quinta-feira, 9 de abril de 2015

Missão cumprida

Foi um jogo feio do Sporting. Parcialmente porque a equipa pareceu sempre preocupada em conduzir a bola pelas faixas - talvez por envolver menor risco em caso de perda - que tornou o jogo bastante mais previsível e fácil de anular por um Nacional quase sempre bem organizado, e parcialmente porque tivemos vários elementos em claro sub-rendimento, que de forma demasiado frequente complicavam o que era simples e desperdiçavam de forma desesperante sucessivas jogadas de ataque. 

Até compreendo a opção da equipa em arriscar pouco - para todos os efeitos o 0-0 interessava ao Sporting e o Nacional é especialmente perigoso se tiver espaço para contra-atacar -, mas o problema é que isso deixa qualquer adepto sportinguista com o coração nas mãos enquanto o resultado não se desata. Se há coisa que o Sporting não tem sido, é ser uma equipa segura na altura de defender um resultado, e vivemos em permanente ansiedade à espera que o acaso nos pregue uma nova e inevitável partida, deitando tudo a perder. Mas justiça seja feita aos jogadores: na altura decisiva souberam manter o Nacional bem longe da nossa área, garantido desta forma uma noite descansada aos senhores do INEM que estavam de serviço no estádio.

Resultou, carimbámos a presença na final, e isso é o que é verdadeiramente importante. Foi feio? Paciência. Vai ser a última das minhas preocupações quando estiver no Estádio Nacional no dia 31 de maio.



Positivo

#RumoAoJamor - tudo o que de menos agradável se passou ao longo dos 90 minutos tem que ser relativizado. O fundamental era assegurar o apuramento, e foi precisamente isso que aconteceu.

Cabeça fria - Manuel Machado estacionou o autocarro na sua metade de terreno, na esperança que o tempo avançasse e o nervosismo começasse a tomar conta do estádio e acabasse por contagiar os jogadores do Sporting. Correu-lhe mal. O Sporting esteve sempre muito concentrado e assertivo no momento de parar as tentativas de contra-ataque do Nacional, e suficientemente organizado na pressão ao portador da bola na fase de construção adversária para rapidamente recuperar a posse. No momento em que Manuel Machado decidiu arriscar trocando Ali Ghazal por Gomaa, o Sporting engoliu a linha média adversária e, consequentemente, dominou por completo o jogo.

A maturidade de Ewerton - Muito justamente, Marco Silva realçou na conferência de imprensa a maturidade do brasileiro. Mais um jogo de qualidade, em que defensivamente esteve irrepreensível, revelando e transmitindo uma serenidade que faz muita falta à nossa linha defensiva. Com a bola nos pés parece sentir-se mais à vontade que Paulo Oliveira, sendo bem mais certeiro nos passes de longa distância. E, claro, estreou-se a marcar com o golo que devolveu a tranquilidade ao estádio. Creio que já é seguro dizer que se trata de uma das melhores contratações de inverno que o Sporting realizou ao longo da última década.

As defesas de Rui Patrício - o Nacional raramente chegou à nossa baliza, mas quando o fez foi extremamente perigoso. Rui Patrício foi novamente decisivo ao realizar um pequeno conjunto de defesas difíceis - em particular um mergulho para parar um cabeceamento à entrada da pequena área - que nos mantiveram na frente da eliminatória.

Jefferson, nos dois lados do campo - foi dos jogadores ofensivamente mais dinâmicos e esteve também bem nas tarefas defensivas. Fez a assistência (mais uma) para Ewerton e afastou uma bola quase em cima da linha de golo após uma defesa incompleta (e complicada) de Rui Patrício.

A entrada de André Martins - entrou bem. Já tinha estado em bom nível contra o Paços de Ferreira, e hoje acrescentou mais consistência ao nosso meio-campo numa altura em que o Nacional tentava arriscar mais alguma coisa. Não me escandalizaria se fosse titular contra o Setúbal no lugar de Adrien.  


Negativo

Surto de azelhice - atacou vários elementos da equipa, em especial Slimani, Adrien e o próprio Nani. A participação de Slimani resume-se à assistência de cabeça para isolar João Mário (mais uma oportunidade desperdiçada, João?), com algumas boas oportunidades para finalizar de cabeça que estranhamente não aproveitou, e tragicamente desastrado no momento de rematar com os pés. Adrien pareceu um pouco perdido em campo, e para agravar teve algumas perdas de bola que podiam ter causado situações de contra-ataque bem perigosas. Nani esteve muito mal na condução dos nossos lances de contra-ataque e na execução das bolas paradas. Com a bola nos pés poucas coisas lhe saíram bem. Fruto de ansiedade ou foi uma simples noite desinspirada? A bem das nossas hipóteses na final, espero que seja a segunda.

