quarta-feira, 12 de novembro de 2014

M*rdas que só mesmo connosco, nº 2: O atraso para Stojkovic

Época 2007/08, 2ª jornada, Porto - Sporting. No princípio da 2ª parte, com o resultado ainda em 0-0, Anderson Polga faz um corte em carrinho, atirando a bola na direção da área. Pressionado por Postiga, Stojkovic apanha a bola com as mãos.

Apesar de ser evidente que Polga não tinha feito um passe intencional para o seu guarda-redes, Pedro Proença decidiu assinalar livre indireto a favor do Porto. Na sequência desse lance, Raúl Meireles marcou o único golo da partida, que garantiu os 3 pontos para a equipa da casa.


Mas a história não ficou por aqui. Na jornada seguinte, o Sporting recebeu o Belenenses. A certa altura do jogo, um jogador do Belenenses atrasa a bola na direção da linha de fundo (não na direção do guarda-redes). Costinha, guarda-redes do Belenenses, consegue chegar a tempo de evitar o canto e agarra a bola. Carlos Xistra decidiu não assinalar livre indireto a favor do Sporting.

Esta sequência de casos aumentou os níveis da polémica e o Conselho de Arbitragem sentiu-se na necessidade de prestar um extraordinário esclarecimento em que consegue dar simultaneamente razão aos dois árbitros:

(as partes a negrito não são da minha responsabilidade)

O requinte deste comunicado do CA está no facto de dar um ênfase desmedido à interpretação do árbitro, dando assim carta branca aos juízes para decidirem coisas diferentes em lances semelhantes. No entanto, o texto original do International Board não se perde em considerações sobre a interpretação do árbitro - pelo contrário, refere insistentemente os termos "intencional" e "deliberado" precisamente para diminuir a subjetividade da decisão dos árbitros.


Duas situações semelhantes, neste texto do IB, devem ter uma única decisão e não, como sugere o CA, uma decisão em aberto em função da perceção do árbitro. Aliás, segundo esta linha de pensamento do CA, seria impossível um árbitro errar, pois tem tudo a ver com a interpretação do árbitro e não com o facto em si. Ridículo.

Voltando ao esclarecimento técnico do Conselho de Arbitragem da Liga, há uma contradição evidente: ao escreverem "Um defesa entra em tackle por detrás sobre um adversário que conduz a bola, conseguindo desarmar o adversário, indo a bola na direção do guarda-redes", estão de imediato a excluir que haja intencionalidade, pois um corte de carrinho (conforme o descrito e conforme o que fez Polga) pressupõe uma intervenção de recurso e em esforço, já que em momento algum o defesa tem a bola controlada.

O facto é que o tempo veio dar razão ao Sporting. Apesar de a regra continuar a ser a mesma, hoje nenhum árbitro assinalaria o livre indireto que Proença marcou no Dragão. Aliás, a decisão de Pedro Proença nem sequer fez escola durante muito tempo, pois no ano seguinte, num Guimarães - Benfica, aconteceu um lance exatamente igual ao de Polga e nada foi assinalado:


Isto resume bem a relação entre o Sporting e a arbitragem. Para além do prejuízo evidente no resultado da partida, o CA sentiu-se na necessidade de deturpar o que dizem as regras para justificar uma decisão errada. Se a realidade não se encaixa na narrativa, molde-se antes a realidade.

32 comentários :

  1. Bom dia. Lembro-me como se fosse ontem. Que grande roubalheira.

    Olha, a greve dos árbitros ao Sporting já está na tua lista? Essa é talvez das mais importantes e sintomáticas do que temos passado nas últimas décadas.

    Lembrei-me também que pode ser abordado o tratamento da comunicação social ao nosso clube: o caso do símbolo misteriosamente desaparecido da toca de um nadador do Sporting (não me recordo o nome) e o caso do dedo do Wolfswinkel são só dois exemplos da filha putisse que só mesmo connosco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma noite inesquecível ... depois do jogo tive de "levar" com a já habitual postura de merda de muitos colegas meus portistas (a maioria diga-se) em que o argumento mais usado em defesa do arbitro foi os berros que o PB mandou para o Stoi para ele não agarrar a bola ... como diria o outro porque será!?

