terça-feira, 10 de março de 2015

A hipocrisia dominante no futebol português


Ontem, a propósito das infelizes declarações de Rui Quinta, Marco Silva decidiu abrir uma exceção à regra que tem seguido ao longo da época de não comentar as arbitragens. Na análise que fez, referiu três lances em concreto: concordou com a expulsão de Tobias Figueiredo, discordou da 1ª expulsão do Penafiel, e referiu a expulsão injusta de Miguel Lopes contra o Nacional para mostrar que tem sido coerente na sua postura - não comentando as arbitragens mesmo quando tem tido motivos de queixa.

Perante isto, gostaria de destacar três aspetos relacionados com aquilo que o treinador do Sporting disse:

1º: É de louvar a postura de Marco Silva em relação a este tema ao longo da época. É, de longe, o treinador dos grandes com mais razões de queixa de erros de arbitragens. Os critérios que se aplicam ao Sporting não são definitivamente os mesmos que são seguidos para Benfica e Porto. Os números comprovam-no: seja no número de expulsões, na quantidade de adversários expulsos, na quantidade de jogadores ausentes por castigo, nos penáltis contra e a favor, e na enorme facilidade com que os árbitros nos mostram amarelos desde cedo - que contrasta com a impunidade com que outros cometem faltas, começando apenas a ver amarelos quando o jogo já se aproxima do final.

2º: Não vejo ninguém na comunicação social a condenar a atitude recente dos treinadores de Benfica e Porto. Nos últimos meses as conferências de imprensa de Lopetegui e Jesus parecem mais um concurso de carpideiras. Quer tenham razões de queixa, quer não tenham, está garantido um festival de lamentações hipócritas sobre as facilidades de que os outros beneficiam, nunca olhando para aquilo que se passa nos seus próprios jogos.

3º: A atitude de Rui Quinta não é um caso isolado no futebol português. O complexo pedromartinsiano de rebentar de indignação nos jogos do Sporting e manter um silêncio submisso quando são prejudicados contra Benfica e Porto é algo que alastrou a uma enorme percentagem de jogadores, treinadores e dirigentes do futebol português.

Rui Quinta decidiu queixar-se de uma expulsão incorreta de um jogador seu aos 84', mas omitiu o facto de ter sido graças à permissividade do árbitro que acabou a primeira parte com 11. Era esta a análise que o treinador do Penafiel devia ter feito.

É relevante lembrar que Rui Quinta teve bem mais razões para se sentir indignado quando perdeu 3-1 em casa com o Porto. Ainda estão frescos na memória os dois golos irregulares que o Porto marcou e um terceiro que deixou muitas dúvidas. Mas da boca de Rui Quinta apenas saiu isto:


Contra o Benfica, foi a mesma coisa. Tony vê aos 65' um segundo amarelo ridículo por uma falta normalíssima ocorrida junto à área do Benfica...


... e Rui Quinta reagiu assim:


Todos percebem que o futebol português tem dois donos que, direta ou indiretamente, estendem a sua influência tentacular à esmagadora maioria dos clubes profissionais. Não é por acaso que é frequente vermos benfiquistas e portistas a acusarem os adversários de uns e outros de facilitarem nuns jogos e comerem a relva noutros. Assim de repente lembro-me de vários exemplos: este ano já ouvimos os benfiquistas dizerem que Paços, Arouca, Moreirense e Braga ofereceram vitórias ao Porto, e os portistas fazerem o mesmo com o Marítimo e Belenenses.

E na realidade não custa nada acreditar que existe um fundo de verdade nas acusações que se fazem parte a parte: basta ver a diferença do nível de indignação de treinadores, dirigentes e jogadores dos visados quando as coisas lhes correm mal contra um ou outro clube; basta ver as filas que se formam durante os mercados de transferência para pedir jogadores emprestados a Benfica e Porto que depois, nas vésperas de defrontarem esses clubes, arranjam invariavelmente uma lesão que os deixa de fora dessas partidas. 

