terça-feira, 10 de março de 2015

Magnetismo para o sofrimento

Oito minutos depois de o árbitro ter apitado para o início da partida, sentia-se na bancada um ambiente de descontração que ainda não sido vivido em Alvalade esta época. Acabávamos de assistir a uma entrada fulgurante do Sporting no jogo que se traduziu em dois golos e numa outra oportunidade flagrante, que deixavam antever o mais tranquilo jogo da época. As únicas dúvidas que pairavam nas mentes sportinguistas para o final de noite em Alvalade passavam por saber quantos mais golos iríamos marcar e quais as opções que Marco Silva tomaria para a tão necessária gestão física dos jogadores neste fim de ciclo de jogos tão exigente.

Mas eis que, dois minutos mais tarde, os deuses decidiram-nos castigar pelo atrevimento que tivemos em achar que o jogo estava resolvido. Uma sequência de 3 asneiras consecutivas condenou-nos a jogar com 10 homens durante 80 minutos e, como se isso não fosse suficiente, o Penafiel marca na sequência do livre. Pior que isto era mesmo impossível. Mais uma demonstração de algo que tem sido recorrente esta época: uma espécie de magnetismo para o sofrimento, uma criatividade imensa na forma como deixamos os adversários voltar ao jogo quando tínhamos tudo para o matar. Tudo, mas mesmo tudo nos acontece. E raramente são coisas boas.

Justiça seja feita no entanto à equipa: mandou sempre no jogo e mesmo o 2º golo do Penafiel só surge graças a mais um erro nosso. Na 2ª parte o Penafiel esteve 37 minutos em superioridade numérica e nunca conseguiu chegar com perigo à nossa área nesse período - e só o conseguiu mesmo ao cair do pano graças a mais uma gritante demonstração de falta de inteligência da nossa parte - ao querer, de forma disparatada, procurar o 4º golo em vez de segurar a bola nos poucos minutos que restavam. Vitória inteiramente justa que peca por escassa e que, acima de tudo, não merecia ter sido alcançada de forma tão sofrida.



Positivo

Nani, artista de circo - preciosíssimo o golo que o mágico Nani marcou (grande cruzamento de Carrillo), dando depois lugar ao acrobata Nani a fazer o mortal de festejo; já não foi tão apreciado o número de malabarismo com milhares de corações verdes e brancos, quando decidiu passear com a bola dentro da nossa área com vários adversários nas redondezas. Apesar de ter sido muito castigado pelos jogadores do Penafiel - inicialmente com a complacência do árbitro -, foi quase sempre o jogador mais esclarecido que tivemos.

William multi-funções - começou por voltar a fazer o gosto ao pé, um ano depois, com um remate oportuno de ressaca dentro da área do Penafiel. Após a expulsão de Tobias, William desceu para o lado de Paulo Oliveira e fez o resto da primeira parte numa posição que não é a sua. Mas como não poderia deixar de ser, William saiu-se bem, chegando perfeitamente para as encomendas. Na segunda parte regressou ao meio-campo e foi o varredor eficiente de sempre, mesmo atuando uns metros mais à frente do que é costume. Viu um amarelo a poucos minutos do fim e não poderá jogar contra o Marítimo.

Rui Patrício - passou a 2ª parte a fazer sprints de um lado para o outro para se manter quente, já que o adversário não lhe dava qualquer trabalho. Mas quando foi necessário fez uma enorme intervenção ao impedir o empate, já nos descontos. Mais uma vez a valer pontos.

A estreia de Ewerton - exibição positiva do brasileiro. Impôs-se com facilidade nas bolas divididas e revelou bastante tranquilidade numa conjuntura que não era nada fácil.


Negativo

A tripla asneira que quase deitava tudo a perder - aos 10 minutos, Adrien faz um passe absurdo que coloca a bola nos pés de um adversário no nosso meio campo; Slimani reage rapidamente e consegue roubar-lhe a bola mas atrasa-a mal para Tobias; e finalmente a decisão do central que, com o resultado em 2-0, não devia ter arriscado o corte. Mais valia ter acompanhado Guedes e estorvado o remate o melhor que pudesse. Coisas que acontecem a miúdos de 20 anos. Faz parte do processo de crescimento. Felizmente que desta vez acabou por não nos custar pontos.

Falta de inteligência a gerir o relógio - infelizmente não é a primeira nem a segunda vez que acontece: é incompreensível que nos últimos minutos o Sporting tenha procurado o golo em vez de fazer rodar a bola e esgotar o tempo que restava. Honestamente: aguento 80 minutos de sofrimento apoiando sempre a equipa, mas fico furioso quando vejo que não há ninguém que mande um berro lá para dentro e os obrigue a circular a bola - ainda por cima estávamos a jogar 10 contra 9. Exemplo: numa dessas ocasiões, João Mário decide rematar de fora da área com poucas hipóteses de sucesso. Resultado: oferecemos de mão beijada duas posses de bola ao Penafiel - e numa delas quase que chegaram ao empate. Inadmissível.