      SL,

      Eliminar
    2. Feadin, sim, já tenho a greve na lista. :) Um abraço.

      Eliminar
  2. m houve intencionalidade de colocar a bola no GR, tanto que o próprio Tonel abre calmamente as pernas para a bola passar. Mais, Stojkovic poderia (e deveria) ter chutado dali a bola, nem teria grande dificuldade em pôr a bola noutro jogador, Postiga vinha longe, e o GR ainda simulou que ia agarrar, o problema é que depois agarrou mesmo. A maior prova de que os próprios Sportinguistas se aperceberam que era falta, são as imagens de Paulo Bento a gritar "chuta a bola"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A aqui está desonestidade intelectual muito comum no adepto do FCP!

      O treinador gritar para o GR é prova de que seria um atraso e não o corte :)
      (Não teria nada haver com o facto de PB ser um jogador/treinador muito experiente e saber muito bem como são as arbitragens no Pulhão!)

      O jogador deixar a bola passar entre as pernas virou atraso para o GR!
      (Eu também acho que se um jogador vir a bola a rolar na direção do seu GR e virar-lhe as costas tb deveria ser considerado um atraso ... dentro da analogia que o Carlos fez)

      Pena que essas considerações não façam parte do IB (International Board), mas pelos vistos deverão fazer parte das cartilhas que são entregues aos árbitros antes de entrar no Pulhão!

      Impressionante ... e dai talvez não!

      Eliminar
    2. MdC,

      Nós os Sportinguistas vivemos numa realidade paralela (no que toca à arbitragem) onde as regras quer sejam interpretativas ou não, são muitas vezes uma caixinha de desagradáveis surpresas.

      Não sendo isso per si já uma grande F.... temos de ouvir e ler a verborreia, salpicada com muita desonestidade intelectual dos nossos adversários que no "alto" do seu "pedestal imaginário" (quais princesas) vão nos passando a suas mensagens "honestas" e "inocentes" de quem julga em causa própria.

      Estes posts estão a ter um efeito nefasto na minha pessoa :) ... trazer toda esta M... de volta reacende o meu espírito de revolta e nojo que aparece apenas 4/5 vezes por ano (só vejo os nossos jogos por norma prefiro não ver os dos nossos adversários).

      Eliminar
    3. É sempre mais fácil culpar os árbitros e clamar por uma conspiração mundial

      Eliminar
    4. Obrigado Hugo me tinha esquecido do "outro" argumento mais usado!

      Sorte a do Hugo que ainda é "inocente" e acredita em coincidências ... pode ser que no final deste campeonato mude de cassete, a santa aliança vai ter um preço muito alto para os vossos lados!

      SL,

      Eliminar
    5. Sérgio, peço desculpa pelos desarranjos digestivos que estes posts possam causar. Posso garantir que comigo se passa o mesmo à medida que vou vasculhando a internet à procura de informações sobre estes casos.

      Mas acho que é importante. Pelo menos fica reunida num único sítio a quantidade de trampa que já tivemos que aguentar ao longo dos anos... :)

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Esta merda lixa-me. Há-de haver sempre alguém que vem com a ladaínha "ah, pois, mas fulano fez isto, portanto, toda e qualquer filha putisse que nos façam torna-se aceitável".

    Se, em vez do Paulo Bento ter gritado "Chuta a Bola" tivesse gritado "O Carlos é rabeta" isso faria o teu esfícter mais parecido com uma couve-flor do que já é?

    Pá, ou é atraso intencional ou não é. E não foi. E não me recordo de ter lido alguma lei do futebol a dizer "se o Paulo Bento gritar chuta, o atraso é considerado intencional". Inventem o que inventarem, fomos intencionalmente prejudicados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não diz lá que se um outro colega de equipa tiver oportunidade de intercetar a bola para evitar que o atraso vá para o guarda-redes que isso faz com que o atraso passe a ser intencional. Argumentos que não colam só para tentar alterar a realidade. Enfim...