Se estes clubes, ao defrontarem Benfica e Porto, demonstram níveis de indignação diferentes perante as adversidades e aceitam limitar a utilização do seu plantel (contra as regras em vigor), será que os níveis de empenho que colocam em campo serão sempre os mais elevados quando defrontam os respetivos donos? Não sei a resposta, mas admito que é uma pergunta bastante pertinente.

34 comentários :

  1. Isto é um problema difícil de resolver, porque tem a ver com a cultura do país, que, comparada com o Centro e Norte da Europa, parece medieval. Em geral, a noção de justiça e de igualdade de regras simplesmente não existe e a única preocupação é o benefício próprio, quer isso implique violar regras ou não. O problema é que esta mentalidade está tão enraizada que mesmo quem é suposto castigar os infractores não o faz, porque acha aceitável este tipo de comportamentos. O facto de termos tido anos e anos de corrupção e violação de regras por parte do Porto e não ter havido nenhum castigo a não ser a perda de 6 pontos mostra que, para já, não há grande esperança em que alguma coisa mude. Pode ser que, com o aparecimento de novas gerações, se perceba que as regras existem por alguma razão e que, se forem cumpridas por todos, e todos tiverem os mesmos direitos, passa a ser premiado o mérito, o que faz com que todos tenham incentivo a melhorar. Até lá, é ir vendo a Liga Inglesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem visto, muito sinceramente não vejo que isto vá mudar num futuro próximo.
      Talvez o uso de novas tecnologias nos jogos ajudasse um pouco mas isso infelizmente ainda é uma realidade distante.

      Eliminar
    2. clap clap clap ....mais claro é impossível

      Eliminar
    3. http://www.reactiongifs.com/tag/orson-welles/

      Eliminar
    4. Yazalde, julgo que é por aí que o Sporting está a trabalhar, implementação de tecnologia.
      A aproximação a Pedro Henriques que pretende ser eleito para o Comité de arbitragem da UEFA, as reuniões e exposição de ideias junto deste organismo, são parte dessa estratégia.
      Com a Liga e a FPF manietadas pelas gémeas, só mesmo subindo a hierarquia é que poderemos conseguir mudar algo.

      A outra parte da estratégia é a aproximação aos clubes mais pequenos com o objectivo de mais uma vez combater o domínio das gémeas na Liga de Clubes.

      Eliminar
    5. Acho que estamos todos de acordo em como esta mudança, a acontecer, será um processo muito lento. E a honestidade média do dirigente desportivo leva a crer que procurarão sempre relacionar-se com aqueles que julgam deter o poder. Portanto, as perspetivas são pouco animadoras...

      Eliminar
  2. Os últimos tempos têm provado aquilo que muito se escreve neste blog em relação às arbitragens.
    corruptos do norte e corruptos do sul a acusarem-se mutuamente de terem sido beneficiados pelas arbitragens.
    Aqui tenho que abrir uma excepção e dar razão às nádegas, ambos têm razão.
    Quando ao resto das meretrizes do nosso futebol, como disse num outro post... tenho pena de descerem apenas 2 equipas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Yazalde, ambas as nádegas têm razão. Um abraço.

      Eliminar
  3. Ridículo! SCP é sinónimo de corrupção desportiva ativa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Quando um gajo é Imbecil, não existe nada a fazer!

      Eliminar
  4. Mestre, muito boa analise. O Tobias é bem expulso, mas se fosse um jogador do Porto ou do Benfica tenho muitas duvidas se seria expulso. A meu ver, vamos ter que ser nós sportinguistas a criar outro tipo de ambiente em Alvalade. Não temos comunicação social, não temos árbitros honestos e sérios e agora também verificamos que temos treinadores pouco profissionais…..para mim é como dizia o outro… ou vai ou racha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende do árbitro, Carlos. Há uns de tal forma comprometidos com certas equipas que não expulsariam. Outros, com mais vergonha na cara, expulsariam, mas depois desatariam a mostrar cartões à equipa adversária de forma a ficarem 10 contra 10 o mais rapidamente possível. Um abraço.

      Eliminar
  5. A ausência do BdC no banco tem sido um sucesso!