As mágoas de Rui Quinta - Rui Quinta devia fazer uma estatística de quantos treinadores na I Liga tiveram o privilégio de jogar 80 minutos em superioridade numérica num estádio de um grande. Marcou dois golos sem saber bem como, e uma vez empatado dispôs de mais de 40 minutos para se colocar em vantagem até ter o seu primeiro jogador expulso. Mas em vez disso optou por meter o autocarro e nunca fez por chegar à área do Sporting com perigo. Em superioridade numérica acabou por encaixar um golo, mas podia ter levado mais. Queixar-se de ter um jogador mal expulso aos 83 minutos como causa principal para sair derrotado é desculpa de mau pagador. Queixar-se de ter um jogador mal expulso, quando ficou calado nos jogos contra Porto e Benfica - em que teve bem mais razões de queixa das arbitragens -, revela uma criatura invertebrada desesperada por agradar aos donos.



O essencial foi conseguido. Pelo segundo jogo consecutivo, conseguimos transformar dois resultados negativos em positivos em inferioridade numérica, no meio de uma fase de enorme desgaste. Depois de nos colocarmos em boa posição para alcançar a final da Taça de Portugal, voltámos hoje a colocar o Braga a uma distância minimamente higiénica no campeonato. Nestes dois jogos abanámos mas não caímos - porque soubemos ser persistentes em cenários bastante adversos. Há que pegar nisso para voltar a construir uma equipa mais sólida, confiante e consistente para os jogos que se seguem.

20 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Nem mais nem ontem. O resto só na Playstation ! :)

    ResponderEliminar
  3. MdC, na tv deu para ver que algum sector assobiava o Nani, reparaste de onde foi? É que com adeptos destes... enfim.
    De resto penso que no geral e descontando os erros que originaram a expulsão, a equipa esteve muito bem. Alguns lances são mesmo fruto da imaturidade dos jogadores.
    Penso que ontem foi um dos melhores jogos do William, um autentico senhor.
    Patrício a salvar o Sporting no ultimo minuto.
    Quanto ao treinador deles... é o que temos na nossa praça. Infelizmente as nádegas corruptas têm várias meretrizes, temos que contar com isso. penafiel, paços de ferreira, moreirense, braga, belenenses...
    tenho de pena de só descerem 2 equipas, muitas delas não merecem jogar na primeira liga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yazalde, apercebi-me dos assobios, mas não foi nada do outro mundo, honestamente. Não veio direcionado de nenhum lado em particular. Foi de uma minoria das pessoas presentes no estádio.

      Eliminar
  4. Como disse ontem, ninguém se pode queixar de o Sporting não proporcionar espectáculos de altíssimo suspense !!! Por isso é que os Sportinguistas são únicos ..e têm cá uma resistência que os faz fortíssimos ! Ontem deu para aos 8 minutos pensar : "finalmente um joguinho bem conseguido ! Despachado na primeira parte ...e vai dar para a equipa crescer em termos exibicionais, quiçá bater recorde de golos na liga e rodar jogadores com menos tempo de jogo" e pimba! Slimani abre no meio, Tobias entra atrasado ao lance, expulsão e livre directo, novo erro de Slimani, "um pequenote" a saltar na barreira ?? e bola na baliza de Patricio. 2 1 ...10 contra 11 e 78m para jogar. Tenho de pensar que o Sporting quis equilibrar as coisas... e mais ainda quando por "atrevimento" ficamos a jogar só com um central, que por azar faz um corte acidental que se transforma num "amorti" perfeito para o 2-2 .Na 2 parte já sabemos como foi...só para resistentes que não sofram do coração . PS: impressão minha ou o Tobias aos 2 minutos....com um avançado mais "artístico"...gostei da estreia do novo central, num contexto bem difícil, como foi o jogo de ontem .Adrien Silva tem de descansar, que ontem em 4 intervenções entregou 3 vezes a bola ao Penafiel....vou agora tentar dormir eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahahahaha Quebra Tolas . De resto o Adrien anda com uns toques de vedetismo que me anda a meter um nojo do car(v)alho.Estou a pensar que o rapaz quer mudar de ares.Cabeças burras são mesmo assim,quando uma equipa precisa mais deles são os primeiros a falhar.