      Eliminar
  4. Primeiro de tudo acho a música do clip muito bonita ,aliás para mim até mais bonita que o hino do clube que na minha opinião precisa de um arranjo.

    Depois o clip mostra bem as diferenças de critérios utilizados pela arbitragem em função da cor da camisola.Tratam-se de dois cortes com decisões diferentes e que nos custaram mais 3 pontos a tantos outros que nos tiraram.

    É verdade que o Stojkovic teve tempo para chutar a bola,é verdade que em função dos critérios utilizados pela arbitragem o Stojkovic foi ingénuo,é verdade que o árbitro não cumpriu a lei.

    Lembro-me que quando surgiu este problema estive a ler as regras do Internacional Football Associaton Board que era o melhor argumento que se poderia utilizar para dar razão ao Sporting.

    O clube tem de fazer alguma coisa para não ser constantemente prejudicado.Senão se fizer alguma coisa daqui a 10, 15 ou 20 anos estamos a escrever a mesma coisa neste ou um outro blog qualquer.

    Tal como a muitos de nós estes casos também a mim me revoltam,dão-me um mal estar interior que só visto.Mas para tudo há uma solução...talvez um dia quem sabe uma espera a um árbitro a um fiscal de linha ,se as claques tem tanta gente cheia de músculos porque não um dia utilizá-los em prol do Sporting....só um dia com uma lição eles vão aprender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha opinião o Sporting é mais que um bando de gandulas. Lá porque as outras claques o fazem, não nos dá o direito de o fazer.
      Se calhar é por sermos assim que não somos "beneficiados" com a verdade.

      Ser Sportinguista é ser melhor que isto!

      Eliminar
    2. King Lion, essa música foi passada na entrada das equipas nos primeiros jogos em Alvalade esta época, mas entretanto voltaram a colocar a marcha. Ainda bem, na minha opinião, a marcha puxa muito mais pelo público. Um abraço.

      Eliminar
    3. Em relação ao último parágrafo, King Lion, estou de acordo com o Xusso. A violência nunca irá resolver o quer que seja. Prefiro continuar a perder e a ser roubado do que ver sportinguistas a tentarem fazer justiça pelas próprias mãos. Um abraço.

      Eliminar
    4. Olhem o que eu vos digo,isto só vai para a frente quando eles forem bem entalados e algum ficar com um olho negro.Há muitas pomadas nas farmácias para serem vendidas e que seu saiba o gelo até ainda é barato !...

      Eliminar
  5. Mestre,

    só agora vi esta nova rúbrica e espero não estar a repetir outros contributos que, possivelmente, já tenha recebido dos leitores:

    - amarelo a Mané na época passada em Vila do Conde, após marcar o 2º golo do Sporting. Mané festeja, levando a camisola a tapar a cabeça (não a tira, nunca). Amarelo para Mané;
    - Labyad expulso depois de ser empurrado/agredido;
    - Pala de Alvalade;
    - Greve dos árbitros;
    - Negação de Paulo Costa de arbitrar um jogo em Faro;
    - jogar 8 minutos em Chaves, dois ou três antes de um determinante Sporting vs Porto;
    - árbitro gozar, na ressaca de um jogo horrível (da sua parte) em Chaves (mais uma razão para odiar este clube), dizendo que ficou com azia da sua má arbitragem (Jorge Coroado);
    - Alvalade interdito por 2 jogos porque Veiga Trigo diz que viu um adepto do Sporting a atirar um isqueiro ao fiscal-de-linha (ainda recentemente, um leitor - "isso agora" - do meu blog me relembrou disto e encontrou o vídeo na net; se ele não o deixar aqui, eu depois dou-lhe; vê-se bem para onde o Veiga Trigo está a olhar quando o fiscal é atingido)
    - Barbosa expulso no Bessa (Bruno Paixão) porque marcou um livre contra um adversário que não estava à devida distância (geralmente é amarelo para o adversário que não está à distância); época 2003/2004, na jornada dos "quinhentinhos" do Beira-Mar vs Porto, nas vésperas da 2ª mão da meia-final da Champions (Mourinho poupou 8 titulares);
    - apanha-bolas colocar a bola dentro da baliza e árbitro validar golo contra o Sporting (aconteceu nas Antas, nos inícios dos anos 80);
    - árbitro tentar agredir treinador de guarda-redes, mesmo quando está a condicionar o trabalho deste; quem não se recorda de Duarte Gomes a correr, juntamente com os seus fiscais, à frente de Patrício quando fazia o aquecimento?
    - fiscal de linha do lado oposto à jogada (do lado da baliza do Benfica), marcar um penalty (por mão na bola) que, afinal, era bola no peito, decidindo, assim, uma final - Taça da Liga - Sporting vs slb;