    ResponderEliminar
  6. temos que tirar o chapéu ao Marco desta vez. Desculpa o offtopic mestre, mas para quando censurar estes anormais que andam por aqui a spammar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o melhor a fazer é ignorar, Diogo. Não passando cartão hão-de reduzir a sua presença. Um abraço.

      Eliminar
  7. Isto também a proposito da hipocrisia no futebol português.

    ResponderEliminar
  8. Esta merda esta entranhada no Futebol, o Bruno ainda vai ter que penar muito para colocar isto direito, um dos erros dele quando chegou ao futebol é que pensou que conseguia resolver este cancro facilmente, mas esta enganado isto é uma guerra com muitas batalhas, e quem beneficia disto não vai deixar de usufruir das benesses de um momento para o outro, vai dar muita resistência e espernear muito. Dantes era o FCP que fazia estas jogadas mas agora o SLB faz igual, portanto temos uma guerra contra dois exércitos, não vai ser fácil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada fácil, Guto. São poucos os clubes realmente independentes neste país, infelizmente. Um abraço.

      Eliminar
  9. quanto a expulsao do dani, bem se pensarmos que quando levou o primeiro amarelo, já era suposto ser o segundo........

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No lance em que deu uma porrada por trás ao Nani..., eu estava a ver que o arbitro ia dar mais um amarelo ao Nani por reclamar !

      Eliminar
    2. Mas caso o Dani fosse expulso o jogo perdia o interesse para os comentadores da SportTV que ficaram todos contentes por ver o SCP com 10 contra 11 ... palavras deles com 2-0 11 contra 11 o jogo não teria o mesmo interesse... grande fdp é o que é! Que peçam o mesmo para os jogos deles!

      Eliminar
    3. eu vi o jogo no estadio e no lance que dá a expulsão, estou longe o suficiente para não ter a certeza onde bateu a bola.

      sendo realistas a arbitragem fora ter dado permissão ao dani e a mais um ou 2, de resto não se pode dizer que os cartões foram mal mostrados( alias no mostrado ao mané, que é bem mostrado, fiquei com a impressão que ele nem ia mostrar e deve ter recebido uma informação do auxiliar), até pelo contrario.

      Eliminar
    4. Os tipos da SportTV disseram mesmo isso? :)

      Riga, também acho que o número de cartões se justificou perfeitamente. E ficaram a faltar mais, na minha opinião. O William viu um amarelo por acumular faltas normais, pelo que não se compreende a tolerância que o árbitro teve para outras faltas merecedoras de cartão por parte dos jogadores do Penafiel...

      Eliminar
  10. Teve muito bem MS em denunciar a parolice do Quintas, autêntico subserviente doutro(s) clube(s).
    A chamada voz do dono.

    Excelente post, Mestre.

    ResponderEliminar
  11. Isso é tudo muito bonito e talvez algumas coisas até sejam verdade, mas a primeira expulsão do Penafiel...
    Comparado com este lance, se calhar no Algarve o Lucílio Baptista até teve razão em assinalar o penalti contra vós...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é só moral...

      Para dizeres isto é porque não viste o jogo. Este rapaz devia ter sido expulso antes pelo menos 2 vezes...

      Eliminar
    2. Comparando-te com um dos lampiões da casa também não encontro grandes diferenças.

      Eliminar
    3. Costa, é evidente que o 1º jogador é mal expulso, mas o Penafiel deveria estar a jogar com 10 desde os 35 minutos...

      Eliminar
  12. Sempre um prazer, Mestre.

    Excelente, como sempre!

    Abraço

    ResponderEliminar
  13. A submissão perante os donos é sempre de assinalar. É bonito mesmo. Não sejas mau com os meninos pá !

    ResponderEliminar
  14. " OS CARROS QUE ANDARAM A COMEMORAR O ULTIMO TITULO DE CAMPEÃO DO SPORTING, A VOLTA DO MARQUÊS,...NEM SEQUER LA PODEM PASSAR AGORA...."

    ResponderEliminar