quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

No aproveitar é que está o ganho

Apesar de a partida não ter sido particularmente brilhante do ponto de vista exibicional, a noite acabaria sempre por ser positiva mesmo que o Sporting não tivesse ganho: notou-se empenho por parte dos escolhidos por Marco Silva, enquanto foram onze mandaram confortavelmente no jogo e foi bom ver que todos fizeram por aproveitar a oportunidade que lhes foi dada.

Claro que não foi ópera, mas isso seria esperar demais de um onze composto por jogadores que são pouco mais do que estranhos entre si. No meio-campo, por exemplo, alinharam Rosell (equipa principal), Gauld (equipa B) e Slavchev (terra de ninguém), três jogadores chegados ao Sporting no defeso e com percursos completamente diferentes até agora. 

 
Pelos vistos o presidente trocou o banco pela linha de fundo


Positivo

Boas indicações de Gauld - fica ligado à vitória pela jogada que dá origem ao penálti: recupera a bola no meio-campo do Boavista, entrega a Tanaka e procura a desmarcação, conseguindo antecipar-se ao guarda-redes - que depois foi incapaz de evitar o contacto. Mas para além disso teve pormenores muito interessantes ao longo do jogo, e até esteve perto de marcar na primeira parte. Precisa no entanto de ser menos intermitente do que foi hoje para ser uma opção credível para a equipa principal.


Finalmente viu-se Slavchev - não é que tenha feito uma *grande* exibição, mas pela primeira vez desde que chegou ao Sporting vi-o fazer um jogo bastante afirmativo. Nunca se escondeu - esteve constantemente a procurar linhas de passe para receber a bola, seja na ligação com a defesa seja perto da área através de desmarcações - e com a bola nos pés teve uma atuação bastante positiva. Notou-se que jogou com confiança (que pode ser um indicador de que os problemas de adaptação estarão a ser ultrapassados) e fiquei com muita vontade de o voltar a ver em campo. Felizmente que daqui a uma semana terá nova oportunidade no Restelo.


Negativo

A expulsão de Rosell - o segundo amarelo é forçado, mas o catalão não se pode queixar: a falta que lhe valeu o primeiro amarelo foi violentíssima e devia ter visto logo no momento o vermelho direto. A sua imprudência afasta-o do jogo com o Rio Ave, juntando-se a Adrien e Maurício no lote dos indisponíveis.

Laterais no apoio ofensivo - quer Miguel Lopes quer Geraldes fizeram um jogo competente do ponto de vista defensivo, mas ofensivamente foi um dia para esquecer. Miguel Lopes foi solicitado várias vezes no ataque, mas praticamente nada lhe saiu bem. Geraldes simplesmente não existiu a partir da linha do meio-campo (já com o Guimarães isso aconteceu), mas é compreensível atendendo que não é a sua posição preferencial.


A forma como a vitória foi alcançada acaba por ser gratificante e ajuda a alimentar o bom momento que o clube atravessa - sete vitórias consecutivas e seis jogos sem sofrer golos. É também bom vermos que há jogadores que estão cada vez mais perto de virem a ser opções a ter em conta para a equipa principal. E para além disso, ao fim de duas jornadas podemos dizer que o apuramento para a fase seguinte está muito bem encaminhado. Nada mau, considerando o nível de dificuldade do grupo e a estratégia de utilização de jogadores seguida pelo clube para esta competição.

4 comentários :

  1. Hoje não vem para aqui a brigada lampiã falar do número de espectadores no carnide-Arouca?

    ResponderEliminar
  2. Uma exibição agradável da maior parte dos jogadores do Sporting.Acho que temos jogadores com elevado potencial para chegarem à equipa A .É preciso ajudá-los a crescer para mais tarde se afirmarem ao mais alto nível.

    Prevejo dificuldades para o Sporting com o Rio Ave.Uma equipa com algum traquejo europeu e bem organizada.Adrien vai fazer falta no meio campo e Maurício na minha opinião vai ser substituído pelo Sarr.Depois também ficamos sem Rosell por expulsão devido a dois cartões amarelos.Sem Adrien, Rosell seria sempre mais uma opção para o meio campo.Eu sei que por vezes no calor do jogo o jogador deixa de pensar mas é preciso ser mais prudente,usar mais a cabeçinha de cima !...

    Não querendo ser chato gostaria que todos aqueles que passam por este blog dessem uma vista de olhos nesta história do ex-NFL Rob Konrad pois é acima de tudo uma lição de vida e um exemplo do paralelismo entre o desporto e a sobrevivência humana através da SUPERAÇÃO.Esta história vem mais completa no jornal a Bola de Quarta-Feira onde é literalmente empregue por Rob Conrad a palavra superação.

    http://www.smh.com.au/sport/exnfl-star-rob-konrad-survived-16-hours-in-ocean-after-knocked-off-boat-20150112-12myj4.html

    Superar é importante porque é aquilo que os campeões fazem e os outros não ...por isso espero por exemplo a Superação de Montero com o Rio Ave....uma vez que me parece que em momentos está completamente alheado do jogo ou chegando mesmo a colocar em dificuldades os colegas de equipa do meio campo uma vez que ele não abre caminhos para o jogo ir progredindo uma vez que deixam de surgir linhas de passe.

    ResponderEliminar
  3. o gauld foi muito interessante, gostei dele mais neste jogo( deve ter sido dos que mais correu) do que no anterior, ainda precisa de melhorar a finalização.

    o Slavchev não me entusiasmou tanto.

    O tanaka demonstrou que é um jogador de características muito idênticas ao montero, por isso na minha opinião o jogarem os 2 juntos não será uma boa alternativa visto serem jogadores que pisam os mesmos terrenos e acho que o tanaka tem uma maior facilidade de remate que o Montero.

    quanto ao rossel acho que não se pode queixar, um jogador que 2 minutos depois de ter levado uma amarelo alaranjado tem mais uma entrada um pouco fora de horas foi a habilitar-se á expulsao

    ResponderEliminar