      Eliminar
    2. O Adrien esteve muito mal ontem, de facto. Está visto que precisa de mais tempo para recuperar a forma. Wallyson, onde estás? :)

      Eliminar
  5. Complicar o fácil faz parte da genética do Sporting. Este sofrimento constante faz parte do Sportinguismo e nunca nos vamos livrar dele, é uma das coisas que torna o nosso clube especial.

    Os adeptos que assobiaram o Nani voltaram a mostrar que não merecem a oportunindade de apreciar jogadores de nível mundial. Devem ter sido os mesmos atrasados mentais que cantaram olés no jogo com o benfica. Não têm capacidade para perceber o que é uma temporização, o que é esperar que apareça a melhor solução possível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foram muitos os assobios, mas realmente não se compreende...

      Eliminar
  6. Tobias. É mesmo isso, Mestre. Não podemos querer miúdos de 20 anos a titular e depois não tolerar os seus erros, principalmente quando lhes reconhecemos potencial. Espero que volte a ser titular contra o Guimarães.
    Assobios a Nani. Há coisas que não entendo. Esta gente é do Sporting?
    Rui Quinta. Aquele Dani já nem devia estar em campo quando foi expulso. Para além de submisso, este Rui Quinta é desonesto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Férenc, gostei de ver o Ewerton, mas espero que o Tobias regresse à titularidade contra o Guimarães - foi precisamente contra essa equipa que ele fez um enorme jogo para a Taça da Liga.

      Quanto a Rui Quinta, é isso mesmo...

      Um abraço.

      Eliminar
  7. O que se passa é que a equipa mostra uma falta de classe e de imaturidade que leva aos sobressaltos a que assistimos todos os fins de semana

    Depois do 3-2 o Sporting em contra-ataque tem a oportunidade de matar o jogo,embora não se possa críticar o remare do Jefferson porque estava isolado,se ele fosse mais inteligente passava ao lado e seria um golo de antologia com toda a equipa do Penafiel batida.

    Depois nos minutos finais mais uma sessão de burrice.Os jogadores em vez de trocarem a bola começam a rematar à baliza estando no auge da estupidez o remate do João Mário para as nuvens.

    Segundos finais e a tremideira do costume.Lançamento para a área e a atrapalhação do costume que só não deu golo porque o ângulo era mesmo curto.

    Precisamos de um novo capitão e que seja jogador de campo.Mais 2 ou 3 jogadores experientes para o reforço da defesa porque apesar de todas as qualidades dos centrais que temos não chega e um substituto à altura do Adrien uma vez que por vezes o cérebro dele é do tamanho de uma minhoca.O Mário também precisa de crescer,o Carrilo regularidade,o mesmo se aplica ao Mané e ao Nani.

    Enfim esta equipa faz-me lembrar as luzes psicadélicas porque tanto tem momentos de brilhantismo como autênticos apagões frutos da falta de classe e de uma certa imaturidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, estamos a construir os jogadores experientes da defesa. Paulo Oliveira tem muita maturidade para a idade e Tobias ainda nem 10 jogos fez. Temos que dar tempo ao tempo. Contratar Bouhlarouz's e outros do género é que não serve de nada... Um abraço.

      Eliminar
  8. Mais um grande jogo de João Mário. Que classe.

    Ridículos os assobios a Nani. Não percebem que ele temporiza quando não encontra linhas de passe. Devem ser os mesmos que adoram o jogo fisico do Mauricio, a garra do Rinaudo e o pulmão do Adrien...

    Não percebi porque Ewerton não entrou logo a seguir à expulsão de Tobias (erros normais de crescimento de um central a quem reconheço um enorme potencial). Esta forma do Adrien e o Wallyson na B...há coisas para as quais não há mesmo explicação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM, gostei da primeira parte do João Mário, mas fiquei mesmo irritado com ele quando fez aquele remate perto do fim...

      Eu percebi a ideia do Marco Silva. Se o Adrien tivesse conseguido fazer minimamente o papel do William, era menos uma substituição que se queimava. Mas realmente o Adrien esteve muito mal, e quando o William regressou ao meio-campo voltámos a controlar completamente o jogo.

      Pois, também eu não consigo explicar a questão do Wallyson...

      Um abraço.

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Na realidade o colinho até deveria ter acontecido 40m mais cedo. Aquele lateral direito teve muita "sorte" ao só ser expulso quando foi.

      Eliminar
    2. TPC:
      Vai à bíblia do Coca Colo-Colo de Carnide e procura, mas bem... se encontras algum jogo para o campeonato português onde tenham estado 70m em inferioridade numérica...

      Eliminar
    3. Oh soberbo,saíste-me cá um garganeiro...isto de quereres o cólinho só para ti,tem porras!!!Não te cures,não...deixa mas é as ganzas que o orelhas te fornece.

      Eliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar