segunda-feira, 17 de novembro de 2014

M*rdas que só mesmo connosco, nº 5: A Paixão de Bruno

Creio que estaremos todos de acordo em como arbitrar um jogo de futebol não será uma atividade fácil. Por vezes há lances críticos de difícil juízo, em que as movimentações de jogadores e bola podem complicar a tomada de decisão por parte do árbitro. Este tipo de erros merecem alguma compreensão por parte dos adeptos do clube prejudicado.

Outras vezes há jogos em que um caso muito polémico define uma partida. Situações daquelas em que todos no estádio percebem logo no momento que a equipa de arbitragem errou. Aquele tipo de enganos que são suficientemente graves para nos levar a questionar a boa fé e integridade do árbitro ou fiscal-de-linha que os cometem.

Mas depois ainda existe um outro nível: o de Bruno Paixão.



Época de 2003/04, 31ª jornada. Com apenas 4 jogos por disputar, o Porto segue na frente com 75 pontos, seguido do Sporting com 70 e do Benfica com 64. Nesse ano, apenas os dois primeiros classificados se apurariam para a Liga dos Campeões.

O Sporting deslocou-se ao Bessa, e acaba por sair derrotado por 2-1, num dos maiores assaltos à mão armada que alguma vez ocorreu num campo de futebol em Portugal.

Árbitro: Bruno Paixão, quem mais poderia ser?


Quatro (4) erros claríssimos, daqueles que isoladamente seriam motivo suficiente para pôr o árbitro na jarra durante umas boas semanas:

  • Penálti descarado de Paulo Turra sobre Liedson
  • Fora-de-jogo assinalado a Liedson ainda no meio-campo do Sporting (!)
  • Expulsão injusta de Rui Jorge (o vídeo não mostra, mas ao que se diz também o primeiro amarelo foi mal mostrado)
  • Pedro Barbosa expulso por tentar marcar um livre rapidamente quando o Sporting perdia e o jogo entrava em tempo de descontos

Valeu a pena que a paixão de Paixão tenha sido exposta publicamente desta forma tão evidente: o Benfica acabaria por conseguir terminar em 2º, com um ponto a mais do que o Sporting, e qualificar-se para a Liga dos Campeões.

Quanto a Bruno Paixão, continuou (e continua ainda hoje) a desvirtuar a verdade desportiva sem qualquer tipo de penalização. Parece que o crime compensa mesmo.

27 comentários :

  1. Fui ver este jogo ao bessa acompanhado por adeptos de outros clubes neste caso um do Benfica e outro do Porto.Eles perceberam,eu percebi,todos perceberam que houve um protagonista no jogo que definiu o resultado do jogo e quem foi ?,Bruno LADRÃO.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino o sentimento dos sportinguistas que estavam no estádio, King Lion... que roubalheira. Um abraço.

      Eliminar
    2. Saí de lá indignado mas a falar em voz alta o que não era fácil nesses tempos e eu estava numa bancada para sócios do Boavista.Aliás saí de lá eu e muitos sportinguistas que não se cansaram em voz alta de expressarem a sua revolta pela cambalhota que esse FdP deu no resultado.

      Um Abraço MdC

      Eliminar
  2. Este arbitro conseguiu chegar a internacional e ai se manteve 8 anos!!!!
    Mas desde 2012 que ja nao é e corre o risco de mais ano menos ano descer de divisão!
    Neste momento é ja o 2.mais antigo na 1.a divisão.
    Esta lá desde 1997.
    O mais antigo é o Paulo Batista que esta desde 1996, mas acaba agora a carreira por limite de idade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Futebolista, Bruno Paixão ainda só tem 40 anos, pelo que ainda tem mais 5 pela frente. Sempre foi um péssimo árbitro, e esta não foi um caso isolado de arbitragens escandalosas que definiram resultados. Duvido que alguma vez desça de categoria... Um abraço.

      Eliminar
  3. Gostaria de pedir ao autor do blog e aos adeptos que aqui lêem os posts diariamente um ranking dos melhores árbitros em Portugal.
    São 23 árbitros na 1.a liga.
    Separem então o "trigo do joio".
    Quem são os melhores
    Quem são os piores

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha opinião o melhor é Marco Ferreira. Não desgosto do Artur Soares Dias.