A saída de Carrillo - é verdade que o peruano esteve algo inconstante, mas saíram dos pés dele os cruzamentos mais perigosos. Nani esteve mais em jogo mas bastante mais ineficaz, e Adrien também pouco estava a acrescentar à equipa. Não devia ter sido Carrillo a sair, pelo que não compreendi a opção de Marco Silva. Uma situação que tem sido, injustificadamente, demasiado recorrente nesta temporada.

16.315 - estava uma noite de temporal, mas foi uma enorme desilusão ver tão poucas pessoas no estádio. Um jogo desta importância merecia bastantes mais sportinguistas na bancada. Aposto que não serão apenas 16.315 os pedidos de bilhetes para a final, no entanto. É triste.



Jamor, here we come!

35 comentários :

  1. Não se compreende a saída de Carrillo de facto, mas como dizes é sempre assim, começo achar que Nani tem alguma cláusula que impede que seja substituído. Espero que aproveitem os restantes jogos do campeonato para garantir o 3º lugar e gerir o resto da época, se MS insistir sempre nos mesmos 11 vai chegar à final com uma equipa desgastada física e psicologicamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernando, está mais que na hora de experimentar novas soluções. Quem sabe se não vai encontrar um joker que ajude a surpreender as equipas adversárias. Pelo meio, descansam os mais desgastados. Um abraço.

      Eliminar
  2. Sim o Sporting jogou muito pelas linhas laterais. Penso que isso fazia parte da estratégia de não correr o mínimo risco de a equipa ser apanhada em inferioridade numérica nos ataques rapidos do nacional. Temos que fazer a gestão do plantel, mas volto a dizer que o jogo de ontem era bastante complicado por tudo o que se disse nestes dias anteriores. Ontem a comunicação social não fez a antevisão do jogo, muito pelo contrário...o motivo foi sempre se o Marco Silva não ganhar vai embora e isso é complicado de gerir. Vamos ver se agora presidente e treinador vão começar a preparar a nova época, porque senão vamos ter está destabilização até ao dia 31 . Obrigado Sporting!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Carlos, do pouco que ouvi de rádio antes do jogo falou-se sobretudo daquilo que seria o jogo que decidiria o futuro de Marco Silva. E com razão. O ambiente ficaria insustentável para Marco Silva se não nos tivéssemos apurado. Um abraço.

      Eliminar
  3. Por um lado entende-se a insistência neste 11, mas se nem num jogo da Taça o Gauld tem lugar (André quê?), quando é que ele irá começar a jogar na equipa principal?
    O surto de azelhice não é de agora, mas revela-se nos momentos mais decisivos. Champions, Europa, mesmo a semana passada quando os 3 pontos e uma goleada seriam o resultado mais que justo se...acertassem com a baliza.
    Eu não sou profissional, não trabalho todos os dias, mas treino 2x por semana e jogo aos Sábados em futebol de 11 e sei que por vezes temos dias maus, mas marcar golos treina-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xusso, não concordo. Não fizemos uma exibição azelha contra o Schalke, Benfica, Porto (cá para o campeonato e taça), e mesmo Chelsea e Wolfsburgo. Em muitos deles a finalização foi de facto má, mas fora isso foram boas (ou mesmo excelentes) exibições...

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Mestre, excelente crónica. Um só reparo em relação à noite descansada para os sportinguistas, tem a haver com um senhor que estava no sector A28 e sofreu uma paragem cardíaca, mas que felizmente já se encontra livre de perigo. As melhoras para este senhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fazia ideia, Lion King. Como é evidente, desejo também as melhoras ao senhor. Um abraço.

      Eliminar
    2. Mestre, eu sei que não tinha conhecimento senão tinha colocado esse facto no post. Foi só uma nota que decidi deixar, pois foi grave o que aconteceu a esse senhor. Abraço.

      Eliminar
    3. Claro... há coisas com que não se brinca. Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  5. O Sporting devia vender primeiro os bilhetes a quem tem gamebox e foi a este jogo e só depois ao resto.
    Em relação ao jogo, não gostei muito. Mas gostei de termos ganho. É o importante. Tinha gostado do futebol contra o Paços até ao golo (excepto a miséria do João Mário que não sabe finalizar) e acabamos por empatar.
    Um semi objectivo conseguido, agora é levantar o caneco e acabamos com este jejum ridículo.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. afl!, mesmo assim não vão chegar. Os bilhetes costumam ser divididos em 3 (2 clubes + FPF), pelo que deverá dar cerca de 12.000 para cada. As claques (e bem, na minha opinião), tem logo direito a uma fatia significativa. Acredito que dêem prioridade aos lugares de leão e gameboxes (é o mínimo), e espero que só deixem vender um bilhete por sócio. Um abraço.

