segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

É isto que nós queremos

Não tendo sido uma exibição de encher o olho, não deverá haver nenhum sportinguista minimamente colado à realidade que não tenha ficado satisfeito com a prestação dos nossos rapazes na noite de ontem. Todos gostamos que a equipa pratique um futebol vistoso do princípio ao fim das partidas, mas seria utópico pensar que isso poderia acontecer perante o nível exibicional recente da equipa, o turbilhão que entretanto se montou e um adversário reconhecidamente rijo (no bom e no mau sentido da palavra). O Sporting cerrou os dentes, foi à luta desde o apito inicial, soube sofrer para impôr o seu jogo e soube sofrer (sendo inteligente) quando se viu em desvantagem numérica para segurar o resultado, merecendo inteiramente o desfecho final. As vitórias ficam sempre bem mais perto quando não poupamos esforços para as alcançar.



Positivo

  • Atitude desde o apito inicial - as críticas apontadas à equipa ao longo da última semana tiveram uma resposta à altura por parte dos jogadores que entraram em campo na Choupana. Desta vez é indiscutível que tivemos equipa do princípio ao fim. O esclarecimento não foi o melhor nos primeiros trinta minutos, mas gradualmente os jogadores conseguiram perceber a melhor forma de ultrapassar o Nacional, e as oportunidades começaram a aparecer. A segunda parte foi de uma superioridade completa até à expulsão de Adrien, muito graças à agressividade demonstrada ao pressionar as saídas de bola do Nacional, que poucas vezes conseguiu chegar à nossa área - e quando o fez não criou perigo. A jogar com 10, a equipa manteve-se solidária e combativa. É isto que queremos. Sempre que o fizerem, as vitórias terão tendência para aparecer com bastante mais frequência, mesmo em dias de menor inspiração artística.´
  • Os últimos dez minutos de Carrillo - numa altura em que se impunha quebrar o ritmo do Nacional e deixar os minutos passar, o peruano foi extraordinariamente inteligente e soube queimar preciosos minutos encostado à linha e a esconder a bola dos dois ou três adversários que tinha nas costas. Um sinal inequívoco de maturidade de um jogador que mais uma vez demonstrou ser o nosso principal desequilibrador - ficaram na retina o passe para um remate de Slimani que saiu muito próximo do poste, e um remate para grande defesa de Gottardi.
  • Slimani todo-o-terreno - não marcando (e desperdiçando à boca da baliza uma inesperada oportunidade surgida de um ressalto de bola num jogador do Nacional) conseguiu fazer um grande jogo. Extremamente combativo, nunca desistindo de uma bola e sabendo segurar a bola à espera que os companheiros se aproximassem. Ah, e foi dele o remate que deu origem à defesa incompleta de Gottardi que Mané aproveitaria para fazer o golo da vitória.
  • O capitão a dar o exemplo - Rui Patrício teve pouco trabalho mas conseguiu duas defesas de grande nível: uma na primeira parte, num remate cruzado rasteiro que desviou com a ponta dos dedos, e perto do fim com uma saída temerária a evitar o remate de um adversário que apareceu isolado na sua cara. Nesta última deve ter ganho umas belas marcas, já que foi atingido com muita dureza pelo avançado do Nacional. Para Duarte Gomes foi tudo normal, e o jogo lá prosseguiu com o nosso guarda-redes a contorcer-se no chão. Ressentimentos antigos?

Negativo
  • Não aproveitar o contra-ataque para matar o jogo - dispusemos de várias situações de contra-ataque geradas pelo adiantamento do Nacional à procura do golo do empate e de recuperações de bola com pronto lançamento para os homens mais adiantados. Infelizmente, o aproveitamento dessas situações ficou muito abaixo daquilo que seria desejável. Podíamos ter arrumado com o jogo mas não o fizemos, ficando depois sujeitos a eventuais incidências que nos fossem desfavoráveis. E daí chegamos à...
  • Expulsão de Adrien - se um Rui Oliveira e Costa sóbrio decidisse fazer uma sondagem aos sportinguistas sobre se achavam que Adrien iria terminar a partida em campo, certamente que uma esmagadora maioria (onde me incluiria) responderia NÃO. Adrien tem as suas qualidades, mas com o avançar dos minutos não nos costuma impressionar pela sua clarividência em plena batalha pela conquista da bola. E atendendo à presença de Duarte Gomes, que normalmente não precisa de meia oportunidade para nos dificultar a vida, estavam criadas as condições para uma tempestade perfeita. Marco Silva devia ter lançado Rosell para o lugar de Adrien, e não apenas quando já estávamos reduzidos a dez elementos. Note-se no entanto que, apesar de Adrien ter estado mal ao não aliviar a bola quando teve oportunidade, a sua expulsão foi forçada: há falta mas não era para cartão.

