quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

O corte de relações

Um corte de relações institucionais não é o mesmo que uma declaração de guerra. É uma medida fundamentalmente simbólica cujas consequências práticas vão pouco além da retirada de determinadas cortesias dadas a um pequeno conjunto de representantes de um clube na visita ao recinto do outro.

O corte de relações anunciado pelo Sporting veio na sequência da falta de uma tomada de posição clara de repúdio por parte da direção benfiquista face ao que se passou no passado sábado, e que foi - e bem - considerado como uma demonstração inaceitável de desrespeito ao clube, aos sportinguistas e, acima de tudo, à família da vítima do incidente do Jamor. Sim, é verdade que todos temos telhados de vidro, mas nos episódios mais recentes em que sportinguistas protagonizaram episódios lamentáveis vitimando funcionários ou património do Benfica, as direções do Sporting condenaram de imediato essas atitudes. Como tal, seria normal que se esperasse que a direção do Benfica agisse da mesma forma em relação à faixa do very light - algo que qualquer pessoa de boa fé e bom senso consideraria natural e imprescindível. Aliás, foram muitas as reações imediatas de adeptos benfiquistas - na imprensa, na blogosfera e nas redes sociais - a repudiarem o sucedido.

Muitos podem criticar a vertigem de comunicados e o estilo agressivo do Sporting - que é obviamente um reflexo da personalidade de Bruno de Carvalho -, mas a reação a frio e via jornais que veio do diretor de comunicação do Benfica que aprova tacitamente algo que a maioria dos seus sócios repudiará, acaba por ser também um reflexo perfeito daquilo que é hoje a direção encarnada: um conjunto de dirigentes autistas e anti-democráticos, incapazes de dar o braço a torcer, que blindaram os estatutos de forma a perpetuarem-se no poder e que tratam os seus sócios e adeptos como meros clientes. Nem todos os sócios são desprezados, no entanto, pois há algumas exceções à regra: esta direção trata excecionalmente bem as Casas do Benfica e as claques não legalizadas, precisamente porque juntas têm um poder eleitoral capaz de inclinar votações para o lado que apoiarem. Isto ajuda a explicar o silêncio da direção.

Mas a verdade é que esta direção do Benfica tomou recentemente outras posições que vão bastante além do valor simbólico, e que têm como objetivo final de retirar, da forma mais rasteira possível, direitos que o Sporting conquistou em função da sua história e representatividade no país. As mais significativas são o apoio benfiquista à nomeação de Luís Duque - um dirigente com quem o Sporting tem um conflito conhecido - para a presidência da Liga, e a guerra que se avizinha pelas fatias dos direitos televisivos, que poderão trazer consequências materialmente bem mais graves para o futuro dos clubes. Junte-se a isto os métodos pintodacostianos que a estrutura benfiquista usa para influenciar os organismos de poder do futebol português - e que já apresentam resultados bem palpáveis e à vista de todos - e só podemos concluir que o Benfica de Vieira não é definitivamente companhia que se recomende.

Como tal, o corte de relações institucionais é uma consequência normal da guerra fria que já existia há muitos meses. "Mais vale sós e honrados do que mal acompanhados", li algures noutro dia. Apenas desejo que a guerra fria dos bastidores e dos gabinetes não se estenda para uma guerra bem real nas bancadas e nas imediações dos estádios. Havendo ou não relações entre os clubes, continuará a ser obrigação de todos os dirigentes fazer tudo ao seu alcance para evitar que cenas como as que aconteceram no final do dérbi aconteçam. 

20 comentários :

  1. Mas quem é que quer ter relações com este tipo de gente, veja-se o tipo de interlocutores que temos quando queremos falar com os tripeiros, PdC, Reinaldo teles, Antero,Caldeira ou com os lampiões, LFV,RGS,João Gabriel.
    Eu não convidava nenhum destes gajos para entrar em minha casa, estamos a falar de mafiosos, ladrões, gajos que batem nas mulheres e outros simplesmente idiotas.
    Já dizia a minha mãe para eu escolher bem as minhas companhias.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Mestre, ficou provado para as pessoas sérias que existem em Portugal que a direcção do Carnide não vale nada. Quem têm cargos importantes e é sério deve condenar estes selvagens. Não pode estar dentro de um pavilhão e ao ver aquela frase assasina, apenas virar a cara para o lado como se nada de tão grave tivesse a acontecer. Não pode ver os lançamentos dos very light’s no estádio de Alvalade sem vir a publico condenar estes actos assasinos contra pessoas que apenas estavam a ver futebol..
    Felizmente não VOLTOU a morrer pessoas no estádio, mas infelizmente mais uma vez o futebol Português perde uma grande oportunidade de acabar de vez com estes actos servagens e assasinos .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas sérias são só vocês porque vocês estão em guerra com todos. Há alguém do vosso lado? Há... Num tema específico e global... A entidade mais corrupta de todas... A fifa. Vocês são os únicos sérios...

      Eliminar
    2. Carlos, é uma forma de estar que diz tudo sobre aquela gente. Não se deve confundir a instituição com os seus dirigentes, mas ao fim de tanto tempo começa a ficar complicado... Um abraço.

      Eliminar
    3. E agora ainda mais uma: http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2015/02/12/c-mara-de-lisboa-perdoa-1-8-milh-es-de-euros-ao-benfica

      Eliminar
    4. Puxa Nuno, como gostaria de fazer de ti um Homem sério, adulto e responsavél...mas não estou a consigo rapaz....não gostava de dar-te como um caso perdido....diz-me o que posso fazer por ti.

