sábado, 25 de abril de 2015

BREAKING NEWS

Estou desolado. A notícia que a RTP avançou ontem à tarde arrasou-me por completo:


William no Arsenal por 30 milhões. Ora aqui está uma grande desilusão. É bem vendido, sabemos que o clube precisa do dinheiro, mas tinha esperança que conseguiríamos manter William mais um ano. Infelizmente parece que o peso das libras esterlinas foi demasiado forte para a manutenção no plantel de um dos nossos melhores jogadores.

O que me irrita ainda mais é que me parece pouco sensato estarmos a fechar um negócio quando ainda há uma final da Taça para disputar. Pode afetar o foco do jogador e quem sabe do grupo de trabalho. Enfim, vamos ver o resto da notícia para sabermos mais detalhes daquela que é a maior venda da história do clube.


Alto! A notícia é da imprensa inglesa? Não há comunicado da SAD para a CMVM a anunciar o negócio? "A confirmar-se", diz o jornalista?

Bem, vamos lá a ver o que diz a imprensa inglesa... parece que o Metro escreveu mesmo qualquer coisa sobre o assunto às 10h38 de ontem.


Hmmm... o Metro aponta para o Daily Express. Vamos lá ver o que dizem esses...

Cá está: notícia publicada às 10h07 de ontem.


Ai... afinal foi o Telegraph? Então vamos lá ao site do Telegraph...

Sim, confere. Notícia publicada às 06h59 de ontem:


Gossip? <mexericos> Que partiram do... jornal O Jogo?! Ah, estão a referir-se a isto?



Ou seja, a notícia que a RTP deu com tanta veemência afinal surgiu a partir de uma peça publicada mais de 48 horas antes, e que facilmente se percebe que não é mais do que o típico encher de páginas com especulações face à inexistência de algo de concreto para oferecer aos leitores.

No espaço de dois dias, um conjunto de órgãos de comunicação social conseguiu transformar um "Médio é visto como potencial sucessor de Gerrard no Liverpool, sendo acompanhado por Arsenal e Manchester United" numa venda finalizada. E os 30 milhões surgem porque aparentemente no último defeso os dirigentes leoninos pediram informalmente um valor dessa ordem.

Lembro-me de brincar em miúdo com uma série de colegas a um jogo em que o primeiro sussurrava algo ao ouvido de outro, que depois passava a mensagem tal como a tinha escutado ao colega do outro lado, e assim sucessivamente. Quando se chegava ao fim da cadeia, comparávamos o que tinha dito o primeiro com aquilo que o último tinha percebido. Invariavelmente era algo completamente diferente. Isto que vimos aqui parece ser uma brincadeira semelhante, mas em vez de crianças os participantes são jornalistas profissionais. A diferença é que os jornalistas têm a vida facilitada pois, ao contrário das crianças no tal jogo, podem tentar descobrir de imediato se a versão que lhes chegou ao ouvido está correta, não tendo que aguardar pelo último miúdo da fila para saber o que afinal tinha sido dito em primeiro lugar. Como ficou demonstrado neste post, não é uma tarefa assim tão hercúlea.

Haja paciência para este jornalismo...

17 comentários :

  1. Grande paciência tem o MdC para analisar estes temas.
    Excelente!

    ResponderEliminar
  2. Eu ouvi dizer que qualquer dia a RTP vai fechar as portas !...ahahahahaha

    O jornal The Sun confirmou a venda do William mas ao Arsenal de Sarandí...olha vai para o futebol argentino,isto é que é uma grande surpresa.

    ResponderEliminar
  3. Like! Estou para aqui a rir-me com a sequência de vídeos e excertos de jornais que o MdC publicou! Mto bom!

    ResponderEliminar
  4. E este trabalho foi bem caçado eheheh.

    ResponderEliminar
  5. Mestre, tenho que te enviar um grande ABRAÇO... Sou um grande teu seguidor e tenho grande admiração pelo te trabalho.

    ResponderEliminar
  6. Sejamos claros, não há jornalismo desportivo em Portugal. Há uma quantidade de gajos que reproduzem aquilo que lhes é soprado. O medo tira-lhes quaisquer veleidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francis, 90% do jornalismo desportivo português é encher chouriços durante a semana e analisar os jogos segundo a cartilha... infelizmente são muito poucas as exceções pela positiva. Um abraço.

      Eliminar
  7. muito bem agarrado mestre. Isto é como dizem os americanos para apanhar esquemas de corrupção: Follow the money

    ResponderEliminar
  8. gotcha. bati-te por dois anos: http://www.porta19.com/2013/08/para-melhor-se-compreender-o-hype-do-mercado-de-transferencias/ . e já vi isto acontecer na bola, record e jogo montanhas de vezes. para não falar em jornais dos bifes que aí então é um vê se te avias.

    os ingleses são mestres nisto e os tugas vão atrás. o costume.

    abraço,
    Jorge
    Porta19

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não precisas de dizer isso porque isto já acontece à muito tempo... Podes ter escrito isso à dois anos mas nós já conhecemos como o jornalismo se mexe nas ultimas décadas, que saudades da velha guarda...

      O problema é mesmo a falta de independência que os miúdos novos têm agora... Não passam de "escravos" das ditaduras do politicamente correto, que se gerem apenas pelas aparências...

      Eliminar
    2. Ahahah, fantástico, Jorge... :) Um abraço.

      Eliminar
  9. Só mais um exemplo do anti-sportinguismo primário do jornal a bola. Fui tentar saber o resultado do hóquei no telemóvel e fui ao site mobile desse ranho. Ao ver que não havia nenhuma notícia sobre o jogo tive logo um feeling: Ganhámos! E não é que acertei?

    ResponderEliminar
  10. Grande Paulo Martins, um tripeiro de Carrazeda de Ansiães. Ainda se deve recordar das bordoadas que levou num jogo nas Antas, ao serviço da RTP, e que podem consultar aqui. https://www.youtube.com/watch?v=-n4hC7RM8TM. Depois, as suas lamentações caíram em saco roto, pois foi "aconselhado" a não apresentar queixa....

    ResponderEliminar