quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dentro das expetativas

Mesmo tratando-se de uma equipa composta por jogadores que não são da primeira linha do clube, é evidente que o resultado de hoje fica bastante aquém do exigível. Depois de marcarmos cedo através de uma oferta de um adversário e de ficarmos em vantagem numérica ainda durante a primeira parte, é difícil de compreender como foi possível deixarmos o Setúbal empatar e não conseguirmos concretizar sequer uma das muitas oportunidades que tivemos para marcar. O nosso destino na competição depende agora de terceiros, algo que fica dentro das expetativas que a maior parte de nós tinha quando foram conhecidos os grupos da Taça da Liga.

Do jogo de hoje não há muitas notas positivas a retirar: gostei mais uma vez de Wallyson e pareceu-me que Rabia fez um jogo bastante seguro. No lado das desilusões esteve Tanaka, que não conseguiu sequer fazer um remate de perigo nas muitas oportunidades de que dispôs. A sua desinspiração esteve longe de ser um caso isolado na equipa, mas foi mais uma vez evidente que, à semelhança de Montero, não é jogador para ser colocado sozinho na frente.

Como também se esperava, estes quatro jogos foram bastante úteis para percebermos melhor com quem podemos ou não contar para as provas realmente importantes. Sarr não garante os mínimos de segurança necessários para poder fazer parte do plantel principal, enquanto que Tanaka, Rosell e André Martins desperdiçaram as oportunidades que tiveram para se mostrarem como alternativas reais para o onze titular. Slavchev, Geraldes e Rabia deram alguns sinais de vida, enquanto que Podence e Esgaio tiveram alguns momentos positivos - mas precisam de passar para outro patamar competitivo para poderem fazer parte do plantel principal em definitivo.

Em contrapartida, creio que ganhámos três jogadores para o futuro imediato. Tobias conquistou em definitivo um lugar no plantel principal, enquanto que Gauld e Wallyson mostraram que podem seguir o mesmo caminho já. Aliás, não compreenderei se Marco Silva não lhes der oportunidades a curto prazo no banco de suplentes e minutos em função das ocorrências da partida. Parece-me que neste momento merecem estar na rotação do plantel à frente de Rosell ou André Martins, por exemplo. Gerir um grupo de trabalho em função do mérito parece-me um princípio bastante saudável.


29 comentários :

  1. Fizémos uma primeira parte brilhante.

    ResponderEliminar
  2. Quanto ao Luis Figo, nerm comento. Shame on him !

    ResponderEliminar
  3. MdC, taça da carica = desvalorizar competição e lançar jogadores, o objectivo está a ser cumprindo na minha opinião.

    Já agora, tanto respeito pelo nosso treinador, quase considerado um deus na terra no ultimo mês pela nossa CS e depois colocam fotos destas, estes pasquins são uma comédia autentica:

    http://i.imgur.com/ex6OveD.png

    http://i.imgur.com/vM9rRa0.png

    ResponderEliminar
  4. Só não concordo em colocar o André Martins nas desilusões. Ultimamente, quando entrou, correspondeu. Não vai melhorar muito, mas tem sido certinho. Tem-se batido no rapaz com demasiada facilidade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. André Martins fez ontem coisas que só nos sonhos é que Adrien consegue fazer igual. Mas é como dizes, "tem-se batido no rapaz com demasiada facilidade..."

      Já esperava esta situação (a possível não qualificação). O jogo no Restelo nunca poderia ser de derrota. E a conversa do JJ, o debate precoce de se ir à luz com os B ou A, começou a colocar pressão numa competição jogada por quem está patamares longe do exigido.
      Mas o Sporting teve tudo na mão: a vencer por 2-0 no Restelo ainda foi a tempo de perder; a vencer contra 10 com o Setúbal ainda se conseguiu empatar.

      Mas ao menos que alguém tenha visto que jogámos sempre em inferioridade numérica (em Guimarães foi Sarr e Slavchev - depois equilibrou-se com a entrada de Wallyson; com o Boavista jogámos com M. Lopes, Sarr e, depois, Rossel foi expulso; no Restelo jogámos com Sarr e Jonathan; ontem jogámos com Sarr e Miguel Lopes [o golo do Setúbal é deles]). Face a isto, até foi bastante meritório.

      Eliminar
    2. Não estou de acordo em relação ao desempenho recente de André Martins. Precisamos que ele faça mais para poder ter um contributo importante para a equipa. Pode saber fazer coisas que o Adrien só pode sonhar, mas há muitas outras em que fica muito aquém... :) Um abraço.

      Eliminar
    3. Cantinho, em relação à "inferioridade numérica" da equipa, não me parece que sirva de desculpa. Boavista, Setúbal e Belenenses também não jogaram com os onzes habituais, e também deviam ter cepos bem piores que qualquer um dos nossos jogadores... :) Um abraço.

