sexta-feira, 24 de abril de 2015

Apocalipses seletivos

Uma das facetas do jornalismo desportivo português que mais me irrita é a hipocrisia com que alguns jornalistas encaram as movimentações de bastidores levadas a cabo por certos dirigentes do nosso futebol. Não vou referir nomes de dirigentes ou de clubes - não é neles que quero centrar esta crítica em particular -, mas durante décadas todos nos apercebemos dos proveitos que um certo emblema retirou de toda uma estrutura que montou e que abrangia todas as áreas de poder do futebol português. Estrutura essa que, todos nos apercebemos agora, está em vias de desmantelamento e substituída por uma outra mais adaptada aos tempos modernos.

Desde que comecei a acompanhar o futebol nacional, as suspeições sempre foram mais que muitas: as panelinhas feitas para colocar dirigentes nos lugares de maior influência (com o Conselho de Arbitragem à cabeça), o clima de intimidação instalado, a impunidade com que certos atores se movimentavam, arbitragens escandalosas que ainda não tinham um mundo artilhado de tecnologia para as avaliar devidamente, jogadores que tomavam a amarelinha para aumentar o rendimento físico, outros que eram apanhados no controlo com substâncias proibidas mas que arranjavam um colega menos influente na equipa para arcar com as culpas e a inevitável suspensão, entre tantos e tantos outros exemplos.

Hoje em dia o mundo do futebol está mais sofisticado e cauteloso, mas nem por isso as suspeições abrandaram. Basta ver as reações que se seguiram à recuperação de Jackson para a 1ª mão com o Bayern.

Todas estas suspeições esbarravam (e continuam a esbarrar) numa comunicação social com pouca capacidade ou interesse para investigar o lado podre do futebol. De um lado tínhamos (e ainda temos) jornalistas que, por acreditarem que alimentar o escândalo é matar o desporto, por incapacidade de provar irregularidades, ou por temerem represálias, evitavam (e continuam a evitar) remexer em assuntos demasiado delicados. Do outro estavam (e ainda estão) jornalistas que, por estarem totalmente alinhados com a fação acusada, só pegavam (e pegam) nos temas polémicos com o único objetivo de os desvalorizar. Quantas vezes leram e ouviram jornalistas a declarar convictamente que ganha quase sempre a melhor equipa dentro do relvado e que o resto é conversa de mau perdedor?

O verdadeiro teste à coerência destes jornalistas acontece quando a agulha vira e os clubes que habitualmente estão no centro dos interesses instalados do futebol nacional se vêem repentinamente no outro lado da barricada - nomeadamente quando têm que defrontar os tubarões europeus nas competições da UEFA.

Lembro-me por exemplo, na sequência do Schalke - Sporting, ouvir Carlos Daniel dizer com todas as letras que o Sporting foi roubado, fazendo também uma ligação à arbitragem que prejudicou o Benfica em Leverkusen. Será que o comentador em questão faria semelhante juízo de valor num caso em que o Sporting fosse prejudicado nas competições nacionais? Ocasiões para isso não lhe faltaram e sinceramente não me lembro de alguma vez o ter feito quando o Sporting foi o clube prejudicado.

Outro bom exemplo, mais recente, é o artigo de opinião escrito por José Manuel Ribeiro, diretor de O Jogo, que fez o lançamento da 2ª mão da eliminatória que opôs o Porto ao Bayern:


O Porto encontrou mesmo o apocalipse, mas não pelos motivos que José Manuel Ribeiro "previa". Só por azar, os lesionados ficaram todos de fora e o árbitro não teve qualquer influência no resultado. Mas para a história fica que o jornalista, numa única frase, conseguiu lançar suspeições sobre a ética dos alemães (e de Guardiola em particular) e sobre a boa-fé da equipa de arbitragem. Não coloco em causa que não tivesse motivos para o fazer (a questão das infiltrações foi introduzida pelo treinador espanhol), mas não me recordo que o jornalista em causa tenha tomado uma posição tão clara sobre polémicas idênticas que tenham sido alvo de discussão no futebol português. E sabemos bem que não lhe faltaram oportunidades para isso.

20 comentários :

  1. Precisamente. E há mais exemplos:

    Os que insinuaram que perdem finais por causa do redes se adiantar centímetros da linha de penalty, graças ao Platini, são os que assobiam para o lado quando jogadores inteiros não alinham misteriosamente nas equipas que defrontam, e que afirmam não há mão do orelhas nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou quando o Estoril (clube com enorme falange de adeptos no reino do Algarve) opta, sem qualquer influência externa, por jogar no Algarve contra os adversários.

      Ou quando um campeonato está para ser decidido na última jornada e há um empate ao intervalo fazendo o Sporting campeão. Eis que na segunda parte o Desportivo das Aves não resiste à pressão e sofre quatro golos seguidos para gáudio do seu treinador Prof Neca.