    e ainda me lembrarei de mais.

    abraço e bom trabalho
    -

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não me esqueço do P.Barbosa ser expulso por se rir contra o FCP naquele famoso jogo em que acabamos com 8 e mesmo assim eles não ganharam. Mas não sei se isso conta porque o árbitro era o Martins dos Santos, que foi um dos maiores corruptos que houve. E esse foi mesmo provado que foi corrompido.

      Eliminar
    2. Cantinho, obrigado pelo material. Não me lembrava dessa do Mané. Em relação às outras já estavam na lista (não a da pala, porque não tem a ver com arbitragem), e já tenho o tal vídeo o Veiga Trigo.

      Qual foi a recusa do Paulo Costa a ir a Faro? Desse também não me lembro.

      Obrigado e um abraço.

      Eliminar
    3. Mike, lembro-me desse jogo (o resultado ficou em 2-2) mas não me lembro de o Barbosa ter sido expulso por se rir... tenho que ver se encontro o vídeo. Um abraço.

      Eliminar
    4. O Barbosa ri-se, mas antes dá um enorme pau no Ricardo Carvalho. Uma tesoura. Foi a correr atrás dele e de, maneira intencional, fez-lhe uma falta para vermelho. Riu-se depois do vermelho.
      O vermelho escandoloso desse jogo é ao Paulo Bento que diz: "isto é uma vergonha!" Toma lá vermelho.

      O Jardel tb é expulso porque remata uma bola contra a publicidade estática. Não foi um remate para a bancada para ganhar tempo, foi contra a publicidade, com a bola a entrar logo no campo.

      Grande Martins dos Santos...
      Podia usar aquele chavão "Já não se fazem homens assim..", mas a verdade é que cada jornada nós vamos percebendo que o molde não se esgotou ali.

      Eliminar
    5. Mestre,

      aí vai o caso Paulo Costa:

      http://www.maisfutebol.iol.pt/beira-mar-sporting-andrelino-pena-farense-azia-luto-arbitro/520be63f3004b15790525bd6.html

      outra coisa que só acontece a nós:

      - expulsão de um jogador, apesar do árbitro não ter visto nada; quem não se lembra da expulsão de Hugo Viana na luz, no jogo para Taça (3-3; derrota nos penalties); António Costa (outra bosta de Setúbal, o tal dos 3 golos ilegais do Nacional na última jornada em Alvalade e que deu o 2º lugar ao porto) olha para trás e vê João Pereira a fingir no chão. Resultado: Hugo Viana na rua.
      - expulsão de um jogador com menos de 5m de jogo: João Pereira na T da Liga contra o slb (isto jamais acontecerá aos nossos rivais e ao adversário do nosso jogo);

      Eliminar
    6. Tens razão Cantinho, essa foi o Paulo Bento.
      Acrescento ainda mais uma (não teve influência no resultado):

      - árbitro a deixar um jogador (acho que do Guimarães) marcar uma falta sem sequer estar a olhar para onde a bola foi posta para a marcação

      Eliminar
  6. Por acaso lembrei-me de mais um jogo no Pulhão numa meia final da taça de Portugal, onde o SCP a ganhar 2-1 a poucos minutos do fim do jogo viu o Caneira ser expulso com o 2ª amarelo por separar um desavença entre jogadores ... o FCP empataria o jogo já muito perto do seu final e ganharia nos penáltis!

    ResponderEliminar
  7. Outra: Juskiwiak expulso por mostrar ao fiscal de linha que precisava de óculos, 94/95, na Reboleira.

    ResponderEliminar
  8. Não esqueçam este jogo em 93/94... http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=18927
    Sim, porque o João Pinto não ganhou aquele campeonato sozinho. Atentem bem no nome do árbitro dessa vergonha nas Antas. Agora comparem-no com o árbitro que foi convidado para participar na festa do título do benfica: http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=18914

    ResponderEliminar
  9. Mestre, parabéns pela ideia e pela forma de o fazer. Aposto que ao fim de 20 ou 30 posts desta saga, nenhum trampião terá estofo prata tentar encontrar exemplos do género.

    Quanto aos casos... depois de relembrar os aqui descritos.... causaram - me náuseas. ... só me fazem lembrar os jogos com os tripeiros na década de 80...

    ResponderEliminar
  10. Pior é não entender que qualquer lei que seja tem de ser interpenetrada no seu sentido ou seja o seu objectivo. O objectivo desta lei era o de não haver anti-jogo. O corte do Polga não foi de anti-jogo. Não havia lugar à marcação de livre.

    ResponderEliminar
  11. Gostava de recordar mais exactamente qual o jogo e adversário em que tal sucedeu, mas do acontecimento em si, tenho uma memória indelével: Ainda no velhinho Alvalade, num jogo contra um Beira-Mar (ou Paços ou algum clube do género), que, creio, terminou empatado, houve um jogador adversário (o infame Lobão?), que, após uma infindável série de entradas assassinas, lá acabou por ver um 1º amarelo, posteriormente um 2º amarelo e, pasme-se, ainda teve a habilidade de ver um 3º amarelo, levando a que, finalmente (aos 89'), lhe fosse mostrado o cartão vermelho. À saída, frustrado com tamanha injustiça, ainda "agrediu" a pontapé um placard de publicidade. Se o "feeling" da memória não me atraiçoar, penso que terá sido o Sporting-Beira Mar da 7ª jornada da Liga 98/99, um empate 0-0. Nesse jogo, o Beira-mar fez 77 faltas duras, contrastando com as 7 faltas macias que fez nas Antas, onde levou 7-0, no jogo imediatamente seguinte!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembro-me perfeitamente disso. Foi com o Beira-Mar (não sei o ano, mas basta ir ao zerozero) e esse Lobão fez mais de 30 faltas! Sozinho fez mais que uma equipa num jogo inteiro. 0-0.
      Formava dupla com outro senhor macio, o Dinís.

      Dulpa com essa capacidade caceteira e sem direito a expulsão (nos jogos com o Sporting), só mesmo aquela formada por Litos e Ávalos, do Boavista de Pacheco.

      Mas isso de levar 7 no Dragão, quem não se lembra do Jorge Silva (ex-guarda-redes do fcp e que estava sempre emprestado ao Salgueiros)? Aquilo eram golos de todos os lados. O Jardel bastava marcar um pontapé de baliza que ela estava lá dentro.
      O Salgueiros quando jogava com o Sporting era exactamente igual... (ironia).

      Este Jorge Silva tava para o fcp como o Brassard estava para o slb.

      Têm tantas semelhanças que ia jurar que eram siameses.

      Eliminar
    2. Para guarda-redes permissivos com certos emblemas, basta lembrar o Beto no Leixões há uns anos. O Leixões a fazer uma época fabulosa, jogam em Alvalade e o Beto defende tudo e mais alguma mas, incrivelmente, no Ladrão levam 4-0 com o Beto a fazer má figura em todos os golos.

      Eliminar