      Eliminar
    2. Eu estava-me a referir a quem foi a este jogo com gamebox. Era mais justo, digo eu.
      Mas para ser franco, duvido que façam esta distinção mas era justo (e eu assim já me safava..)
      Um abraço

      Eliminar
  6. Mestre, e o facto de Marco silva ter preferido Tanaka a Montero ? nada a dizer ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na altura que entraram era indiferente, jcnaguiar... aos 89 minutos... Um abraço.

      Eliminar
    2. Aos 89 minutos é mandar a merda qualquer um que entrasse.
      Muito mal o Marco Silva em tudo o que tem a ver com mexer na equipa.

      Mestre, o Sporting mudou a forma de jogar já a bastante tempo. O jogo interior não existe. Tudo é feito nas alas de forma a estar menos exposto. Se esta foi a unica opcao que o treinador encontrou para melhorar defensivamente a equipa...não lhe adivinho grande futuro.

      Eliminar
    3. exactamente, Montero tem perdido espaço na equipa do Sporting, será que teria alguma coisa de mal ter entrado mais cedo ? até pq as substituições n foram perceptiveis sequer, sai medio centro para entrar extremo e dps tira extremo para entrar medio centro num espaço de pouco mais de 10 mins. e concordo que tenha de haver uma maior gestão da equipa, o meio campo ta roto, o slimani igual e o Nani é indiscutivel jogue bem ou jogue mal, o carrilho é que tem de sair sempre.

      Eliminar
    4. Alessandro, na prática voltámos aos tempos do futebol de Jardim, mas com menos confiança na linha defensiva... infelizmente assim fica curto. Um abraço.

      Eliminar
  7. É tempinho do Marco Silva começar a ter tomates e pôr o João Mário e principalmente o Nani no banco.Não quero saber se veio do Setúbal ou se veio do Man United o que eu sei é que eles não estão bem e tem de se dar oportunidades a outros jogadores.

    O Nani desde que teve a lesão nunca mais foi o mesmo e não há razões para perceber tal descida de forma.É verdade que já fez um grande golão mas uma equipa não pode depender de um jogador que joga bem de mês a mês e ainda por cima com as suas merdices começa a dar cabo da equipa.

    Quanto ao João Mário acho que o banco vai-lhe fazer bem,este anda a ver muitos filmes,deve andar a sonhar com os Messis e Ronaldos mas ele chama-se João Mário,a época passada estava no Setúbal e ou se deixa de paneleirices ou então quem sabe se um dia destes vai ver os jogos na bancada.

    Num jogo de responsabilidade os meninos não podem andar a brincar aos egoísmos e aos tiques de vedetas.É verdade que o Nacional não foi uma equipa fácil,é verdade que por vezes os jogos não correm bem mas também é verdade que os jogadores andam a perder um o sentido colectivo do jogo e nessa parte o Marco Silva tem de ser implacável.

    Quem não joga para a a equipa vai jogar para a bancada para não dizer palavrões !...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. King Lion, concordo que desda a lesão o Nani não conseguiu recuperar o mesmo nível, mas mesmo assim tem sido bastante influente. Para mim, estando em condições, tem que ser titular - não precisa é de jogar sempre os 90 minutos. Um abraço.

      Eliminar
  8. Continuo a achar que o fecho da bancada B só fez com que menos gente fosse ao jogo.
    Para quem tem GB na B, uma coisa é receber um sms com a referência MB para ficar automaticamente com bilhete e outra coisa é ter de andar à cata de lugares disponíveis na A (ainda por cima só quase com lugares disponíveis nas laterais ou nas filas mais próximas do relvado).
    Gostava de saber quanto dinheiro se poupa a fechar a bancada B. Percebo que se feche num jogo para a taça da liga, não percebo numa meia final da taça de Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tiago, eu comprei o bilhete apenas no dia anterior ao jogo e havia muitos lugares nos setores mais centrais. Provavelmente só desbloquearam os lugares de leão e as gameboxes mais em cima da data do jogo... É possível que o fecho da B tenha tido alguma influência, mas não sei se é significativa... Um abraço.

      Eliminar
  9. Caro Mestre,

    Estou contigo. Esta época já brilhámos e nem sempre ganhámos. Vide jogo de Sábado, em que jogámos muito melhor do que ontem. Por isso, não me queixo. Mas no Jamor vai ter que ser diferente.

