domingo, 29 de março de 2015

Vitória à imagem do selecionador

Se há um balanço que pode ser feito destes primeiros jogos oficiais de Fernando Santos, é que parece que o selecionador soube incutir na equipa uma dose elevada de realismo que levou os jogadores a encararem com concentração máxima os desafios que tiveram até ao momento. Nenhum dos jogos foi um portento de espetacularidade, mas todas as exibições foram sólidas. Contra a Sérvia, voltámos a ter uma seleção pragmática, concentrada e paciente, que manteve quase sempre o jogo controlado, aguardando o momento certo para disferir o golpe fatal ao adversário. Não houve nota artística, mas conquistámos 3 preciosos pontos contra um adversário que pode ser muito perigoso se dispuser de espaço para que as suas individualidades brilhem.



Positivo

As 3 dimensões de Fábio Coentrão - a sua colocação no meio-campo foi uma aposta ganha de Fernando Santos. Jogou sempre numa rotação muito elevada, conseguindo ter um papel importante em todos os momentos do jogo. Sempre preocupado em dar o apoio necessário a Eliseu (colocando-se muitas vezes em linha com a defesa, com Eliseu a deslocar-se para um espaço mais interior), muito combativo no meio-campo, e a aparecer com frequência na área adversária. Foi um verdadeiro extremo na forma como apareceu ao 2º poste para finalizar para o 2-1. E ainda fez o cruzamento para Ricardo Carvalho inaugurar o marcador. O melhor em campo.

Meio-campo afinado - a dupla Moutinho / Tiago funcionou muito bem. Souberam fechar os caminhos da área de forma muito eficiente, recuperando inúmeras bolas, e saíram sempre a jogar com muito critério. William incorporou-se na perfeição numa altura em que a preocupação principal era manter o resultado. Foi fantástico o cruzamento de Moutinho para o golo de Coentrão.

Pragmatismo à moda grega - Fernando Santos parece ter importado com sucesso o ponto forte da "sua" seleção grega: muita gente a defender (até Ronaldo e Nani desciam com frequência) de forma a povoar o nosso meio-campo de modo que a Sérvia não tivesse espaço para pensar e jogar, e aproveitando ao máximo a muita experiência dos homens em campo - que raramente se desconcentraram.


Negativo

As ofertas de Eliseu - numa noite de enorme concentração defensiva, as duas principais oportunidades de que a Sérvia dispôs foram geradas por dois momentos de desatenção de Eliseu: um alívio de cabeça para a entrada da área onde havia apenas um sérvio, e a demora em subir do 2º poste, deixando Matic em jogo para um golo fantástico. 

Ataque pouco povoado e inspirado - o downside do pragmatismo à grega é precisamente as dificuldades que isso gera no outro lado do campo. Poucas unidades incorporadas em simultâneo no ataque e poucos riscos corridos, que se juntaram a uma noite pouco inspirada de Ronaldo, Nani e Danny. Não chegámos muitas vezes com perigo à baliza de Stojkovic, mas valeu-nos a eficácia na finalização.

Cuidado com a renovação - William, que entrou a poucos minutos do fim, foi o único sub-27 em campo. Aliás, dos 14 jogadores utilizados, apenas 4 têm menos de 30 anos. A experiência é importante, mas convém não abusar. Agora que a qualificação está bem encaminhada talvez seja hora de começar a injetar algum sangue novo na equipa em jogos a sério.



Três jogos oficiais de Fernando Santos, três vitórias à imagem do selecionador - pouco espectaculares mas resultado de uma atitude séria, sem facilitismos. Somos líderes isolados do grupo com 2 pontos de avanço sobre 2º e 3º e 8 (!) sobre o 4º e 5º, numa altura em que só restam 4 jogos por disputar. Ou seja, o lugar no playoff está praticamente assegurado, e o apuramento direto dificilmente nos fugirá caso a seleção continue a encarar cada um dos jogos com este nível de seriedade. 

15 comentários :

  1. Concordo também que foi uma vitória à imagem de Fernando Santos, mas no sentido em que foi uma equipa que, bem espremida, acabou por não ser nem carne, nem peixe. Fernando Santos, sendo certamente pessoa com méritos, também me parece ser o tipo de pessoa que gosta de se dar com Deus e o Diabo. E o problema de camaleões deste género é que, de tanto adaptarem-se às circunstâncias, nem se percebe bem o que são ou o que as define. Acaba por ser isso que ele passa para as suas equipas: mera competência. E raramente (para não dizer nunca) a mera competência empolga e, mais importante ainda, conquista troféus e/ou lugares de honra.
    Creio que é mesmo por isso que Fernando Santos só conseguiu ser campeão por uma vez na vida - e, mesmo aí, beneficiando muito dos frutos de um trabalho que outros desenvolveram atrás - e por trás também. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a mesma opinião, Ricardo. Não me parece que se possa esperar grande brilhantismo dele, mas pelo menos tem o mérito de ter recuperado jogadores que ainda têm algo a oferecer à seleção. Quando a fasquia de exigência for elevada, vamos ver o que conseguirá alcançar. Um abraço.