Numa jornada em que tínhamos um adversário mais complicado que os nossos rivais, conseguimos não perder mais terreno e ainda aproveitámos para nos colarmos ao 3º classificado. Nada, nada mau. Segue-se um interregno de duas semanas que nos poderá devolver Jefferson e Nani para a difícil sequência Estoril / Braga / Rio Ave. Saibamos agora aproveitar a estabilidade que uma vitória como a de ontem pode proporcionar para lamber as feridas (ainda) abertas e arrancar com pujança para um novo ciclo de bom futebol.


13 comentários :

  1. Não concordo contigo em relação ao Adrien. A falta era para amarelo pois o jogador do Nacional seguia para a baliza numa situação perigosa. Mas, para mim, não era por isso que Adrien deveria ter saído e sim porque fez, mais um, jogo de merda. Falha passes atrás de passes, não recupera quando a equipa perde a bola e não ajuda na organização ofensiva. Seja pela expulsão ou 5º amarelo que tinha visto na 1ª parte, não irá jogar no próximo jogo, o que será bom.

    Outra coisa que ninguém se lembrou e falei com amigos meus na altura. Nani está com 4 amarelos. Mais um e fica de fora 1 jogo e isto após voltar de lesão, o que não é bom. Ninguém se lembrou disto na altura da lesão dele, mas poderiam perfeitamente ter-lhe dito, após ele se lesionar para provocar o 5º amarelo e cumprir 1 jogo de castigo durante o período de lesão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mike, era preciso muita cabeça fria para alguém se ter lembrado disso no jogo com o Boavista, mas concordo. Teria sido muito útil. Um abraço.

      Eliminar
  2. O Adrien é bem expulso, aliás a primeira falta é uma tesoura em que o amarelo é generoso e no segundo uma falta perigosa junto à área é armarelo. Não foi por ai.

    O estranho é nos adversários vermos os Maxis, Samaris, Casemiros entre outros com entradas assassinas umas atrás das outras e nada de expulsões.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, o primeiro cartão é bem mostrado. O segundo cartão, a ser mostrado e mantendo-se o critério, seriam poucos os jogos que acabariam com 22... O Adrien deve ter feito 4 faltas durante todo o jogo, na minha opinião merecia mais tolerância - até porque a falta nem sequer é ostensiva. Um abraço.

      Eliminar
  3. Havendo atitude pouco mais haverá que criticar ou exigir à equipa.
    A qualidade está lá o modelo de jogo é apelativo ... haja apenas paz e qualidade no trabalho de todos que as vitórias e os titulos aparecerão!

    Um feliz natal e um 2015 cheio de esperança ... mesmo para os deslocados que aqui gravitam, espero sinceramente que arranjem dinheiro para regressar a casa!

    SL,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Sérgio, haja sabedoria para que o clube possa viver tempos mais calmos. Feliz Natal!

      Eliminar
  4. Adrien é bem expulso, perde uma bola numa zona frontal a baliza, não resta qualquer dúvida quanto ao amarelo, bem mostrado.

    Era interessantes saber o número de passes falhados do Adrien nos últimos jogos, tem vindo a jogar bastante mal, e esta expulsão acentuou essa tendência

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fábio, havia uma multidão naquela zona e o lance não era propriamente perigoso. Podia ter havido tolerância do árbitro.

      Infelizmente não há estatísticas dessas para o campeonato português... mas seria interessante saber.

      Um abraço.

      Eliminar
  5. O Adrien é bem expulso e é burro ao fazer faltas destas, sabe que por muito menos um jogador do Sporting vê cartão amarelo.
    Há uma falta ainda primeira parte sobre o William bastante semelhante a esta, aqui o arbitro não deu amarelo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yazalde, o Adrien foi de facto pouco inteligente porque sujeitou-se ao critério do árbitro. No entanto já todos vimos faltas bem piores a não levarem cartões, incluindo no próprio Nacional - Sporting. Um abraço.

      Eliminar
  6. o adrien é bem expulso, alias ele pouco depois do primeiro amarelo faz outra falta que se não tivesse já amarelo, lhe daria cartão.

    e o segundo amarelo é muito0 bem mostrado, tentou inventar, perdeu a bola e depois em desespero fez uma falta em zona perigosa.

    mestre já agora, não sei se ouviu a CI do treinador, mas pelas declarações dele fiquei com a ideia que se passa por ali qualquer nos bastidores entre ele e o presidente, ou que pelo menos não gostou nada do ultimo comunicado e deixou isso bem claro publicamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://cantinhodomorais.blogspot.pt/2014/12/ignorar-o-obvio.html

      Só um off-topic sobre algo que já devia andar a circular há mais tempo. A vergonha continua e este já se está a tornar um dos campeonatos mais vergonhosos da história do futebol português.

      Eliminar
    2. Riga, era só o que faltava se fosse expulso pela falta que fez depois do amarelo. Quanto à falta do 2º amarelo propriamente dito, eu aceito que tenha sido mostrado o cartão mas não concordo. Mas se fosse o Enzo, o Samaris ou o Casemiro a fazer aquela falta nas mesmas circunstâncias será que teriam visto o cartão? Um abraço.

      Eliminar