      Eliminar
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    6. Obrigado Nuno por resumires com esse claro e elevado comentário a representação dos adeptos do Benfica neste blog.
      É por causa de adeptos com este tipo de postura (representas 6 Milhões!) que existe a má imagem do benfiquista nos blogues dos outros clubes.

      Não precisamos de terroristas dos "social media" como tu.
      Guarda esse tipo de opiniões para o teu nível por favor, aqui não é a tasca.

      Eliminar
    7. Nuno PAIXÃO Martins, já estás tu a ser IMBECIL! Nunca te respondi com o nome da tua Mãe, nas minhas frases e nem vou responder… sabes porque ? porque tenho respeito pela tua MÃE!! Sabes uma coisa..... Nuno PAIXÃO martins que LADRA NÃO MORDE!!!!

      Eliminar
    8. Todos os teus comentários são a insultar...e agora vens armado em santinho? Presunção e água benta cada um toma q que quer.

      Eliminar
    9. Em nenhum comentário falei da tua Mãe ou de outro membro da tua família. Não sou nenhum santo, nem quero ser. Sou sportinguista e sei respeitar os familiares de todas as pessoas.

      Eliminar
    10. Agora voltando ao futebol fora....Nuno CAPELA Martins necessitava de comprar uns very light para as festas da minha aldeia.....achas que podes falar com os teus amigos ??? Em último caso podes falar com o orelhas.

      Eliminar
  4. Algumas correcções:

    Onde se lê:
    "falta de uma tomada de posição clara de repúdio por parte da direção benfiquista"
    Deve ler-se:
    "falta de uma tomada de posição clara de repúdio por parte da direção do visitante"

    Onde se lê:
    "sportinguistas protagonizaram episódios lamentáveis vitimando funcionários ou património do Benfica"
    Deve ler-se:
    "sportinguistas protagonizaram episódios lamentáveis vitimando funcionários ou património do visitante"

    Assim é que fica dentro do espírito de respeito e não-provocação que havia antes do corte de relações.

    ResponderEliminar
  5. O fds demonstrou muito mais que rivalidade: as claques demonstraram ódio mútuo pela contraparte e muitos adeptos afinaram pelo mesmo diapasão, como demonstram os cânticos que se foram ouvindo de parte a parte.
    A questão é que o corte de relações só veio acicatar esses ânimos, quem odiava odeia ainda mais, quem se estava nas tintas, se calhar agora também não pode ver a contraparte.
    Resultado, se no próximo fds houvesse novo derby (e se calhar, noutro escalão e noutra modalidade, até há) os nossos sócios e adeptos estão mais expostos ao ódio que virá do lado de lá.
    E é aqui que eu acho que isto (o corte) não se impunha, exatamente porque as relações já não existiam. Não muda nada de especial, só exalta ainda mais os dois lados da barricada a digladiarem-se.
    Tenho uma filha com 3 anos e quero levá-la um dia destes a Alvalade. Nunca num derby, claro. Mas depois de domingo, começo a pensar sobre a sensatez desse meu desejo. Mesmo na central nascente um adepto do SLB no fim do jogo estava a apanhar uns bons murros porque, tanto quanto percebi, era do Benfica e estava identificado como tal. Repare, nos lugares especiais de 20 anos, onde não estão propriamente selvagens das claques.
    Em suma: esta posição da Direção é quanto a mim, com as devidas aspas e adaptações, uma declaração de guerra. E quem a vai sofrer - espero que não - somos nós e não o BdC, o Quintela ou o Marta Soares.
    Já para não falar das tochas enviadas para cima do Artur ou das frases sobre a morte do Eusébio e dos NN, que até ver, que eu saiba, não foram censuradas. Nem quero entrar na graduação de gravidade, mas quem se ofende com o que viu do outro lado (e é nojento) não pode assobiar para o ar com as garotices da sua própria claque.

    ResponderEliminar
  6. Duarte concordo contigo e acrescento o seguinte....existe neste país governantes que o povo escolhe democraticamente que deviriam punir fortemente todos estes actos selvagens. Mas, não, fecham os olhos e ainda convidam presidentes de clubes para comícios eleitorais. Temos presidentes de câmaras a isentar impostos a clubes, temos presidentes de câmaras a oferecer terrenos e centros de estágio a clubes, temos treinadores que agridem polícias, temos um país em que ser honesto e sério é ser toto e o contrario é ser um grande homem. Claro que isto cria ódios, claro que isto cria injustiças, infelizmente é o que temos e é com muita pena minha que não tenhamos gente a altura para colocar o futebol em sentido. Por mim e como não gosto de ser hipócrita não quero ter contacto com instituições onde não confio minimamente.

    ResponderEliminar
  7. Porque é que temos que ter em Portugal uma claque ilegal onde tudo é permitido fazer ? Porque temos que ter os presidentes de câmaras,ministros e deputados nas tribunas junto aos presidentes dos clubes e muitas vezes com cascol? Porque temos que ter uma televisão pública que parece mais a btv ou fcptv? Porque temos que ter um correio da manhã que só diz mentiras e atira as pessoas para a lama como fossem lixo? As regras não são iguais para todos e enquanto isto passar sem punir quem realmente anda a fazer o povo de parvo, não existe outra solução que não seja esperar que apareça alguém que acabe com está pouca vergonha e que coloque o futebol português no sítio certo.

    ResponderEliminar