sexta-feira, 6 de março de 2015

Como calcular mais-valias de jogadores

Vai ser útil para o post seguinte, que falará dos R&C dos três grandes.

Quando um clube reforça o seu plantel, tem que investir dinheiro nas aquisições de passes e noutras despesas inerentes às transferências de jogadores. Ao contrário do que se costuma dizer (até na comunicação social), o facto de um clube investir um valor elevado na compra de jogadores não implica que os resultados no final desse ano sejam muito piores. Isto porque o valor investido é colocado na totalidade ao nível dos ativos, e o clube só o vai amortizando - ou seja, convertendo em custos (que contribuem para o prejuízo da época em questão) - à medida que os anos dos contratos dos jogadores adquiridos vão passando, de forma proporcional. Num contrato de 4 anos, o clube reconhece como custo 25% do total gasto com a aquisição desse jogador; num contrato de 5 anos, 20%; num contrato de 3 anos, 33%. E por aí fora.

No entanto, quando se vende um jogador, o impacto para as contas da empresa (no sentido de contribuir para um maior lucro ao fim do exercício) não é igual ao valor total da venda. O que interessa são as mais-valias (que é igual ao valor líquido da venda, depois de descontados todos os custos associados da venda e o valor do jogador que ainda faz parte do ativo - ou seja que ainda não foi convertido em custo). Apenas as mais-valias contribuem para o lucro do clube. 

Assumindo um caso hipotético:

O clube A contrata um jogador por €5M, por 80% do passe
Na compra, o clube pagou comissões de €0,5M
O jogador recebeu um prémio de assinatura de €0,5M
Clube e jogador assinam um contrato de 4 anos
Dois anos depois foi vendido por €20M
O clube pagou €2M em comissões de venda 

As mais-valias da operação calculam-se da seguinte forma: 

mais-valia = valor da venda - custos associados à venda - valor por amortizar do passe

Como se calcula o valor por amortizar do passe? Neste caso, como o contrato é de 4 anos, o clube teria que amortizar anualmente 25% de €5M (valor investido na compra do passe) + €0,5M (comissões) + €0,5M (prémio de assinatura), ou seja, 25% de €6M, ou seja, €1,5M. Isto significa que ao fim de dois anos foram amortizados €3M e estão por amortizar outros €3M.

Venda: 80% de €20M = €16M
Custos associados à venda: €2M
Valor por amortizar: €3M

Ou seja, a mais-valia de uma venda de €20M seria, neste caso, de €11M.

6 comentários :

  1. Este post não está 100% correcto. A quando da venda de um activo tem também de se fazer a reversão da amortização acumulada e a dedução total do valor do passe. Apesar de no exercício ir dar ao mesmo (ie mais valia no exercício) a mais valia real de um activo não se considera o valor amortizado logo a conta correcta é mesma a conta de sapateiro: 16-5-0.5-0.5-2. Além disso o valor amortizado também está mal contabilizado já que os custos de aquisição deduzem ao valor do activo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nuno, a reversão das amortizações acumuladas e a dedução total do valor do passe só aumentariam a confusão e na prática não mudam o que é essencial.

      O cálculo da mais-valia (ou seja, aquilo que é pode ser considerado como lucro no final do período em análise) que coloquei está bem determinado.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Mestre, onde entra entao os custos de amortizacao do tempo em que o jogador esteve no clube e os custos de comissoes com a compra?

      Obrigado pela informacao.

      Eliminar
    3. Pedro, os valores amortizados dos anos de contrato que cumpriu já foram declarados como custos nos anos anteriores, logo não o podem ser novamente no momento da venda.

      Os custos das comissões de compra são normalmente englobados com o valor de aquisição propriamente dito, e tudo junto é o valor do ativo. Ambos são amortizados ao longo dos anos do contrato, ou seja, o custo é reconhecido de forma proporcional pelos vários anos de contrato.

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Mestre estás a cometer um erro a mais valia que estas a calcular é só a do exercício a mais valia tem de ser como disse (incluindo as amortizações já realizadas) além de que o valor do activo está errado. Para efeitos do exercício está correcto para efeitos do activo não.

      Eliminar
  2. Mestre, mais um bom post e principalmente uma boa exposição deste tema que é sempre muito delicado. Os meus parabéns.
    Só queria acrescentar 2 notas que não fazendo parte, nem têm que fazer, do relatório de contas, vão ter muita importância num futuro próximo nas contas da SAD. A primeira é que foram adquiridas percentagens totais dos passes de muitos jogadores que pertenciam a fundos, hoje temos jogadores que pertencem 100% ao Sporting, ou seja, no caso de serem vendidos vamos encaixar 100% do valor transacionado. Deixamos de comprar jogadores sem participação de fundos, com certeza que vamos tirar proveitos com estás compras nos próximos relatórios de contas. A segunda nota, diz respeito ás despesas do clube, mais também penso ser importante mencionar, pois indiretamente também afetam as contas da SAD, e que é o facto de podemos contar a partir de época 2015/2016 com o nosso pavilhão, deixando de pagar despesas de deslocações e alugueres de pavilhões de todas as modalidades e escalões que necessitam de um pavilhão para treinar e jogar.

    ResponderEliminar