      SL

      Eliminar
    2. Mais que o prof. Neca, a grande alegria foi do GK do Aves que, por si mesmo, pôde decidir se, na época seguinte, ia usar (ou não) o escudo de campeão no seu braço.
      Ao intervalo lá pensou: "Para o ano vou para o Campeão Nacional ou para o vice-Campeão Nacional? Já sei!! Borá lá à 2ª parte!! Presidente, é na boa, Campeões!!!"

      Grande Nuno Espírito Santo...

      Um pouco como o Pelé, neste último jogo entre SLB e "novo" Belenenses. Ele quando assinou contrato tinha lá os prémios caso fosse Campeão. Talvez tenha pensado que o contrato já tenha entrado em vigor... (se calhar já entrou!)
      Mais um a sofrer do síndrome Brassard (Amoreirinha, Makukula, J. Ribeiro e outros, dizem, nunca recuperaram).

      Eliminar
    3. Ora cá está o preso por jogar e o preso por não jogar...

      Eliminar
  2. Há ainda os que na semana passada gritavam aos quatro ventos que só o FC Porto orgulhava Portugal que eram os maiores.

    Ora no ano passado foram corridos da Europa por 4 pelo Sevilha e este ano foram 6 do Bayern.

    Parece-me que há para ai um ciclo qualquer.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse total dá 14 em 6 jogos. Sem contar com os nossos golos, que reduzem a diferença. Há quem leve 12 em 2 jogos e ainda se sinta com moral para falar. Boa sorte para o futsal.

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Mais um excelente artigo que relata bem o que por cá se passa. Só acho piada dizerem que os Sportinguistas são os calimeros, quando quem mais se queixa são sempre os mesmos, quando as coisas não correm bem. Tenho amigos Benfiquistas que, neste momento, são da opinião de que "já não há roubos", mas quando acontece alguma coisa, voltam rapidamente a lançar suspeitas. Há uns anos atrás era tudo uma palhaçada, era a fruta e mais isto e aquilo. Agora que a coisa virou para o lado deles, já não há roubos (excepto se o Benfica for prejudicado). Existe uma falta de coerência tremenda nas pessoas e, tendo em conta que alguns deles são jornalistas, é normal que isto se processe assim.

    ResponderEliminar
  5. Dá-lhe Mestre! É continuar a mostrar a qualidade/coerência/carácter destes comentadores e "jornalistas" cá do burgo...

    ResponderEliminar
  6. Se por acaso o Carnide fôr prejudicado no jogo de Domingo, vão vêr quem é que vai deixar de estar em silêncio,os hipócritas de merda da grande maioria dos adeptos lampiões que querem convencer os tolos que não foram levados ao colo no 1º terço do campeonato.
    Se perderem com um golo ilegal, quero ver quem são os calimeros.

    ResponderEliminar
  7. Eu sei que esta blog e principalmente anti-Benfica e so depois do Sporting,mas a vossa hipocrisia(nao so de quem faz os posts mas tambem de quem comenta) roca o ridiculo.Nao e so o Porto e o Benfica envolvidos em casos polemicos(estou-me a lembrar de dirigentes do Sporting a ameacarem arbitros com pistolas e outro a depositar dinheiro em contas de um arbitro),e o Sporting tambem e beneficiado todos os anos.Mas em relacao ao topico e so ver quem sao os donos desses jornais e teras a tua resposta.Nao ofendi ninguem e espero que a liberdade de expressao que praticamente so existe neste blog(incluindo blogs benfiquistas)continue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha o otário sem vergonha que ameaça de morte autores de blogs Sportinguistas. Tem vergonha e cria uma conta nova no fim de assaltares o próximo café

      Eliminar
    2. Errado: ofendeste a inteligência de quem se deu ao trabalho de te ler.

      Eliminar
    3. http://leoninamente.blogspot.pt/2015/03/e-todos-vivem-bem-na-ilegalidade.html

      Eliminar
    4. Vem um gajo que ameaçou um blogger de morte, falar de liberdade de expressão! É só burrice, ou é mesmo falta de vergonha na cara?

      Eliminar
    5. NonameGirls vai embora assassino!

      Eliminar
  8. Se o Guardiola é um bezerro de ouro, então este José Manuel é um perfeito asno!

    Só faltou dizer que o Presidente do Bayern recebeu, nas vésperas do jogo, um árbitro em casa, que foi apanhado em escutas a prometer "fruta e café com leite" aos árbitros e que só não foi apanhado pela Polícia porque alguém o avisou para fugir para a Polónia.

    Tão íntegros que eles são...

    ResponderEliminar
  9. O sucesso deste blogue vê-se pela grande quantidade de comentários da escumalha escarlate.

    Parabéns, Mestre!

    ResponderEliminar