      Eliminar
  2. Para mim nao foi mais do que uma boa desculpa para ir comer uma bifana e uma cola, sobre o jogo ha pouco a dizer, o meio campo acabou por surpreender-me, mas tambem viu-se a bela merda que o eliseu ta ali a fazer.

    ResponderEliminar
  3. Coentrão tem que recuar, e fazer sair Eliseu.
    William TEM que jogar. Não interessa se no lugar do montinho, se no do Tiago, se com esses dois. TEM que jogar!
    João Mário tem que começar a entrar (Dany quê?).
    Paulo Oliveira tem que começar a emprestar sangue novo ao geronte sector defensivo.
    E já nem falo em Adrien....

    Surpresa 1: Bosingwa ainda joga ao mais alto nível. Cédric vai ter que esperar para molhar o pincel, isto a acreditar numa imaginária meritocracia na conquista do lugar....
    Surpresa 2: boa dupla de centrais esta noite, mas que não se aguentará até ao europeu. Mas enquanto jogar assim....

    Quanto ao montinho, não me conseguirei nunca pronunciar sobre o (bom) jogador que é esse pequeno homenzinho, pesetero e ridículo. Porque o carácter também importa.

    Quando isto for menos a "selecção do Mendes" para voltar a ser mais a Selecção Portuguesa, ganham um adepto.
    Até lá, fico à espera para ver se esta versão de pernas abertas do seleccionador se deve a uma contingência de "experiência", como aqui se sugere, ou se é apenas outro bento ainda na fase inicial, a precisar de vaselina (e que, daqui a uns meses, tal como acontecia com aquele de buraco feito, até já a dispensará).

    Não gosto do que representa esta equipa. Porque representa Portugal no que ele tem de pior: chico-espertismo, oportunismo, corrupção, favorecimento ilícito, novo-riquismo e fraude.

    E estas convocatórias metem-me nojo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois claro vamos tirar o Tiago ou o Moutinho apenas porque os sportinguistas assim o exigem. So falta pedirem o Adrien, esse mega craque

      Eliminar
    2. Vamos ????? Quem toma a decisão é o treinador....tu apenas observas que mais de metade desta seleção é composta por jogadores formados no Sporting..INCHA!

      Eliminar
    3. Incha o quê? Boca típica de escola primária

      Eliminar
    4. Placebo, parece que o Rui Patrício deixou de ser representado pelo Jorge Mendes... vamos ver se mantém a titularidade no próximo jogo oficial. :)

      Acho que não selecionador que não queira piscar o olho ao empresário nas suas convocatórias... mesmo assim para já Fernando Santos mostra bastante mais sensatez do que Paulo Bento.

      Vou ser honesto: atendendo aos últimos meses do Adrien, não me choca nada que tenha ficado de fora da convocatória. É claro que a teoria dos méritos se esfuma de imediato quando vemos Eliseu ser convocado e titular...

      Um abraço.

      Eliminar
    5. Incha Huguinho!!! Não posso resolver o teu problema…..mas sempre podes ir a uma farmácia e engole uma ou duas caixas…..mais um triste lampião aqui a comentar .

      Eliminar
    6. Todos sabemos que Eliseu não é jogador de futebol. Mas já viram a barraca que era o Carnide não colocar um jogador na seleção nacional num jogo realizado no estádio do Carnide ???? Onde estava o Eliseu no golo da servia ?

      Eliminar
    7. Há aqui comentários que só um grande lol.
      Da minha parte como Benfiquista podem dizer ao Fernandinho para tirar o Eliseu. Não me importo de jogar com 11 formados no Sporting se for o melhor para a selecção. É que não me incomoda mesmo nada.
      Agora uma coisa é falarmos de qualidade outra é estar só porque têm de estar, Adrien ? Paulo Oliveira ? .... são bons para jogar com o Eliseu.
      Wiliam em forma é muito bom mas ontem Moutinho e Tiago estiveram bem e é para manter.
      Dany não entrou em campo, curioso que não há uma palavra para outro que pior do que não entrar foi só fazer asneira com a bola no pé, NANI teve bem ao nível do Eliseu.

      Eliminar
  4. Não concordo com o Coentrão no meio-campo porque ele não é excelente nessa posição e porque quem ficou a defesa esquerdo é alguém que só está na seleção para agradar ao SLB, pois Eliseu não tem qualidade nem para estar na seleção nem no clube onde está.

    O nosso meio-campo deveria sempre ter William, Moutinho e Tiago.

    ResponderEliminar
  5. Essa parte sobre a idade é um pouco preocupante. Bem apanhado.
    Ontem por exemplo Fonte (que não é novo), demonstrou a meu ver o que para muitos é óbvio. Já há 2/3 anos que devia estar a frente do Bruno Alves.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Tiago. Uma pena que Paulo Bento nunca lhe tenha dado uma oportunidade. Um abraço.

      Eliminar