      Bons quando querem: Pedro Proença, Jorge Sousa

      Sem opinião definitiva: Hugo Pacheco, Jorge Ferreira, Jorge Tavares, Rui Silva

      Maus: Paulo Baptista, Olegário Benquerença, Duarte Gomes, Cosme Machado, Carlos Xistra, Hugo Miguel, Manuel Mota, Rui Costa

      Péssimos: João Capela, Bruno Paixão, Luís Ferreira, Vasco Santos, Bruno Esteves

      Não sei se falta algum na lista, mas aqui fica a minha opinião.

      Eliminar
    2. concordo plenamente com esta lista

      Eliminar
  4. Já nem digo da lata de falarem do Bruno Caixão, cuja pior - e a pior de todas em todos os tempos - arbitragem num Campomaiorense-FC Porto ajudou indirectamente o Sporting em 2000.

    Sobre este jogo, que também vi ao vivo, convém lembrar que houve não dois, mas três jogadores do Sporting expulsos, e todos com razão: o RJ por duplo amarelo, o PB por ser insurrecto e no livre chutar deliberadamente contra o árbitro, salvo erro, e outro jogador que não lembro.
    De penáltis e de foras-de-jogo todas as equipas podem falar.
    Mas neste jogo em concreto, que o Sporting ganhava, justamente, por 1-0 (Liedson) com menos de 15 minutos para o final e num jogo em que era melhor em tudo, nada como falar da arbitragem e não lembrar quem mais contribuiu para a derrota.

    Pois, o g.r. Ricardo:
    1-1, batido na pequena área num canto da direita com cabeceamento de Frechaut
    2-1, larga a bola a remate de longe e Fary marca de recarga.

    Dois frangos, ou frango e meio, e a culpa é do árbitro.

    Mesmo sendo BCaixão; mas também havendo Ricardo na baliza.

    Parabéns por mais um momento de lúcida estupidez.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lúcida estupidez? Está certo, Zé Luís... A do Campomaiorense - Porto é que foi má...

      Eliminar
    2. Caro mestre, boas e isentas exibições eram dos Pratas, Guimaros, Leirós etc a favor dos azuis eh eh eh

      Eliminar
    3. Esses sim, raramente se enganavam. Quando as faziam era de propósito! :)

      Eliminar
    4. Zé Luís

      Felizmente aparece alguém lúcido como tu para nos explicar o que ninguém conseguiu entender,é que a derrota do Sporting foi por culpa própria e não pela excelente arbitragem do Bruno Ladrão...e eu corroboro da tua opinião com mais um argumento,até o fora de jogo em que o Liedson vai isolado para a baliza do William foi bem tirado porque para o Sporting é fora de jogo mesmo quando um jogador parta sózinho antes da linha do meio campo!...

      O que tu gostavas era do Martins dos Santos não era ?,mais um árbitro de grande qualidade,isento,honesto !...

      Eliminar
  5. http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Benfica/interior.aspx?content_id=915314

    MdC o presidente do Bayern já os topou, eh eh eh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, essa do Benfica ter 235.000 sócios pagantes é outro dos grandes mistérios da natureza. :) Devia ser uma tarefa básica encherem todas as jornadas os 60.000 do estádio...

      Eliminar
    2. Desde 2005 que não morrem sócios e só entram sócios pagantes conforme se demonstra pela campanha zero euros ; - )

      Eliminar
    3. Esse número saiu da mesma fábrica que o ano de fundação, os 6 milhões de benfiquistas, o número de campeonatos ganhos e de não sei mais quantas invenções que só mesmo um clube fingido pode almejar.

      Só um pequeno exemplo da pantominice que vai por esse clube: esta pré-época dei por mim a ver um resumo de um jogo de treino do benfica com uns cepos quaisquer num daqueles estádios literalmente às moscas, transmitido pela benfica tv. Então não é que os fingidos colocaram som de público de estádio à pinha em histeria (provavelmente da etar) nos golos das galinhas. Até tive de voltar atrás e ver de novo para acreditar.

      Se isto não é de clube fajuto, digam-me o que é.

      Eliminar
    4. O anjo Gabriel já veio dizer que é verdade! Provas é que nem vê-las...

      Eliminar
    5. Estive agora a fazer contas ao que deverá ser um panorama mais realista do número de sócios pagantes do Benfica. Agendei o post para amanhã de manhã.

      Eliminar
  6. Eles são tantos,tantos mas para terem 40 ou 45 mil pessoas no estádio tem de ir as excursões dos núcleos de todo o país.Pois só com os adeptos e sócios de perto de Lisboa não passam das 30, 35 mil pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, esse desfasamento entre o número de sócios e as assistências são um indicador óbvio que os 235.000 são um número totalmente desatualizado. Um abraço.

