sexta-feira, 6 de março de 2015

A passividade de Carrillo no lance do 2º golo do Nacional

Com a equipa completamente inclinada no flanco oposto, o peruano vê Marçal a subir pelo seu corredor em grande velocidade, mas opta por manter a passada lenta. Podia ter acompanhado o adversário e servido de apoio a Miguel Lopes de forma a retardar ou mesmo evitar o cruzamento.


Parece-me mais uma questão de cansaço do que displicência. Esta época, Carrillo tem sido incansável no apoio ao seu lateral. Sim, podia ter feito mais neste lance, mas provavelmente sentia-se já perto do limite. Sendo criticável a sua passividade neste lance, não merece de forma alguma ser crucificado.

6 comentários :

  1. O Carrilho está de rastos, precisa descanso

    ResponderEliminar
  2. Não sei se é cansaço se é fadiga psicológica....esta época tem estado de uma maneira geral bem.

    Também temos um fantasma na equipa e chama-se André Martins.Mais um activo para pôr a circular no final da época.

    ResponderEliminar
  3. Caro MdC, além da passividade do Carrillo, o jogador do Nacional que pega na bola ainda no seu meio-campo, atravessa todo o nosso meio-campo defensivo até à cabeceira da grande área completamente sozinho! Parecia haver uma barreira invisível com um raio de 10 metros que impedia a aproximação de jogadores do Sporting para pressionar... Inadmissível, foi tudo a marcar com os olhos e de bem longe, deve ser para manter a perspectiva...
    O nosso processo defensivo sempre foi muito fraco este ano. E quando as pernas não ajudam torna-se tudo mais óbvio.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, aconteceu o mesmo no primeiro golo do Wolfsburgo em que um cepo como o Naldo sobe sozinho até à cabeça da área para fazer passes de morte...

      Eliminar
  4. vê-se que ele esboça o arranque e decide ficar, parece-me fadiga

    ResponderEliminar
  5. na primeira parte naquele cabeceamento do luis aurelio a rasar o poste aconteceu exctamente o mesmo

    ResponderEliminar