      Eliminar
  5. Concordo com a análise do post. A questão do mérito é fundamental!

    Esta taça da liga serviu para mostrar jogadores como Tobias, Gauld, Wallyson, Geraldes, Podence, Esgaio, Tanaka. Foi bastante produtiva. Defendo (defendi na altura) que alguns destes jogadores já deviam ter começado na A no inicio da época casos de Tobias, Gauld, Wallyson e Esgaio. Defendo uma abordagem igual para a Taça da Liga no próximo ano.

    Gauld e Wallyson vão ser 2 casos sérios!

    Sobre o Sarr e o Sacko não preciso de ver mais. Já tenho a opinião formada.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM, sobre o Sacko acho que entrou demasiado ansioso. Ainda quero ver mais para poder formar uma opinião mais definitiva. Quanto ao Sarr, acho que já vimos todos o suficiente. Um abraço.

      Eliminar
  6. A competição serviu os seus propósitos, rodar jogadores.

    Claro que há quem tente valoriza-la ao nível de um campeonato, taça de Portugal ou Champions mas enfim gente doida.

    Quanto ao Luís Figo, por acaso um dos meus idolos futebolisticos de juventude, em que a imprensa tenta passar a imagem que nunca jogou pelo SCP é triste no minimo.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, até o Porto está a levá-la a sério este ano, provavelmente já perceberam que é a única competição que têm boas hipóteses de vencer. Ontem até o Jackson mandaram lá para dentro... Enfim, é deixá-los estar. Vejo mais interesse na competição se me derem a hipótese de vermos os jogadores menos utilizados. Um abraço.

      Eliminar
  7. Epah não querendo parecer polémico em relação ao Figo, acho que ele tem um grande amor à cor verde mas não penso que seja ao Sporting...

    E depois já sabemos que ter supostos sportinguistas em cargos importantes, nunca nos beneficiou em nada, antes pelo contrário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Yazalde. Foi um enorme jogador, foi um privilégio poder vê-lo jogar com as nossas cores, mas fora do campo não o vejo como exemplo para ninguém... Um abraço.

      Eliminar
  8. Sabem uma coisa, importante importante é o jogo com o Arouca,esse sim é um jogo em que o Sporting vai ter muitas dificuldades para vencer.

    Não gosto da irregularidade do Nani, não gosto deste entra e sai que lhe está a acontecer porque como todos podemos constatar últimamente as suas exibições tem estado aquém das expectativas.Um jogador para estar no pleno da sua forma tem de jogar e ele não o tem feito com regularidade.

    Sem Jefferson,sem Nani e sem Slimani o Sporting vai ter um bico de obra.Desconfio que não vamos fazer um bom resultado com o Arouca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ser muito complicado, King Lion... vamos ver como corre... Um abraço.

      Eliminar
  9. A verdade é que temos de nos mentalizar que o mais certo é que, na Taça da Liga, já fomos. Estamos dependentes de duas equipas (Boavista e V. Guimarães) que já estão matematicamente afastadas e que, por causa disso, pouca ou nenhuma motivação terão para disputar as partidas contra V. Setúbal e Belenenses - estes dois últimos ainda com legítimas esperanças para seguirem em frente. Portanto, é começar a encarar isto como uma batalha perdida. Mas caso aconteça um milagre, é para ir à Luz ganhar. Nem que seja para calar uma certa personagem que, quanto a "seriedade", pouca ou nenhuma moral tem para pregar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não te esqueças que nenhuma das 2 equipas (Setubal ou Belem) está safa no campeonato e não vão querer meter os melhores no jogo da taça. Até porque já sabem que o jogo seguinte na taça é com o benfas.

      Eliminar
    2. Essa coisa do não estar safo na Liga aplicar-se-á mais ao V. Setúbal. O Carnide II, nesta altura, ainda sonha legitimamente com a Liga Europa - estão a quatro pontos do Braguilha. Talvez tenhas razão. Ainda assim, mantém-se o que eu disse: o Facadas e o Loureiros pouca motivação terão para sequer quererem disputar o empate. E o Facadas também quererá, acima de tudo, preservar as hipóteses que ainda vai tendo de disputar um lugar na Champions. Já o Loureiros está na mesma aflição que o V. Setúbal.

      Eliminar
    3. Acho difícil o nosso apuramento. Guimarães e Boavista estão fora, pelo que nunca colocarão os melhores contra Belenenses e Setúbal. Certamente que um dos dois conseguirá vencer o seu jogo. De qualquer forma consigo viver bem com isso... :)

      Um abraço.