    Entretanto fico a aguardar as entrevistas que os jornais e rádios irão fazer ao Ricardo Costa, para saber se agora já entende a contratação do Ewerton. Mas aguardo sentado, para não me cansar...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ferenc a questão Ewerton é que nos jogos decisivos da época em que precisávamos dele( dragao e eliminatória da liga europa), não podíamos contar com ele.

      o ewerton foi contratado para entrar de caras no 11 e tivemos com ele 1 mês no estaleiro

      Eliminar
    2. Riga,

      1. Não me parece que tenha sido (apenas) pelo Tobias que perdemos o jogo do Dragão ou a eliminatória com o Wolfsburgo. Parece-me, no mínimo, injusto.
      2. Até parece que a necessidade de recuperação do Ewerton era uma surpresa! Toda a gente sabia que o Ewerton estava parado e precisava recuperar. Foi dito pelo Marco Silva na conferência de imprensa após a sua contratação. Parece-me claramente que foi uma decisão tomada de forma consciente porque, precisamente, se reconhecia valor ao rapaz. Algo que, agora, já parece unânime. Tanto havia duvidas sobre a sua recuperação que ele não foi comprado, mas sim emprestado com opção de compra. Assim que ficou bem efectivamente 'entrou de caras no 11'.
      3. Mas o meu comentário ia noutro sentido: Os hipócritas da comunicação social não se inibiram de enfiar a navalha no Sporting precisamente porque o Ewerton não podia jogar desde o dia 1, ao ponto de fazerem algo que não me lembro alguma vez terem feito, que foi perguntar a outro colega de profissão, precisamente um em quem o Sporting teria estado supostamente interessado para contratar em vez do Ewerton, o que ele pensava de o seu colega ter sido contratado e não poder jogar de imediato. Ao qual o Ricardo Costa responder com a maior azia do mundo. E agora já fazem capas com o Ewerton...

      Eliminar
    3. Férenc, sem dúvida, há uma falta de confiança e esclarecimento junto à área que é preciso combater...

      Essa da entrevista ao Ricardo Costa é bem pensada! :)

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Riga, definitivamente o Tobias ainda não nos custou pontos. Não foi ele o principal culpado da derrota contra o Porto. Marcou dois golos importantes contra o Arouca e o Nacional (taça). Fez grandes jogos contra o Benfica e Wolfsburgo. Cometeu um erro grave contra o Penafiel e outros erros menores noutros jogos que não nos custaram qualquer ponto.

      A questão do Ewerton / Ricardo Costa deve ser vista assim, na minha opinião: contratamos um central de 33 anos com um salário alto, ou contratamos um central de 25 (quase a fazer 26) que tem qualidade (já vista no Braga) com um salário mais acessível e que pode ser útil nos próximos 6, 7 anos se conseguir recuperar da lesão - mesmo que não possa jogar de imediato?

      A pensar no curtíssimo prazo, talvez a 1ª - mas é preciso lembrar que já estávamos a 10 pontos do Benfica quando o contratámos, ou seja, as hipóteses reais de ganharmos o campeonato eram curtas. A pensar no médio, longo prazo, definitivamente a 2ª.

      Ainda bem que a direção tomou a decisão certa.

      Um abraço.

      Eliminar
  10. Mestre, é verdade que o João Mário não finaliza bem o lance aos 40 minutos, mas para mim nesse lance o Nacional devia ter ficado a jogar com 10. O defesa do Nacional rasteira o João Mário com a bola em jogo. Visto que ele ia isolado o cartão vermelho impunha-se. Isto o machado não viu. Aliás, parece que ninguém viu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dash, eu não tenho assim tanta certeza. Ele já tinha rematado... houve contacto, sim, mas a jogada já tinha seguido... eu acho que não marcava... Um abraço.

      Eliminar
    2. A jogada seguiu com benefício para o infractor. Pensa: se a jogada fosse junto a uma linha lateral ou a uma linha de fundo não marcavas, mesmo a bola saindo?

      Eliminar
  11. a explicação para a saída do carrillo é até bastante simples: podia sair o adrien , mas ai existiam assobios por ser uma substituição troca por troca, ou saia 1 dos extremos.
    Como em outros jogos este ano a opção logica devido ao rendimento seria tirar o nani( porque por muito talento que tenha tem o dom de estragar n jogadas de ataque seja por querer adornar , muito, ou fazer uma finta a mais, ou simplesmente não passar a bola a ninguém), mas como este deve ter alguma clausula que impede que ele seja subsituido, o sacrificado esteja ajogar mal ou bem é sempre o outro extremo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, só o Marco Silva saberá... mas não acho que fosse ouvir mais assobios do que os que ouviu se tirasse o Adrien. Um abraço.

      Eliminar
  12. Ontem, também fiquei lixado com o Nani, por aquele contra-ataque não passar a bola a ninguém, e a jogada se perder. Mas uns dias atrás em Paços de Ferreira, quem foi o melhor em campo. De tal forma que a CS, dizia que o Nani estava de volta. Para o ano vão-se lembrar muito dele. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Fernando. O Nani ontem não esteve bem, mas tem sido muitas vezes o nosso jogador mais influente. É certamente o mais inteligente. Ainda não foi embora e já sinto saudades... :) Um abraço.

      Eliminar