      Eliminar
  7. Esse jogo serviu para várias coisas:

    - o Sporting foi a única equipa que lutou pelo título contra o Porto de Mourinho;
    - como o Benfica de Camacho acabou por ficar em 2º (fruto de 3 derrotas seguidas do Sporting [ Boavista, Leiria e Benfica]) e de vencer a Taça de Portugal ao Porto (que jogou com 10, por expulsão de Jorge Costa), passou-se a ideia que foi o Benfica quem deu luta;
    - esse jogo realizou-se a um sábado; o Porto jogava no domingo em Aveiro com o Beira-Mar; 3 dias depois o Porto ia à Corunha jogar a meia-final da Champions (depois de ter empatado 0-0 no Dragão);
    - se o Sporting vencesse no Bessa ficava a 2 pontos do Porto e mais um jogo;
    - com a derrota (ou empate), Mourinho pôde usar uma equipa de suplentes em Aveiro, resguardando os principais para a Champions. Como seria se o Sporting tivesse vencido?

    Este foi o 11 do Porto em Aveiro:
    Nuno
    José Bosingwa
    Ricardo Carvalho
    Ricardo Costa
    Pedro Emanuel
    Carlos Secretário
    Maniche
    Pedro Mendes
    Ricardo Fernandes
    Marco Ferreira
    Maciel

    O 11 do Porto, 3 dias depois na Corunha:
    Vítor Baía
    Jorge Costa
    Ricardo Carvalho
    Nuno Valente
    Paulo Ferreira
    Costinha
    Deco
    Maniche
    Carlos Alberto
    Pedro Mendes
    Derlei

    Será que o Corunha conseguiu fazer o mesmo tipo de poupança?
    Quantas vezes fez o Porto, este tipo de poupança, ao longo de toda a caminhada da Champions?

    Última nota:
    - o jogo em Aveiro foi um tal que figurou no Apito Dourado. Aquele em que Augusto Duarte é recebido de véspera por Pinto da Costa (às tantas ainda viram a exibição do Paixão na TV).
    Realmente, tinha tudo para dar certo (e deu).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, Cantinho. Os pormenores de como as coisas realmente aconteceram vão-se perdendo ao longo dos anos, até que a única versão que perdure seja a história de quem ganhou...

      Obrigado pela reconstituição dos acontecimentos. Um abraço.

      Eliminar
    2. É isso mesmo, Mestre.
      Todos falam do grande Porto de Mourinho (de facto, foi muito bom, principalmente o de 2002/2003) mas é preciso contextualizar.
      Este Sporting de Fernando Santos tinha um plantel bastante fraco com jogadores como Silva, Clayton, Lourenço, Tonito, Miguel Garcia, Hugo, etc (chega a fazer um jogo na Madeira com uma dupla de centrais composta por Santa Maria e Quiroga...), mas foi a única que ombreou com esse "grande" Porto. Ao empatar 1-1 em Alvalade (o jogo da camisola rasgada) com o Porto perde a oportunidade de ficar 1 ponto (na jornada a seguir empata ou perde na Madeira, no tal jogo dessa dupla de centrais).

      Mas a verdade é que a mensagem passada para Mourinho, por parte da sua direcção foi esta:
      "Preocupa-te com a Champions, que da Liga tratamos nós." E assim foi.

      E mesmo na Champions o caminho também foi obscuro. Quem não se lembra da arbitragem em Manchester? Com o 2-0 mal anulado ao Scholes? A expulsão ridícula do Jorge Andrade na 1ª mão no Dragão, por brincar com o Deco?

      Mas a História só fala das vitórias e não como elas se formaram.

      (para não falar de um dos primeiros jogos do campeonato, em Moreira de Cónegos, com a grande arbitragem de Martins dos Santos. Aí, Fernando Santos percebeu o que era o Sporting para essa gente).

      abraço

      Eliminar
  8. Mais ou menos 10 anos antes, no mesmo estádio, com o famigerado Jose Pratas, o escândalo foi ainda talvez maior. O Robson nem queria acreditar no que via... Coisas do futebol português, uma das coisas mais parecida com uma associação de malfeitores que conheço...

    ResponderEliminar
  9. e a mão do Ronny??!!
    http://www.youtube.com/watch?v=T6YHxvdxvKQ

    ResponderEliminar