      Eliminar
  10. Para mim confirmou-se algumas coisas:

    - Geraldes é bom a defender, mas só mesmo isso. Não serve para um clube grande a não ser que tenha uma evolução brutal a atacar;
    - Rabia parece-me mais 6 que central;
    - Saar é uma nulidade completa a defender, não tem sentido posicional, não sabe antecipar, enfim....não tem cérebro para jogar futebol;
    - Wallyson na próxima época tem que fazer parte do plantel principal, tal como Gauld;
    - Tanaka e Montero não podem nunca jogar sozinhos (he he he, sempre a insistir nesta);
    - Podence tem toques de grande jogador, mas ainda a espaços. Falta-lhe gerir o espaço à sua volta de forma mais competente. Precisa de rodar mais na equipa B;
    - Sacko dizem que é avançado e não extremo, como tem jogador. Se de facto é isso, explica muita coisa. É que o puto não sabe o que fazer nos corredores;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mike, acho que não pudémos avaliar devidamente o Geraldes no aspeto ofensivo porque não jogou no seu lado preferencial. Em relação aos outros estou de acordo. Um abraço.

      Eliminar
    2. Discordo de ti. Ele já jogou na direita 1 jogo e mostra a mesma propensão para não atacar. Para mim nunca será jogador para nós. Mas cá estarei para dar a mão à palmatória se estiver enganado.

      Eliminar
  11. a questão é ok era uma competição para lançar jogadores e dar rodagem a outros, mas acima de tudo era uma competição oficial e por isso para tentar ganhar.

    o que se pode perceber destes 4 jogos: comportamento muito positivo em 2 deles e nos outros 2 só jogaram meio jogo e pareceram que se encolheram quando sofreram golos, e depois parece uma equipa pouco imaginativa quando apenhas equipas fechadas.

    em termos de jogadores nota positiva para Tobias, wallison e gauld, alias parecem-me os únicos com maturidade para já irem jogando na primeira equipa.

    o esgaio vamos ver o que faz em coimbra e se define uma posição em campo;

    o rabia sofreu do problema que sofrem todos os que jogam com o sarr ao lado: ter de estar atento aos seus erros e aos do parceiro. pelo que vi na equipa b parece-me alguém com futuro a 6.

    o sarr quem lhe disse que era jogador de futebol enganou-o muito bom, porque o rapaz ainda está a anos luz de alguns centrais mesmo dos juniores.

    os jogadores mais experientes não deram essa experiencia. o rossel demonstrou que é um jogador mais de destruir do que de construir( nada a ver com o william), o andre martins, perdeu a chance de dizer presente, e o tanaka é voluntarioso mas precisa de alguém ao lado.

    nas laterais Geraldes defende bem, mas não é opção para atacar, o Miguel lopes não compromete

    slavchev é uma carta fora do baralho,

    Podence e gelson ainda sofrem do problema que é quererem a bola so para eles e decidirem bem um em cada 20 lances.

    o sackho não sei que posição é a dele, mas que é um bocadinho trapalhão la isso é

    o rubio demonstrou ser alternativa a equipa a

    resumindo fora 3 excepçoes, é uma equipa demasiado verdinha para a equipa principal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo com a tua avaliação do Slavchev nem do Podence.
      O Podence tenta criar jogo coletivo, embora já se tenha percebido que não é um extremo (que é onde o meteram a jogar). Ainda está verde mas não me parece tão mau como o pintas.

      O Slavchev sempre jogou a 6. Faz-me lembrar o Rockembach.

      Eliminar
    2. não digo que o Podence é mau, tem ainda dificuldades em soltar a bola, quantas vezes prefere fazer mais uma finta em vez de soltar a bola.

      ele e o gelson sofrem do mesmo problema, a diferença é que o gelson consegue suportar o contacto físico e o Podence não, ainda tem de ganhar mais massa muscular, para no contacto no se desmanchar todo

      o slavchev não é 6 nenhum, ele não bulgaria era um box to box , um 8, por isso a comparação que lhe faziam com o lampard

      até agora fora uma jogada com o Boavista pouco ou nada mostrou e quererem fazer dele um 6 é complicado.

      Eliminar
    3. O Gelson teve pouco tempo para se mostrar, e abusou dos individualismos se calhar por ter isso mesmo. Na B não tem sido tão egoísta. O Podence teve um jogo bastante inconsequente mas também levou muita pancada que o árbitro raramente assinalou... Um abraço.

      Eliminar
  12. http://desporto.sapo.pt/futebol/taca_da_liga/videos/taca-da-liga-sporting-x-v-setubal-2015/

    Mestre, não vi o jogo e a análise que fiz pode não ser a mais correcta, mas ao ver o resumo, vejo que o A. Martins está presente em praticamente todos os lances ofensivos da equipa. Dizer que ele foi uma desilusão parece-me um bocadinho exagerado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jorge, do André espero mais do que os outros porque supostamente já devia estar num patamar diferente. Não foi de todo uma exibição pior que a generalidade dos colegas. Mas estava à espera que se destacasse mais. Arriscou pouco no passe para colegas em desmarcação, fez tudo muito pelo seguro, o que não é suficiente. De qualquer forma é apenas a minha opinião, há mais gente que discorda de mim! :) Um abraço.

      Eliminar