes do que é normal, e contribuiu pouco ofensivamente. Miguel Lopes nunca virou a cara à luta, mas do ponto de vista ofensivo colaborou pouco. No geral, não se pode dizer que algum dos habituais suplentes tenha feito o suficiente para dificultar a vida de Marco Silva quando o treinador escolher os 11 que entrarão em campo contra o Maribor.


Um resultado esclarecedor num jogo tranquilo (à exceção de um susto no princípio da 2ª parte, em que o Sp. Espinho podia ter empatado), golos bonitos, caras novas, mais uma grande demonstração de força da onda verde transformaram público entusiasta, e mais uma eliminatória ultrapassada. Foi uma noite de sexta-feira bem passada.

7 comentários :

  1. Adorei ver o Podence. Que jogador que vais ser rapaz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei muito, Di. Dos jogos que tenho visto da equipa B tem sido dos que tem estado melhor (talvez a par de Wallyson), pelo que fiquei muito contente por lhe terem dado esta oportunidade. Não tenho dúvidas que voltará a ser opção para a Taça da Liga. No campeonato é mais complicado com Carrillo, Nani, Capel e Mané (e já nem conto com Heldon). Sem lesões, talvez possa ser utilizado para o campeonato depois de janeiro, se a direção conseguir vender o Capel e o Heldon...

      Para já, foram boas as indicações!

      Eliminar
  2. O Montero tem uma classe incrível! Gostei de ver o Mané a jogar com alegria, bons pormenores e uma rapidez invejável.

    Marco Silva muito bem nas substituições:
    1) Tanaka a ter minutos, finalmente.
    2) É a extremo direito que mais gosto de ver Esgaio. Não fosse o fora de jogo e marcava o golo da noite.
    3) Podence já o vi varias vezes e não engana. Vai ser grande jogador e para ano reservem lhe um lugar na equipa A.

    Em Janeiro a vir alguém, só um central. Pode-se é vender alguns jogadores para estes miúdos cheios de potencial começarem a ter mais espaço.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM, concordo que em janeiro devemos apostar as fichas todas num central que possa ser titular de imediato. Dispersar dinheiro noutras posições não dará bom resultado... Um abraço.

      Eliminar
  3. Grande concurso Fan Valley! Instala a aplicação e habilita-te a ganhar um iPhone e vários outros prémios!
    http://fanvalley.org/

    ResponderEliminar
  4. MdC

    MdC houve alguns jogadores que não gostei e por isso mesmo não passam de segundas linhas.De resto diga-me uma coisa esse Vasquinho não foi o do Estoril-APAF Benfica ?.

    Diga-me uma coisa não foi esse Vasquinho que perdoou uma expulsão ao Enzo Perez e foi tão rápido a mostrar o cartãozinho ao João Mário ?.Pode confirmar-me essa dualidade de critérios desse sujeitinho ?.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, é esse mesmo Vasquinho. E começaram tão bem ao assinalar a falta inexistente do André Martins quando fez um passe para golo logo aos 2 ou 3 minutos...

      O próximo "M*rdas..." será dedicado a um caso em que foi este senhor a figura...

      Um abraço.

      Eliminar